Wednesday, August 28, 2013

C4SS - Chelsea Manning’s Letter To President Obama Requesting Pardon



ENGLISH
PORTUGUÊS
Center for a Stateless Society
Centro por uma Sociedade sem Estado
A Left Market Anarchist Think Tank and Media Center
Centro de Políticas e de Mídia Esquerdista Anarquista de Mercado
Stigmergy - C4SS Blog
Estigmergia - Blog do C4SS
Chelsea Manning’s Letter To President Obama Requesting Pardon
Carta de Chelsea Manning Ao Presidente Obama Solicitando Perdão
James Tuttle | August 24th, 2013
James Tuttle | 24 de agosto de 2013
The decisions that I made in 2010 were made out of a concern for my country and the world that we live in. Since the tragic events of 9/11, our country has been at war. We’ve been at war with an enemy that chooses not to meet us on any traditional battlefield, and due to this fact we’ve had to alter our methods of combating the risks posed to us and our way of life.
As decisões que tomei em 2010 nasceram de preocupação com meu país e com o mundo no qual vivemos. Desde os trágicos eventos do 11/9, nosso país está em guerra. Estamos em guerra com um inimigo que opta por não enfrentar-nos em qualquer campo de batalha tradicional, e devido a esse fato tivemos de alterar nossos métodos de combater os riscos com que nós próprios e nosso modo de vida se defrontam.
I initially agreed with these methods and chose to volunteer to help defend my country. It was not until I was in Iraq and reading secret military reports on a daily basis that I started to question the morality of what we were doing. It was at this time I realized that (in) our efforts to meet the risk posed to us by the enemy, we have forgotten our humanity. We consciously elected to devalue human life both in Iraq and Afghanistan. When we engaged those that we perceived were the enemy, we sometimes killed innocent civilians. Whenever we killed innocent civilians, instead of accepting responsibility for our conduct, we elected to hide behind the veil of national security and classified information in order to avoid any public accountability.
Inicialmente concordei com esses métodos e optei por oferecer-me para ajudar a defender meu país. Só depois de encontrar-me no Iraque e ler relatórios militares secretos diariamente comecei a questionar a moralidade do que estávamos fazendo. Foi então que entendi que (em) nossos esforços para contrapor-nos ao risco colocado diante de nós pelo inimigo havíamos esquecido nossa humanidade. Conscientemente elegemos desvalorizar a vida humana tanto no Iraque quanto no Afeganistão. Ao combatermos aqueles que víamos como sendo o inimigo, por vezes matamos civis inocentes. Sempre que matamos civis inocentes, em vez de aceitarmos responsabilidade por nossa conduta, optamos por esconder-nos atrás do véu da segurança nacional e das informações secretas a fim de evadir-nos de qualquer prestação pública de contas.
In our zeal to kill the enemy, we internally debated the definition of torture. We held individuals at Guantanamo for years without due process. We inexplicably turned a blind eye to torture and executions by the Iraqi government. And we stomached countless other acts in the name of our war on terror.
Em nosso zelo em matar o inimigo, debatemos internamente a definição de tortura. Mantivemos pessoas presas em Guantanamo por anos sem o processo devido. Inexplicavelmente fizemos vista grossa para tortura e execuções praticadas pelo governo iraquiano. E engolimos incontáveis outros atos em nome de nossa guerra ao terror.
Patriotism is often the cry extolled when morally questionable acts are advocated by those in power. When these cries of patriotism drown out any logically based dissension, it is usually the American soldier that is given the order to carry out some ill-conceived mission.
O patriotismo é amiúde o grito exaltado quando atos moralmente questionáveis são defendidos pelos que estão no poder. Quando esses gritos de patriotismo sufocam qualquer dissidência logicamente alicerçada, é usualmente ao soldado estadunidense que é dada ordem de levar a efeito alguma missão mal concebida.
Our nation has had similar dark moments for the virtues of democracy — the Trail of Tears, the Dred Scott decision, McCarthyism, and the Japanese-American internment camps — to mention a few. I am confident that many of the actions since 9/11 will one day be viewed in a similar light.
Nossa nação já teve momentos similares tenebrosos para as virtudes da democracia — a Trilha das Lágrimas, a decisão Dred Scott, o McCarthyismo, e os campos de internação de estadunidenses de origem japonesa — para mencionar uns poucos. Estou confiante em que muitas das ações desde o 11/9 serão um dia vistas de modo semelhante.
As the late Howard Zinn once said, “There is not a flag large enough to cover the shame of killing innocent people.”
Como disse uma vez o falecido Howard Zinn, “Não há bandeira grande o bastante para cobrir a vergonha de matar pessoas inocentes.”
I understand that my actions violated the law; I regret if my actions hurt anyone or harmed the United States. It was never my intent to hurt anyone. I only wanted to help people. When I chose to disclose classified information, I did so out of a love for my country and a sense of duty to others.
Entendo que minhas ações violaram a lei; sinto muito se minhas ações magoaram alguém ou causaram dano aos Estados Unidos. Nunca foi minha intenção ferir ninguém. Só quis ajudar pessoas. Quando optei por revelar informações secretas, fi-lo por amor a meu país e sentimento de dever em relação a outras pessoas.
If you deny my request for a pardon, I will serve my time knowing that sometimes you have to pay a heavy price to live in a free society. I will gladly pay that price if it means we could have a country that is truly conceived in liberty and dedicated to the proposition that all women and men are created equal.”
Se você denegar minha solicitação de perdão, cumprirei minha pena sabendo que por vezes temos de pagar alto preço para viver numa sociedade livre. Pagarei de bom grado esse preço se isso significar que poderíamos ter um país verdadeiramente concebido em liberdade e dedicado à proposição de que todas as mulheres e homens são criados iguais.”

No comments:

Post a Comment