Monday, July 14, 2014

THE ART OF NOT BEING GOVERNED / Anarchy – Never Been Tried? Part I: Moresnet



ENGLISH
PORTUGUÊS
THE ART OF NOT BEING GOVERNED
A ARTE DE NÃO SER GOVERNADO
Anarchy – Never Been Tried? Part I: Moresnet
Anarquia – Nunca Foi Tentada? Parte I: Moresnet
Posted on July 23, 2013 by fk
Afixado em 23 de julho de 2013 por fk
This is the first in a series of posts on historical free and anarchic societies by guest-author Daniel Hawkins
Esta é a primeira de uma série de afixações acerca de sociedades históricas livres e anárquicas, pelo autor convidado Daniel Hawkins
“Anarchy sounds great and all, but it’s never been tried,” Shawn said smugly.
“Anarquia é algo que soa excelente, mas nunca foi tentado,” disse Shawn presunçosamente.
I stammered, reluctantly acknowledging his point. After the fourth debate with my former teacher, defeat was in the air again. It seemed that no matter how many solutions I put forward, I met the same roadblock. Even to me, he sounded logical. Would I drive a car without knowing if it worked? Would I trust my life to a surgeon on his or her first day? Really, how could we expect a world power like America—let alone the whole globe—to transition to a new social system without some evidence to show that it could work?
Gaguejei, concordando relutantemente com a observação dele. Depois do quarto debate com meu ex-professor, a derrota pairava no ar mais uma vez. Parecia que, não importava quantas soluções eu aventasse, deparava-me com a mesma barreira. Até para mim ele soava lógico. Guiaria eu um carro sem saber se ele funcionaria? Confiaria eu minha vida a um cirurgião no primeiro dia de cirurgia dele? Realmente, como poderíamos esperar que potência mundial como os Estados Unidos — quanto mais o mundo todo — fizesse transição para novo sistema social sem alguma evidência a mostrar que poderia funcionar?
Of course, we know that the State is too greedy and violent for us to wait around for abolition. We know that everyone practices Anarchism from the comfort of their own home, and that the principles can be applied on any scale. But, explaining this to a government employee, let alone the average person, can be a little difficult when both parties know there hasn’t been a single country that has gone without a government.
Obviamente, sabemos que o Estado é ganancioso e violento demais para ficarmos esperando que se extinga sem fazermos nada. Sabemos que todo mundo pratica o anarquismo a partir do conforto de seus próprios lares, e que os princípios dele podem ser aplicados em qualquer escala. Contudo, explicar isso a um funcionário do governo, e quanto mais à pessoa média, pode ser um pouco difícil quanto ambas as partes sabem que nunca houve um único país que tenha ficado sem governo.
Or has there?
Ou será que houve?
Being a nerd for history, Shawn’s point was infuriating. After smashing my keyboard a few times, I thought I should use it for its intended purpose, and I did some research. Actually, it wasn’t very long before I found a wealth of sources on academia’s biggest secret: not only has Anarchism been tried, but it is the most successful system to date.
Sendo eu vidrado em história, a observação de Shawn era de enfurecer. Depois de desabafar em meu teclado algumas vezes, concluí que poderia usá-lo para o fim para o qual fora criado, e fiz alguma pesquisa. Na verdade, não demorou muito para eu encontrar numerosas fontes que tratavam do maior segredo do ambiente acadêmico: o anarquismo não apenas foi tentado, como é o sistema mais bem-sucedido até hoje.
The Europe That Never Was
A Europa Que Nunca Existiu
If you’re like most people, history class was like a mallet to the head, and brought only pain and occasional periods of unconsciousness or semi-consciousness in the form of sleep. I don’t blame you. But, for those who really want to stick it to Statists, brush those cobwebs from your brain and go back with me all the way to 1815. Yes, it was a long time ago—no TV, no cars, not even electric power. But on the scale of time, it might as well have been yesterday.
Se você é como a maioria das pessoas, a aula de história era como uma porretada na cabeça, e só causava sofrimento e ocasionais períodos de inconsciência ou semiconsciência em forma de sono. Não culpo você. Contudo, para aqueles de vocês que realmente desejam ser duros com os Estatistas, tirem essas teias de aranha de seus cérebros e remontem comigo até 1815. Sim, foi há muito tempo — não havia TV, carros, e nem eletricidade. Na escala do tempo, porém, poderia ter sido ontem.
Napoleon had just gone from being king of the world to king of an island. The remaining powers—the Congress of Vienna—were redrawing the borders. The Balance of Power theory dictated that the audacious French had to be restrained. To do that, the mustachioed, monocled emperors set up a DMZ between the Netherlands and Prussia. Not only would “the Triangle,” as they called it, ward off further war, but it housed a very important zinc mine that the empires could share. The area was called Neutral Moresnet. If you’ve never heard of it, don’t worry. I have a feeling that might have happened on purpose.
Napoleão havia acabado de passar da condição de rei do mundo para rei de uma ilha. As potências restantes — o Congresso de Viena — estavam redelineando as fronteiras. A teoria do Equilíbrio do Poder determinava que os atrevidos franceses fossem contidos. Para isso, os imperadores de bigode e monóculo criaram uma zona desmilitarizada entre a Holanda e a Prússia. Não apenas “o Triângulo,” como eles a chamaram, impediria guerra futura, como abrigava mina de zinco muito importante que os impérios poderiam compartilhar. A área foi chamada Moresnet Neutro. Se nunca tiverem ouvido falar, não se preocupem. Tenho a impressão de que poderá ter acontecido isso de propósito.
Moresnet began with a population of only about 250 miners living between the Triangle and their respective homelands. Aside from its economic benefit, the territory went largely unnoticed. It saw the creation of neighboring Belgium in 1830, as well as a rash of bloody revolutions around Europe in 1848. With no one to rule it, those who lived in Moresnet did so rather anonymously. Unfortunately, Moresnet couldn’t stay a secret forever. Amid the growing fervor of Imperialism and Nationalism,  people began to hear of a land with no tariffs, low taxes, no war, one court, and only a handful of government officials.
O Moresnet começou com população de apenas 250 mineiros vivendo entre o Triângulo e seus respectivos torrões natais. A não ser por seu benefício econômico, o território foi em grande medida não noticiado. Ele testemunhou a criação da vizinha Bélgica em 1830, bem como uma série de revoluções sanguinolentas na Europa em 1848. Com ninguém para governá-lo, aqueles que moravam em Moresnet fizeram-no de modo bastante anônimo. Infelizmente, Moresnet não tinha como permanecer segredo para sempre. Em meio ao crescente fervor de Imperialismo e Nacionalismo, as pessoas começaram a ouvir de uma terra sem tarifas, impostos baixos, sem guerra, um só tribunal, e apenas um punhado de autoridades do governo.
It was Galt’s Gulch on the North Sea.
Era o Desfiladeiro de Galt do Mar do Norte.
By 1850, the population had doubled, bringing in businesses, farms, and infrastructure. Between 1850 and 1860, the population quadrupled. Moresnet had turned into a Wild West boom-town (but with less shoot-outs, I assume). The German Empire and Belgium attempted to assert their dominance in the region by shutting down a private postal service and a casino, but could not thwart the independent spirit of the Moresnettians. As their few government officials retired, stability in the nation continued. A small competing court system sprang up (more on that in Part Two), and taxes dropped to zero. Even when the mine dried up in the 1880s, the residents had little to fear. Strangely enough, Moresnet saw even more prosperity.
Em 1850 a população havia duplicado, trazendo empresas, fazendas e infraestrutura. Entre 1850 e 1860, a população quadruplicou. Moresnet havia-se tornado uma cidade de crescimento explosivo do Oeste Bravio (mas com menos tiroteios, suponho). O Império Alemão e a Bélgica tentaram afirmar seu domínio na região mediante fecharem um serviço postal privado e um cassino, mas não lograram subjugar o espírito independente dos moresnetenses. Enquanto suas poucas autoridades governamentais se aposentavam, a estabilidade da nação continuava. Um pequeno sistema competidor de tribunais foi criado (mais a respeito na Parte Dois), e os impostos caíram para zero. Mesmo quando a mina se exauriu nos anos 1880, os residentes tiveram pouco a temer. Por estranho que pareça, Moresnet experimentou ainda mais prosperidade.  
Immigrants who learned of a country free of bureaucracy and strife moved from places like Russia, America, and even China. One such newcomer was Dr. Wilhelm Molly, the town’s resident renaissance man and champion. After some medical and entrepreneurial adventures, Molly extended a hand to the anti-State Esperanto speakers. Their influence was so heavy that the residents changed the name from Moresnet to Amikejo (or “place of friendship”). Visitors and residents often remarked on the area’s bohemian yet modern atmosphere. At a population of about 4,000, Amikejans enjoyed an ease of life that contrasted sharply with their militarized, industrial neighbors. But the happy mistake that was Amikejo could not last forever. When the Great War came, the German Empire swept across Europe, taking the Triangle with it. As strangely as it had come into existence, Amikejo disappeared.
Imigrantes que souberam de território livre de burocracia e conflito mudaram-se de lugares tais como Rússia, Estados Unidos, e até China. Um desses chegantes foi o Dr. Wilhelm Molly, homem de muitos talentos e áreas de conhecimento e grande defensor de causas. Depois de algumas incursões médicas e empresariais, Molly passou a ajudar falantes de esperanto antiestatais. A influência destes foi tão forte que os residentes mudaram o nome de Moresnet para Amikejo (ou “lugar de amizade”). Visitantes e residentes amiúde comentavam a atmosfera boêmia porém moderna da área. Com população de cerca de 4.000 pessoas, os amikejenses gozavam de uma descontração de vida que contrastava agudamente com seus vizinhos militarizados e industrializados. O feliz equívoco em que Amikejo consistia, porém, não poderia durar para sempre. Ao chegar a Grande Guerra, o Império Alemão espraiou-se pela Europa, tomando, com ela, o Triângulo. De modo tão estranho quanto aquele pelo qual viera à existência, Amikejo desapareceu.
Though it was short-lived, we should not forget the legacy of the Triangle. For a time, people did manage to survive without a central authority. While Europe grew more imperious, Moresnet built a new society based on free trade and liberty. In its defiance of the norm, Amikejo could have served as a blueprint for the new Europe.
Embora com vida curta, não devemos esquecer-nos da herança do Triânulo. Durante certo tempo, as pessoas conseguiram sobreviver sem autoridade central. Enquanto a Europa tornava-se mais arrogante e dominadora, Moresnet construiu uma nova sociedade baseada no livre comércio e na liberdade. Em seu desafio ao usual, típico e padronizado, Amikejo poderia ter servido como modelo para a nova Europa. 
“That’s all well,” the skeptic might say, “but Moresnet doesn’t exist anymore. It might have been fairly recent, but it only lasted for about 100 years. For all we know, it was a fluke. There was a population smaller than most American towns, and there was already the Napoleonic Code to set up a precedent for the rule of law. How can something like that work today? How can Anarchism support a modern population at our standard of living?”
“Tudo bem,” poderia o cético dizer, “mas Moresnet não existe mais. Pode ter sido algo razoavelmente recente, mas só durou cerca de 100 anos. Do que sabemos, foi um acaso feliz. Havia população menor do que a maioria das cidadezinhas estadunidenses, e já havia o Código Napoleônico criando precedente para o império da lei. Como poderia algo da espécie funcionar hoje? Como poderia o anarquismo dar suporte a uma população moderna com nosso padrão de vida?”
I confess that I was wondering that myself. Moresnet was captivating, but it was by no means proof positive. There had to be other evidence. There had to be something that lasted longer and operated on a larger scale. So, in the next installment of “Never Been Tried?” we’ll go back even further, to a place that should be a little more familiar: Ireland.
Confesso que eu próprio estava pensando nisso. Moresnet foi cativante, mas de modo algum representou prova cabal. Teria de haver outra evidência. Teria de haver algo que tivesse durado mais tempo e funcionado em escala maior. Assim, na próxima parte de “Nunca Foi Tentada?” retroagiremos ainda mais, para lugar que deverá ser um pouco mais familiar: Irlanda.
More information on Moresnet can be found here and here.
Mais informação acerca de Moresnet poderá ser encontrada aqui e aqui.
Like this? Donate Bitcoin to fk at:
Gosta deste texto? Doe Bitcoin a fk em:

No comments:

Post a Comment