Sunday, November 17, 2013

The Anti-Empire Report - Let’s not repeat the Barack fuckup with Hillary



English
Português
William Blum
William Blum
Official website of the author, historian, and U.S. foreign policy critic.
Website oficial do autor, historiador e crítico da política externa dos Estados Unidos.
The Anti-Empire Report #122
O Relatório Anti-Império No. 122
By William Blum – Published November 7th, 2013
Por William Blum – Publicado em 7 de novembro de 2013
Let’s not repeat the Barack fuckup with Hillary
Não repitamos o vexame Barack com Hillary
Image: Hillary – Defending the Bush regime all the way
Imagem: Hillary – Defesa do regime Bush de cabo a rabo
Not that it really matters who the Democrats nominate for the presidency in 2016. Whoever that politically regressive and morally bankrupt party chooses will be at best an uninspired and uninspiring centrist; in European terms a center-rightist; who believes that the American Empire – despite the admittedly occasional excessive behavior – is mankind’s last great hope. The only reason I bother to comment on this question so far in advance of the election is that the forces behind Clinton have clearly already begun their campaign and I’d like to use the opportunity to try to educate the many progressives who fell in love with Obama and may be poised now to embrace Clinton. Here’s what I wrote in July 2007 during the very early days of the 2008 campaign:
Não que realmente importe quem os Democratas proporão para a presidência em 2016. Quem quer que aquele partido politicamente retrógrado e moralmente falido escolher será, na melhor das hipóteses, um centrista sem imaginação ou originalidade, incapaz de despertar imaginação ou originalidade; em termos europeus, um centrodireitista; que acredita que o Império Estadunidense – a despeito de ocasionais excessos no comportamento – é a última grande esperança da humanidade. O único motivo pelo qual me dou ao trabalho de comentar este assunto tão antes da eleição é as forças de apoio a Clinton já claramente teretm começado sua campanha e eu gostaria de usar esta oportunidade para tentar abrir os olhos dos muitos progressistas que se apaixonaram por Obama e poderão estar agora propensos a aderir a Clinton. Eis o que escrevi em julho de 2007 durante os primeiríssimos dias da campanha de 2008:
Who do you think said this on June 20? a) Rudy Giuliani; b) Hillary Clinton; c) George Bush; d) Mitt Romney; or e) Barack Obama?
Quem você acha que disse isto em 20 de junho? a) Rudy Giuliani; b) Hillary Clinton; c) George Bush; d) Mitt Romney; ou e) Barack Obama?
“The American military has done its job. Look what they accomplished. They got rid of Saddam Hussein. They gave the Iraqis a chance for free and fair elections. They gave the Iraqi government the chance to begin to demonstrate that it understood its responsibilities to make the hard political decisions necessary to give the people of Iraq a better future. So the American military has succeeded. It is the Iraqi government which has failed to make the tough decisions which are important for their own people.” 6
“A instituição militar estadunidense cumpriu seu papel. Vejam o que ela fez. Acabou com Saddam Hussein. Deu aos iraquianos oportunidade de eleições livres e equânimes. Deu ao governo iraquiano oportunidade de começar a mostrar que entendeu suas responsabilidades em tomar as decisões políticas enérgicas necessárias para dar ao povo do Iraque um futuro melhor. Portanto, a instituição militar estadunidense foi bem-sucedida. O governo iraquiano é que deixou de tomar as decisões enérgicas importantes para seu próprio povo.” 6
Right, it was the woman who wants to be president because … because she wants to be president … because she thinks it would be nice to be president … no other reason, no burning cause, no heartfelt desire for basic change in American society or to make a better world … she just thinks it would be nice, even great, to be president. And keep the American Empire in business, its routine generating of horror and misery being no problem; she wouldn’t want to be known as the president that hastened the decline of the empire.
Exato, foi a mulher que deseja ser presidente porque … porque ela quer ser presidente … porque ela acha que seria encantador ser presidente … nenhum outro motivo, nenhuma causa candente, nenhum desejo intenso de mudança básica na sociedade estadunidense ou de construir um mundo melhor … ela apenas acha que seria encantador, grandioso até, ser presidente. E manter o Império Estadunidense em andamento, seu engendramento rotineiro de horror e miséria sendo problema nenhum; ela não gostaria de ser conhecida como o presidente que acelerou o declínio do império.
And she spoke the above words at the “Take Back America” conference; she was speaking to liberals, committed liberal Democrats and others further left. She didn’t have to cater to them with any flag-waving pro-war rhetoric; they wanted to hear anti-war rhetoric (and she of course gave them a bit of that as well out of the other side of her mouth), so we can assume that this is how she really feels, if indeed the woman feels anything. The audience, it should be noted, booed her, for the second year in a row.
E ela disse as palavras acima na conferência “Tomar de Volta os Estados Unidos;” falava a liberais, a Democratas liberais comprometidos e a outras pessoas mais à esquerda. Ela não tinha de tentar agradá-los com qualquer retórica pró-guerra populista patriótica; eles queriam ouvir retórica antiguerra (e ela obviamente deu a eles um poucochinho dela também, com o canto da boca), portanto podemos assumir ser o que ela realmente sente, se é que essa mulher sente alguma coisa. A plateia, deve ser notado, vaiou-a pelo segundo ano consecutivo.
Think of why you are opposed to the war. Is it not largely because of all the unspeakable suffering brought down upon the heads and souls of the poor people of Iraq by the American military? Hillary Clinton couldn’t care less about that, literally. She thinks the American military has “succeeded”. Has she ever unequivocally labeled the war “illegal” or “immoral”? I used to think that Tony Blair was a member of the right wing or conservative wing of the British Labour Party. I finally realized one day that that was an incorrect description of his ideology. Blair is a conservative, a bloody Tory. How he wound up in the Labour Party is a matter I haven’t studied. Hillary Clinton, however, I’ve long known is a conservative; going back to at least the 1980s, while the wife of the Arkansas governor, she strongly supported the death-squad torturers known as the Contras, who were the empire’s proxy army in Nicaragua. 7
Pense em por que você se opõe à guerra. Não é, em grande parte, por causa de todo o indizível sofrimento trazido sobre as mentes e almas do pobre povo do Iraque pela instituição militar estadunidense? Hillary Clinton não poderia importar-se menos com isso, literalmente. Ela acha que a instituição militar estadunidense foi “bem-sucedida”. Alguma vez ela rotulou inequivocamente a guerra como “ilegal” ou “imoral”? Antigamente eu pensava que Tony Blair era membro da ala direita ou conservadora do Partido Trabalhista britânico. Finalmente entendi, um dia, que essa era uma descrição incorreta da ideologia dele. Blair é conservador, um Tory consumado. Como ele acabou no Partido Trabalhista é assunto que ainda não estudei. Há muito tempo, porém, sei que Hillary Clinton é conservadora; remontando a pelo menos os anos 1980, quando mulher do governador do Arkansas, ela apoiava firmemente o esquadrão da morte de torturadores conhecido como os Contras, que formavam o exército procurador do império na Nicarágua. 7
Now we hear from America’s venerable conservative magazine, William Buckley’s National Review, an editorial by Bruce Bartlett, policy adviser to President Ronald Reagan; treasury official under President George H.W. Bush; a fellow at two of the leading conservative think-tanks, the Heritage Foundation and the Cato Institute – You get the picture? Bartlett tells his readers that it’s almost certain that the Democrats will win the White House in 2008. So what to do? Support the most conservative Democrat. He writes: “To right-wingers willing to look beneath what probably sounds to them like the same identical views of the Democratic candidates, it is pretty clear that Hillary Clinton is the most conservative.” 8
Agora ouvimos, de venerável revista conservadora estadunidense, a National Review, de William Buckley, editorial de Bruce Bartlett, conselheiro de políticas do Presidente Ronald Reagan; autoridade do tesouro no governo do Presidente George H.W. Bush; membro de dois institutos líderes de pesquisa interdisciplinar, a Heritage Foundation e o Cato Institute – Entendem a situação? Bartlett diz a seus leitores ser quase certo que os Democratas conquistarão a Casa Branca em 2008. O que fazer, então? Apoiar o Democrata mais conservador. Escreve: “Para direitistas dispostos a sondar em busca de alguém, dentre os Democratas, que provavelmente tenha pontos de vista idênticos aos seus, fica muito claro que Hillary Clinton é a mais conservadora.” 8
We also hear from America’s premier magazine for the corporate wealthy, Fortune, whose recent cover features a picture of Clinton and the headline: “Business Loves Hillary”. 9
Ouvimos também, da principal revista dos Estados Unidos pela riqueza corporativa, Fortune, cuja capa recente mostra foto de Clinton e a manchete: “As Empresas Adoram Hillary”. 9
Back to 2013: In October, the office of billionaire George Soros, who has long worked with US foreign policy to destabilize governments not in love with the empire, announced that “George Soros is delighted to join more than one million Americans in supporting Ready for Hillary.” 10
De volta a 2013: Em outubro, o escritório do bilionário George Soros, que de há muito trabalha com a política externa dos Estados Unidos para desestabilizar governos não apaixonados pelo império, anunciou que “George Soros está felicíssimo por juntar-se a mais de um milhão de estadunidenses em apoio ao Preparados para Hillary.” 10
There’s much more evidence of Hillary Clinton’s conservative leanings, but if you need more, you’re probably still in love with Obama, who in a new book is quoted telling his aides during a comment on drone strikes that he’s “really good at killing people”. 11 Can we look forward to Hillary winning the much-discredited Nobel Peace Prize?
Há muito mais evidência das inclinações conservadoras de Hillary Clinton, mas se você precisar de mais, provavelmente estará ainda apaixonado por Obama que, em novo livro, é citado como dizendo a seus auxiliares, durante um comentário acerca de ataques de drones [aviões não tripulados] que ele é “realmente competente em matar pessoas”. 11 Será que poderemos esperar ver Hillary ganhando o tão desacreditado Prêmio Nobel da Paz?
I’m sorry if I take away all your fun.
Sinto se estraguei todo o prazer de vocês.
Notes
Notas
6. Speaking at the “Take Back America” conference, organized by the Campaign for America’s Future, June 20, 2007, Washington, DC; this excerpt can be heard on Democracy Now!’s website
7. Roger Morris, former member of the National Security Council, Partners in Power (1996), p.415
8. National Review Online, May 1, 2007
9. Fortune magazine, July 9, 2007
10. Washington Post, October 25, 2013
11. Washington Post, November 1, 2013, review of “Double Down: Game Change 2012”


1 comment:

  1. O autor William Blum diz que o apoio de George Soros é uma evidência de conservadorismo!?! O apoio de grandes empresas citadas na Fortune também!?! Pelo amor de Deus, o apoio de corporações é uma evidência do fascismo. George Soros promove o socialismo fascista no mundo através de sua fundação para numa segunda etapa viabilizar um governo fascista mundial.

    O autor lembra que a Hillary disse que a operação no Iraque foi um sucesso. Mas, o autor não considera que a nova constittuição do Iraque é socialista fascista, totalmente diferente da dos EUA. Isso é outra evidência de que estes caras não são nada conservadores; em nada eles querem conservar os valores americanos.

    Ele ainda chama esses candidatos do partido democrata de centrodireita!?! Só se for a direita da esquerda. Na visão dos socialistas de si próprios que acham que o fascismo é de direita.

    Depois dessa, eu não leio mais nada de William Blum.

    ReplyDelete