Friday, March 14, 2014

FFF - The National-Security State’s Cold War Scam on Latin America



ENGLISH
PORTUGUÊS
The Future of Freedom Foundation
A Fundação Futuro de Liberdade
Hornberger’s Blog
O Blog de Hornberger
The National-Security State’s Cold War Scam on Latin America
A Patranha da Guerra Fria Usada Pelo Estado de Segurança Nacional Contra a América Latina
March 11, 2014
11 de março de 2014
Throughout the Cold War, the U.S. national-security state was devoted to keeping communist-socialist regimes from coming to power in Latin America. The idea was that if communism was permitted to achieve a beachhead in the Western Hemisphere, it was a certainty that the U.S. government would end up falling to the communists.
Durante a Guerra Fria, o estado de segurança nacional dos Estados Unidos concentrou-se em impedir que regimes comunistas-socialistas chegassem ao poder na América Latina. A ideia era: se fosse permitido ao comunismo estabelecer cabeça de ponte no Hemisfério Ocidental, seria certeza o governo dos Estados Unidos acabar caindo nas mãos dos comunistas.
That’s of course what the decades of U.S. aggression against Cuba were all about. The
CIA’s invasion at the Bay of Pigs. The CIA’s assassination partnership with the Mafia. The CIA’s repeated assassination attempts against Fidel Castro. The CIA’s terrorism and sabotage against Cuban enterprises. The brutal embargo against Cuba. The Pentagon’s Operation Northwoods, the plan by which there would be U.S.-instigated terrorist attacks that would be blamed on the Cubans and serve as a justification for invading the island.
A isso, naturalmente, deveram-se as décadas de agressão dos Estados Unidos a Cuba. A invasão, pela CIA, da Baía dos Porcos. A parceria de assassínios da CIA com a Máfia. As repetidas tentativas de assassínio de Fidel Castro pela CIA. O terrorismo e a sabotagem da CIA contra empresas cubanas. O brutal embargo a Cuba. A Operação Nosthwoods do Pentágono, o plano pelo qual haveria ataques terroristas instigados pelos Estados Unidos pelos quais os cubanos seriam responsabilizados, servindo como justificativa para invasão da ilha.
All of that against a country that never attacked the United States or even threatened to do so.
Tudo isso contra país que nunca atacou os Estados Unidos e sequer ameaçou fazê-lo.
Cuba, of course, wasn’t the only victim of U.S. Cold War aggression in the name of stopping the commies from taking over the IRS, the Interstate Highway System, and the rest of the federal government. There was the CIA’s regime change operation in Guatemala, by which the CIA ousted the democratically elected president of the country, Jacobo Arbenz, and installed a series of brutal military dictatorships in his stead, throwing the country into a brutal civil war that lasted decades and killed hundreds of thousands of people.
Cuba, obviamente, não foi a única vítima da agressão da Guerra Fria em nome de deter os comunas para que eles não tomassem a Receita Federal, o Sistema Interestadual de Rodovias, e o resto do governo federal. Houve a operação de mudança de regime da CIA na Guatemala, por meio da qual a CIA derrubou o presidente democraticamente eleito do país, Jacobo Arbenz, e colocou no poder uma série de brutais ditaduras militares no lugar dele, lançando o país em brutal guerra civil que durou décadas e matou centenas de milhares de pessoas.
There was the U.S. national-security state’s regime change operation in Chile, whereby the democratically elected president, Salvador Allende, was ousted from power and replaced by the brutal military dictatorship of Augusto Pinochet, whose goons, with the full support of U.S. officials, rounded up, tortured, raped, and disappeared thousands of people for believing in socialism, progressivism, or communism.
Houve a operação do estado de segurança nacional dos Estados Unidos de mudança de regime no Chile, por meio da qual o presidente democraticamente eleito, Salvador Allende, foi tirado do poder e substituído pela brutal ditadura militar de Augusto Pinochet, cujos capangas, com total apoio das autoridades dos Estados Unidos, prenderam em massa, torturaram, estupraram e desapareceram com milhares de pessoas por elas acreditarem no socialismo, no progressismo, ou no comunismo.
There was Ronald Reagan’s support of the Nicaraguan Contras in their effort to oust communist-socialist Manuel Noriega from power in that country.
Houve o apoio de Ronald Reagan aos Contras da Nicarágua em seu esforço para tirar o comunista-socialista Manuel Noriega do poder naquele país.
There was the CIA’s partnership in Operation Condor, the secretive scheme of right-wing Latin American dictatorships that involved assassination, torture, and disappearances.
Houve a parceria da CIA na Operação Condor, o esquema secreto das ditaduras direitistas latino-americanas que envolveu assassínio, tortura e desaparecimentos.
Through it all, America was led into the dark side by the national-security state apparatus that had been brought into existence to oppose America’s World War II ally and partner, the Soviet Union. Americans were told that unless their government adopted communist and totalitarian methods, the communists would ultimately prevail in taking over the United States.
Através de tudo isso, os Estado Unidos foram levados para o lado mau pelo aparato do estado de segurança nacional que havia sido trazido à existência para opor-se à aliada e parceira dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, a União Soviética. Foi dito aos estadunidenses que, a menos que seu governo adotasse métodos comunistas e totalitários, os comunistas, por fim, prevaleceriam, tomando conta dos Estados Unidos.
It was all a lie, a great big lie that was used to justify ever-growing profits for what President Eisenhower called the military-industrial complex. It really didn’t matter how many Latin American countries went communist. It would never have resulted in the communist takeover of the United States.
Era tudo mentira, uma enorme mentira usada para justificar lucros sempre crescentes para aquilo que o Presidente Eisenhower chamou de complexo militar-industrial. Na realidade importava quantos países latino-americanos se tornassem comunistas. Isso nunca teria resultado em tomada dos Estados Unidos pelos comunistas.
After all, don’t forget: This is what they also said about Korea and Vietnam. If we don’t stop the communists here, national-security state officials exclaimed, the dominoes will start falling, with the final one being the United States.
Afinal de contas, não nos esqueçamos: O mesmo disseram a respeito de Coreia e Vietnã. Se não detivermos os comunistas lá, exclamavam as autoridades do estado de segurança nacional, as peças de dominó começarão a cair, a final das quais serão os Estados Unidos.
It was a lie, a great big lie that was exposed with the U.S. defeat in Vietnam. The country was united under the communists. America remained standing and continues to stand, even to the point that the Pentagon not so long ago asked the Vietnamese government if the Pentagon could establish a military base in Vietnam.
Foi mentira, enorme mentira exposta com a derrota dos Estados Unidos no Vietnã. Aquele país foi unido sob os comunistas. Os Estados Unidos continuaram firmes e continuam firmes, até o ponto de o Pentágono há não muito tempo ter perguntado ao governo vietnamita se poderia estabelecer base militar no Vietnã.
It would have been no different with Korea. If those 50,000 American men had not been sacrificed in the Korean War, it is entirely possible that Korea might well have been united under communist rule, just as Vietnam was. But it would not have meant the fall of the United States to the communists, any more than the U.S. defeat in Vietnam did.
Não teria sido diferente com a Coreia. Se aqueles 50.000 homens estadunidenses não tivessem sido sacrificados na Guerra da Coreia, é perfeitamente possível que a Coreia tivesse sido unida sob governo comunista, como ocorreu com o Vietnã. Isso porém não teria significado queda dos Estados Unidos perante os comunistas, não mais do que a derrota dos Estados Unidos no Vietnã.
It’s no different with Latin America. How do we know that? Because so many Latin American regimes are now controlled by leftists-progressives-socialists-communists. What difference does it make? Do you see America falling to the communists?
Não é diferente no tocante à América Latina. Como sabemos isso? Porque muitos regimes latino-americanos hoje são controlados por esquerdistas-progressistas-socialistas-comunistas. Que diferença isso faz? Vocês veem os Estados Unidos caindo nas mãos dos comunistas?
Consider Cuba. It’s still there. The Castro brothers are still in charge. America is still standing.
Pensem em Cuba. Ela continua lá. Os irmãos Castro ainda estão no controle. Os Estados Unidos ainda estão incólumes.
Or Venezuela, which is ruled by a communist sympathizer, Nicolas Maduro, whose economic policies mirror those of Cuba, whose communist rulers he reveres. America is still standing.
Ou a Venezuela, governada por simpatizante do comunismo, Nicolas Maduro, cujas políticas econômicas refletem as de Cuba, por cujos governantes comunistas ele sente profundo respeito e admiração. Os Estados Unidos continuam firmes.
Ecuador is also headed by a ruler on the extreme left, Rafael Correa, who also reveres Fidel Castro. America is still standing.
O Equador também é encabeçado por governante da extrema esquerda, Rafael Correa, que também sente profundo respeito e admiração por Fidel Castro. Os Estados Unidos continuam firmes.
Indeed, Nicaragua’s president is Manuel Ortega, the communist-socialist who ruled the country when Reagan’s Contras were waging their war to oust him. Imagine that: He’s back in power and America is still standing.
Na verdade, o presidente da Nicarágua é Manuel Ortega, o comunista-socialista que governava o país quando os Contras de Reagan guerreavam para derrubá-lo. Pensem só nisto: Ele está de volta ao poder e os Estados Unidos continuam firmes.
Chile’s president, Michelle Bachelet, is a socialist whose parents were targeted by Pinochet. Her economic policies are no different, in principle, from those of Salvador Allende, the communist-socialist whom Pinochet and the U.S. ousted from power. America is still standing.
A presidente do Chile, Michelle Bachelet, é socialista cujos pais foram perseguidos por Pinochet. As políticas econômicas dela não são diferentes, em princípio, das de Salvador Allende, o comunista-socialista a quem Pinochet e os Estados Unidos tiraram do poder. Os Estados Unidos continuam firmes.
Today, another extreme socialist, Salvador Sanchez Ceren, who is a former guerilla fighter, is on the verge of being elected president of El Salvador. America is still standing.
Agora outro socialista extremado, Salvador Sanchez Ceren, ex-guerrilheiro, está na iminência de ser eleito presidente de El Salvador. Os Estados Unidos continuam firmes.
Libertarians, of course, would oppose the communism-socialism-progressivism of all these people, just as we opposed the leftist economic policies of Barack Obama, Lyndon Johnson, and Franklin Roosevelt.
Os libertários, naturalmente, se opõem ao comunismo-socialismo-progressismo de todas essas pessoas, do mesmo modo que nos opusemos às políticas econômicas esquerdistas de Barack Obama, Lyndon Johnson e Franklin Roosevelt.
But that’s not the point. The point is that the fact that people in other countries decide to elect communists, socialists, and progressives obviously does not lead to the communist takeover of the United States.
Esse, porém, não é o ponto. O ponto é que o fato de pessoas em outros países decidirem eleger comunistas, socialistas e progressistas obviamente não leva à tomada dos Estados Unidos pelos comunistas.
In other words, precisely what is happening today is what would have happened if the U.S. national-security state had never been permitted to come into existence to oppose communism. Some countries would have fallen under the rule of communists-socialists, elected or not, just as they are doing today. It would never have meant the communist takeover of the United States.
Em outras palavras, precisamente o que está acontecendo hoje é o que teria acontecido se nunca tivesse sido permitido que o estado de segurança nacional dos Estados Unidos tivesse vindo à existência para opor-se ao comunismo. Alguns países teriam caído nas mãos dos comunistas-socialistas, eleitos ou não, do mesmo modo que estão caindo hoje. Isso nunca teria significado tomada dos Estados Unidos pelos comunistas.
But the U.S. national security state turned it all into one great big crisis, one that was used to engender deep, irrational fear within the American people. It was all a great big scam, one used to justify ever-growing expenditures for the Pentagon, the CIA, and the NSA, which gradually grew into a fourth branch of the U.S. government, and the most powerful branch at that.
O estado de segurança nacional dos Estados Unidos, porém, transformou tudo numa enorme crise, usada para engendrar medo profundo e irracional no seio do povo estadunidense. Foi tudo uma grande patranha, usada para justificar gastos cada vez maiores com o Pentágono, a CIA e a NSA, que gradualmente se tornaram num quarto poder do governo dos Estados Unidos, e aliás o mais forte dos poderes.
It was all so unnecessary. All so immoral. All so un-American. Rather than embracing communist and totalitarian dark-side methods to fight communism, the United States would have been better off fighting communism by standing for its founding principles of liberty, free markets, and limited government. It’s not too late to do so.
Tudo tão desnecessário. Tudo tão imoral. Tudo tão antiestadunidense. Em vez de adotar métodos criminosos comunistas e totalitários para combater o comunismo, os Estados Unidos melhor teriam feito se combatessem o comunismo mediante manterem-se fiéis a seus princípios de fundação de liberdade, livres mercados e governo limitado. Não é tarde demais para fazê-lo.
This post was written by: Jacob G. Hornberger
Jacob G. Hornberger is founder and president of The Future of Freedom Foundation. He was born and raised in Laredo, Texas, and received his B.A. in economics from Virginia Military Institute and his law degree from the University of Texas. He was a trial attorney for twelve years in Texas. He also was an adjunct professor at the University of Dallas, where he taught law and economics. In 1987, Mr. Hornberger left the practice of law to become director of programs at the Foundation for Economic Education. He has advanced freedom and free markets on talk-radio stations all across the country as well as on Fox News’ Neil Cavuto and Greta van Susteren shows and he appeared as a regular commentator on Judge Andrew Napolitano’s show Freedom Watch. View these interviews at LewRockwell.com and from Full Context. Send him email.
Esta postagem foi escrita por: Jacob G. Hornberger
Jacob G. Hornberger é fundador e presidente da Fundação Futuro de Liberdade. Nasceu e foi criado em Laredo, Texas, e recebeu seu grau de Bacharel em Artes em economia do Instituto Militar da Virgínia e seu grau em leis da Universidade do Texas. Foi advogado atuante durante doze anos no Texas. Foi também professor adjunto na Universidade de Dallas, onde lecionou leis e economia. Em 1987, o Sr. Hornberger deixou a prática jurídica para tornar-se diretor de programas na Fundação de Educação Econômica. Tem promovido liberdade e livres mercados em estações de rádio com participação da audiência em todo o país, bem como nos programas da Fox News de Neil Cavuto e Greta van Susteren, e tem aparecido como comentador regular no programa do Juiz Andrew Napolitano Observatório da Liberdade. Veja essas entrevistas em LewRockwell.com e a partir de Full Context. Envie-lhe email.

No comments:

Post a Comment