Monday, February 4, 2013

C4SS - What will a stateless society look like?


ENGLISH
PORTUGUÊS
CENTER FOR A STATELESS SOCIEY
CENTRO POR UMA SOCIEDADE SEM ESTADO
building public awareness of left-wing market anarchism
pela consciência pública do anarquismo esquerdista de mercado
Market Anarchism FAQ
Perguntas Frequentes Acerca de Anarquismo de Mercado
What will a stateless society look like?
Como será uma sociedade sem estado?
We envision a world without privilege, exploitation or domination. A world without institutionalized coercion, slaughter and injustice. In short, Liberty.
Visualizamos um mundo sem privilégio, exploração ou dominação. Um mundo sem coerção institucionalizada, chacina e injustiça. Em suma, Liberdade (*).

(*) Liberty - Liberty é o estado de ser livre, dentro da sociedade, de restrições opressoras, impostas por autoridade, ao estilo de vida, comportamento ou pontos de vista políticos da pessoa. – Ver Oxford PRO online.
However, the specifics of how a society without centralized political authority will look are far more difficult to predict. One of the major arguments for freedom in the classical liberal tradition was originally put forward by F.A. Hayek in what has become known as “the knowledge problem.” He argued that no single individual or group of individuals has all of the economic information necessary to centrally plan an economic system (or potentially any social system for that matter). To assume this pretense of knowledge is to commit the fatal conceit of rational constructivism.  To work most effectively and safely, systems require a decentralized approach — economically speaking, this means individuals making decisions for themselves and exchanging their legitimate produce voluntarily for mutual gain, which results in the price system.
Entretanto, os aspectos específicos de como será uma sociedade sem autoridade política centralizada são muito mais difíceis de prever. Um dos principais argumentos em favor da liberdade(*) na tradição liberal clássica foi originalmente proposto por F.A. Hayek no que tornou-se conhecido como  o problema do conhecimento.” Ele argumentou que nenhum indivíduo isolado, ou nenhum grupo de indivíduos, detém toda informação econômica indispensável para o planejamento de um sistema econômico (ou, potencialmente, de qualquer sistema social). Assumir esse simulacro de conhecimento é incorrer na fatal presunção do construtivismo racional. Para funcionarem de modo eficaz e seguro, os sistemas requerem uma abordagem descentralizada — economicamente falando, isso significa os indivíduos tomarem decisões por si próprios e intercambiarem sua produção legítima voluntariamente a bem de ganho mútuo, o que resulta no sistema de preços.

(*) Freedom – Freedom é o poder de a pessoa agir, falar ou pensar o que quiser sem tolhimento ou restrição. – Ver Oxford PRO online.
Since market anarchists recognize that consensual institutions will inevitably be shaped by market and other social forces, we can say that Hayek’s knowledge problem will, in a stateless society, even impact “governance” in the sense of how enterprises provide dispute resolution and security services. We can’t predict the details of how free people will choose to organize provision of these services. The forms of such organization would be an open-ended matter, subject to free experimentation and resulting diversity.
Visto que os anarquistas de mercado reconhecem que instituições consensuais serão inevitavente delineadas pelo mercado e por outras forças sociais, podemos dizer que o problema do conhecimento de Hayek, numa sociedade sem estado, terá impacto até sobre a “governança(*)” no sentido de como empreendimentos proporcionem resolução de disputas e serviços de segurança. Não podemos prever os detalhes de como pessoas livres optarão para organizar o suprimento desses serviços. As formas de tal organização constituirão assunto em aberto, sujeitas a livre experimentação e a resultante diversidade.

(*) governance – O Oxford PRO online define a palavra ‘governance’ como ação ou modo de governar; já o iAulete online define ‘governança’ apenas como  ação de governar e dá como sinônimos ‘governação’ e ‘governo’.
Moreover, Anna Morgenstern’s Anarchism: Necessary but not Sufficient and Charles Johnson and Roderick Long’s Libertarian Feminism: Can This Marriage Be Saved? make the case that even once the oppression of state rule is over, cultural forms of oppression unconnected to the state will still  linger which desperately need to be challenged and overcome.  Statism is the biggest hurdle but not the only one which we will need to confront in a stateless world.
Ademais, Anarquismo: Necessário mas não Suficiente, de Anna Morgenstern, e Feminismo Libertário: Pode Este Casamento Ser Salvo? de Charles Johnson e Roderick Long argumentam que, mesmo depois de a opressão do controle pelo estado ser superada, formas culturais de opressão não conexas com o estado ainda remanescerão, necessitando imprescindivelmente ser questionadas e superadas. O estatismo é o maior dos obstáculos, mas não é o único que precisaremos confrontar num mundo sem estado.

No comments:

Post a Comment