Wednesday, December 11, 2013

dbfrank - What Kind of Theory Do We Need for Translation? 5. Levels Focus in Translation


Bible Translation Conference 2008: Translator and Audience
February 4-6, 2008
UK Campus of the European Training Programme, Horsleys Green, England
ENGLISH
PORTUGUÊS
What Kind of Theory Do We Need for Translation?
De Que Tipo de Teoria Precisamos para Tradução?
David B Frank
David B Frank
SIL International
SIL International
5. Levels Focus in Translation
5. Foco nos Níveis de Tradução
Not all translations are the same. This is partly because of the individuality of the participants in the translation process and the options that are available in communication through language, but it is also because of what I call level of focus. Discussing translation options in terms of levels of focus takes the place of other terms like literal vs. free or formal equivalent vs. dynamic equivalent.
Nem todas as traduções são iguais. Isso ocorre em parte por causa da individualidade dos participantes no processo de tradução e das opções disponíveis na comunicação por meio da língua, mas também por causa do que chamo de nível de foco. A discussão das opções de tradução em termos de níveis de foco toma o lugar de outras expressões tais como literal versus livre ou equivalente formal versus equivalente dinâmico.
The levels of focus one might take in translating are not clearly defined, but I will illustrate the concept by focusing on four different sample approaches. The first level to be illustrated could be called word level focus in translation. The translator is focused on the words in a text, and determined to carry across the words from one language to what is estimated to be the equivalent words in the second language. This may be called a literal translation, but that term is misleading. A true literal translation is impossible, though it is convenient to sometimes talk as if it were. Instead we will talk in terms of a word level translation that might, for example, seek to translate words in their primary senses from one language to another. A result would be a concordant translation, where one word in the source text can be matched with one word in the translated text.
Os níveis de foco em que alguém possa situar-se ao traduzir não estão claramente definidos, mas ilustrarei o conceito mediante apresentar quatro diferentes amostras de abordagens. O primeiro nível a ser ilustrado poderia ser chamado de foco de nível de palavra em tradução. O tradutor concentra-se nas palavras de um texto, e está decidido a transferir as palavras de uma língua para aquilo que seja avaliado como sendo as palavras equivalentes na segunda língua. Essa poderá ser chamada de tradução literal, mas essa expressão é enganosa. Verdadeira tradução literal é impossível, embora seja conveniente, por vezes, falar como se ela fosse possível. Em vez disso falaremos de uma tradução em nível de palavra que poderia, por exemplo, buscar traduzir palavras em seus sentidos primários de uma língua para outra. O resultado seria uma transação concordante, onde uma palavra no texto fonte pudesse ser casada com uma palavra no texto traduzido.
A variation on the word level translation would be to seek to translate the words of a text from one language to the other, but taking into consideration the different senses of the words. So as the words are focused on and translated, the translator determines the sense of the words in context and attempts to construct a new text with the appropriate word in the receptor language, according to sense in context rather than primary sense.
Uma variante da tradução em nível de palavra seria buscar traduzir as palavras de um texto de uma língua para outra, mas levando em consideração os diferentes sentidos das palavras. Assim, à medida que as palavras são enfocadas e traduzidas, o tradutor determina o sentido das palavras no contexto e tenta construir um novo texto com a palavra apropriada na língua receptora, de acordo com o sentido no contexto em vez do sentido primário.
Either way, if the level of focus is as low as the word level, then the translator will seek to construct a translated text that contains words that are estimated to be equivalent to the words of the source text. In the process, the translator may or may not make other adjustments such as in sentence length and complexity.
De qualquer dos dois modos, se o nível de foco for baixo a ponto de ser nível de palavra, o tradutor procurará construir um texto traduzido que tenha palavras avaliadas como equivalentes às palavras do texto fonte. Nesse processo, o tradutor poderá ou não fazer outros ajustes tais como no comprimento e na complexidade da sentença.
Now in a hierarchy of linguistic and semantic levels, a level of focus higher up than the word would be the sentence or proposition. The translator may look at the source text and aim to translate it by processing one sentence at a time. The translator could focus on one sentence at a time and consider how to express something equivalent in the receptor language. In the process, the translator may also aim to preserve word equivalence between languages, but will sacrifice word equivalence where necessary to render the desired proposition or sentence equivalent.
Ora bem, numa hierarquia de níveis linguísticos e semânticos, um nível de foco mais alto seria o de sentença, ou proposição. O tradutor poderá olhar para o texto fonte e procurar traduzi-lo mediante processar uma sentença por vez. O tradutor poderá enfocar uma sentença por vez e considerar como expressar algo equivalente na língua receptora. Nesse processo, o tradutor poderá também visar a preservar a equivalência de palavras entre línguas, mas sacrificará a equivalência de palavras, quando necessário, para proporcionar a desejada proposição ou sentença equivalente.
An even higher level of focus would involve attention to units of discourse in the source text. Attention might not be paid to words or sentences, but rather to what the text means to the translator on a higher plane. If the source text involves narrative, the translator would consider how stories are told naturally in the receptor language and re-tell the story in a way that the translator considers appropriate to that language. It would not matter if the words are the same, or whether the sentences are somehow equivalent and in the same order. If the source text is procedural or expository or some other discourse genre, the translator would re-tell the original  text to the new audience in a way that is considered appropriate to the genre of discourse involved.
Nível de foco ainda mais elevado envolveria a atenção a unidades de discurso no texto fonte. Poderá não ser dispensada atenção a palavras ou sentenças, e sim antes ao que o texto significa para o tradutor em plano mais alto. Se o texto fonte envolver narrativa, o tradutor considerá como histórias são contadas com naturalidade na língua receptora e contará de novo a história de maneira que considere apropriada para tal língua. Não importará se as palavras serão as mesmas ou se as sentenças serão de algum modo equivalentes e estarão na mesma ordem. Se o texto fonte for procedimental ou expositório ou pertencer a algum outro gênero de discurso, o tradutor recontará o texto original para a nova audiência de maneira considerada apropriada para o gênero de discurso envolvido.
Finally, in terms of this somewhat arbitrary example of four levels of focus in translation, the translator may not even aim to re-express exactly the same text in another language, but rather create a new text on the basis of a prior-existing text that the translator, subjectively-speaking, considers to have significant qualities of equivalence to the source text. The words, the sentences, and even some of the “facts” of the source text might not be recognizable in the translated text. But there is something equivalent about the two texts, and that is what the translator has aimed to express in the translated text on the basis of the source text. Equivalence may be a subjective matter, but if there is nothing in the newly-created text that at least the translator considers equivalent to something in a source text, then the newly-created text could hardly be called a translation.
Finalmente, em termos deste de certo modo exemplo arbitrário de quatro níveis de foco em tradução, o tradutor poderá nem memo visar a reexpressar exatamente o mesmo texto em outra língua, e sim antes criar novo texto, com base em texto previamente existente, que o tradutor, subjetivamente falando, considere exibir ponderosas qualidades de equivalência com o texto fonte. As palavras, as sentenças, e até mesmo alguns dos “fatos” do texto fonte poderão não ser reconhecíveis no texto traduzido. Há porém algo equivalente no tocante aos dois textos, e é o que o tradutor visou a expressar no texto traduzido com base no texto fonte. Equivalência poderá ser algo subjetivo, mas se nada houver no texto novelmente criado que pelo menos o tradutor considere equivalente a algo existente no texto fonte, então o texto novelmente criado dificilmente poderá ser chamado de tradução.
There are two important points to reflect on as one considers the different types of translation that one might do. The first is that translation is impossible without interpretation. Not even a so-called literal translation, or one that focuses on word equivalence, is done without interpretation on the translator’s part. All translation is interpretation. That is because all meaning is in people and not in words, and so it is not possible to even carry across the words of the source text to the translated text without interpreting—understanding—them. Translation always involves the translator making some kind of sense of the original text, in order to provide something that could be considered equivalent in another language.The labels “literal” or“direct” or “full-access translation” are misleading and will not be used here. But perhaps a word-equivalent type of translation could be considered the simplest. In order to produce a word-equivalent translation, the main knowledge a translator needs is an understanding of all of the words in the source text and a familiarity with what their counterparts would be in the receptor language, at least in terms of primary sense to primary sense. The translator should also have some familiarity with the conventions of grammar of both languages, but would not necessarily have a good sense of what the words mean when put together into sentences and texts in the source language, nor would the audience of the translation necessarily have a good sense of what the words are supposed to mean when put together in a translation.
Há dois importantes pontos acerca dos quais refletir ao serem considerados os diferentes tipos de tradução que alguém possa fazer. O primeiro é que tradução é impossível sem interpretação. Nem mesmo uma assim chamada tradução literal, ou tradução que se concentre na equivalência de palavras, é feita sem interpretação da parte do tradutor. Toda tradução é interpretação. Isso ocorre porque todo significado está nas pessoas e não nas palavras, e portanto não é possível sequer transferir as palavras do texto fonte para o texto traduzido sem interpretá-las — isto é, compreendê-las. Tradução envolve sempre o tradutor fazer algum tipo de sentido do texto original, a fim de proporcionar algo que possa ser considerado equivalente em outra língua. Os rótulos “literal” ou “direta” ou “tradução de acesso pleno” são desorientadores e não serão usados aqui. Talvez, porém, um tipo de tradução com equivalência de palavras possa ser considerado o mais simples. A fim de produzir uma tradução de equivalentes de palavras, o principal conhecimento de que o tradutor precisa é entendimento de todas as palavras do texto fonte e familiaridade com quais seriam suas contrapartes na língua receptora, pelo menos em termos de sentido primário a sentido primário. O tradutor deverá ter alguma familiaridade com as convenções da gramática de ambas as línguas, mas não necessariamente terá bom entendimento do que as palavras signifiquem quanto postas juntas em sentenças e textos da linguagem fonte, nem terá necessariamente a audiência da tradução bom entendimento do que as palavras supostamente signficarão quando postas juntas numa tradução.
The second important point regarding the different types of translation one might aim to produce is that it should be recognized that absolutely no translation can express all the meaning of the source text. Every translation involves compromises, and decisions as to what information in the source text is most important to try to re-express in the receptor language. Common perception might be that a so-called literal translation is the most accurate, even if it is not easily understood, but this is not the case. Assuming that we are talking about two languages that are not the same, this means that the conventions of the receptor language are not the same as those of the source language, and the translator has to decide what level of meaning to focus on in order to produce something equivalent in the receptor language. If the focus is on words, then higher-order meanings will fail to be expressed in the receptor language. If the focus is on higher-order meanings, then concordance of words between the two languages will be lost, and concordance is a type of meaning. Every translation involves choices. Two different languages cannot correspond on every level, and two different language communities will not share exactly the same contexts.
O segundo ponto importante acerca dos diferentes tipos de tradução que alguém possa visar a produzir é dever ser reconhecido que absolutamente nenhuma tradução consegue expressar todo o significado do texto fonte. Toda tradução envolve concessões, e decisões acerca de que informação no texto fonte é mais importante no tocante à tentativa de reexpressá-la na língua receptora. A percepção comum poderá ser a de que uma assim chamada tradução literal é a mais precisa, mesmo se ela não for facilmente compreendida, mas não é assim. Assumindo-se que estejamos falando de duas línguas que não são a mesma, isso significa que as convenções da língua receptora não são as mesmas das da língua fonte, e o tradutor terá de decidir que nível de significado focar a fim de produzir algo equivalente na língua receptora. Se o foco for em palavras, significados de ordem mais elevada deixarão de ser expressados na língua receptora. Se o foco for em significados de ordem mais elevada, será perdida a concordância das palavras entre as duas línguas, e concordância é um tipo de significado. Toda tradução envolve escolhas. Duas línguas diferentes não podem corresponder uma à outra em todos os níveis, e duas comunidades com línguas diferentes não partilharão exatamente os mesmos contextos.
From the point of view of the sociological model of translation being presented here, none of the various ways of translating a text would be considered illegitimate or outside the bounds of what could be called translation. Translating by focusing on word equivalence is translating. Translating by focusing on a much broader picture where some of the details of the translated text might not even be recognizable in reference to the source text is still translating, as long as the translator and other parties associated with the translation have some kind of equivalence in mind that applies to the source text in comparison with the translated text. However, there are some constraints relating to what can be considered a happy outcome of a translation effort, and these have to do with skill, honesty and agreement among the various participants in a translation speech act concerning the communication that has taken place, to be explained below.
Do ponto de vista do modelo sociológico de tradução que aqui está sendo apresentado, nenhum dos vários modos de traduzir um texto será considerado ilegítimo ou fora dos limites do que possa ser chamado de tradução. Traduzir mediante concentrar-se na equivalência de palavras é traduzir. Traduzir focando quadro muito mais amplo onde alguns dos detalhes do texto traduzido poderão sequer ser reconhecíveis com referência ao texto fonte também é traduzir, na medida em que o tradutor e outras partes vinculadas à tradução têm em mente algum tipo de equivalência que se aplica ao texto fonte em comparação com o texto traduzido. Entretanto, há algumas constrições relacionadas com o que poderá ser considerado resultado feliz do esforço de tradução, e têm a ver com perícia, honestidade e acordo entre os diversos participantes num ato de fala de tradução concernindo a comunicação que teve lugar, as quais serão explanadas abaixo.

No comments:

Post a Comment