Monday, September 23, 2013

FFF - Yawn! Another Debt-Ceiling “Crisis”



ENGLISH
PORTUGUÊS
The Future of Freedom Foundation
A Fundação Futuro de Liberdade
Hornberger’s Blog
O Blog de Hornberger
Yawn! Another Debt-Ceiling “Crisis”

Que Tédio! Outra “Crise” de Teto da Dívida
September 20, 2013
20 de setembro de 2013
By now, everyone knows the script on the great debt-ceiling “crisis” that befalls us every two or three years. It happens like clockwork.
A esta altura, todo mundo conhece o roteiro da grande “crise” de teto da dívida que nos acomete cada dois ou três anos. Acontece com regularidade de relógio.
First, the Republicans say that they’re not going to vote to lift the ceiling unless their demands are met. This time the demand is a repeal of Obamacare(*).
Primeiro, os Republicanos dizem que não votarão para elevar o teto a menos que suas exigências sejam atendidas. Desta vez a exigência é rejeição do Obamacare(*).
(*)TN
Obamacare - An informal term for the Patient Protection and Affordable Care Act and the Health Care and Education Reconciliation Act of 2010. The two bills changed how health insurance functions in the United States. Among other provisions, Obamacare expanded eligibility of Medicaid and required most Americans to purchase health insurance. It also set up exchanges in the several states so insurers could compete with each other to provide the most cost effectiveness for consumers. It provided subsidies for health insurance premiums. Proponents argue Obamacare makes health insurance more affordable, while critics contend it is too expensive and constitutes excessive government interference in the U.S. economy. The legislation is named for U.S. President Barack Obama, who promoted it.

Farlex Financial Dictionary. © 2012 Farlex, Inc. All Rights Reserved
(*) N.doT
Obamacare - Termo informal para a Lei de Proteção do e Cuidados Acessíveis ao Paciente e para a Lei de Conciliação de Cuidados de Saúde e Educação de 2010. Esses dois projetos de lei modificaram como o seguro de saúde funciona nos Estados Unidos. Entre outras disposições, o Obamacare expandiu acesso ao programa de cuidados de saúde para carentes - Medicaid e exigiu que a maioria dos estadunidenses pague seguro de saúde. Também estabeleceu migrações de planos nos diversos estados tais que as seguradoras possam competir entre si para oferecer a melhor relação custo-eficácia em prêmios de seguros de saúde. Os proponentes argumentam que o Obamacare torna o seguro de saúde mais acessível, enquanto os críticos contra-argumentam que ele é excessivamente dispendioso e constitui interferência excessiva do governo na economia dos Estados Unidos. Essa legislação recebeu seu nome advindo do Presidente dos Estados Unidos Barack Obama, que a promoveu. Farlex Financial Dictionary. © 2012 Farlex, Inc. Todos os Direitos Reservados
Second, the mainstream press goes on the offensive, attacking the Republicans for their reckless, dangerous, irresponsible conduct. If the Republicans don’t give in, the editorials and op-eds exclaim, the government will have to shut down, causing the United States to fall into an economic crisis that would be a thousand times worse than the Great Depression.
Segundo, a imprensa majoritária vai para a ofensiva, atacando os Republicanos por causa da conduta inconsequente, perigosa e irresponsável deles. Se os Republicanos não cederem, exclamam os editoriais e artigos de fundo, o governo terá de fechar as portas, levando os Estados Unidos a despencarem em crise econômica a qual será mil vezes pior do que a Grande Depressão.
Third, the Republicans give in and vote to lift the debt ceiling. Statists go out and celebrate, knowing that they’ve bought another two or three years of out-of-control spending and debt for their favorite welfare-warfare state programs.
Terceiro, os Republicanos cedem e votam pela elevação do teto da dívida. Os estatistas saem a comemorar, cientes de terem comprado mais dois ou três anos de gastos fora de controle e de dívida para seus programas favoritos do estado assistencialista-beligerante.
Actually, the best thing that could ever happen to the American people is for the debt ceiling not to be lifted.
Em realidade, a melhor coisa que poderia ter acontecido ao povo estadunidense teria sido o teto da dívida não ter sido elevado.
What is the debt ceiling? It is an acknowledgement by federal officials that too much government debt is a bad thing, even a dangerous thing for society. It is a declaration by the Congress itself, and ratified by the president, that says: “This is the total amount of debt that the federal government will be permitted to incur. It will not be permitted to incur any debt on top of that.”
O que é o teto da dívida? É o reconhecimento, pelas autoridades federais, de que dívida excessiva do governo é algo ruim, algo até perigoso para a sociedade. É declaração, pelo próprio Congresso, e ratificada pelo presidente, a qual diz: “Este é o montante total de dívida no qual permitido ao governo federal incorrer. Não 
terá permissão para incorrer em qualquer dívida adicional.”
Greece is an example of why Congress has imposed a maximum amount of debt that the federal government is permitted to incur. In that country, there wasn’t a debt ceiling. The government borrowed and borrowed and borrowed, each time adding to the total amount of debt that the government owed. The situation finally got to the point where the government lacked the tax revenues to cover all its expenses, including interest on the accumulated debt. It was bankrupt, much as some American cities are.
A Grécia é exemplo de por que o Congresso tem imposto montante máximo de dívida na qual permitido ao governo incorrer. Naquele país não havia teto para a dívida. O governo tomou cada vez mais empréstimos, cada empréstimo acrescentando-se ao montante total da dívida do governo. A situação finalmente chegou a ponto no qual o governo não tinha receita tributária para cobrir todas as suas despesas, inclusive juros sobre a dívida acumulada. Estava falido, de modo muito semelhante a algumas cidades estadunidenses que estão falidas.
It’s not difficult to understand the problem. The federal government spends more than it collects in taxes — much more — about $1 trillion more per year than it receives in taxes.
Não é difícil entender esse problema. O governo federal gasta mais do que coleta em impostos — muito mais — cerca de $1 trilião de dólares mais, por ano, do que recebe de impostos.
How does it spend more than it receives? It borrows the difference. Each time it borrows that $1 trillion, that’s another trillion dollars added to the total amount of debt owed by the government. So, each year a trillion dollars, more or less, is being added to the total amount of the debt owed by the government.
Como gasta ele mais do que recebe? Toma emprestada a diferença. Cada vez que toma emprestado aquele $1 trilião de dólares, é outro trilião de dólares acrescentado ao montante total da dívida do governo. Assim, pois, cada ano um trilião de dólares, mais ou menos, está sendo acrescentado ao montante total da dívida do governo.
Who is responsible for repaying all that debt? Technically the government is. But don’t forget where the government gets its money — from taxpayers. Ultimately, the American taxpayers are on the hook for repayment of the massive debt that the feds are accumulating.
Quem é responsável por saldar toda essa dívida? Tecnicamente, o governo. Não nos esqueçamos, porém, de de onde o governo obtém seu dinheiro — dos contribuintes. No final, os contribuintes estadunidenses são responsáveis por saldar a enorme dívida que os federais estão acumulando.
And make no mistake about it: In a severe financial crisis, the feds will stop at nothing to collect the money necessary to repay that debt. When Argentina was faced with such a crisis, the government confiscated people’s retirement accounts.
E não nos equivoquemos quanto ao seguinte: Numa crise financeira severa, os federais serão inflexíveis na cobrança do dinheiro necessário para saldar aquela dívida. Quando a Argentina enfrentou crise da espécie, o governo confiscou os planos de aposentadoria das pessoas.
So, what happens if the debt ceiling isn’t lifted? That means the government can’t borrow any more money. It has to live within its means — i.e. with the taxes that are coming in. That means, obviously, it has to slash spending to the point where expenses equal revenues. No more borrowing.
Portanto, o que acontecerá se o teto da dívida não for elevado? Isso significará que o governo não poderá tomar emprestado nenhum dinheiro adicional. Terá de viver dentro de seus meios — isto é, valendo-se da receita de impostos. Isso significará, obviamente, que terá de cortar gastos até o ponto em que as despesas sejam iguais à receita. Nada de mais tomada de empréstimo.
What’s wrong with that? That’s what’s called a balanced budget.
O que haveria de errado nisso? Isso é o que é chamado de orçamento equilibrado.
The statists, especially those in the mainstream press, have a conniption fit over such a scenario. They can’t imagine life in which the federal government isn’t on a massive spending and borrowing scheme. They make two claims: that the government will have to shut down and that there will be a default on the debt.
Os estatistas, especialmente aqueles na imprensa majoritária, têm acessos de histeria em relação a tal cenário. Não conseguem imaginar vida na qual o governo federal não esteja imerso em esquema de enorme gasto e tomada de empréstimos. Declaram duas coisas: que o governo terá de fechar as portas e que haverá calote da dívida.
But neither scenario is necessarily true. After all, the government has choices on where to apply the tax revenues it is receiving. It could apply them to the debt. It could also shut down welfare-warfare state departments and agencies. It could end the drug war. It could shut down foreign imperial military bases and bring back U.S. troops from faraway lands and discharge them into the private sector. It could shut down all sorts of unnecessary things while continuing to operate.
Nenhuma dessas alternativas, contudo, é necessariamente verdadeira. Afinal de contas, o governo tem opções quanto a onde aplicar a receita tributária que coleta. Poderia utilizá-la para saldar a dívida. Poderia também fechar departamentos e órgãos do estado assistencialista-beligerante. Poderia acabar com a guerra às drogas. Poderia fechar bases militares imperiais no exterior e trazer de volta soldados estadunidenses de terras longínquas, canalizando-os para o setor privado. Poderia fechar toda sorte de coisas desnecessárias sem parar de funcionar.
Obviously, it’s not an ideal situation from a libertarian perspective because it leaves a lot of illegitimate functions of the federal government in operation. But from a fiscal-responsibility standpoint, it’s the best thing that could ever happen.
Obviamente, de perspectiva libertária, não seria situação ideal, porque muitas funções ilegítimas do governo continuariam funcionando. De ponto de vista de responsabilidade fiscal, contudo, seria a melhor coisa que poderia acontecer.
But even a reduction in size of the welfare-warfare state terrifies the statists. They would rather America go under instead, which is why they continue to advocate for the lifting of the debt ceiling and the continuation of the federal government’s out-of-control spending and borrowing binge.
Acontece que mesmo mera redução do porte do estado assistencialista-beligerante faz suar frio os estatistas. Eles preferem que os Estados Unidos quebrem, e eis porque continuam a defender a elevação do teto da dívida e a continuação dos gastos fora de controle e da orgia de empréstimos do governo federal.
P.S. The debate over national service at Cato Unbound, in which I am participating, is heating up. Click here and scroll down to “The Conversation.”
P.S. O debate a propósito de serviço militar obrigatório em nível nacional, em Cato Unbound, do qual estou participando, está esquentando. Clique aqui e desça até “The Conversation.”
This post was written by: Jacob G. Hornberger
Jacob G. Hornberger is founder and president of The Future of Freedom Foundation. He was born and raised in Laredo, Texas, and received his B.A. in economics from Virginia Military Institute and his law degree from the University of Texas. He was a trial attorney for twelve years in Texas. He also was an adjunct professor at the University of Dallas, where he taught law and economics. In 1987, Mr. Hornberger left the practice of law to become director of programs at the Foundation for Economic Education. He has advanced freedom and free markets on talk-radio stations all across the country as well as on Fox News’ Neil Cavuto and Greta van Susteren shows and he appeared as a regular commentator on Judge Andrew Napolitano’s show Freedom Watch. View these interviews at LewRockwell.com and from Full Context. Send him email.
Esta afixação é de autoria de: Jacob G. Hornberger
Jacob G. Hornberger é fundador e presidente da Fundação Futuro de Liberdade. Nasceu e foi criado em Laredo, Texas, e recebeu seu grau de Bacharel em Artes em economia do Instituto Militar da Virgínia e seu grau em leis da Universidade do Texas. Foi advogado atuante durante doze anos no Texas. Foi também professor adjunto na Universidade de Dallas, onde lecionou direito e economia. Em 1987, o Sr. Hornberger deixou a prática jurídica para tornar-se diretor de programas na Fundação de Educação Econômica. Tem promovido liberdade e livres mercados em estações de rádio com participação da audiência em todo o país, bem como nos programas da Fox News de Neil Cavuto e Greta van Susteren, e participou como comentador regular do programa do Juiz Andrew Napolitano Observatório da Liberdade. Veja essas entrevistas em LewRockwell.com e a partir de Full Context. Envie-lhe email.


No comments:

Post a Comment