Monday, April 15, 2013

The Anti-Empire Report - The marvelous world of Freedom of Speech



English
Português
Official website of the author, historian, and U.S. foreign policy critic.
Website oficial do autor, historiador e crítico da política externa dos Estados Unidos.
The Anti-Empire Report #115
O Relatório Anti-Império No. 115
By William Blum – Published April 8th, 2013
Por William Blum – Publicado em 8 de abril de 2013
The marvelous world of Freedom of Speech
O esplêndido mundo da Liberdade de Expressão
So, the United States and its Western partners have banned Iranian TV from North America and in various European countries. Did you hear about that? Probably not if you’re not on the mailing list of PressTV, the 24-hour English-Language Iranian news channel. According to PressTV:
Então, os Estados Unidos e seus parceiros Ocidentais baniram a TV iraniana da América do Norte e de vários países europeus. Você ouviu algo a respeito? Provavelmente não, se não estiver na lista de destinatários da PressTV, o canal de notícias iraniano em inglês 24 horas no ar. De acordo com PressTV:
The Iranian film channel, iFilm, as well as Iranian radio stations, have also been banned from sensitive Western eyes and ears, all such media having been removed in February from the Galaxy 19 satellite platform serving the United States and Canada.
O canal iraniano de filmes, iFilm, bem como estações de rádio iranianas, também foram banidos de sensíveis olhos e ouvidos ocidentais, havendo sido toda essa mídia removida em fevereiro da plataforma de satélite Galaxy 19 que serve Estados Unidos e Canadá.
In December the Spanish satellite company, Hispasat, terminated the broadcast of the Iranian Spanish-language channel Hispan TV. Hispasat is partly owned by Eutelsat, whose French-Israeli CEO is blamed for the recent wave of attacks on Iranian media in Europe.
Em dezembro a companhia espanhola de satélite, Hispasat, encerrou as transmissões do canal iraniano em espanhol Hispan TV. A Hispasat é em parte de propriedade da Eutelsat, cujo Executivo Principal francês-israelense é responsabilizado pela recente onda de ataques contra a mídia iraniana na Europa.
The American Jewish Committee has welcomed these developments. AJC Executive Director David Harris has acknowledged that the committee had for months been engaged in discussions with the Spaniards over taking Iranian channels off the air. 7
A Comissão Judaica Estadunidense - AJC elogiou essas iniciativas. O Diretor da AJC David Harris reconheceu que a comissão havia-se engajado, durante meses, em discussões com os espanhóis acerca de tirar do ar canais iranianos. 7
A careful search of the Lexis-Nexis data base of international media reveals that not one English-language print newspaper, broadcast station, or news agency in the world has reported on the PressTV news story since it appeared February 8. One Internet newspaper, Digital Journal, ran the story on February 10.
Cuidadosa pesquisa da base de dados Lexis-Nexis de mídia internacional revela que nenhum jornal impresso, estação de transmissão, ou agência de notícias em língua inglesa no mundo informou a respeito da peça noticiosa da PressTV desde que ela apareceu em 8 de fevereiro. Um jornal da Internet, Digital Journal, publicou a peça em 10 de fevereiro.
The United States, Canada, Spain, and France are thus amongst those countries proudly celebrating their commitment to the time-honored concept of freedom of speech. Other nations of “The Free World” cannot be far behind as Washington continues to turn the screws of Iranian sanctions still tighter.
Estados Unidos, Canadá, Espanha e França estão pois entre aqueles países que orgulhosamente comemoram seu compromisso com o conceito, consagrado pelo tempo, de liberdade de expressão. Outras nações do “Mundo Livre” não podem estar muito atrás, enquanto Washington continua a apertar ainda mais os parafusos das sanções ao Irã.
In his classic 1984, George Orwell defined “doublethink” as “the power of holding two contradictory beliefs in one’s mind simultaneously, and accepting both of them.” In the United States, the preferred label given by the Ministry of Truth to such hypocrisy is “American exceptionalism”, which manifests itself in the assertion of a divinely ordained mission as well as in the insistence on America’s right to apply double standards in its own favor and reject “moral equivalence”.
Em seu clássico 1984, George Orwell definiu “duplipensar” como “o poder de manter duas crenças contraditórias simultaneamente na mente de uma só pessoa, e aceitar ambas.” Nos Estados Unidos, o rótulo preferido dado pelo Ministério da Verdade a tal hipocrisia é “excepcionalismo estadunidense”, o qual se manifesta na afirmação de uma missão divinamente comandada, bem como na insistência no direito dos Estados Unidos de aplicarem padrões duplos em seu favor próprio e rejeitarem “equivalência moral”.
The use of sanctions to prevent foreign media from saying things that Washington has decided should not be said is actually a marked improvement over previous American methods. For example, on October 8, 2001, the second day of the US bombing of Afghanistan, the transmitters for the Taliban government’s Radio Shari were bombed and shortly after this the US bombed some 20 regional radio sites. US Defense Secretary Donald Rumsfeld defended the targeting of these facilities, saying: “Naturally, they cannot be considered to be free media outlets. They are mouthpieces of the Taliban and those harboring terrorists.” 8 And in Yugoslavia, in 1999, during the infamous 78-day bombing of the Balkan country which posed no threat at all to the United States, state-owned Radio Television Serbia (RTS) was targeted because it was broadcasting things which the United States and NATO did not like (like how much horror the bombing was causing). The bombs took the lives of many of the station’s staff, and both legs of one of the survivors, which had to be amputated to free him from the wreckage. 9
O uso de sanções para impedir a mídia estrangeira de dizer coisas que Washington resolveu que não devem ser ditas é em realidade considerável aperfeiçoamento em relação a métodos estadunidenses anteriores. Por exemplo, em 8 de outubro de 2001, o segundo dia do bombardeio do Afeganistão pelos Estados Unidos, os transmissores da Rádio Shari do governo Talibã foram bombardeados e pouco depois disso os Estados Unidos bombardearam cerca de 20 locais de rádios regionais. O Secretário de Defesa dos Estados Unidos Donald Rumsfeld defendeu o ataque a tais instalações, dizendo: “Naturalmente, elas não podem ser consideradas veículos de mídia livre. São porta-vozes do Talibã e daqueles que dão abrigo a terroristas.” 8 E na Iugoslávia, em 1999, durante o infame bombardeio de 78 dias daquele país balcânico que não representava de modo algum perigo para os Estados Unidos, a estatal Radio Television Serbia (RTS) foi atacada porque estava transmitindo coisas das quais os Estados Unidos e a OTAN não gostavam (como o grau de horror que o bombardeio estava causando). As bombas tiraram a vida de muitos membros da equipe da estação, e ambas as pernas de um dos sobreviventes, pois tiveram de ser amputadas para que ele pudesse ser libertado dos destroços. 9
Notes
Notas
8. Index on Censorship online, the UK’s leading organization promoting freedom of expression, October 18, 2001
8. Index da Censura online, principal organização do Reino Unido promotora de liberdade de expressão, 18 de outubro de 2001
9. The Independent (London), April 24, 1999, p.1
9. O Independente (Londres), 24 de abril de 1999, página1


No comments:

Post a Comment