Saturday, April 27, 2013

C4SS - The Strawberries of Wrath


ENGLISH
PORTUGUÊS
Center for a Stateless Society
Centro por uma Sociedade sem Estado
Building public awareness of left-wing market anarchism
pela consciência pública do anarquismo esquerdista de mercado
The Strawberries of Wrath
Os Morangos da Ira
Posted by Kevin Carson on Apr 23, 2013 in Commentary
Afixado por Kevin Carson em 23 de abril de 2013 em Commentary
The haciendas of Spanish America were based on enormous land grants from the Spanish crown and became the sites of large plantation farms worked on a neo-feudal basis by servile or near-servile labor. Such farms, typically, were situated near large concentrations of native labor, and that labor was controlled primarily through debt-peonage. The haciendas of California were established on the preexisting pattern of Mexico, and located in places where large Indian populations were available to work the farms.
As haciendas da América Espanhola estavam baseadas em enormes doações de terra da coroa espanhola e tornaram-se o local de grandes fazendas agrícolas trabalhadas em base neofeudal por trabalhadores braçais servos ou quase servos. Tais fazendas, normalmente, estavam situadas perto de grandes concentrações de trabalhadores braçais nativos, e esses trabalhadores eram controlados principalmente por meio do método de pagamento de dívidas pela prestação de trabalho físico. As haciendas da Califórnia foram criadas segundo o padrão preexistente no México, e situadas em lugares onde disponíveis grandes populações indígenas para trabalho nelas.
When California was annexed by the United States, the most influential Anglo settlers took over many of these haciendas and transformed them into modern agribusiness operations. The big California agribusiness plantations, built on the legacy of the haciendas, continued to rely on large amounts of cheap farm labor from segments of the population whose bargaining power was, for one reason or another, effectively nil. During the Depression and Dustbowl era, they relied on migrant farm workers from Oklahoma and other places who’d been tractored off their land by bank foreclosures.
Quando a Calilfórnia foi anexada pelos Estados Unidos, os colonos anglos mais influentes tomaram conta de muitas daquelas haciendas e as transformaram em modernos empreendimentos de agronegócio. As grandes plantações de agronegócio da Califórnia, construídas a partir do legado das  haciendas, continuaram a basear-se em grande quantidade de trabalho barato de segmentos da população cujo poder de barganha era, por motivo ou outro, na prática nulo. Durante a Depressão e o período das Tempestades de Areia, elas recorreram a trabalhadores rurais migrantes de Oklahoma e de outros lugares que haviam sido expelidos de suas terras por execuções de hipotecas bancárias.
In the 1940s, the U.S. government created the Bracero program to supply foreign guest workers from Mexico. Whether or not the irony was lost on them, I can’t say.
Nos anos 1940, o governo dos Estados Unidos criou o programa Bracero para fornecer trabalhadores 'convidados' oriundos do México. Se estes perceberam ou não a ironia da situação, não sei.
When workers got too uppity and attempted to fight for better pay and working conditions, the agribusiness plantation bosses had the U.S. government to enforce discipline on foreign workers by deporting them. When native-born migrant workers became unruly and tried to organize, the farm owners resorted to vigilantism — as recounted by John Steinbeck — using the same kinds of terror tactics as the blackshirts hired by Italian factory owners in the 20th century and the Central American death squads still operating today.
Quando os trabalhadores ficaram excessivamente exigentes e tentaram lutar por melhores remuneração e condições de trabalho, os donos das empresas agrícolas conseguiram que o governo dos Estados Unidos impusesse disciplina a trabalhadores estrangeiros mediante deportá-los. Quando trabalhadores migrantes nativos tornaram-se indisciplinados e tentaram organizar-se, os donos de fazendas recorreram ao vigilantismo — como descrito por John Steinbeck — usando os mesmos tipos de táticas de terror usadas pelos camisas negras contratados por donos de fábricas italianos no século 20 e os esquadrões da morte da América Central que atuam até hoje.
The armed assault on Bangladeshi strawberry pickers at New Manolada Farms in Greece fits into this background narrative like a foot into a well-worn shoe. The farm employs several thousand foreign migrant workers, many of them not government-documented. Around 200 migrant workers demanded six months’ back wages from the farm’s owners. The supervisors told them they would not be paid, and ordered them back to work.  When a group of workers refused to comply, a supervisor opened fire, wounding 28 of them. New Manolada has been associated with high levels of anti-worker violence in recent years, including one case in which an Egyptian man was beaten and then dragged for a kilometer with his head jammed in a car window.
A agressão armada aos colhedores de morangos bangladechianos nas Fazendas New Manolada na Grécia encaixa-se nessa narrativa de antecedentes como um pé num sapato bem usado. Citada fazenda emprega diversos milhares de trabalhadores migrantes, muitos deles sem documentação fornecida pelo governo. Cerca de 200 trabalhadores migrantes exigiram seis meses de remuneração a eles devida pelos donos da fazenda. Os capatazes disseram-lhes que eles não seriam pagos, e deram-lhes ordem de voltarem ao trabalho. Quando um grupo de trabalhadores recusou-se a cumprir a ordem, um capataz abriu fogo, ferindo 28 dos trabalhadores. A New Manolada tem estado associada a altos níveis de violência contra trabalhadores nos anos recentes, inclusive um caso no qual um egípcio foi espancado e em seguida arrastado por um quilômetro com a cabeça entalada na janela de um carro.
Although the local mayor dismisses this latest atrocity as an isolated incident, labor activist Natassa Panagiotara said such slave-labor conditions are common among the big strawberry farms employing foreign laborers in the area. The shooting took place against the background of economic collapse in Greece and the increasing prominence of the neo-fascist Golden Dawn party, which is associated with quasi-private paramilitary vigilantism against workers and immigrants.
Embora o prefeito local desqualifique a última atrocidade considerando-a incidente isolado, a ativista do trabalho braçal Natassa Panagiotara diz que tais condições de trabalho em condições de escravidão são comuns nas grandes fazendas de morangos da área que empregam trabalhadores estrangeiros. Os disparos tiveram lugar contra o plano de fundo do colapso econômico na Grécia e a crescente preeminência do partido neofascista Aurora Dourada, associado a um vigilantismo paramilitar quase-privado contra trabalhadores e imigrantes.
In contemporary America, native-born wage-workers are intimately familiar with how it feels to have their livelihoods and subsistence subject to the whims of an employer. But at least they’re able to organize and expose their employer to public humiliation, as Imolakee migrant tomato pickers have in recent years and as Walmart workers did late last year. And if they get fired, at least they don’t have to worry about being deported for it.
Nos Estados Unidos contemporâneos, trabalhadores assalariados nativos estão intimamente familiarizados com qual é o sentimento de ter seus meios de vida e de subsistência sujeitos aos caprichos do empregador. Pelo menos, no entanto, eles têm como se organizar e expor seu empregador a humilhação pública, como os colhedores de tomates migrantes Imolakee fizeram em anos recentes e os trabalhadores da Walmart fizeram no ano passado. E, se forem demitidos, pelo menos não terão que se preocupar com serem deportados por isso.
But for undocumented immigrants, and even legal “guest workers,” this dependency is turned up several notches. As with Greece’s foreign farm workers, the genuinely slave-like conditions that exist for many American garment workers, sex workers,  etc., are enforced by immigration law.
No caso de imigrantes sem documentos, contudo, e mesmo “trabalhadores convidados” em situação legal, essa dependência é muito maior. Como ocorre com os trabalhadores rurais estrangeiros na Grécia, as condições genuinamente similares às de escravatura que existem para muitos trabalhadores da indústria têxtil, trabalhadores do sexo etc. são robustecidas por legislação de imigração.
The enforcement of imaginary lines on a map results in an “illegal” status for many human beings which, despite being utterly imaginary in its moral basis, is all too real in its effects. Closed borders are a powerful tool for labor discipline by employers. They magically transform some workers into “illegal” beings dependent on a patron for their continued survival. And, much like racial divisions that weakened the labor movement (land owners in the south destroyed the tenant farmers’ union by exploiting such divisions), they facilitate a divide-and-rule strategy that pits native-born and immigrant workers against each other and makes them see each other rather than the employer as their enemy.
A imposição de linhas imaginárias traçadas num mapa resulta em condição “illegal” para muitos seres humanos que, a despeito de ser puramente imaginária em sua base moral, é muitíssimo real em seus efeitos. Fronteiras fechadas são uma ferramenta poderosa para disciplina do trabalho por parte dos empregadores. Elas magicamente transformam alguns trabalhadores em seres “ilegais” dependentes de um patrono para sua sobrevivência continuada. E, de modo muito parecido com divisões raciais que debilitaram o movimento trabalhista (donos de terras no sul destruíram o sindicato de trabalhadores rurais arrendatários mediante explorarem tais divisões), elas facilitam uma estratégia de dividir para dominar que lança trabalhadores nativos e imigrantes uns contra os outros e leva-os a verem-se mutuamente como inimigos, em vez de verem como inimigo o empregador.
Kevin Carson is a senior fellow of the Center for a Stateless Society (c4ss.org) and holds the Center's Karl Hess Chair in Social Theory. He is a mutualist and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political Economy, Organization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation, and his own Mutualist Blog.
Kevin Carson é membro de alto nível do Centro por uma Sociedade sem Estado (c4ss.org) e titular da Cátedra Karl Hess de Teoria Social. É mutualista e anarquista individualista cuja obra escrita inclui Estudos em Economia Política Mutualista, Teoria da Organização: Perspectiva Libertária, e A Revolução Industrial Gestada em Casa: Manifesto de Baixo Overhead, todos livremente disponíveis online. Carson também tem escrito para publicações impressas tais como O Homem Livre: Ideias Acerca de Liberdade e para diversos periódicos e blogs da internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, Fundação P2P, e seu próprio Blog Mutualista.

No comments:

Post a Comment