Sunday, December 15, 2013

dbfrank - What Kind of Theory Do We Need for Translation? 7. Values in Connection with Translation


Bible Translation Conference 2008: Translator and Audience
February 4-6, 2008
UK Campus of the European Training Programme, Horsleys Green, England
ENGLISH
PORTUGUÊS
What Kind of Theory Do We Need for Translation?
De Que Tipo de Teoria Precisamos para Tradução?
David B Frank
David B Frank
SIL International
SIL International
7. Values in Connection with Translation
7. Valores em Conexão com Tradução
This model of translation has presented a range of speech acts that could properly be considered translation, some of which might bear more of an obvious resemblance to the source text than others.Translation involves selecting a focus and making decisions and compromises. No one type among these different types of translation is necessarily more legitimate than another. This is not to say that anything that might be called a translation is legitimate. At this point I will propose three values associated with translation: accuracy, appropriateness and honesty
Este modelo de tradução apresentou um espectro de atos da fala que podem ser adequadamente considerados tradução, alguns dos quais podem exibir mais semelhança óbvia com o texto fonte do que outros. A tradução envolve seleção de um foco, tomada de decisões, e transigência. Nenhum tipo único entre esses diferentes tipos de tradução é necessariamente mais legítimo do que outro. Isso não quer dizer que qualquer coisa que possa ser chamada de tradução seja legítima. A esta altura proporei três valores associados à tradução: exatidão, propriedade e honestidade.
The value of accuracy suggests that it is possible to mistranslate. A mistranslation can result when the translator has an inadequate understanding of either the source language or the receptor language. Languages are community property, and both the source language and the receptor language follow certain conventions for associating meanings with linguistic forms. A translator may get an understanding from a source text that is anomalous with regard to the normal conventions of language. Another way to say this is that the translator understands something from the source text that is not the same thing as what the original author meant to communicate. Or the translator may have an inadequate understanding of the target language, such that the target audience understands the translation to be saying something other than what the translator meant to communicate. However, we will not necessarily consider it a mistranslation if the translator translates in such a way that a third party can find fault. A mistranslation is a matter of the translator’s lack of skill with either the source language or the receptor language. Accuracy is valued in a translation, and an accurate translation is one where the translator has understood what the original author meant to communicate, and the target audience of the translation has understood what the translator meant to communicate.
O valor exatidão sugere ser possível traduzir equivocadamente. Tradução equivocada pode resultar quando o tradutor tem entendimento inadequado ou da língua fonte ou da língua receptora. Línguas são propriedade comunitária, e tanto a língua fonte quanto a receptora seguem certas convenções para associar significados a\ formas linguísticas. Um tradutor poderá ter entendimento de texto fonte anômalo em relação às convenções normais da língua. Outro modo de dizer isso é que o tradutor entende algo a partir do texto fonte que não é a mesma coisa que o autor original desejou comunicar. Ou o tradutor poderá ter entendimento inadequado da língua alvo, tal que a audiência alvo entende a tradução dizer algo diferente do que o tradutor quis comunicar. Entretanto, não consideraremos necessariamente tradução equivocada o tradutor traduzir de tal maneira que um terceiro possa encontrar defeito. Tradução equivocada é questão de falta de perícia do tradutor em relação à língua fonte ou à língua receptora. Exatidão é algo valorizado numa tradução, e tradução exata é aquela na qual o tradutor entendeu o que o autor original desejava comunicar e a audiência alvo da transação entendeu o que o tradutor quis comunicar.
The second value associated with translation is appropriateness. The translator or translation team is responsible for the decision-making in a translation effort, for the most part, even thoughit is recognized that this is done in connection with the purposes of the other parties associated with the translation. An appropriate translation is one that is made where the translator has rightly gauged the needs of the target audience.
O segundo valor associado à tradução é a propriedade. O tradutor ou a equipe de tradução é usualmente responsável pela tomada de decisões num esforço de tradução, embora seja reconhecido que isso é feito em conexão com os propósitos das outras partes associadas à tradução. Tradução apropriada é aquela na qual o tradutor sopesou corretamente as necessidades da audiência alvo.
The third value associated with translation is honesty. It is possible to misrepresent a speech act that is called a translation. For example, it is possible for a text to be a translation, based on a different original text, when the translator tries to pass it off as an original communication rather than a translation. Or it is possible for a translator to claim equivalence in a translation where he or she knows better. The philosopher of language Paul Grice lists two among his conversational maxims, “Do not say what you believe to be false” and “Do not say that for which you lack evidence.” These maxims can be flouted. In other words it is possible to lie outright, or mislead people in some other way. This is true of various kinds of speech acts, and it is true of translation. In accordance with Grice’s “maxims of quality,”we will say that an honest translation is one that is what it claims to be. Grice’s purpose was not to tell people how they should behave, but he points out what the natural societal expectations are.
O terceiro valor associado à tradução é honestidade. É possível distorcer ato da fala chamado de tradução. Por exemplo, é possível um texto ser tradução, baseado em diferente texto original, e o tradutor apresentá-lo como comunicação original em vez de como tradução. Ou é possível tradutor asseverar equivalência numa tradução sabendo que não a há. O filósofo da linguagem Paul Grice lista duas entre suas máximas de conversação: “Não diga o que acredita ser falso” e “Não diga aquilo para o que você não tem evidência.” Essas máximas podem ser desprezadas. Em outras palavras, é possível mentir completamente, ou induzir pessoas a erro de algum outro modo. Isso é verdade de diversos tipos de atos da fala, e é verdade no tocante à tradução. De acordo com as “máximas de qualidade” de Grice, diremos que tradução honesta é aquela que é o que assevera ser. O propósito de Grice não foi o de dizer às pessoas como deveriam comportar-se, mas ele destaca quais são as expectativas societárias.

No comments:

Post a Comment