Wednesday, May 15, 2013

C4SS - U.S. Government vs. DEFCAD: You Can’t Fix Stupid


ENGLISH
PORTUGUÊS
Center for a Stateless Society
Centro por uma Sociedade sem Estado
A Left Market Anarchist Think Tank and Media Center
Centro de Políticas e de Mídia Esquerdista Anaquista de Mercado
U.S. Government vs. DEFCAD: You Can’t Fix Stupid
Governo dos Estados Unidos versus DEFCAD: É Impossível Consertar a Estupidez
May 12th, 2013
12 de maio de 2013
There’s nothing quite so funny as the sight of the authoritarian functionaries of a dying order trying to suppress a revolution they don’t understand — and failing miserably.
Não há nada tão engraçado como a visão dos funcionários autoritários de uma ordem fenecente tentando reprimir uma revolução que não entendem — e fracassando miseravelmente.
The State Department’s attempt to censor 3-D printable gun files from DEFCAD is the latest — and one of the most gut-bustingly hilarious — attempts by the Lords of Scarcity to wrap their minds around the revolution of Abundance that threatens their power. Less than a day after DEFCAD was forced to remove them, the files appeared on The Pirate Bay and Mega. The latter is especially funny; Kim Dotcom is probably laughing himself silly over it.
A tentativa do Departamento de Estado de censurar arquivos imprimíveis de armas de fogo em 3-D do DEFCAD é a mais recente — e uma das mais divertidamente hilariantes — tentativa dos Senhores da Escassez de tentarem entender a revolução da Abundância que ameaça o poder deles. Menos de um dia depois de o DEFCAD ser forçado a removê-los, os arquivos apareceram em A Baía dos Piratas e Mega. Este último caso é especialmente engraçado; Kim Dotcom está provavelmente morrendo de rir a respeito.
Anyone who’s ever heard of the Streisand Effect could have told you this would happen. Attempting to suppress information on the Internet just draws more attention to the original information — which remains readily available — as well as embarrassing the would-be suppressor as the attempt at suppression becomes a story in its own right. I lost count of the number of people yesterday who said they’d never heard of Cody Wilson or 3-D printable guns until the story of the State Department’s action came out, but intended to go to TPB and check it out. Thanks to the U.S. government’s inadvertent promotional efforts, probably a hundred or a thousand times more people know where to get Cody Wilson’s printable gun files than did before.
Qualquer pessoa que já tenha ouvido falar do Efeito Streisand poderá ter contado a você que isso aconteceria. Tentar suprimir informação na Internet só faz chamar mais a atenção para a informação original — que permanece facilmente disponível — e outrossim deixar constrangido o pretenso supressor na medida em que a tentativa de supressão torna-se, em si, uma narrativa. Já perdi a conta do número de pessoas, ontem, que disse nunca ter ouvido de Cody Wilson ou de armas de fogo imprimíveis em 3-D antes da história da ação do Departamento de Estado tornar-se conhecida, mas pretendia ir à Baía dos Piratas - TPB e verificar. Graças aos não pretendidos esforços promocionais do governo dos Estados Unidos, provavelmente cem ou mil vezes mais pessoas sabem onde obter os arquivos imprimíveis de armas de fogo de Cody Wilson, em comparação com antes.
But the clowns who congratulated themselves a couple days ago over shutting down those printable gun files aren’t exactly the sort of people you’d expect to have heard of the Streisand Effect — obviously. They’re the straight men in this piece, just performing for our amusement. They’re like the Society Matron who walks into the dining hall in a Three Stooges short and demands “What is the meaning of this?!!” To them the Internet is just a big Series of Tubes, and all they have to do is shut off a valve somewhere to control the flow of information. Only the Internet doesn’t work that way. In the memorable phrasing of John Gilmore, it treats censorship as damage and routes around it.
Nada obstante, os bocós que se congratularam há poucos dias a propósito de tirar do ar aqueles arquivos de armas de fogo imprimíveis não são exatamente o tipo de pessoa que você suporia ter ouvido falar do Efeito Streisand — obviamente. São como o parceiro do comediante que recita as frases que dão ao comediante a oportunidade de fazer piadas nessa peça, atuando só para nosso divertimento. São como a Matrona da Sociedade que entra no salão de jantar num curta dos Três Patetas e demanda: “Qual é o significado disto?!!” Para eles, a Internet é apenas uma grande Série de Tubos, e tudo o que eles têm a fazer é fechar uma válvula em algum lugar para controlar o fluxo de informação. Acontece apenas que a Internet não funciona assim. Na memorável frase de John Gilmore, ela trata a censura como estrago e a contorna.
Remember Joe Biden’s quip about “theft” of “intellectual property” being no different from a “smash-and-grab at Macy’s”? The U.S. government’s approach to DEFCAD illustrates the same fundamental misconception. It treats infinitely replicable digital information as if it were a finite, excludable good existing in one physical location, that one can exert physical control or possession over just like a shoe or a chair.
Lembram-se do gracejo de Joe Biden acerca de “furto” de “propriedade intelectual” não ser diferente de “assalto-relâmpago na Macy’s”? A abordagem do governo dos Estados Unidos em relação ao DEFCAD ilustra a mesma fundamental concepção equivocada. Trata informação digital infinitamente replicável como se fosse bem finito e excluível existindo numa localização física, sobre a qual alguém pode exercer controle ou posse física do mesmo modo que se fosse apenas um sapato ou uma cadeira.
Their legal rationale — export control legislation — displays the same conceptual failure. They couldn’t quite grasp that the “goods” that DEFCAD was “exporting” arrived in their destination ports around the world the second the files were uploaded to the website.
A lógica jurídica deles — legislação de controle da exportação — exibe o mesmo fracasso conceptual. Eles não conseguem entender que os “bens” que o DEFCAD estava “exportando” chegavam a seus portos de destino em todo o mundo no mesmo segundo durante o qual era feito o upload dos arquivos para o website.
A digital file can be replicated infinitely at near-zero marginal cost; the same pattern of information can exist in an unlimited number of places simultaneously. See? I just did that with the copy-and-paste function of my browser. Try doing that with jewelry from Macy’s. You can’t “steal” a digital song or movie — the act of replication doesn’t affect the copies already in others’ possession, but only increases the number of copies in the world. That’s why copying is not theft. Likewise, you can’t deny the world access to information by removing the copy from one website.
Um arquivo digital pode ser replicado infinitamente com custo marginal próximo de zero; o mesmo padrão de informação pode existir num número ilimitado de lugares simultaneamente. Vê só? Acabo de fazer isso com a função copiar-colar de meu browser. Tente fazer o mesmo com a joalheria do Macy's. Não é possível “furtar” uma canção ou um filme digital — o ato de replicação não afeta as cópias já na posse de outras pessoas, mas apenas aumenta o número de cópias no mundo. Eis porque copiar não caracteriza furto. Analogamente, você não consegue privar o mundo de acesso à informação mediante remover a cópia em um website.
Watching these people try to use scarcity-age conceptual tools to combat abundance is like watching Napoleon try to defeat Heinz Guderian or Erwin Rommel with hub-to-hub artillery and massed infantry in line-and-column formations. They lack the conceptual tools to understand, let alone fight, the new society they’re attempting to prevent the birth of.
Olhar para essas pessoas que ficam tentando usar ferramentas conceptuais da era da escassez para combater a abundância é como olhar Napoleão tentar derrotar Heinz Guderian ou Erwin Rommel com canhões em cima de duas rodas e infantaria em massa em formações de linha e coluna. Eles não detém as ferramentas conceptuais para entender, menos ainda para combater, a nova sociedade cujo nascimento estão tentando impedir.
This is why the government’s attempts to impose artificial scarcity fail every time, no matter how many times they change the name — ACTA, CISPA, etc. — and try again. You can’t fix stupid.
Eis porque as tentativas do governo para impor escassez artificial falham toda vez, independentemente de quantas vezes ele lhes mude o nome — ACTA, CISPA, etc. — e tente de novo. Não há como consertar a estupidez.
So to you Lords of Scarcity — represented this time around by your flunkies in the U.S. Departments of State and “Defense,” I have a message: You have no authority that we are bound to respect.
Assim, para vocês, Senhores da Escassez — representados desta vez por seus lacaios nos Departamentos de Estado e de “Defesa” dos Estados Unidos, tenho uma mensagem: Vocês não têm nenhuma autoridade que devamos respeitar.

No comments:

Post a Comment