Monday, January 7, 2013

ANTIWAR.BLOG - Obama Sends 200 Marines to Guatemala in Terrible Drug War Surge



ENGLISH
PORTUGUÊS
ANTIWAR.BLOG
ANTIWAR.BLOG
Obama Sends 200 Marines to Guatemala in Terrible Drug War Surge
Obama Envia 200 Marines para a Guatemala em Terrível Intensificação da Guerra às Drogas
John Glaser, August 30, 2012
John Glaser, 30 de agosto de 2012
Completely under the radar, Obama has sent 200 additional US Marines to Guatemala on another drug war adventure. Associated Press:
Completamente sob o radar, Obama mandou 200 Marines dos Estados Unidos adicionais para a Guatemala, em outra aventura da guerra às drogas. Associated Press:
A team of 200 U.S. Marines began patrolling Guatemala’s western coast this week in an unprecedented operation to beat drug traffickers in the Central America region, a U.S. military spokesman said Wednesday.
Equipe de 200 Marines dos Estados Unidos começou a patrulhar a costa oeste da Guatemala esta semana em operação sem precedentes para eliminar traficantes de drogas na região da América Central, disse, na quarta-feira, porta-voz da instituição militar dos Estados Unidos.
The Marines are deployed as part of Operation Martillo, a broader effort started last Jan. 15 to stop drug trafficking along the Central American coast. Focused exclusively on drug dealers in airplanes or boats, the U.S.-led operation involves troops or law enforcement agents from Belize, Britain, Canada, Colombia, Costa Rica, El Salvador, France, Guatemala, Honduras, the Netherlands, Nicaragua, Panama and Spain.
Os Marines foram acantoados como parte da Operação Martillo, esforço mais amplo iniciado em 15 de janeiro para deter o tráfico de drogas ao longo da costa centroamericana. Focada exclusivamente em traficantes de drogas em aeroplanos ou barcos, a operação liderada pelos Estados Unidos envolve tropas ou agentes de cumprimento da lei de Belize, Grã-Bretanha, Canadá, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, França, Guatemala, Honduras, Holanda, Nicarágua, Panamá e Espanha.
“This is the first Marine deployment that directly supports countering transnational crime in this area, and it’s certainly the largest footprint we’ve had in that area in quite some time,” said Marine Staff Sgt. Earnest Barnes at the U.S. Southern Command in Miami.
“Este é o primeiro acantoamento de Marines que apoia diretamente a contenção de crime transnacional nesta área, e é certamente a maior presença nossa nessa área desde há muito tempo,” disse o Sargento-Chefe Marine Earnest Barnes do Comando Sul dos Estados Unidos em Miami.
Talk about policing the world. The plan, according to military officials, is to intercept drug traffickers. A similar US mission is being carried out by commando-style DEA agents and hundreds of US soldiers in neighboring Honduras. In that case, it has brought about several incidents of killings of Hondurans by American forces and a massive uptick in support and training for a corrupt league of Honduran security forces with a long list of human rights abuses.
Em outras palavras, policiar o mundo. O plano, de acordo com autoridades militares, é interceptar traficantes de drogas. Missão similar dos Estados Unidos está sendo levada a efeito por agentes da Administração de Cumprimento de Leis Referentes a Drogas - DEA em estilo de comando e por centenas de soldados dos Estados Unidos na vizinha Honduras. Nesse caso, ela já provocou diversos incidentes de morte de hondurenhos por forças estadunidenes e maciço aumento de apoio e treinamento de corrupta liga de forças de segurança hondurenhas com longa lista de abusos de direitos humanos.
Washington’s prohibitionist policies in Central America have caused drug profits to skyrocket and its support for undemocratic police states in Latin America has pushed cartels to build well-armed militias that give state armies a run for their money.
As políticas proibicionistas de Washington na América Central já levaram os lucros provenientes de drogas a disparar, e seu apoio a estados policiais não democráticos na América Latina já levou os cartéis a formarem milícias bem armadas que representam oposição poderosa aos exércitos do estado.
The US has an ugly, bloody history in the region. In Guatemala, the Eisenhower administration imposed a military coup and then sent in the US military while fueling a violent civil war that left more than 200,000 people dead. The height of the bloodshed occurred under 1980s US ally and beneficiary Ríos Montt, during which the number of killings and disappearances reached more than 3,000 per month. Montt’s forces, with the help of his chief of staff Fuentes (recently brought to court for war crimes), slit the throats of women and children, beat innocent civilians and doused them in gasoline to be burned alive, tortured, and mutilated thousands of innocent indigenous peasants. The UN commission investigating the atrocities concluded it constituted acts of genocide. No inquiry into the culpability of US officials has been initiated.
Os Estados Unidos têm uma história repulsiva e sanguinária na região. Na Guatemala, a administração Eisenhower impôs golpe militar e depois mandou para lá a instituição militar enquanto inflamava violenta guerra civil que deixou mais de 200.000 pessoas mortas. O ápice do derramamento de sangue ocorreu no governo, nos anos 1980, do aliado e beneficiário dos Estados Unidos Ríos Montt, durante o qual o número de assassínios e desaparecimentos  atingiu mais de 3.000 por mês. As forças de Montt, com a ajuda do chefe do estado-maior Fuentes (recentemente levado à justiça por crimes de guerra), cortaram a garganta de mulheres e crianças, espancaram civis inocentes e embeberam-nos em gasolina para serem queimados vivos, torturaram, e mutilaram milhares de inocentes camponeses indígenas. A comissão das Nações Unidas investigadora das atrocidades concluiu ter-se tratado de atos de genocídio. Não foi efetuada qualquer investigação referente á culpabilidade de autoridades dos Estados Unidos.
Guatemala currently receives approximately $1oo million in aid annually from the U.S.despite a record of corruption and ties to the drug gangs. The former president, Alfonso Portillo, is in prison on charges of massive corruption. Scores of police chiefs, senior military commanders, and defense ministers have been indicted throughout an attempt to crack down on security forces with drug-trafficking ties.
A Guatemala atualmente recebe aproximadamente $1oo milhões de dólares anualmente dos Estados Unidos, a despeito de histórico de corrupção e vínculos com as quadrilhas de drogas. O ex-presidente, Alfonso Portillo, está na prisão acusado de corrupção generalizada. Grande número de chefes de polícia, comandantes militares de alta patente e ministros da defesa já foram indiciados numa tentativa ampla de tomada de medidas severas contra forças de segurança com vínculos com o tráfico de drogas.
The Kaibiles, the ruthless U.S.-trained Guatemalan state militia infamous for their role in killing civilians during Guatemala’s civil war, are being recruited in large numbers to violent Mexican drug gangs. Mexico’s Zetas drug cartel is paying large sums to a multitude of Kaibiles forces to pass on the training they received from the United States military.
Os Kaibiles, a implacável milícia estatista guatemalteca treinada pelos Estados Unidos, famosa por seu papel na matança de civis durante a guerra civil na Guatemala, estão sendo recrutados em penca pelas violentas quadrilhas de drogas do México. O cartel de drogas Zetas do México está pagando grandes somas a uma infinidade de Kaibiles para que eles lhe transfiram o treinamento recebido da instituição militar dos Estados Unidos.
This is the reality of the US drug war in Central America. And the Obama administration has just exacerbated the chaos by marching in 200 US Marines to Guatemala. Bravo.
Essa é a realidade da guerra às drogas dos Estados Unidos na América Central. E a administração Obama acaba de exacerbar o caos ao enviar 200 Marines dos Estados Unidos à Guatemala. Bravo.


No comments:

Post a Comment