Thursday, November 21, 2013

IPE - Paul Craig Roberts - What Is The Real Agenda Of The American Police State?


ENGLISH
PORTUGUÊS
Institute for Political Economy
Institute for Political Economy
Paul Craig Roberts
Paul Craig Roberts
What Is The Real Agenda Of The American Police State?
Qual É A Real Intenção Do Estado Policial Estadunidense?
Paul Craig Roberts
Paul Craig Roberts
In my last column I emphasized that it was important for American citizens to demand to know what the real agendas are behind the wars of choice by the Bush and Obama regimes. These are major long term wars each lasting two to three times as long as World War II.
Em minha última coluna enfatizei ser importante os cidadãos estadunidenses exigirem saber que reais intenções estão por trás das guerras de agressão dos regimes Bush e Obama. São guerras de grande porte e de longo prazo, cada uma das quais com duração duas ou três vezes maior do que a da Segunda Guerra Mundial.
Forbes reports that one million US soldiers have been injured in the Iraq and Afghanistan wars. http://www.forbes.com/sites/rebeccaruiz/2013/11/04/report-a-million-veterans-injured-in-iraq-afghanistan-wars/
A Forbes informa que um milhão de soldados foi ferido nas guerras do Iraque e do Afeganistão. http://www.forbes.com/sites/rebeccaruiz/2013/11/04/report-a-million-veterans-injured-in-iraq-afghanistan-wars/
RT reports that the cost of keeping each US soldier in Afghanistan has risen from $1.3 million per soldier to $2.1 million per soldier. http://rt.com/usa/us-afghanistan-pentagon-troops-budget-721/
A RT informa que o custo de manter cada soldado dos Estados Unidos no Afeganistão subiu de $1,3 milhão de dólares por soldado para $2,1 milhão de dólares por soldado. http://rt.com/usa/us-afghanistan-pentagon-troops-budget-721/
Matthew J. Nasuti reports in the Kabul Press that it cost US taxpayers $50 million to kill one Taliban soldier. That means it cost $1 billion to kill 20 Taliban fighters. http://kabulpress.org/my/spip.php?article32304 This is a war that can be won only at the cost of the total bankruptcy of the United States.
Matthew J. Nasuti informa na Kabul Press que custa aos contribuintes dos Estados Unidos $50 milhões de dólares matar um soldado do Talibã. Isso significa que custa $1 bilião de dólares matar 20 combatentes do Talibã. http://kabulpress.org/my/spip.php?article32304 É guerra que só pode ser ganha ao custo do colapso financeiro total dos Estados Unidos.
Joseph Stiglitz and Linda Bilmes have estimated that the current out-of-pocket and already incurred future costs of the Afghan and Iraq wars is at least $6 trillion.
Joseph Stiglitz e Linda Bilmes estimaram que os custos diretos atuais e já comprometidos no futuro das guerras do Afeganistão e do Iraque são de pelo menos $6 triliões de dólares.
In other words, it is the cost of these two wars that explain the explosion of the US public debt and the economic and political problems associated with this large debt.
Em outras palavras, é o custo dessas duas guerras que explica a explosão da dívida pública dos Estados Unidos e os problemas econômicos e políticos relacionados com essa alentada dívida.
What has America gained in return for $6 trillion and one million injured soldiers, many very severely?
O que os Estados Unidos ganharam em troca de $6 triliões de dólares e um milhão de soldados feridos, muitos deles muito gravemente?
In Iraq there is now an Islamist Shia regime allied with Iran in place of a secular Sunni regime that was an enemy of Iran, one as dictatorial as the other, presiding over war ruins, ongoing violence as high as during the attempted US occupation, and extraordinary birth defects from the toxic substances associated with the US invasion and occupation.
No Iraque há agora regime islamista xiita aliado do Irã, em lugar de um regime sunita secular que era inimigo do Irã, um tão ditatorial quanto o outro, presidindo ruínas de guerra, violência constante tão alta quanto durante a tentada ocupação pelos Estados Unidos, e extraordinários defeitos de nascença decorrentes das substâncias tóxicas relacionadas com a invasão e a ocupação pelos Estados Unidos.
In Afghanistan there is an undefeated and apparently undefeatable Taliban and a revived drug trade that is flooding the Western world with drugs.
No Afeganistão há um Talibã não derrotado e aparentemente não derrotável e um comércio de drogas revivescido que está inundando de drogas o mundo ocidental.
The icing on these Bush and Obama “successes” are demands from around the world that Americans and former British PM Tony Blair be held accountable for their war crimes. Certainly, Washington’s reputation has plummeted as a result of these two wars. No governments anywhere are any longer sufficiently gullible as to believe anything that Washington says.
O pináculo desses “successos” de Bush e Obama são exigências oriundas do mundo todo de que os estadunidenses e o ex-Primeiro-Ministro britânico Tony Blair sejam responsabilizados por seus crimes de guerra. Inegavelmente a reputação de Washington despencou em resultado dessas duas guerras. Nenhum governo em parte alguma continua ingênuo a ponto de acreditar em qualquer coisa que Washington diga.
These are huge costs for wars for which we have no explanation.
Esses são enormes custos de guerras para as quais não temos explicação.
The Bush/Obama regimes have come up with various cover stories: a “war on terror,”
“we have to kill them over there before they come over here,” “weapons of mass destruction,” revenge for 9/11, Osama bin Laden (who died of his illnesses in December 2001 as was widely reported at the time).
Os regimes Bush/Obama vieram com diversas empulhações: uma “guerra ao terror,”
“temos de matá-los lá antes de eles poderem chegar aqui,” “armas de destruição em massa,” vingança pelo 11/9, Osama bin Laden (que morreu de suas doenças em dezembro de 2001 como foi amplamente informado à época).(*)

(*)Ver por exemplo corroborada a declaração de médico de Cornell que declarara, dois meses depois do 11/9, bin Laden ter morrido da síndrome de Marfan,
None of these explanations are viable. Neither the Taliban nor Saddam Hussein were engaged in terrorism in the US. As the weapons inspectors informed the Bush regime, there were no WMD in Iraq. Invading Muslim countries and slaughtering civilians is more likely to create terrorists than to suppress them. According to the official story, the 9/11 hijackers and Osama bin Laden were Saudi Arabians, not Afghans or Iraqis. Yet it wasn’t Saudi Arabia that was invaded.
Nenhuma dessas explicações é defensável. Nem o Talibã nem Saddam Hussein esteve envolvido em terrorismo nos Estados Unidos. Como os inspetores de armamentos informaram ao regime Bush, não havia armas de destruição em massa no Iraque. Invadir países muçulmanos e chacinar civis tem mais probabilidade de criar terroristas do que de acabar com eles. De acordo com a história oficial, os sequestradores do 11/9 e Osama bin Laden eram árabes sauditas, não afegãos ou iraquianos. Apesar disso, não foi a Arábia Saudita que foi invadida.
Democracy and accountable government simply does not exist when the executive branch can take a country to wars in behalf of secret agendas operating behind cover stories that are transparent lies.
Democracia e governo sujeito a prestação de contas simplesmente não existem quando o poder executivo goza da faculdade de levar um país a guerras em favor de intenções secretas por trás de histórias de fachada que são óbvias mentiras.
It is just as important to ask these same questions about the agenda of the US police state. Why have Bush and Obama removed the protection of law as a shield of the people and turned law into a weapon in the hands of the executive branch? How are Americans made safer by the overthrow of their civil liberties? Indefinite detention and execution without due process of law are the hallmarks of the tyrannical state. They are terrorism, not a protection against terrorism. Why is every communication of every American and apparently the communications of most other people in the world, including Washington’s most trusted European allies, subject to being intercepted and stored in a gigantic police state database? How does this protect Americans from terrorists?
É igualmente importante fazer essas mesmas perguntas acerca das intenções ocultas do estado policial dos Estados Unidos. Por que Bush e Obama removeram a proteção da lei como escudo do povo e tornaram a lei numa arma nas mãos do poder executivo? Como é que os estadunidenses ficam mais protegidos por meio da derrubada de suas liberdades civis? Detenção por tempo indefinido e execução sem o processo legal devido são a chancela do estado tirânico. São terrorismo, não proteção contra terrorismo. Por que toda comunicação de todo estadunidense, e aparentemente a comunicação de muitas outras pessoas no mundo, inclusive dos mais fidedignos aliados europeus de Washington, fica sujeita a ser interceptada e armazenada numa gigantesca base de dados do estado policial? Como é que isso protege os estadunidenses dos terroristas?
Why is it necessary for Washington to attack the freedom of the press and speech, to run roughshod over the legislation that protects whistleblowers such as Bradley Manning and Edward Snowden, to criminalize dissent and protests, and to threaten journalists such as Julian Assange, Glenn Greenwald, and Fox News reporter James Rosen? http://www.nytimes.com/2013/05/22/opinion/another-chilling-leak-investigation.html?_r=0
Por que é necessário Washington atacar a liberdde de imprensa e expressão, tripudiar sobre a legislação que protege denunciantes tais como Bradley Manning e Edward Snowden, criminar dissidentes e protestos, e ameaçar jornalistas tais como Julian Assange, Glenn Greenwald, e o repórter da Fox News James Rosen? http://www.nytimes.com/2013/05/22/opinion/another-chilling-leak-investigation.html?_r=0
How does keeping citizens ignorant of their government’s crimes make citizens safe from terrorists?
De que modo manter cidadãos ignorantes dos crimes de seu governo leva os cidadãos a ficarem livres de terroristas?
These persecutions of truth-tellers have nothing whatsoever to do with “national security” and “keeping Americans safe from terrorists.” The only purpose of these persecutions is to protect the executive branch from having its crimes revealed. Some of Washington’s crimes are so horrendous that the International Criminal Court would issue a death sentence if those guilty could be brought to trial. A government that will destroy the constitutional protections of free speech and a free press in order to prevent its criminal actions from being disclosed is a tyrannical government.
Essas perseguições a contadores da verdade não têm coisa nenhuma a ver com “segurança nacional” e “manter os estadunidenses a salvo de terroristas.” O único objetivo dessas perseguições é proteger o poder executivo de ter seus crimes revelados. Alguns dos crimes de Washington são tão horrendos que o Tribunal Criminal Internacional emitiria sentença de morte se os culpados fossem levados a julgamento. Governo que destrua as proteções proteções constitucionais de livre expressão e livre imprensa para impedir que suas ações sejam reveladas é governo tirânico.
One hesitates to ask these questions and to make even the most obvious remarks out of fear not only of being put on a watch list and framed on some charge or the other, but also out of fear that such questions might provoke a false flag attack that could be used to justify the police state that has been put in place.
Todo mundo hesita em fazer tais perguntas e em fazer até mesmo as mais óbvias observações por temor não apenas de ser posto numa lista de suspeitos e cair numa armação que o acuse disto ou daquilo, mas também por temor de que tais perguntas possam provocar um ataque falsamente atribuído a outrem que possa ser usado para justificar o estado policial instaurado.
Perhaps that was what the Boston Marathon Bombing was. Evidence of the two brothers’ guilt has taken backseat to the government’s claims. There is nothing new about government frame-ups of patsies. What is new and unprecedented is the lockdown of Boston and its suburbs, the appearance of 10,000 heavily armed troops and tanks to patrol the streets and search without warrants the homes of citizens, all in the name of protecting the public from one wounded 19 year old kid.
Talvez a Bomba da Maratona de Boston tenha sido coisa da espécie. Evidência contrária à condição de culpados dos dois irmãos foi preterida em favor das afirmações do governo. Nada houve de novo quanto a o governo armar para otários. O novo e sem precedentes foi o isolamento de Boston e de seus subúrbios, o aparecimento de 10.000 soldados fortemente armados e tanques para patrulhar as ruas e dar busca sem mandado nas residências dos cidadãos, tudo em nome de proteger o público de um rapazote ferido de 19 anos de idade.
Not only has nothing like this ever before happened in the US, but also it could not have been organized on the spur of the moment. It had to have been already in place waiting for the event. This was a trial run for what is to come.
Não apenas nada parecido com isso havia jamais acontecido nos Estados Unidos, mas também isso não poderia ter sido organizado sem planejamento prévio. Tudo já tinha que ter sido aprontado à espera do evento. Foi um teste de funcionamento para o que virá.
Unaware Americans, especially gullible “law and order conservatives,” have no idea about the militarization of even their local police. I have watched local police forces train at gun clubs. The police are taught to shoot first not once but many times, to protect their lives first at all costs, and not to risk their lives by asking questions. This is why the 13-year old kid with the toy rifle was shot to pieces. Questioning would have revealed that it was a toy gun, but questioning the “suspect” might have endangered the precious police who are trained to take no risks whatsoever.
Estadunidenses alienados, especialmente crédulos “conservadores da lei e da ordem,” não se fazem ideia da militarização sequer de sua polícia local. Já vi forças de polícia local treinando em clubes de tiro. Os policiais são ensinados a atirar primeiro não uma vez, mas muitas vezes, para proteger suas vidas em primeiro lugar e a todo custo, e a não arriscar a própria vida fazendo perguntas. Foi por isso que o garoto de 13 anos de idade com o rifle de brinquedo foi reduzido a pedaços a tiros. Perguntas teriam revelado tratar-se de arma de brinquedo, mas fazer perguntas ao “suspeito” poderia ter colocado em risco a preciosa polícia treinada para não assumir qualquer risco que seja.
The police operate according to Obama’s presidential kill power: murder first then create a case against the victim.
A polícia atua de acordo com o poder de matar presidencial de Obama: mate primeiro e depois crie uma ação legal contra a vítima.
In other words, dear American citizen, you life is worth nothing, but the police whom you pay, are not only unaccountable but also their lives are invaluable. If you get killed in their line of duty, it is no big deal. But don’t you injure a police goon thug in an act of self-defense. I mean, who do you think you are, some kind of mythical free American with rights?
Em outras palavras, prezado cidadão estadunidense, sua vida não vale nada, mas a polícia que você paga não apenas não presta contas como é integrada por policiais cuja vida tem valor inestimável. Se você for morto por policial em serviço, isso não nada de mais. Não fira, porém, um valentão violento da polícia em ato de autodefesa. Quero dizer, quem você acha que é, alguma espécie de estadunidense mítico livre que goza de direitos?
Further reading:
Leituras adicionais:
About Dr. Paul Craig Roberts
Acerca do Dr. Paul Craig Roberts
Paul Craig Roberts was Assistant Secretary of the Treasury for Economic Policy and associate editor of the Wall Street Journal. He was columnist for Business Week, Scripps Howard News Service, and Creators Syndicate. He has had many university appointments. His internet columns have attracted a worldwide following. His latest book, The Failure of Laissez Faire Capitalism and Economic Dissolution of the West is now available.
Paul Craig Roberts foi Secretário Assistente do Tesouro para Política Econômica e editor associado do Wall Street Journal. Foi colunista da Business Week, do Scripps Howard News Service, e do Creators Syndicate. Ocupou muitos cargos em universidades. Suas colunas na internet têm atraído leitores do mundo inteiro. Seu livro mais recente, O Fracasso do Capitalismo de Laissez Faire e a Dissolução Econômica do Ocidente está agora disponível.

No comments:

Post a Comment