Friday, August 30, 2013

C4SS - A Real and Lasting Peace



ENGLISH
PORTUGUÊS
Center for a Stateless Society
Centro por uma Sociedade sem Estado
A Left Market Anarchist Think Tank and Media Center
Centro de Políticas e de Mídia Esquerdista Anarquista de Mercado
Commentary
Comentário
A Real and Lasting Peace
Paz Real e Duradoura
Grant Mincy | August 28th, 2013
Grant Mincy | 28 de agosto de 2013
Seems as if supplying Syrian rebels with arms just isn’t enough. The US government and its Western allies are about to unleash direct military force in the small Middle Eastern country. We have heard the drumbeat of war for a long time – now as early as Thursday bombs may start falling on Syria.
Parece que apenas fornecer armas aos rebeldes sírios não basta. O governo dos Estados Unidos e seus aliados ocidentais estão prestes a empregar força militar direta naquele pequeno país do Oriente Médio. Já vimos ouvindo os tambores de guerra há longo tempo – e agora tão cedo quanto na quinta-feira bombas poderão a começar a cair sobre a Síria.
Instead of regime change, we are told, US military forces just seek to “send a strong message” to Syrian president Bashar al-Assad to stop (apparently) using chemical weapons. A humble, non-interventionist, foreign policy is no good — to be humanitarian we must bomb other populations. This rhetoric is championed by a number of war hawks on the Republican side of Congress as well, namely John McCain, Lindsey Graham and US Senator Bob Corker.
Em vez de mudança de regime, é-nos dito, as forças militares dos Estados Unidos procuram apenas “enviar forte mensagem” ao presidente sírio Bashar al-Assad para que pare (aparentemente) de usar armas químicas. Nada de política externa humilde e não intervencionista — para sermos humanitários precisamos bombardear outras populações. Essa retórica é liderada por diversos falcões da guerra também do lado Republicano do Congresso, especificamente John McCain, Lindsey Graham e o Senador dos Estados Unidos Bob Corker.
What’s under-reported in the US media, however, and what is likewise being pushed under the rug by US officials, is how other nation-states are responding to the news. The United States along with Britain and France have been warned by Russia (which supplied arms to the Syrian government, not the Western-backed rebels, mind you) and China (which has stated that the US is just rushing to conclusions again, citing no evidence of chemical weapon use) that more military interventionism in the Middle East will have catastrophic consequences for the region, is unnecessary and will harden relations among the economic powers.
Mal-informado na mídia dos Estados Unidos, entretanto, e também empurrado para baixo do tapete pelas autoridades dos Estados Unidos, é como outras nações-estados estão reagindo às notícias. Os Estados Unidos, juntamente com Grã-Bretanha e França, foram advertidos pela Rússia (que forneceu armas ao governo sírio, não aos rebeldes apoiados pelo Ocidente, vejam bem) e pela China (a qual declarou que os Estados Unidos estão apenas precipitando-se, de novo, em tirar conclusões, sem citar evidência de uso de armas químicas) que mais intervencionismo militar no Oriente Médio terá consequências catastróficas para a região, é desnecessário, e endurecerá as relações entre as potências econômicas.
They may very well be right. Iranian officials have responded to increasing war rhetoric by stating that Israel will be attacked with the full force of the Syrian military and with full support of the Iranian government (and possibly Russia) if the West intervenes.
Bem poderão estar certas. Autoridades iranianas já reagiram mediante aumentar a retórica de guerra declarando que Israel será atacado com força plena da instituição militar síria e apoio pleno do governo iraniano (e possivelmente da Rússia) se o Ocidente intervier.
What is unfolding before our eyes is how states relate to one another. Economic powers such as the United States, Britain and France are facing off against other nation states with growing power and influence in the world: Russia and China. The Middle East has long been under occupation and coercion from hegemonic western foreign policy — now Russia and China want to increase their influence in the region now too. It is all coming to a head.
O que se está desdobrando diante de nossos olhos é como os estados se relacionam uns com os outros. Potências econômicas como Estados Unidos, Grã-Bretanha e França estão tomando atitude de confronto em relação a outras nações-estados com poder e influência crescentes no mundo: Rússia e China. O Oriente Médio tem estado, desde há muito, sob ocupação e coerção da política externa hegemônica ocidental — agora Rússia e China também desejam aumentar sua influência na região. Tudo caminha para crise.
The modern era is one of total war. Technological supremacy has created weapons capable of total destruction. Though advanced states are not involved in military war with one another, there is absolutely a changing of the guard occurring. Direct conflict among powerful nation states is not necessary — that is what third world nations are for. Power is shifting away from the west. Nation building has failed and of course it would — nation-building is a central policy of state and not conducive of spontaneous liberated markets. The West, as any state, does not want to cede any power. So it is marching into a direct confrontation with rising powers at the expense of us all. Eastern states also crave power because all states do. We should absolutely be weary that these powers will stop at nothing to become as omnipotent as possible. States place hegemony over survival.
A era moderna é de guerra total. A supremacia tecnológica criou armamentos capazes de destruição total. Embora os estados adiantados não estejam militarmente envolvidos em guerra uns com os outros, há obviamente mudança de guarda ocorrendo. Não é indispensável conflito direto entre poderosos estados-nações — para isso existem as nações do terceiro mundo. O poder está escapando do ocidente. A instituição da nação fracassou e é óbvio que teria de fracassar — a instituição da nação é uma política central do estado, e não conducente a mercados libertos espontâneos. O Ocidente, como qualquer estado, não deseja ceder qualquer poder. Em decorrência, está caminhando para confronto direto com potências em ascensão a expensas de todos nós. Os estados do Leste também desejam ardentemente o poder, porque todos os estados o desejam. Deve estar bem claro para nós que essas potências não se deterão diante de nada em sua marcha para tornarem-se tão onipotentes quanto possível. Estados colocam hegemonia acima de sobrevivência.
As a human being I dissent. I dissent because states have failed. Their failure has resulted in the murders of countless members of our human family. States are unnatural. They are centralized institutions of force and violence. States ignore the fundamental aspects of co-operation seen in the anarchic, spontaneous, symbiotic work of human beings and all of nature. I dissent because I must. As the 20th century witnessed the rise of the wartime state, the 21st will surely see its dismantling. The creative labor of human beings will build markets, mutual aid, relief, decent societies and finally peace. We can and will build a real and lasting peace that will make life on Earth worth living — a peace for every child of humanity.
Como ser humano, discordo. Discordo porque os estados fracassaram. O fracasso deles resultou no assassínio de incontáveis membros de nossa família humana. Estados são coisa não natural. São instituições centralizadas de força e violência. Os estados ignoram os aspectos fundamentais de cooperação vistos no trabalho anárquico, espontâneo e simbiótico dos seres humanos e de toda a natureza. Discordo porque tenho de fazê-lo. Assim como o século 20 testemunhou a ascensão do estado de tempo de guerra, o século 21 seguramente assistirá a seu desmantelamento. O trabalho criativo dos seres humanos construirá mercados, ajuda mútua, assistência, sociedades decentes e finalmente paz. Podemos construir e construiremos paz real e duradoura que tornará a vida na Terra digna de ser vivida — paz para cada filho da humanidade.
The greatest moment in human civilization is within our grasp. It is time to reach out and attain liberty.
O mais excelente momento de nossa civilização humana está a nosso alcance. É hora de estirar-nos e atingirmos emancipação.


No comments:

Post a Comment