Thursday, January 24, 2013

C4SS - “Gun Control for the Children?” Sorry, No Sale.



ENGLISH
PORTUGUÊS
CENTER FOR A STATELESS SOCIEY
CENTRO POR UMA SOCIEDADE SEM ESTADO
building public awareness of left-wing market anarchism
pela consciência pública do anarquismo esquerdista de mercado
“Gun Control for the Children?” Sorry, No Sale.
“Controle de Armas Para o Bem das Crianças?” Sinto Muito, Não É.
Posted by Thomas L. Knapp on Jan 16, 2013 in Commentary
Afixado por Thomas L. Knapp em 16 de janeiro de 2013 em Commentary
“This is our first task as a society,” said US president Barack Obama at a January 16th press conference: “Keeping our children safe.”
“Esta é nossa primeira tarefa como sociedade,” disse o presidente dos Estados Unidos Barack Obama numa coletiva de imprensa em 16 de janeiro: “Manter nossas crianças em segurança.”
The event’s purpose was to leverage last month’s school shooting in Newtown, Connecticut into support for a set of new executive orders and legislative proposals relating to what supporters euphemistically refer to as “gun control.”
O propósito do evento era transformar os disparos do mês passado na escola de Newtown, Connecticut, em apoio a um elenco de novos decretos-leis e propostas legislativas relacionados com o que seus defensores chamam eufemisticamente de “controle de armas de fogo.”
In an evolutionary and biological sense, Obama has a point. The primary of function of human society IS to protect our young so that they can grow up, reproduce and perpetuate that society.
Em sentido evolutivo e biológico, Obama tem certa razão. A função precípua da sociedade humana É proteger nossos filhos de tal maneira que eles possam tornar-se adultos, reproduzir-se e perpetuar a sociedade.
On the other hand Obama, in his role as president, represents the single most powerful and counter-productive human institution relating to that goal: The state. The power grabs he just put on the state’s agenda serve only the interests of that institution — not just instead of, but at the expense of, the children he’s exploiting as political capital in pursuit of that agenda (and in particular, as the Center for a Stateless Society’s Nathan Goodman points out, the children of the besieged minority communities Obama’s party claims to offer protection to).
Por outro lado Obama, em seu papel como presidente, representa a mais poderosa e mais contraproducente instituição humana, isoladamente considerada, relacionada com aquele objetivo: O estado. O açambarcamento de poder que ele acaba de colocar no programa do estado serve apenas aos interesses daquela instituição — não apenas em vez, como também a expensas das crianças que ele está explorando como capital político na persecução daquele programa (e, em particular, como Nathan Goodman, do Centro por uma Sociedade Sem Estado, destaca, as crianças das comunidades minoritárias oprimidas às quais o partido de Obama assevera oferecer proteção).
Obama’s purported opponents within government aren’t much better. Their line, as voiced by US Representative Dave Reichert (D-WA), boils down to a cowardly “the laws that we have in this land already need to be enforced.”
Os pretensos opositores de Obama dentro do governo não fazem muito melhor. A linha deles,  como expressada pelo Deputado dos Estados Unidos Dave Reichert (D-WA), equivale a uma covarde “as leis que já temos neste país só precisam ser postas em prática.”
Well, no, they don’t.
Não, não precisam.
“The laws that we have in this land already” forcibly compel the daily assembly of millions of children on convenient killing floors (“public schools”).
“As leis que já temos neste país” obrigam, pela força, o ajuntamento diário de milhões de crianças em convenientes pisos de matança (“escolas públicas”).
“The laws that we have in this land already” forbid — or at least onerously regulate — possession of the tools of defense to those children, to their parents, and to their teachers.
“As leis que já temos neste país” proíbem — ou pelo menos regulam onerosamente — a posse das ferrramentas de defesa dessas crianças, de seus pais, e de seus professores.
“The laws that we have in this land already” notify any and all monsters with the ability to read a sign (“Gun-Free School Zone”) that those children are defenseless and at said monsters’ mercy.
“As leis que já temos neste país” informam a cada e a todo monstro com capacidade de ler uma tabuleta (“Zona Escolar Livre de Armas”) que essas crianças estão indefesas e à mercê de dito monstro.
Other species teach the principles of survival — including but not limited to the use of such weapons as they naturally possess — to their young at the earliest practical age. Humans deny their young those weapons and even, in this day and age, actively punish thought or speech relating to self-defense.
Outras espécies ensinam os princípios da sobrevivência — incluindo, mas não limitados, ao uso das armas que elas naturalmente possuem — a seus filhos na mais tenra idade prática. Os seres humanos negam a seus filhos essas armas e até, nesta época e idade, punem ativamente pensamentos ou palavras relacionados com autodefesa.
Other species protect their children from predators at all costs. Humans set out our children as an all-you-care-to-eat buffet for predators, then turn to the most voracious predator of all — political government, which regularly seizes double-digit percentages of our sustenance for its own gluttonous purposes, and occasionally throws murderous and even genocidal tantrums — for “protection.”
Outras espécies protegem seus filhos de predadores a todo custo. Os seres humanos mandam seus filhos como se fossem bufês do tipo coma o quanto quiser, à mercê de predadores, e em seguida voltam-se para o mais voraz predador de todos — o governo político, que sistematicamente abocanha percentuais de dois dígitos de nosso sustento para atender a seus próprios propósitos glutões, e ocasionalmente permite-se acessos de raiva assassina e até genocida — em nome da “proteção.”
It’s not difficult to see why politicians support “gun control,” which is more accurately described as “victim disarmament.” What predator wouldn’t prefer that its prey lack teeth or claws? In Barack Obama’s world, events like the Newtown massacre are a small price to pay for the uncontested ability to do wholesale what Adam Lanza did retail.
Não é difícil ver por que os políticos apoiam o “controle de armas de fogo,” o qual é mais exatamente descrito como “desarmamento de vítimas.” Que predador não preferirira que sua presa não tivesse dentes ou garras? No mundo de Barack Obama, eventos como o massacre de Newtown são preço pequeno a pagar pela inconteste capacidade de fazer por atacado o que Adam Lanza fez no varejo.
What’s hard to understand is why we’ve put up with the predator for so long. In the 20th century alone, governments murdered in excess of 260 million people, and that’s an extremely low-end estimate (its promulgator, Dr. RJ Rummel of the University of Hawaii, excludes the deaths associated with the workaday operations of “democracies” from his statistics).
Difícil de entender é por que temos tolerado esse predador por tanto tempo. Só no século 20, os governos assassinaram mais de 260 milhões de pessoas, e essa é uma estimativa extremamente baixa (seu publicador, Dr. RJ Rummel, da Universidade do Havaí, exclui as mortes associadas com o funcionamento diário das “democracias” de suas estatísticas).
Fortunately, Obama’s proposals will go nowhere, as another set of statistics should make clear: At least 70 million Americans own more than 200 million guns (those numbers are also lowball, selected from competing sets I’ve seen). And the technology for unlimited home production of more is now fast becoming irrevocably and universally available. If the politicians think they can “control guns,” they’ve got another think coming.
Felizmente as propostas de Obama darão em nada, como outro elenco de estatísticas deveria deixar claro: Pelo menos 70 milhões de estadunidenses possuem mais de 200 milhões de armas de fogo (números também por baixo, selecionados dentre conjuntos competidores que já vi). E a tecnologia para produção doméstica ilimitada de mais ainda está rapidamente tornando-se irrevogável e universalmente disponível. Se os políticos pensam que podem “controlar armas de fogo,” estão equivocados.
Citations to this article:
Citações deste artigo:
Thomas L. Knapp, ‘Gun Control for the Children?’ Sorry, No Sale., Before It’s News, 01/17/13
Thomas L. Knapp, ‘Gun Control for the Children?’ Sorry, No Sale., Before It’s News, 17/01/2013
Thomas L. Knapp is Senior News Analyst and Media Coordinator at the Center for a Stateless Society (c4ss.org).
Thomas L. Knapp é Analista Sênior de Notícias e Coordenador de Mídia do Centro por uma Sociedade sem Estado (c4ss.org).


No comments:

Post a Comment