Monday, September 29, 2014

The Anti-Empire Report - Ukraine and neo-Nazis


English
Português
William Blum
William Blum
Official website of the author, historian, and U.S. foreign policy critic.
Website oficial do autor, historiador e crítico da política externa dos Estados Unidos.
The Anti-Empire Report #132
O Relatório Anti-Império No. 132
By William Blum – Published September 16th, 2014
Por William Blum – Publicado em 16 de setembro de 2014
Ukraine and neo-Nazis
A Ucrânia e os neonazistas
Ever since serious protest broke out in Ukraine in February the Western mainstream media, particularly in the United States, has seriously downplayed the fact that the usual suspects – the US/European Union/NATO triumvirate – have been on the same side as the neo-Nazis. In the US it’s been virtually unmentionable. I’m sure that a poll taken in the United States on this issue would reveal near universal ignorance of the numerous neo-Nazi actions, including publicly calling for death to “Russians, Communists and Jews”. But in the past week the dirty little secret has somehow poked its head out from behind the curtain a bit.
Continuamente desde que sério protesto eclodiu na Ucrânia em fevereiro a mídia convencional ocidental, particularmente nos Estados Unidos, vem minimizando seriamente o fato de o vilão de sempre - o triunvirato Estados Unidos/União Europeia/OTAN - ter ficado do mesmo lado que os neonazistas. Nos Estados Unidos, isso tornou-se praticamente não mencionável. Estou persuadido de que fosse feita pesquisa nos Estados Unidos a respeito, seria revelada ignorância praticamente universal acerca das numerosas ações neonazistas, inclusive incitação pública a homicídio de “russos, comunistas e judeus”. Semana passada, porém, o segredinho obsceno de certo modo arriscou-se a colocar sua cabeça para fora da cortina um poucochito.
On September 9 NBCnews.com reported that “German TV shows Nazi symbols on helmets of Ukraine soldiers”. The German station showed pictures of a soldier wearing a combat helmet with the “SS runes” of Hitler’s infamous black-uniformed elite corps. (Runes are the letters of an alphabet used by ancient Germanic peoples.) A second soldier was shown with a swastika on his helmet. [NBC News, “German TV Shows Nazi Symbols on Helmets of Ukraine Soldiers”, September 6 2014]
Em 9 de setembro o NBCnews.com informou que “TV alemã mostra símbolos nazistas nos capacetes de soldados ucranianos”. A estação alemã mostrou imagens de soldado com elmo de combate exibindo as “runas SS” do infame corpo de elite de uniforme preto de Hitler. (Runas são as letras de alfabeto usado por antigos povos germânicos.) Foi mostrado segundo soldado com suástica em seu capacete. [NBC News, “TV Alemã Mostra Símbolos Nazistas nos Capacetes de Soldados Ucranianos”, 6 de setembro de 2014]
On the 13th, the Washington Post showed a photo of the sleeping quarter of a member of the Azov Battalion, one of the Ukrainian paramilitary units fighting the pro-Russian separatists. On the wall above the bed is a large swastika. Not to worry, the Post quoted the platoon leader stating that the soldiers embrace symbols and espouse extremist notions as part of some kind of “romantic” idea.
No dia 13, o Washington Post mostrou foto do quarto de dormitório de membro do Batalhão Azov, uma das unidades paramilitares ucranianas que combatem os separatistas pró-Rússia. Na parede acima da cama há grande suástica. Nada com que se preocupar, o Post citou o líder do pelotão declarando que os soldados adotam símbolos e esposam noções extremistas como parte de uma espécie de ideia “romântica.”
Yet, it is Russian president Vladimir Putin who is compared to Adolf Hitler by everyone from Prince Charles to Princess Hillary because of the incorporation of Crimea as part of Russia. On this question Putin has stated:
Nada obstante, o presidente russo Vladimir Putin é que é comparado a Adolf Hitler por todo mundo, do Príncipe Charles à Princesa Hillary, por causa da incorporação da Crimeia como parte da Rússia. Acerca desse tópico Putin declarou:
The Crimean authorities have relied on the well-known Kosovo precedent, a precedent our Western partners created themselves, with their own hands, so to speak. In a situation absolutely similar to the Crimean one, they deemed Kosovo’s secession from Serbia to be legitimate, arguing everywhere that no permission from the country’s central authorities was required for the unilateral declaration of independence. The UN’s international court, based on Paragraph 2 of Article 1 of the UN Charter, agreed with that, and in its decision of 22 July 2010 noted the following, and I quote verbatim: No general prohibition may be inferred from the practice of the Security Council with regard to unilateral declarations of independence. [BBC, March 18, 2014]
As autoridades crimeenses basearam-se no bem conhecido precedente de Kosovo, precedente que nossos parceiros ocidentais eles próprios criaram, com suas próprias mãos, por assim dizer. Numa situação absolutamente similar à da Crimeia, consideraram ser legítima a secessão em relação à Sérvia, argumentando em toda parte que nenhuma permissão das autoridades centrais do país era necessária para declaração unilateral de independência. O tribunal internacional das Nações Unidas, com base no parágrafo 2 do artigo 1 da Carta das Nações Unidas, concordou com isso e, em sua decisão de 22 de julho de 2010, observou o seguinte, que cito textualmente: Nenhuma proibição geral pode ser inferida da prática do Conselho de Segurança no tocante a declarações unilaterais de independência. [BBC, 18 de março de 2014]
Putin as Hitler is dwarfed by the stories of Putin as invader (Vlad the Impaler?). For months the Western media has been beating the drums about Russia having (actually) invaded Ukraine. I recommend reading: “How Can You Tell Whether Russia has Invaded Ukraine?” by Dmitry Orlov. [Information Clearinghouse, “How Can You Tell Whether Russia has Invaded Ukraine?”, September 1 2014]
Putin o Hitler é toldado pelas histórias de Putin o invasor (Vlad o Empalador?). Por meses a mídia ocidental vem fazendo alarde acerca de a Rússia ter (efetivamente) invadido a Ucrânia. Recomendo ler: “Como Poderá Você Concluir Se A Rússia Invadiu Ou Não A Ucrânia?” por Dmitry Orlov. [Information Clearinghouse, “Como Poderá Você Concluir Se A Rússia Invadiu Ou Não A Ucrânia?”, 1o. de setembro de 2014]
And keep in mind the NATO encirclement of Russia. Imagine Russia setting up military bases in Canada and Mexico, from the Atlantic to the Pacific. Remember what a Soviet base in Cuba led to.
E tenhamos em mente o cerco da OTAN à Rússia. Imaginem a Rússia estabelecendo bases militares no Canadá e no México, do Atlântico ao Pacífico. Lembremo-nos de a que levou base soviética em Cuba.

No comments:

Post a Comment