Wednesday, May 7, 2014

Ludwig von Mises Institute - Taxation is Robbery



ENGLISH
PORTUGUÊS
Ludwig von Mises Institute
Advancing Austrian Economics, Liberty, and Peace
Taxation is Robbery
Taxação é Roubo
[From Out of Step: The Autobiography of an Individualist, by Frank Chodorov; The Devin-Adair Company, New York, 1962, pp. 216?239.]
THE Encyclopaedia Britannica defines taxation as "that part of the revenues of a state which is obtained by the compulsory dues and charges upon its subjects." That is about as concise and accurate as a definition can be; it leaves no room for argument as to what taxation is. In that statement of fact the word "compulsory" looms large, simply because of its ethical content. The quick reaction is to ques­tion the "right" of the State to this use of power. What sanc­tion, in morals, does the State adduce for the taking of property? Is its exercise of sovereignty sufficient unto itself?
A Encyclopaedia Britannica define taxação como "aquela parte da receita do estado que ele obtém pelos compromissos e obrigações compulsórios de seus súditos." Essa definição é tão concisa e precisa quanto possa ser; não deixa espaço para questionamento acerca do que seja a taxação. Nesse enunciado de fato a palavra "compulsórios" se destaca, simplesmente por causa de seu teor ético. A reação rápida é a de questionar o "direito" do Estado deste uso de poder. Que sanção, em termos de padrão moral de comportamento, aduz o Estado em favor da tomada de propriedade? É seu exercício de soberania suficiente em si próprio?
On this question of morality there are two positions, and never the twain will meet. Those who hold that political institutions stem from "the nature of man," thus enjoying vicarious divinity, or those who pronounce the State the key­stone of social integrations, can find no quarrel with taxa­tion per se; the State's taking of property is justified by its being or its beneficial office. On the other hand, those who hold to the primacy of the individual, whose very existence is his claim to inalienable rights, lean to the position that in the compulsory collection of dues and charges the State is merely exercising power, without regard to morals.
No tocante a essa questão de moralidade há duas posições, que não há como compatibilizar. Tanto aqueles que mantêm que as instituições políticas derivam da "natureza do homem," gozando portanto de divindade vicária, quanto aqueles que proclamam o Estado como sendo a base das integrações sociais não verão nenhum problema na taxação em si; a tomada de propriedade pelo Estado está justificada pelo próprio ser deste, ou por sua função benéfica. Por outro lado, aqueles que defendem a primazia do indivíduo, cuja própria existência é sua asseveração de direitos inalienáveis, inclinam-se para a posição segundo a qual a coleta compulsória de pagamentos e obrigações pelo Estado é meramente exercício de poder, sem levar em consideração aspectos morais.
The present inquiry into taxation begins with the second of these positions. It is as biased as would be an inquiry starting with the similarly unprovable proposition that the State is either a natural or a socially necessary institution. Complete objectivity is precluded when an ethical postu­late is the major premise of an argument and a discussion of the nature of taxation cannot exclude values.
A presente investigação relativa à taxação começa com a segunda dessas posições. Exibe tanto viés quanto exibiria investigação que começasse com a similarmente não passível de prova proposição de que o Estado é instituição ou natural ou socialmente necessária. Objetividade completa torna-se impossível quando um postulado ético é a premissa maior de um argumento, e uma discussão acerca da natureza da taxação não tem como excluir valores.
If we assume that the individual has an indisputable right to life, we must concede that he has a similar right to the enjoyment of the products of his labor. This we call a property right. The absolute right to property follows from the original right to life because one without the other is meaningless; the means to life must be identified with life itself. If the State has a prior right to the products of one's labor, his right to existence is qualified. Aside from the fact that no such prior right can be established, except by declaring the State the author of all rights, our inclination (as shown in the effort to avoid paying taxes) is to reject this concept of priority. Our instinct is against it. We object to the taking of our property by organized society just as we do when a single unit of society commits the act. In the latter case we unhesitatingly call the act robbery, a malum in se. It is not the law which in the first instance defines robbery, it is an ethical principle, and this the law may violate but not supersede. If by the necessity of living we acquiesce to the force of law, if by long custom we lose sight of the immorality, has the principle been obliterated? Robbery is robbery, and no amount of words can make it anything else.
Se assumirmos que o indivíduo tem direito indisputável à vida, teremos de conceder que tenha direito similar à fruição dos produtos de seu trabalho. A isso chamamos direito de propriedade. O direito absoluto à propriedade segue-se do direito original à vida porque um sem o outro  não tem sentido; os meios para a vida têm de ser identificados com a própria vida. Se o Estado tiver direito prévio aos produtos do trabalho de alguém, o direito dessa pessoa à existência será relativizado. À parte o fato de tal direito prévio não poder ser estabelecido, exceto se o Estado for declarado como autor de todos os direitos, nossa inclinação (como vista no esforço para evitar pagar impostos) é rejeitar esse conceito de prioridade. Nosso instinto vai contra ele. Objetamos à tomada de nossa propriedade pela sociedade organizada do mesmo modo que o fazemos quando uma única unidade da sociedade comete esse ato. Nesse último caso chamamos, sem hesitar, o ato de roubo, um malum in se. Não é a lei que, em primeiro lugar, define roubo, é um princípio ético, e a lei pode violá-lo, mas não tomar o lugar dele. Se, por necessidade da vida, dobramo-nos à força da lei, se por costume de longa data perdemos a visão da imoralidade, terá o princípio sido obliterado? Roubo é roubo, e nenhuma quantidade de palavras poderá torná-lo qualquer outra coisa.
We look at the results of taxation, the symptoms, to see whether and how the principle of private property is violated. For further evidence, we examine its technique, and just as we suspect the intent of robbery in the possession of effective tools, so we find in the technique of taxation a tell­tale story. The burden of this intransigent critique of taxa­tion, then, will be to prove the immorality of it by its con­sequences and its methods.
Olhamos para os resultados da taxação, os sintomas, para ver se e como o princípio da propriedade privada é violado. Para evidência adicional, examinamos sua técnica e, exatamente como suspeitamos da intenção de roubo ao identificarmos a posse de ferramentas eficazes, assim encontramos na técnica da taxação uma história reveladora. O ônus dessa crítica intransigente da taxalção, então, consistirá em provar a imoralidade dela por suas consequências e seus métodos.
By way of preface, we might look to the origin of taxation, on the theory that beginnings shape ends, and there we find a mess of iniquity. A historical study of taxation leads inevitably to loot, tribute, ransom?the economic purposes of conquest. The barons who put up toll-gates along the Rhine were tax-gatherers. So were the gangs who "pro­tected," for a forced fee, the caravans going to market. The Danes who regularly invited themselves into England, and remained as unwanted guests until paid off, called it Dan­negeld; for a long time that remained the basis of English property taxes. The conquering Romans introduced the idea that what they collected from subject peoples was merely just payment for maintaining "law and order." For a long time the Norman conquerors collected catch-as-catch-can tribute from the English, but when by natural processes an amalgam of the two peoples resulted in a nation, the col­lections were regularized in custom and law and were called taxes. It took centuries to obliterate the idea that these exactions served but to keep a privileged class in com­fort and to finance their internecine wars; in fact, that pur­pose was never denied or obscured until constitutionalism diffused political power.
À guisa de prefácio, poderíamos olhar a origem da taxação, com base na teoria de que os inícios moldam os fins, e ali encontramos uma penca de iniquidade. Estudo histórico da taxação leva inevitavelmente a pilhagem, tributo, resgate - os objetivos econômicos da conquista. Os barões que colocavam portões de pedágio ao longo do Reno eram coletadores de impostos. Como o eram as quadrilhas que "pro­tegiam," mediante pagamento de taxa obrigatória, as caravanas que se dirigiam ao mercado. Os dinamarqueses que regularmente se convidavam à Inglaterra, e permaneciam como visitantes indesejáveis até que pagos, chamavam tal pagamento de Dan­negeld; que por longo tempo permaneceu como base dos impostos ingleses sobre a propriedade. Os conquistadores romanos introduziram a ideia de que o que eles coletavam dos povos sujeitados era meramente justo pagamento por manterem "lei e ordem." Por longo tempo os conquistadores normandos coletaram tributo de todo modo possível dos ingleses mas, quando, por processos naturais, amálgama dos dois povos resultou em nação, as coletas foram regularizadas em costume e lei e foram chamadas de taxes [taxas, impostos]. Levou séculos para ser obliterada a ideia de que essas exações só serviam para manter uma classe privilegiada em situação confortável e para financiar suas guerras intestinas; na verdade, essa finalidade jamais era negada ou obscurecida, passando-a sê-lo apenas quando o constitucionalismo tornou difuso o poder político.
All that is long passed, unless we have the temerity to compare such ancient skullduggery with reparations, ex­traterritoriality, charges for maintaining armies of occupa­tion, absconding with property, grabbing of natural re­sources, control of arteries of trade and other modern tech­niques of conquest. It may be argued that even if taxation had an unsavory beginning it could have straightened itself out and become a decent and useful citizen. So, we must apply ourselves to the theory and practices of taxation to prove that it is in fact the kind of thing above described.
Tudo isso será apenas passado remoto, a menos que cometamos a temeridade de comparar tal vetusta falta de escrúpulos com reparações, extraterritorialidade, cobranças por manter exércitos de ocupação, ocultamento de propriedade, açambarcamento de recursos naturais, controles de artérias de comércio e outras técnicas modernas de conquista. Poderá ser argumentado que mesmo que a taxação tenha tido início abominável, ela poderá ter-se corrigido, tornando-se cidadã decente e útil. Portanto, precisamos aplicar-nos à teoria e às práticas da tributação para provar ser ela, de fato, o tipo de coisa acima descrito.
First, as to method of collection, taxation falls into two categories, direct and indirect. Indirect taxes are so called because they reach the state by way of private collectors, while direct taxes arrive without by-pass. The former levies are attached to goods and services before they reach the consumer, while the latter are in the main demands upon accumulations of wealth.
Primeiro, como método de coleta, a taxação recai em duas categorias, direta e indireta. Taxas indiretas são assim chamadas porque chegam ao estado via coletores privados, enquanto taxas diretas chegam sem rodeios. As primeiras imposições de taxação citadas estão atreladas a bens e serviços antes que estes cheguem ao consumidor, enquanto que as últimas são, na maioria, exigências incidentes sobre acumulações de riqueza.
It will be seen that indirect taxation is a permission-to-live price. You cannot find in the marketplace a single satis­faction to which a number of these taxes are not attached, hidden in the price, and you are under compulsion either to pay them or go without; since going without amounts to depriving yourself of the meaning of life, or even of life it­self, you pay. The inevitability of this charge on existence is expressed in the popular association of death and taxes. And it is this very characteristic that commends indirect taxation to the state, so that when you examine the prices of things you live by, you are astounded by the disproportion between the cost of production and the charge for permis­sion to buy. Somebody has put the number of taxes car­ried by a loaf of bread at over one hundred; obviously, some are not ascertainable, for it would be impossible to allocate to each loaf its share of taxes on the broom used in the bakery, on the axle-grease used on the delivery wagon. Whiskey is perhaps the most notorious example of the way products have been transmuted from satisfactions into tax-gatherers. The manufacturing cost of a gallon of whiskey, for which the consumer pays around twenty dollars, is less than a half-dollar; the spread is partly accounted for in the costs of distribution, but most of the money which passes over the counter goes to maintain city, county, state and national officials.
Será visto que a taxação indireta é preço de permissão para viver. Nenhum fator de satisfação de necessidades é encontrável no mercado sem estar atrelado a certo número de taxas, ocultas no preço, e o comprador vê-se na condição de ou pagá-las ou ficar sem; visto que ficar sem equivale a privar-se do significado da vida, ou até da própria vida, a pessoa paga. A inevitabilidade desse preço cobrado pela existência é expressada na associação popular entre morte e taxas/impostos. E é exatamente essa característica que liga a taxação indireta ao estado, de tal maneira que, ao examinarmos os preços das coisas de que precisamos, abisma-nos a desproporção entre o custo de produção e o preço da permissão para comprar. Alguém situou o número de taxas incidentes sobre um pão em mais de cem; obviamente, algumas não podem ser apuradas, pois seria impossível alocar a cada pão sua parcela de taxas incidentes sobre a vassoura usada na padaria, a graxa usada no veículo de entrega. O uísque é talvez o mais notório exemplo da maneira pela qual produtos foram transmutados de atendedores de necessidades a coletores de taxas. O custo de manufatura de um galão de uísque, pelo qual o consumidor paga cerca de vinte dólares, é de menos de meio dólar; a diferença deve-se em parte aos custos de distribuição, mas a maior parte do dinheiro que passa por cima do balcão vai para manutenção das autoridades da cidade, do condado, do estado e do país.
The hue and cry over the cost of living would make more sense if it were directed at taxation, the largest single item in the cost. It should be noted too that though the cost-of-living problem affects mainly the poor, yet it is on this seg­ment of society that the incidence of indirect taxation falls most heavily. This is necessarily so; since those in the lower earning brackets constitute the major portion of society they must account for the greatest share of consumption, and therefore for the greatest share of taxation. The state recog­nizes this fact in levying on goods of widest use. A tax on salt, no matter how small comparatively, yields much more than a tax on diamonds, and is of greater significance so­cially and economically.
O clamor público acerca do custo de vida faria mais sentido se fosse direcionado para a taxação, o maior item isolado do custo. Deve-se notar também que, embora o problema do custo de vida afete principalmente os pobres, é sobre esse segmento da sociedade que a incidência de taxação indireta cai mais pesadamente. É assim necessariamente; visto que aqueles situados nas camadas mais baixas constituem a maior porção da sociedade, necessariamente respondem pela maior fatia do consumo e, portanto, pela maior parcela da taxação. O estado reconhece esse fato ao impor taxas aos bens de uso mais amplo. Taxa sobre o sal, não importa o quanto comparativamente pequena, gera muito mais receita do que taxa sobre os diamantes, e é de maior importância, social e economicamente.
It is not the size of the yield, nor the certainty of col­lection, which gives indirect taxation preeminence in the State's scheme of appropriation. Its most commendable qual­ity is that of being surreptitious. It is taking, so to speak, while the victim is not looking. Those who strain them­selves to give taxation a moral character are under obliga­tion to explain the State's preoccupation with hiding taxes in the price of goods. Is there a confession of guilt in that? In recent years, in its search for additional revenue, the State has been tinkering with a sales tax, an outright and unequivocal permission-to-live price; wiser solons have op­posed this measure on the ground of political expediency. Why? If the State serves a good purpose the producers will hardly object to paying its keep.
Não é o tamanho do produto, nem a certeza da coleta, que dá à taxação indireta preeminência no esquema de apropriação do Estado. Sua mais encomiável qualidade é ser sub-reptícia. Ela toma, por assim dizer, enquanto a vítima não está olhando. Aqueles que se desdobram para dar à taxação caráter moral encontram-se na obrigação de explicar a preocupação do Estado em ocultar taxas no preço dos bens. Há nisso confissão de culpa? Em anos recentes, em sua busca de receita adicional, o Estado tem estado a ensaiar uma taxa de vendas, escancarado e inequívoco preço de permissão para viver; líderes mais sensatos têm-se oposto a essa medida com base em conveniência política. Por quê? Se o Estado serve a propósito benéfico, os produtores dificilmente objetariam a pagar seu quinhão.
Merely as a matter of method, not with deliberate in­tent, indirect taxation yields a profit of proportions to pri­vate collectors, and for this reason opposition to the levies could hardly be expected from that corner. When the tax is paid in advance of the sale it becomes an element of cost  which must be added to all other costs in computing price. As the expected profit is a percentage of the total outlay, it will be seen that the tax itself becomes a source of gain. Where the merchandise must pass through the hands of several processors and distributors, the profits pyra­mided on the tax can run up to as much as, if not more than, the amount collected by the State. The consumer pays the tax plus the compounded profits. Particularly notorious in this regard are customs duties. Follow an importation of raw silk, from importer to cleaner, to spinner, to weaver, to finisher, to manufacturer, to wholesaler, to retailer, each one adding his mark-up to the price paid his predecessor, and you will see that in the price milady pays for her gown there is much more than the tariff schedule demands. This fact alone helps to make merchants and manufacturers indifferent to the evils of protection.
Apenas como questão de método, não com intenção deliberada, a taxação indireta gera lucros consideráveis para coletores privados e, por esse motivo, dificilmente será de esperar, da parte deles, oposição a tal taxação. Quando a taxa é paga antes da venda ela se torna elemento de custo que tem de ser acrescentado a todos os outros custos na computação do preço. Na medida em que o lucro esperado é percentual do desembolso total, será visto que a taxa ela própria torna-se fonte de ganho. Onde a mercadoria tenha de passar pelas mãos de diversos processadores e distribuidores, os lucros piramidados sobre a taxa poderão chegar a tanto quanto, se não mais que, o montante coletado pelo Estado. O consumidor paga a taxa mais os lucros compostos. Particularmente notórias a esse respeito são as taxa alfandegárias. Acompanhe importação de seda bruta, de importador a limpador, a fiador, a tecelão, a acabador, a fabricante, a varejista, cada um acrescentando sua margem ao preço pago a seu predecessor, e você verá que o preço pago pela dama por seu vestido é muito mais alto do que a tabela de tarifas estipula. Esse fato só ajuda a fazer mercadores e fabricantes indiferentes às perversidades da proteção [sic].
Tacit support for indirect taxation arises from another by­product. Where a considerable outlay in taxes is a prereq­uisite for engaging in a business, large accumulations of capital have a distinct competitive advantage, and these capitalists could hardly be expected to advocate a lowering of the taxes. Any farmer can make whiskey, and many of them do; but the necessary investment in revenue stamps and various license fees makes the opening of a distillery and the organizing of distributive agencies a business only for large capital. Taxation has forced the individually-owned and congenial grog-shop to give way to the palatial bar under mortgage to the brewery or distillery. Likewise, the manufacture of cigarettes is concentrated in the hands of a few giant corporations by the help of our tax system; nearly three-quarters of the retail price of a package of cig­arettes represents an outlay in taxes. It would be strange indeed if these interests were to voice opposition to such indirect taxes (which they never do) and the uninformed, inarticulate and unorganized consumer is forced to pay the higher price resulting from limited competition.
Apoio tácito à taxação indireta surge de outro subproduto. Quando considerável desembolso em taxas é pré-requisito para entrada em negócio, grandes acumulações de capital gozam de vantagem competitiva distinta, e desses capitalistas dificilmente se esperará que defendam diminuição das taxas. Qualquer fazendeiro pode fabricar uísque, e muitos deles o fazem; mas o investimento necessário em selos comprobatórios de pagamento de taxas, e diversas taxas de licença, tornam a abertura de destilaria e a organização de órgãos distributivos negócio apenas para o grande capital. A taxação tem forçado a loja de bebidas acolhedora, de propriedade de um só indivíduo, a dar lugar ao bar palaciano hipotecado à cervejaria ou distilaria. Analogamente, a fabricação de cigarros está concentrada nas mãos de poucas corporações gigantescas graças à ajuda de nosso sistema tributário; praticamente três quartos do preço de varejo do maço de cigarros representa desembolso em taxas. Seria realmente estranho se esses interesses se manifestassem contra tais taxas indiretas (o que nunca fazem), e o consumidor desinformado, sem voz e desorganizado é forçado a pagar o preço mais alto resultante de competição limitada.
Direct taxes differ from indirect taxes not only in the manner of collection but also in the more important fact that they cannot be passed on; those who pay them cannot de­mand reimbursement from others. In the main, the inci­dence of direct taxation falls on incomes and accumulations rather than on goods in the course of exchange. You are taxed on what you have, not on something you buy; on the proceeds of enterprise or the returns from services already rendered, not on anticipated revenue. Hence there is no way of shifting the burden. The payer has no recourse.
As taxas diretas diferem das taxas indiretas não apenas na maneira de coleta mas também pelo fato mais importante de não poderem ser repassadas; os que as pagam não podem exigir reembolso de outrem. Na maioria dos casos, a incidência de taxação direta recai sobre receitas e acumulações em vez de sobre bens no curso da troca. Você é tributado naquilo que tem, não em algo que compra; nos resultados do empreendimento ou nos retornos por serviços já prestados, não em receita esperada. Portanto não há modo de escamotear o ônus. O pagador não tem saída.
The clear-cut direct taxes are those levied on incomes, inheritances, gifts, land values. It will be seen that such ap­propriations lend themselves to soak-the-rich propaganda, and find support in the envy of the incompetent, the bit­terness of poverty, the sense of injustice which our monop­oly-economy engenders. Direct taxation has been advo­cated since colonial times (along with universal suffrage), as the necessary implementation of democracy, as the es­sential instrument of "leveling." The opposition of the rich to direct taxation added virulence to the reformers who plugged for it. In normal times the State is unable to over­come this well-knit, articulate and resourceful opposition. But, when war or the need of ameliorating mass poverty strains the purse of the State to the limit, and further in­direct impositions are impossible or threaten social unrest, the opposition must give way. The State never relinquishes entirely the prerogatives it acquires during an "emergency," and so, after a series of wars and depressions direct taxation became a fixture of our fiscal policy, and those upon whom it falls must content themselves to whittling down the levies or trying to transfer them from shoulder to shoulder.
As nítidas taxas diretas são impostas a rendas, heranças, doações, valores de terras. Será visto que tais apropriações levam a propaganda de arrocho dos ricos, e encontram apoio na inveja do incompetente, na amargura do pobre, no senso de injustiça que nossa economia de monopólio engendra. A taxação direta é defendida desde os tempos coloniais (juntamente com o sufrágio universal) como implementação indispensável da democracia, como instrumento essencial de "aplainamento." A oposição dos ricos à taxação direta acrescentou virulência aos reformadores que a preconizavam. Em tempos normais o Estado não consegue vencer essa oposição compacta, eloquente e capaz. Quando, porém, guerra ou necessidade de suavizar a pobreza da massa estica a bolsa do Estado até o limite, e imposições indiretas adicionais são impossíveis ou aninham ameaça de intranquilidade social, a oposição precisa recuar. O Estado nunca abre mão inteiramente das prerrogativas que adquire durante uma "emergência" e, portanto, após uma série de guerras e depressões a taxação direta tornou-se apenso de nossa política fiscal, e aqueles sobre os quais ela despenca têm de contentar-se com reduzir as imposições ou tentar transferi-las de ombro para ombro.
Even as it was predicted, during the debates on the in­come tax in the early part of the century, the soak-the-rich label turns out to be a wicked misnomer. It was impossible for the State to contain itself once this instrument of getting additional revenue was put into its hands. Income is income whether it stems from dividends, bootlegging operations, gambling profits or plain wages. As the expenses of the State mount, as they always do, legal inhibitions and considera­tions of justice or mercy are swept aside, and the State dips its hands into every pocket. So, in Philadelphia, the political power demands that the employer shall deduct an amount from the pay envelope and hand it over. The soak-the-rich principle has been applied on a large scale to the lowliest paid worker, not only by deductions from wages, but more so through the so-called social security taxes. These, by the way, show up the utter immorality of political power. Social security taxation is nothing but a tax on wages, in its entirety, and was deliberately and maliciously misnamed. Even the part which is "contributed" by the employer is ultimately paid by the worker in the price of the goods he consumes, for it is obvious that this part is merely a cost of operation and is passed on, with a mark-up. The revenue from social security taxes is not set aside for the payment of social "benefits," but is thrown into the general tax fund, subject to any appropriation, and when an old-age pit­tance is ultimately allowed it is paid out of the then cur­rent tax collections. It is in no way comparable to in­surance, by which fiction it made its way into our fiscal policy, but it is a direct tax on wages.
Como previsto, durante os debates acerca do imposto de renda, na parte inicial do século, o rótulo de arrochem-os-ricos revelou-se canhestramente inadequado. Foi impossível ao Estado controlar-se, uma vez posto em suas mãos esse instrumento de obter receita adicional. Renda é renda, quer derive de dividendos, operações ilícitas com bebidas alcoólicas, lucros de jogo ou simples salários. À medida que as despesas do Estado aumentam gradualmente, como sempre ocorre, inibições legais e considerações de justiça ou compaixão são deixadas de lado, e o Estado mergulha suas mãos em todos os bolsos. Assim, em Philadelphia, o poder político demanda que o empregador deduza uma quantia do envelope de pagamento e a entregue. O princípio do arrochem-os-ricos tem sido aplicado em larga escala até ao trabalhador mais diminutamente pago, não apenas por meio de deduções do salário, mas mais ainda por meio das assim chamadas taxas de previdência social. Essas, aliás, mostram a completa imoralidade do poder político. A taxação da previdência social nada mais é do que taxação de salários, em sua inteireza, e foi deliberada e maliciosamente impropriamente denominada. Até a parte que é "contribuída" pelo empregador é em última análise paga pelo trabalhador no preço dos bens que consome, pois é óbvio que essa parte é meramente um custo de operação e é repassada, com margem de lucro. A receita das taxas de previdência social não é apartada para pagamento de "benefícios" sociais, e sim é lançada no fundo tributário geral, sujeita a qualquer apropriação, e quando por fim permitido pagamento de bagatela para idosos, faz-se a partir das então atuais coletas de taxas. De modo algum essa taxação é comparável a seguros, ficção usada para instalá-la em nossa política fiscal, mas é, isso sim, taxação direta de salários.
There are more people in the low income brackets than in the high brackets; there are more small bequests than large ones. Therefore, in the aggregate, those least able to meet the burden of soak-the-rich taxes bear the brunt of them. The attempt to offset this inequity by a system of graduations is unreal. Even a small tax on an income of one thousand dollars a year will cause the payer some hardship, while a fifty percent tax on fifty thousand dollars leaves something to live on comfortably. There is a vast difference between doing without a new automobile and making a patched-up pair of pants do more service. It should be re­membered, too, that the worker's income is almost always confined to wages, which are a matter of record, while large incomes are mainly derived from business or gambling operations, and are not so easily ascertainable; whether from intent to avoid paying the full tax, or from the neces­sary legal ambiguities which make the exact amount a mat­ter of conjecture or bookkeeping, those with large incomes are favored. It is the poor who are soaked most heavily by soak-the-rich taxes.
Há mais gente nas faixas de baixa renda do que nas de alta renda; há mais heranças pequenas do que grandes. Portanto, no agregado, aqueles menos capazes de arcar com o fardo das taxas arrochem-os-ricos arcam com o mais pesado dele. A tentativa de contrabalançar essa iniquidade por meio de um sistema de graduações é irreal. Até uma pequena taxa sobre renda de mil dólares por ano levará o pagador a alguma agrura, enquanto taxa de cinquenta por cento de cinquenta mil dólares deixa algo com que viver confortavelmente. Há vasta diferença entre ficar sem automóvel novo e conseguir que uma calça remendada dure um pouco mais. Deve ser lembrado, também, que a renda do trabalhador fica quase sempre confinada aos salários, fáceis de serem estabelecidos como fato por meio de registro oficial, enquanto grandes rendas derivam principalmente de transações comerciais ou esquemas de jogo, não facilmente apuráveis; seja por intenção de evitar o pagamento do imposto integral, ou em virtude das necessárias ambiguidades legais que tornam a quantia exata questão de conjectura ou lançamentos contábeis, aqueles com grandes rendas são favorecidos. São os pobres quem mais é arrochado pelas taxas arrochem-os-ricos.
Taxes of all kinds discourage production. Man works to satisfy his desires, not to support the State. When the results of his labors are taken from him, whether by brigands or organized society, his inclination is to limit his production to the amount he can keep and enjoy. During the war, when the payroll deduction was introduced, workers got to figur­ing their "take home" pay, and to laying off when this net, after taxes, showed no increase comparable to the extra work it would cost; leisure is also a satisfaction. A prize fighter refuses another lucrative engagement because the addi­tional revenue would bring his income for the year into a higher tax bracket. In like manner, every business man must take into consideration, when weighing the risk and the pos­sibility of gain in a new enterprise, the certainty of a tax-offset in the event of success, and too often he is discouraged from going ahead. In all the data on national progress the items that can never be reported are: the volume of business choked off by income taxes, and the size of capital accumula­tions aborted by inheritance taxes.
Taxas de todos os tipos desestimulam a produção. O homem trabalha para satisfazer seus desejos, não para sustentar o Estado. Quando os resultados de seu trabalho são tirados dele, seja por bandidos de estrada, seja pela sociedade organizada, sua tendência é limitar sua produção à quantidade que possa conservar consigo e aproveitar. Durante a guerra, quando foi introduzida a dedução na folha de pagamento, os trabalhadores puseram-se a calcular quanto de seu pagamento "levavam para casa," parando de trabalhar quando tal líquido, depois de pagos os impostos, não exibia aumento comparável ao trabalho extra que custaria; o lazer também é satisfação. O pugilista recusa-se a luta lucrativa porque a receita adicional levaria sua renda para faixa de maior taxação. De maneira análoga, todo homem de negócios tem de levar em consideração, quando sopesando o risco e a possibilidade de ganho em novo empreendimento, a certeza de compensação da taxação em caso de sucesso, e demasiado amiúde fica desestimulado a ir adiante. Em todos os dados referentes a progresso nacional os itens que nunca podem ser informados são: o volume de negócios asfixiado pela taxação da renda, e o tamanho das acumulações de capital abortadas pela taxação da herança.
While we are on the subject of discouragement of pro­duction by taxation, we should not overlook the greater weight of indirect taxes, even though it is not so obvious. The production level of a nation is determined by the pur­chasing power of its citizens, and to the extent that this power is sapped by levies, to that extent is the production level lowered. It is a silly sophism, and thoroughly indecent, to maintain that what the state collects it spends, and that therefore there is no lowering of total purchasing power. Thieves also spend their loot, with much more abandon than the rightful owners would have spent it, and on the basis of spending one could make out a case for the social value of thievery. It is production, not spending, that begets production. It is only by the feeding of marketable contri­butions into the general fund of wealth that the wheels of industry are speeded up. Contrariwise, every deduction from this general fund of wealth slows down industry, and every levy on savings discourages the accumulation of capi­tal. Why work when there is nothing in it? Why go into business to support politicians?
Enquanto estamos tratando do assunto de desestímulo à produção por causa da taxação, não deveremos negligenciar o peso maior das taxas indiretas, embora isso não seja muito óbvio. O nível de produção de um país é determinado pelo poder aquisitivo de seus cidadãos, e na medida em que esse poder é debilitado pela taxação, nessa mesma extensão o nível de produção é diminuído. É estúpido sofisma, e é totalmente indecente, defender que o que o estado coleta também despende, e que portanto não há diminuição do poder total de compra. Os ladrões também gastam o que pilham, com muito mais prodigalidade do que os donos de direito haveriam-no despendido, e com base no gasto alguém poderia elaborar argumentação em favor do valor social da ladroagem. É a produção, não o gasto, que gera produção. É apenas pelo aporte de contribuições mercadejáveis ao fundo geral de riqueza que as engrenagens da indústria são aceleradas. Inversamente, toda dedução desse fundo geral da riqueza desacelera a indústria, e toda taxação da poupança desestimula a acumulação de capital. Por que trabalhar quando nada se ganha com isso? Por que encetar negócios para sustentar políticos?
In principle, as the framers of the Constitution realized, the direct tax is most vicious, for it directly denies the sanc­tity of private property. By its very surreptition the indirect tax is a back-handed recognition of the right of the indi­vidual to his earnings; the State sneaks up on the owner, so to speak, and takes what it needs on the grounds of neces­sity, but it does not have the temerity to question the right of the owner to his goods. The direct tax, however, boldly and unashamedly proclaims the prior right of the State to all property. Private ownership becomes a temporary and revocable stewardship. The Jeffersonian ideal of inalienable rights is thus liquidated, and substituted for it is the Marx­ist concept of state supremacy. It is by this fiscal policy, rather than by violent revolution, or by an appeal to rea­son, or by popular education, or by way of any ineluctable historic forces, that the substance of Socialism is realized. Notice how the centralization hoped for by Alexander Ham­ilton has been achieved since the advent of the federal income tax, how the contemplated union of independent commonwealths is effectively dissolved. The common­wealths are reduced to parish status, the individual no longer is a citizen of his community but is a subject of the federal government.
Em princípio, como os elaboradores da Constituição entenderam, a taxação direta é mais cruel e violenta, pois nega diretamente a inviolabilidade da propriedade privada. Por sua própria sub-repção a taxa indireta é reconhecimento indireto do direito do indivíduo a seus ganhos; o Estado subtrai sub-repticiamente do dono, por assim dizer, e toma o de que necessita justificando necessidade, mas não tem a temeridade de questionar o direito do dono a seus bens. A taxação direta, entretanto, atrevida e impudentemente proclama a anterioridade do direito do Estado a toda propriedade. A propriedade privada torna-se gerência temporária e revogável. O ideal jeffersoniano de direitos inalienáveis é pois liquidado, e vem substituí-lo o conceito marxista de supremacia do estado. É por meio dessa política fiscal, mais do que por revolução violenta, ou por apelo à razão, ou por educação popular, ou pela ação de forças históricas inelutáveis, que a substância do socialismo é realizada. Notem como a centralização desejada por Alexander Ham­ilton foi conseguida desde o advento do imposto de renda federal, como a sonhada união de comunidades independentes fica na prática dissolvida. As comunidades ficam reduzidas à condição de paróquias/freguesias, o indivíduo não mais é cidadão de sua comunidade, e sim súdito do governo federal.
A basic immorality becomes the center of a vortex of immoralities. When the State invades the right of the in­dividual to the products of his labors it appropriates an authority which is contrary to the nature of things and there­fore establishes an unethical pattern of behavior, for itself and those upon whom its authority is exerted. Thus, the income tax has made the State a partner in the proceeds of crime; the law cannot distinguish between incomes derived from production and incomes derived from robbery; it has no concern with the source. Likewise, this denial of owner­ship arouses a resentment which breaks out into perjury and dishonesty. Men who in their personal affairs would hardly think of such methods, or who would be socially ostracized for practicing them, are proud of, and are com­plimented for, evasion of the income tax laws; it is con­sidered proper to engage the shrewdest minds for that purpose. More degrading even is the encouragement by bribes of mutual spying. No other single measure in the history of our country has caused a comparable disregard of principle in public affairs, or has had such a deteriorating effect on morals.
Uma imoralidade básica torna-se o centro de um vórtice de imoralidades. Quando o Estado invade o direito do indivíduo aos produtos de seu trabalho, apropria-se de uma autoridade a qual é contrária à natureza das coisas e portanto estabelece um padrão não ético de comportamento, para si próprio e para aqueles sobre os quais sua autoridade é exercida. Assim, pois, o imposto de renda tornou o Estado parceiro dos resultados monetários do crime; a lei não tem como distinguir entre rendas derivadas da produção e rendas derivadas do roubo; ela não se preocupa com a fonte. Paralelamente, essa negação da propriedade desperta ressentimento que eclode em perjúrio e desonestidade. Homens que, em suas atividades pessoais, dificilmente pensariam em tais métodos, ou que seriam socialmente punidos com ostracismo por praticá-los, tornam-se orgulhosos de, e são cumprimentados por, evasão das leis de imposto de renda; é considerado adequado empregar as mentes mais perspicazes para esse propósito. Ainda mais degradante é o estímulo por propinas por espionagem mútua. Nenhuma outra medida única na história de nosso país causou comparável desprezo pelos princípios nos assuntos públicos, ou teve efeito tão deteriorador na moral.
To make its way into the good will of its victims, taxation has surrounded itself with doctrines of justification. No law which lacks public approval or acquiescence is enforceable, and to gain such support it must address itself to our sense of correctness. This is particularly necessary for statutes au­thorizing the taking of private property.
Para conquistar a boa vontade de suas vítimas, a taxação cercou-se de doutrinas de justificativa. Nenhuma lei consegue ser feita cumprir sem aprovação ou aquiescência pública, e para conseguir tal apoio ela precisa estar direcionada para nossa intuição daquilo que é correto. Isso é particularmente necessário para leis autorizadoras da tomada de propriedade privada.
Until recent times taxation rested its case on the need of maintaining the necessary functions of government, gener­ally called "social services." But, such is the nature of polit­ical power that the area of its activity is not self-contained; its expansion is in proportion to the lack of resistance it meets. Resistance to the exercise of this power reflects a spirit of self-reliance, which in turn is dependent upon a sense of economic security. When the general economy falls, the inclination of a people, bewildered by lack of understanding as to basic causes, is to turn to any medicine man who promises relief. The politician serves willingly in this capacity; his fee is power, implemented with funds. Obscured from public view are the enterprises of political power at the bottom of the economic malady, such as monopoly privileges, wars and taxation itself. Therefore the promise of relief is sufficient unto itself, and the bargain is made. Thus it has come about that the area of political power has gradually encroached upon more and more social activities, and with every expansion another justification for taxation was advanced. The current philosophy is tend­ing toward the identification of politics with society, the eradication of the individual as the essential unit and the substitution of a metaphysical whole, and hence the elimina­tion of the concept of private property. Taxation is now justified not by the need of revenue for the carrying on of specific social services, but as the necessary means for un­specified social betterment.
Até tempos recentes a taxação baseava sua argumentação na necessidade de manutenção das funções indispensáveis do governo, geralmente chamadas de "serviços sociais." Contudo, tal é a natureza do poder político que a área de sua atividade não se fecha autossuficientemente em si própria; sua expansão dá-se na proporção da falta de resistência que encontra. A resistência ao exercício desse poder reflete um espírito de autoconfiança o qual, por sua vez, depende de sentimento de segurança econômica. Quando a economia geral descamba, a inclinação de um povo, perplexo por falta de entendimento das causas básicas, é voltar-se para qualquer xamã que prometa alívio. O político presta-se de bom grado a essa função; sua remuneração é o poder, implementado por fundos. Ocultos da vista do público ficam os empreendimentos de poder político na base da enfermidade econômica, tais como privilégios de monopólio, guerras, e a taxação ela própria. Portanto a promessa de alívio é suficiente em si própria, e a transação é consumada. Desse modo veio a ser que a área de poder político gradualmente intrometeu-se em cada vez mais atividades sociais e, com cada expansão, outra justificativa para a taxação foi apresentada. A atual filosofia tende para a identificação da política com a sociedade, a erradicação do indivíduo como unidade essencial e a substituição dele por um todo metafísico, e portanto a eliminação do conceito de propriedade privada. A taxação é agora justificada não pela necessidade de receita para a efetivação de serviços sociais específicos, e sim como meio indispensável para melhoramento social não especificado.
Both postulates of taxation are in fact identical, in that they stem from acceptance of a prior right of the state to the products of labor; but for purposes of analysis it is best to treat them separately.
Ambos os postulados da taxação na verdade são idênticos nisto, em que eles derivam da aceitação de um direito anterior do estado aos produtos do trabalho; para propósitos de análise, porém, é melhor tratá-los separadamente.
Taxation for social services hints at an equitable trade. It suggests a quid pro quo, a relationship of justice. But, the essential condition of trade, that it be carried on willingly, is absent from taxation; its very use of compulsion removes taxation from the field of commerce and puts it squarely into the field of politics. Taxes cannot be compared to dues paid to a voluntary organization for such services as one expects from membership, because the choice of withdrawal does not exist. In refusing to trade one may deny oneself a profit, but the only alternative to paying taxes is jail. The suggestion of equity in taxation is spurious. If we get any­thing for the taxes we pay it is not because we want it; it is forced on us.
A tributação para efeito de serviços sociais invoca o comércio equânime. Sugere um quid pro quo, relação de justiça. Porém a condição essencial do comércio, o dever ele ser efetuado voluntariamente, está ausente da taxação; o próprio uso, por esta, da compulsão remove-a do campo do comércio e a coloca diretamente no terreno da política. As taxas não podem ser comparadas a mensalidades pagas a organização voluntária por serviços que alguém espera em decorrência de sua condição de membro, porque não existe a opção de deixar de ser membro. Recusando-se a comerciar alguém pode privar-se de lucro, mas a única alternativa a pagar taxas é a cadeia. A sugestão de equidade na taxação é espúria. Se obtemos algo pelas taxas que pagamos, não é por o termos desejado; é algo forçado sobre nós.
In respect to social services a community may be com­pared to a large office building in which the occupants, carry­ing on widely differing businesses, make use of common con­veniences, such as elevator transportation, cleaning, heating, and so on. The more tenants in the building, the more de­pendent are they all on these overall specializations, and at a pro rata fee the operators of the building supply them; the fee is included in the room-rent. Each of the tenants is enabled to carry on his business more efficiently because he is relieved of his share of the overall duties.
No tocante a serviços sociais, uma comunidade pode ser comparada a um grande prédio de escritórios cujos ocupantes, desempenhando  atividades comerciais muito diferentes, fazem uso de conveniências comuns, tais como transporte por elevador, limpeza, aquecimento, e assim por diante. Quanto mais inquilinos no edifício, mais dependentes se tornam todos dessas especializações gerais, e a uma taxa pro rata os operadores do edifício as proporcionam; a taxa está incluída no aluguel das salas. Cada um dos inquilinos consegue desempenhar suas atividades mais eficientemente por ser dispensado de seu quinhão dos serviços gerais.
Just so are the citizens of a community better able to carry on their several occupations because the streets are maintained, the fire department is on guard, the police de­partment provides protection to life and property. When a society is organizing, as in a frontier town, the need for these overall services is met by volunteer labor. The road is kept open by its users, there is a volunteer fire department, the respected elder performs the services of a judge. As the town grows these extra-curricular jobs become too onerous and too complicated for volunteers, whose private affairs must suffer by the increasing demands, and the necessity of hir­ing specialists arises. To meet the expense, it is claimed, compulsory taxation must be resorted to, and the ques­tion is, why must the residents be compelled to pay for being relieved of work which they formerly performed will­ingly? Why is coercion a correlative of taxation?
Do mesmo modo, os cidadãos de uma comunidade conseguem levar a efeito suas diversas ocupações pelo fato de as ruas terem manutenção, o corpo de bombeiros estar alerta, o departamento de polícia oferecer proteção à vida e à propriedade. Quando uma sociedade está-se organizando, como numa cidadezinha de região de fronteira, a necessidade desses serviços gerais é suprida por trabalho voluntário. A estrada é mantida aberta por seus usuários, há um corpo de bombeiros voluntário, o idoso respeitado desempenha os serviços de juiz. À medida que a cidadezinha cresce, esses empregos extracurriculares tornam-se demasiado onerosos e demasiado complicados para voluntários, cujas atividades privadas necessariamente sofrem com as exigências crescentes, e surge necessidade de contratação de especialistas. Para fazer face à despesa, alega-se, torna-se indispensável recorrer à taxação, e a questão é, por que terão os residentes de ser compelidos a pagar por serem dispensados de trabalho que antes efetuavam voluntariamente? Por que é a coerção correlata da taxação?
It is not true that the services would be impossible with­out taxation; that assertion is denied by the fact that the services appear before taxes are introduced. The services come because there is need for them. Because there is need for them they are paid for, in the beginning, with labor and, in a few instances, with voluntary contributions of goods and money; the trade is without compulsion and therefore equitable. Only when political power takes over the manage­ment of these services does the compulsory tax appear. It is not the cost of the services which calls for taxation, it is the cost of maintaining political power.
Não é verdade que os serviços seriam impossíveis sem a taxação; essa asserção é negada pelo fato de que os serviços aparecem antes de a taxação ser instituída. Os serviços surgem porque há necessidade deles. Por haver necessidade deles eles são pagos, no começo, com trabalho e, em alguns poucos casos, com contribuição voluntária em bens e dinheiro; o comércio é sem compulsão e portanto equânime. Apenas quando o poder político assume a gerência desses serviços aparece a taxação compulsória. Não é o custo dos serviços que demanda taxação, é o custo de manter o poder político.
In the case of the overall services in the building the cost is met by a rent-payment, apportioned according to the size and location of the space occupied, and the amount is fixed by the only equitable arbiter of value, competition. In the growing community, likewise, the cost of social services could be equitably met by a charge against occupancy of sites within the community, and this charge would be au­tomatically met because it is set by the higgling and haggl­ing of the market. When we trace the value of these loca­tions to their source we find that they spring from the presence and activity of population; the more people com­peting for the use of these locations the higher their value. It is also true that with the growth of population comes an increasing need for social services, and it would seem that the values arising from integration should in justice be ap­plied to the need which also arises from it. In a polity free from political coercion such an arrangement would apply, and in some historical instances of weak political power we find that land rent was used in this social manner.
No caso dos serviços gerais no edifício, o custo é coberto por pagamento de aluguel, rateado de acordo com o tamanho e a localização do espaço ocupado, e a quantia é fixada pelo unico árbitro imparcial do valor, a competição. Na comunidade em crescimento, analogamente, o custo dos serviços sociais pode ser equanimemente coberto por cobrança incidente sobre a ocupação de locais dentro da comunidade, e essa cobrança será equanimemente definida porque estabelecida pelas transações do mercado. Quando rastreamos o valor desses locais até sua fonte encontramos que ele deriva da presença e da atividade da população; quanto mais pessoas compitam pelo uso desses locais, mais alto seu valor. É também verdade que, com o aumento da população, sobrevém crescente necessidade de serviços sociais, e parece que os valores nascentes da integração deveriam, com justiça, ser aplicados à necessidade que também surge dela. Num corpo político livre de coerção política tal arranjo se aplicaria, e em alguns exemplos históricos de poder político fraco encontramos que o aluguel da terra foi usado dessa maneira social.
All history points to the economic purpose of political power. It is the effective instrument of exploitative prac­tices. Generally speaking, the evolution of political exploi­tation follows a fixed pattern: hit-and-run robbery, regular tribute, slavery, rent-collections. In the final stage, and after long experience, rent-collections become the prime proceeds of exploitation and the political power necessary thereto is supported by levies on production. Centuries of accomoda­tion have inured us to the business, custom and law have given it an aura of rectitude; the public appropriation of private property by way of taxation and the private appro­priation of public property by way of rent collections be­come unquestioned institutions. They are of our mores.
Toda história aponta para o propósito econômico do poder político. Ele é o instrumento efetivo das práticas exploradoras. Falando de maneira geral, a evolução da exploração política segue padrão fixo: roubo de ataque e retirada, tributo regular, escravidão, coletas de renda econômica. No estágio final, depois de longa experiência, a coleta de renda econômica torna-se o principal resultado monetário da exploração e o poder político necessário para mantê-la é suportado por taxas incidentes sobre a produção. Séculos de acomodação nos habituaram a essa prática, costume e lei conferiram-lhe aura de retidão; a apropriação pública da propriedade privada por meio da taxação e a apropriação privada da propriedade pública por meio de coletas de renda econômica tornaram-se instituições inquestionáveis. Pertencem a nossos mores.
And so, as social integrations grow and the need for overall services grows apace, we turn to taxation by long habit. We know no other way. Why, then, do we object to paying taxes? Can it be that we are, in our hearts, conscious of an iniquity? There are the conveniences of streets, kept clean and lighted, of water supply, sanitation, and so on, all making our stay in the community convenient and comfortable, and the cost must be defrayed. The cost is de­frayed, out of our wages. But then we find that for a given amount of effort we earn no more than we would in a com­munity which does not have these advantages. Out at the margin, the rate per hour, for the same kind of work, is the same as in the metropolis. Capital earns no less, per dollar of investment, on Main Street than on Broadway. It is true that in the metropolis we have more opportunities to work, and we can work harder. In the village the tempo is slower; we work less and earn less. But, when we put against our greater earnings the rent-and-tax cost of the big city, do we have any more in satisfactions? We need not be economists to sense the incongruity.
E pois, à medida que as integrações sociais aumentam e a necessidade de serviços gerais cresce no mesmo ritmo, voltamo-nos para a taxação em virtude de longo hábito. Não conhecemos outro caminho. Por que, então, objetamos ao pagamento de taxas? Poderá ser que estejamos, em nossos corações, cônscios de uma iniquidade? Há as conveniências das ruas, mantidas limpas e iluminadas, de suprimento de água, saneamento, e assim por diante, tudo tornando nossa vida na comunidade conveniente e confortável, e o custo precisa ser coberto. O custo é coberto, com nossos salários. Em seguida, contudo, descobrimos que por dada quantidade de esforço ganhamos não mais do que ganharíamos numa comunidade que não goza dessas vantagens. No limite, a taxa por hora, para o mesmo tipo de trabalho, é a mesma que na metrópole. O capital não ganha menos, por dólar de investimento, no centro comercial do que na Broadway. É verdade que na metrópole temos mais oportunidade de trabalho, e podemos trabalhar mais arduamente. Na vila o ritmo é mais lento; trabalhamos menos e ganhamos menos. Todavia, quando colocamos contra nossos ganhos maiores o custo de aluguel e taxação da grande cidade, temos qualquer coisa a mais, em termos de satisfação? Não precisamos de economistas para sentir a incongruência.
If we work more in the city we produce more. If, on the other hand, we have no more, net, where does the in­crease go? Well, where the bank building now stands there was in olden times a pigsty, and what was once the site of a barn now supports the department store. The value of these sites has risen tremendously, in fact in proportion to the multiplicity of social services which the burgeoning popu­lation calls for. Hence the final resting place of our in­creased productivity is in the sites, and the owners of these are in fact the beneficiaries of the social services for the maintenance of which we are forced to give up our wages.
Se trabalhamos mais na cidade, produziremos mais. Se, por outro lado, não temos mais, líquido, para onde vai o acréscimo? Bem, onde hoje está o edifício do banco estava, nos tempos antigos, um chiqueiro, e o que foi no passado um celeiro hoje abriga a loja de departamentos. O valor desses locais subiu tremendamente, na verdade na proporção da multiplicidade de serviços sociais que a população pululante torna necessários. Portanto o local final onde pousa nossa produtividade aumentada está nos locais, e os donos deles são na verdade os beneficiários dos serviços sociais para manutenção dos quais somos forçados a abrir mão de nossos salários.
It is the landowner then who profits from the taxation. He does indeed own the social services paid for by pro­duction. He knows it, makes no bones about it, tells us so every time he puts his lot up for sale. In his advertisements he talks about the transit facilities it enjoys, the neighbor­hood school, the efficient fire and police protection afforded by the community; all these advantages he capitalizes in his price. It's all open and above board. What is not adver­tised is that the social services he offers for sale have been paid for by compulsory dues and charges collected from the producing of the public. These people receive for their pains the vacuous pleasure of writing to their country cousins about the wonders of the big city, especially the wonder of being able to work more intensely so that they might pay for the wonders.
É portanto o proprietário da terra quem lucra com a taxação. Ele realmente é dono dos serviços socials pagos por meio da produção. Ele sabe disso, não faz segredo disso, diz-nos isso cada vez que coloca seu lote à venda. Em seus anúncios ele fala das facilidades de trânsito de que o local goza, a escola da vizinhança, a proteção eficiente contra fogo e policial proporcionada pela comunidade; todas essas vantagens ele capitaliza em seu preço. É tudo aberto e sem rebuços. O que não é anunciado é que os serviços sociais que ele oferece para venda foram pagos por compromissos e obrigações compulsórios coletados da produção do público. Essas pessoas recebem por suas penas o prazer vácuo de escrever para seus primos da fazenda acerca dos esplendores da cidade grande, especialmente a maravilha de poder trabalhar mais intensamente de maneira a poderem custear tais esplendores.
We come now to the modern doctrine of taxation?that its justification is the social purpose to which the revenue is put. Although this has been blatantly advertised as a dis­covery of principle in recent years, the practice of taxation for the amelioration of social unrest is quite ancient; Rome in its decadence had plenty of it, and taxes to maintain the poor house were levied long before the college-trained so­cial worker gave them panacea proportions. It is interesting to note that this doctrine grew into a philosophy of taxa­tion during the 1930's, the decade of depression. It stamps itself, then, as the humanitarian's prescription for the mal­ady of poverty-amidst-plenty, the charitarian's first-aid treat­ment of apparent injustice. Like all proposals which spring from the goodness of heart, taxation-for-social-purposes is an easy top-surface treatment of a deep-rooted illness, and as such it is bound to do more harm than good.
Chegamos agora à teoria moderna da taxação - que sua justificativa é o propósito social no qual a receita é aplicada. Embora isso venha sendo anunciado tonitruantemente como descoberta de princípio em anos recentes, a prática da taxação para apaziguamento da inquietação social é bastante antiga; Roma, em sua decadência, tinha pencas dela, e taxas para manter a casa pobre foram impostas muito antes de o trabalhador social treinado em faculdade ter atribuído a elas proporções de panaceia. É interessante notar que essa doutrina metamorfoseou-se numa filosofia da taxação durante os anos 1930, a década da depressão. Ela se revela, então, como a receita humanitária para a enfermidade da pobreza em meio à plenitude, o tratamento de primeiros socorros, pelo caridoso, da injustiça patente. Como todas as propostas nascidas da bondade do coração, a taxação para propósitos sociais é um tratamento fácil de topo de superfície para uma doença profundamente enraizada, e nessa medida fadada a fazer mais mal do que bem. 
In the first place, this doctrine unequivocally rejects the right of the individual to his property. That is basic. Having fixed on this major premise, it jumps to the con­clusion that "social need" is the purpose of all production, that man labors, or should labor, for the good of the mass. Taxation is the proper means for diffusing the output of ef­fort. It does not concern itself with the control of production, or the means of acquiring property, but only with its dis­tribution. Strictly speaking, therefore, the doctrine is not socialistic, and its proponents are usually quick to deny that charge. Their purpose, they assert, is reform not revolu­tion; even like boys whose innocent bonfire puts the forest ablaze.
Em primeiro lugar, essa doutrina inequivocamente rejeita o direito do indivíduo a sua propriedade. Isso é básico. Havendo-se fixado nessa premissa maior, ela salta para a conclusão de que "necessidade social" é a finalidade de toda produção, de que o homem trabalha, ou deveria trabalhar, para o bem das massas. A taxação é o meio adequado para tornar difundido o resultado do esforço. Ela não se preocupa com o controle da produção, ou com os meios de aquisição da propriedade, e sim apenas com a distribuição. Estritamente falando, portanto, essa doutrina não é socialista, e seus proponentes são usualmente lestos em negar essa acusação. O propósito deles, afirmam, é reforma, não revolução; como garotos cuja inocente fogueira põe a floresta em fogo. 
The doctrine does not distinguish between property acquired through privilege and property acquired through production. It cannot, must not, do that, for in so doing it would question the validity of taxation as a whole. If taxa­tion were abolished, for instance, the cost of maintaining the social services of a community would fall on rent?there is no third source?and the privilege of appropriat­ing rent would disappear. If taxation were abolished, the sinecures of public office would vanish, and these constitute in the aggregate a privilege which bears most heavily on production. If taxation were abolished, the privilege of making profits on customs levies would go out. If taxation were abolished, public debt would be impossible, to the dismay of the bondholders. Taxation-for-social-purposes does not contemplate the abolition of existing privilege, but does contemplate the establishment of new bureaucratic privileges. Hence it dare not address itself to the basic problem.
Essa doutrina não distingue entre propriedade adquirida por meio de privilégio e propriedade adquirida por meio de produção. Ela não pode, tem de não, fazer isso pois, em o fazendo, questionaria a validade da taxação como um todo. Se a taxação fosse extinta, por exemplo, o custo de manter os serviços sociais de uma comunidade cairia sobre o aluguel - não há terceira fonte - e o privilégio de apropriação de renda econômica desapareceria. Se a taxação fosse extinta, as sinecuras do cargo público desapareceriam, e elas constituem, agregadamente, um privilégio que recai mais pesadamente sobre a produção. Se a taxação fosse extinga, o privilégio de obter lucros de taxas alfandegárias desapareceria. Se a taxação fosse extinta, a dívida pública seria impossível, para desânimo dos possuidores de títulos. A tributação para propósitos sociais não envolve extinção do privilégio existente, mas envolve o estabelecimento de novos privilégios burocráticos. Portanto ela não se atreve a encarar o problema básico.
Furthermore, the discouragement of production which must follow in the wake of this distributive scheme ag­gravates the condition which it hopes to correct. If Tom, Dick and Harry are engaged in making goods and render­ing services, the taking from one of them, even if the part taken is given to the others, must lower the economy of all there. Tom's opulence, as a producer, is due to the fact that he has served Dick and Harry in a way they found desir­able. He may be more industrious, or gifted with superior capabilities, and for such reasons they favor him with their custom; although he has acquired an abundance he has not done so at their expense; he has because they have. In every equitable trade there are two profits, one for the buyer and one for the seller. Each gives up what he wants less for what he desires more; both have acquired an increase in value. But, when the political power deprives Tom of his possessions, he ceases, to the extent of the peculation, to patronize Dick and Harry. They are without a customer in the amount of the tax and are consequently disemployed. The dole handed them thus actually impoverishes them, just as it has impoverished Tom. The economy of a com­munity is not improved by the distribution of what has al­ready been produced but by an increase of the abundance of things men live by; we live on current, not past, produc­tion. Any measure, therefore, which discourages, restricts or interferes with production must lower the general economy, and taxation-for-social-purposes is distinctly such a measure.
Ademais, o desestímulo à produção que inevitavelmente segue a esteira desse esquema distributivo agrava a condição que busca corrigir. Se Tom, Dick e Harry estão engajados em produzir bens e em prestar serviços, tomar algo de um deles, mesmo se a parte tomada for dada aos outros, terá de diminir a economia dos três como um todo. A opulência de Tom, como produtor, deve-se ao fato de ele ter servido Dick e Harry de maneira que eles acharam desejável. Ele talvez seja mais industrioso, ou dotado de capacidade superior, e por motivos assim eles o selecionam para serem seus fregueses; embora ele tenha adquirido abundância, não o fez a expensas deles; ele tem porque eles têm. Em todo mercado equânime há dois lucros, o do comprador e o do vendedor. Cada um abre mão do que deseja menos em favor do que deseja mais; ambos adquiriram aumento de valor. Contudo, quando o poder político priva Tom de suas posses, ele cessa, na medida do roubo sofrido, de atender bem Dick e Harry. Eles ficam sem contraparte na medida da taxação procedida e estão, consequentemente, des-empregados. O benefício a eles entregue portanto em realidade os empobrece, do mesmo modo que empobreceu Tom. A economia de uma comunidade não é melhorada pela distribuição do que já foi produzido e sim por aumento da abundância de coisas com as quais os homens vivem; vivemos de produção atual, não passada. Qualquer medida, portanto, que desestimule, restrinja ou interfira na produção necessariamente diminuirá a economia geral, e a taxação para propósitos sociais é distintamente medida da espécie.
Putting aside the economics of it, the political implica­tions of this eleemosynary fiscal policy comes to a revolu­tion of first magnitude. Since taxation, even when it is clothed with social betterment, must be accompanied with compulsion, the limits of taxation must coincide with the limits of political power. If the end to be achieved is the "social good" the power to take can conceivably extend to total production, for who shall say where the "social good" terminates? At present the "social good" embraces free schooling up to and including postgraduate and professional courses; free hospitalization and medical services; unemploy­ment insurance and old age pensions; farm subsidies and aid to "infant" industries; free employment services and low-­rent housing; contributions to the merchant marine and projects for the advancement of the arts and sciences; and so on, approximating ad infinitum. The "social good" has spilled over from one private matter to another, and the definition of this indeterminate term becomes more and more elastic. The democratic right to be wrong, misin­formed, misguided or even stupid is no restraint upon the imagination of those who undertake to interpret the phrase; and whither the interpretation goes there goes the power to enforce compliance.
Colocando de lado o aspecto econômico, as implicações políticas dessa política fiscal caritativa redundam numa revolução de primeira magnitude. Visto que a taxação, mesmo quando trajada de melhoramento social, necessariamente faz-se acompanhar de compulsão, os limites da taxação têm de coincidir com os limites do poder político. Se o fim a ser alcançado é o "bem social," o poder de tomar pode concebivelmente estender-se até o total da produção, pois quem poderá dizer onde termina o "bem social?" No presente, o "bem social" abrange escola grátis até e incluindo cursos de pós-graduação e profissionais; hospitalização e serviços médicos grátis; seguro desemprego e pensões para idosos; subsídios agrícolas e ajuda para indústrias "nascentes;" serviços grátis de emprego, e moradia de aluguel baixo; contribuições para a marinha mercante e projetos para avanços das artes e ciências; e assim por diante, tendendo para o infinito. O "bem social" veio-se espraiando de um assunto privado para outro, e a definição dessa expressão indeterminada torna-se cada vez mais elástica. O direito democrático de estar errado, desinformado, desencaminhado ou até de ser estúpido não é restrição à imaginação daqueles que empreendem a interpretação da frase; e para onde vai a interpretação, para ali também vai o poder de fazer cumprir.
The ultimate of taxation-for-social-purposes is absolutism, not only because the growing fiscal power carries an equal increase in political power, but because the investment of revenue in the individual by the State gives it a pecuniary interest in him. If the State supplies him with all his needs and keeps him in health and a degree of comfort, it must account him a valuable asset, a piece of capital. Any claim to individual rights is liquidated by society's cash invest­ment. The State undertakes to protect society's investment, as to reimbursement and profit, by way of taxation. The mo­tor power lodged in the individual must be put to the best use so that the yield will further social ends, as foreseen by the management. Thus, the fiscal scheme which begins with distribution is forced by the logic of events into control of production. And the concept of natural rights is inconsist­ent with the social obligation of the individual. He lives for the State which nurtured him. He belongs to the State by right of purchase.
O ponto final da taxação para propósitos sociais é o absolutismo, não apenas pelo fato de o crescente poder fiscal provocar igual aumento do poder político, mas pelo fato de o investimento de receita no indivíduo pelo Estado dar a este interesse pecuniário naquele. Se o Estado supre-o em todas as suas necessidades e o mantém com saúde e certo grau de conforto, tem de considerá-lo ativo valioso, uma parte do capital. Qualquer reivindicação de direitos individuais é liquidada pelo investimento monetário da sociedade. O Estado lança-se a proteger o investimento da sociedade, no tocante a reembolso e lucro, por meio da taxação. O poder motor encarnado no indivíduo precisa ser posto no melhor uso, de tal maneira que o produto promova fins sociais, como antevistos pela gerência. Assim, pois, o esquema fiscal que começa com a distribuição é forçado, pela lógica dos eventos, para o controle da produção. E o conceito de direitos naturais é incompatível com a obrigação social do indivíduo. Ele vive para o Estado que o nutriu. Ele pertence ao Estado por direito de compra.
Taxation's final claim to rectitude is an ability-to-pay formula, and this turns out to be a case of too much protest­ing. In the levies on goods, from which the state derives the bulk of its revenue, the formula is not applicable. Whether your income is a thousand dollars a year or a thousand dollars a day, the tax on a loaf of bread is the same; ability-to-pay plays no part. Because of the taxes on necessaries, the poor man may be deprived of some marginal satisfaction, say a pipe of tobacco, while the rich man, who pays the same taxes on necessaries, will hardly feel impelled to give up his cigar. In the more important indirect taxes, then, the magic formula of social justice is non-existent.
A reivindicação final da taxação à probidade é uma fórmula de capacidade-de-pagamento, a qual se revela porém vulnerável a objeção/protesto demais. Na imposição de taxas aos bens, da qual o estado deriva o grosso de sua receita, a fórmula não é aplicável. Quer a renda de alguém seja de mil dólares por ano ou mil dólares por dia, a taxação incidente sobre a unidade de pão é a mesma; a capacidade-de-pagamento não desempenha aí nenhum papel. Por causa das taxas incidentes sobre os produtos indispensáveis, o homem pobre pode ficar privado de alguma satisfação marginal, digamos uma cachimbada, enquanto o homem rico, que paga as mesmas taxas sobre os produtos indispensáveis, dificilmente se sentirá impelido a abrir mão de seu charuto. Nas mais importantes taxas indiretas, portanto, a fórmula mágica da justiça social é inexistente.
It is applicable only in levying taxes on incomes before they are spent, and here again its claim to fairness is false. Every tax on wages, no matter how small, affects the work­er's measure of living, while the tax on the rich man affects only his indulgences. The claim to equity implied in the formula is denied by this fact. Indeed, this claim would be valid only if the state confiscated all above a predetermined, equalitarian standard of living; but then, of course, the equity of confiscation would have to be established.
Ela só é aplicável na imposição de taxas a rendas antes de estas serem gastas, e aqui, novamente, sua asseveração de equanimidade é falsa. Toda taxa sobre salários, não importa o quanto pequena, afeta medida de vida do trabalhador, enquanto a taxa sobre o homem rico afeta apenas seus supérfluos. A asseveração de equanimidade implicada na fórmula é negada por esse fato. Na verdade, essa asseveração só seria válida se o estado confiscasse tudo acima de padrão de vida predeterminado, igualitário; mas então, naturalmente, a equanimidade do confisco teria de ser estabelecida.
But no good can come of ability-to-pay because it is in­herently an immorality. What is it but the highwayman's rule of taking where the taking is best? Neither the high­wayman nor the tax-collector give any thought to the source of the victim's wealth, only to its quantity. The State is not above taking what it can from known or suspected thieves, murderers or prostitutes, and its vigilance in this regard is so well established that the breakers of other laws find it wise to observe the income tax law scrupulously. Nevertheless, ability-to-pay finds popular support?and that must be rec­ognized as the reason for its promulgation?because of its implied quality of justice. It is an appeal to the envy of the incompetent as well as to the disaffection of the mass con­signed by our system of privileges to involuntary poverty. It satisfies the passions of avarice and revenge. It is the ideal leveler. It is Robin Hood.
Nenhum bem, entretanto, pode vir da capacidade-de-pagamento por esta ser, inerentemente, imoralidade. O que é ela, senão a regra do assaltante de estrada de tomar onde o resultado for o mais compensador? Nem o assaltante de estrada nem o coletor de impostos pensa na fonte da riqueza da vítima, apenas na quantidade dessa riqueza. O Estado não está acima do tomar o que pode de ladrões conhecidos ou suspeitos, assassinos ou prostitutas, e sua vigilância a esse respeito está tão bem estabelecida que os violadores de outras leis acham prudente obedecer escrupulosamente a lei de taxação da renda. Todavia, a capacidade-de-pagamento encontra suporte popular - e isso tem de ser reconhecido como a razão para sua promulgação - por causa de sua qualidade implícita de justiça. É um apelo à inveja do incompetente, bem como à insatisfação da massa condenada por nosso sistema de privilégios a pobreza involuntária. Satisfaz às paixões de avareza e vingança. É o aplainador ideal. É Robin Hood.
Supporting the formula is the argument that incomes are relative to the opportunities afforded by the State, and that the amount of the tax is merely payment for these opportunities. Again the quid pro quo. This is only par­tially true, and in a sense not intended by the advo­cates of this fiscal formula. Where income is derived from privilege?and every privilege rests on the power of the State?it is eminently fair that the state confiscate the pro­ceeds, although it would be fairer if the state did not es­tablish the privilege in the first place. The monopoly rent of natural resources, for instance, is income for which no service is rendered to society and is collectible only be­cause the state supports it; a hundred percent tax on rent would therefore be equitable. The profits on protective tariffs would be fair game for the tax-collector. A levy on all subsidized businesses, to the full amount of the subsidies, would make sense, although the granting of subsidies would still require explanation. Bounties, doles, the "black market" profits made possible by political restrictions, the profits on government contracts?all income which would disappear if the state withdrew its support?might properly be taxed. In that event, the State would be taking what it is respon­sible for.
Em apoio a essa fórmula há o argumento de que as rendas são relativas às oportunidades proporcionadas pelo Estado, e de que o valor da taxação é apenas o pagamento dessas oportunidades. De novo o quid pro quo. Isso é apenas parcialmente verdade, e em sentido não pretendido pelos defensores dessa fórmula fiscal. Quando a renda é derivada do privilégio - e todo privilégio assenta-se no poder do Estado - é eminentemente justo que o Estado confisque a renda, embora fosse mais justo o estado, antes de tudo, não estabelecer o privilégio. A renda de monopólio dos recursos naturais, por exemplo, é renda pela qual nenhum serviço é prestado para a sociedade e só é coletável porque o estado lhe dá suporte; taxação de cem por cento da renda seria pois equânime. Os lucros de tarifas protetoras seriam excelente alvo para o coletor de taxas. Imposição de taxas a todas as atividades subsidiadas, até o montante total dos subsídios, faria sentido, embora a concessão dos subsídios ainda requeresse explanação. Liberalidades, benefícios, lucros do "mercado paralelo" tornados possíveis por restrições políticas, os lucros sobre contratos do governo - toda renda que desapareceria se o estado retirasse seu suporte - poderia com propriedade ser taxada. Nessa eventualidade, o Estado estaria tomando aquilo pelo qual é responsável.
But that is not the argument of ability-to-pay ener­gumens. They insist that the State is a contributing factor in production, and that its services ought properly to be paid for; the measure of the value of these services is the income of its citizens, and a graduated tax on these incomes is only due compensation. If earnings reflect the services of the State, it follows that larger earnings result from more services, and the logical conclusion is that the State is a better servant of the rich than of the poor. That may be so, but it is doubtful that the tax experts wish to convey that information; what they want us to believe is that the State helps us to better our circumstances. That idea gives rise to some provocative questions. For the tax he pays does the farmer enjoy more favorable growing weather? Or the mer­chant a more active market? Is the skill of the mechanic im­proved by anything the State does with what it takes from him? How can the State quicken the imagination of the creative genius, or add to the wisdom of the philosopher? When the State takes a cut from the gambler is the latter's luck bettered? Are the earnings of the prostitute increased because her trade is legalized and taxed? Just what part does the State play in production to warrant its rake-off? The State does not give; it merely takes.
Essa porém não é a argumentação dos energúmenos da capacidade-de-pagamento. Eles insistem em que o Estado é fator contribuinte na produção, e que seus serviços deveriam ser adequadamente pagos; a medida do valor desses serviços é a renda de seus cidadãos, e uma taxação graduada sobre essas rendas é apenas devida compensação. Se ganhos refletem os serviços do Estado, segue-se que ganhos maiores resultam de mais serviços, e a conclusão lógica é que o Estado é melhor servo dos ricos do que dos pobres. Pode sê-lo, mas é duvidoso que os especialistas em taxação desejem divulgar essa informação; o que eles desejam que acreditemos é que o Estado nos ajuda a melhorar nossas circunstâncias. Essa ideia dá origem a algumas perguntas provocadoras. Pela taxa que paga, o produtor rural goza de tempo meteorológico mais favorável à plantação? Ou goza o comerciante de mercado mais ativo? É a habilidade do mecânico melhorada por qualquer coisa que o Estado faça com o que tira dele? Como pode o Estado estimular a imaginação do gênio criativo, ou aumentar a sabedoria do filósofo? Quando o Estado tira uma parte dos ganhos do jogador, tem este sua sorte melhorada? São os ganhos da prostituta aumentados pelo fato de seu comércio ser legalizado e tributado? Que papel, exatamente, desempenha o Estado na produção para justificar a parte que retira dela? O Estado não dá; meramente toma.
All this argument, however, is a concession to the obfus­cation with which custom, law and sophistry have covered up the true character of taxation. There cannot be a good tax nor a just one; every tax rests its case on compulsion.
Toda essa argumentação, contudo, é uma concessão à ofuscação com a qual costume, lei e sofisma têm encoberto o verdadeiro caráter da taxação. Não é possível haver uma taxa boa, nem taxa justa; toda taxa tem sua argumentação dependente da ideia de compulsão.

No comments:

Post a Comment