Sunday, December 9, 2012

C4SS - If “Progressives” Didn’t Exist, Big Business Would Have to Invent Them



ENGLISH
PORTUGUÊS
CENTER FOR A STATELESS SOCIEY
CENTRO POR UMA SOCIEDADE SEM ESTADO
building public awareness of left-wing market anarchism
na construção da consciência pública do anarquismo esquerdista de mercado
If “Progressives” Didn’t Exist, Big Business Would Have to Invent Them
Se os “Progressistas” Não Existissem, as Grandes Empresas Teriam de Inventá-los
Posted by Kevin Carson on Dec 6, 2012 in Commentary
Afixado por Kevin Carson em 6 de dezembro de 2012 em Commentary
Daily Kos recently reprinted a popular column that periodically makes the rounds (“75 Ways Socialism Has Improved America”) by someone using the nom de plume TheNewDeal00.
Daily Kos recentemente reimprimiu popular coluna que periodicamente passa de mão em mão (“75 Modos Pelos Quais o Socialismo Melhorou os Estados Unidos”), de autoria de alguém que usa o nom de plume TheNewDeal00 [ONovoPacto00].
Not just “75 Examples of Socialism,” mind you, but “improvements.” Going down the list, you’ll notice items like “The Military/National Defense,” “War,” “The Pentagon,” “Homeland Security,” and so forth, that mainly involve murdering or imprisoning people at home and abroad. The relentlessly positive spin on each item, including the most authoritarian aspects of the National Security State and Military-Industrial Complex, suggests we’re dealing with the kind of reflexive liberal for whom anything done by government is automatically “progressive.”
Não apenas “75 Exemplos de Socialismo,” veja você, mas “melhoramentos.” Percorrendo a lista, você notará itens como “A Instituição Militar/Defesa Nacional,” “Guerra,” “O Pentágono,” “Segurança Interior,” e assim por diante, que em sua maioria envolvem assassinar ou prender pessoas no país e no exterior. A incessante douração de pílula em cada item, inclusive no tocante aos mais autoritários aspectos do Estado de Segurança Nacional e do Complexo Industrial-Militar, sugere estarmos lidando com aquele tipo de liberal reflexo para quem qualquer coisa feita pelo governo é automaticamente “progressista.”
It’s a fairly common specimen, unfortunately. There’s a certain kind of liberal whose vision of “progress” deems anything called “regulation” good, because — by definition — it’s a restraint on corporate power. Further, anything funded or controlled by the state is “socialism.” This was the mindset of Arthur Schlesinger, Jr., who treated big government and big business as diametrically opposed, identifying “liberalism” as an idealistic movement characterized by the use of state power to restrain the excesses of big business.
Trata-se de espécimen bastante comum, infelizmente. Há certo tipo de liberal cuja visão de “progresso” vê qualquer coisa chamada de “regulamentação” como boa, porque — por definição — é um freio ao poder corporativo. Ademais, qualquer coisa financiada ou controlada pelo estado é “socialismo.” Essa era a postura atitudinal de Arthur Schlesinger, Jr., que tratava o governo hipertrofiado e as grandes empresas como diametralmente opostos, identificando o “liberalismo” como movimento idealista caracterizado pelo uso do poder do estado para restringir os excessos das grandes empresas.
But state ownership, funding and control do not, as such, constitute “socialism.” In fact a defining characteristic of monopoly capitalism is increased state involvement in the economy. Most state activity, far from restraining big business, actually props it up. If we go down TheNewDeal00′s list, we see that most of the enumerated functions in some way maintain the structural prerequisites for corporate capitalism.
Porém propriedade, financiamento e controle do estado não constituem, enquanto tais, “socialismo.” Na verdade uma característica definidora do capitalismo monopolista é aumento do envolvimento do estado na economia. A maior parte da atividade do estado, longe de restringir as grandes empresas, na realidade dá sustentação a elas. Se percorremos a lista de TheNewDeal00, veremos que a maior parte das funções enumeradas mantém, de alguma forma, os pré-requisitos estruturais para a existência do capitalismo corporativo.
“National Defense” and “War” stuff, it goes without saying, serves primarily to impose corporate capitalism on the rest of the world — guaranteeing transnational corporate access to natural resources, by force when necessary, and serving as enforcement arm for the global legal and political framework of the World Bank, IMF, WTO, GATT, and assorted “intellectual property” accords. The reason the U.S. government spent decades installing dictators in most of Latin America, the Philippines, Iran, South Vietnam, Indonesia, and the Congo was to keep the world safe for corporate power.
As atividades de “Defesa Nacional” e “Guerra,” não é preciso dizer, servem precipuamente para impor o capitalismo corporativo ao resto do mundo — garantindo acesso corporativo transnacional a recursos naturais, pela força quando necessário, e servindo como braço de imposição da estrutura legal e política global de Banco Mundial, Fundo Monetário Internacional - IMF, Organização Mundial do Comércio - WTO, Acordo Geral de Tarifas e Comércio - GATT, e acordos sortidos de “propriedade intelectual.” O motivo de o governo dos Estados Unidos ter gasto décadas colocando no poder ditadores na maior parte da América Latina, nas Filipinas, no Irã, no Vietnã do Sul, na Indonésia e no Congo foi manter o mundo a salvo para o poder corporativo.
The military-industrial complex serves another vital role for big business: It absorbs a great deal of excess production capacity and surplus capital when private demand is insufficient to keep the wheels of industry running.
O complexo industrial-militar desempenha outro papel vital para as grandes empresas: Absorve grande parte de capacidade de produção excessiva e de capital excedente quando a demanda privada é insuficiente para manter em movimento as rodas da indústria.
My favorite, for sheer liberal naivete, is the highway system, “created for all of us to use”: “That’s right, a republican president created our taxpayer funded, national highway system. This was a different time, before the republican party came down with a vicious case of rabies that never went away.”
Meu favorito, para o máximo de ingenuidade liberal, é o sistema rodoviário, “criado para todos nós usarmos”: “É isso mesmo, um presidente republicano criou nosso sistema rodoviário nacional, financiado pelo contribuinte. Era uma época diferente, antes de o partido republicano aparecer com severo caso de hidrofobia que nunca mais o abandonou.”
Would this be the Interstate Highway System created under the supervision of Defense Secretary (and former General Motors CEO) Charles Wilson, famous for the phrase “What’s good for America is good for GM?” The main effect of the Interstates was to lower the cost of distribution, artificially increasing the size and market area of the typical firm, and enabling national big box chains to drive local retail out of business. Or the local freeway systems, the top priority of local governments owned lock, stock and barrel by real estate developers? These subsidized freeway systems are the main culprit behind suburban monoculture, sprawl, and the car culture.
Será esse o Sistema Rodoviário Interestadual criado sob supervisão do Secretário de Defesa (e ex-Autoridade Executiva Principal - CEO da General Motors) Charles Wilson, famoso pela frase “O que é bom para os Estados Unidos é bom para a General Motors - GM?” O principal efeito das Interestaduais foi reduzir o custo de distribuição, aumentando artificialmente o tamanho e a área de mercado da empresa típica, e tornando possível cadeias nacionais de hiperlojas tirarem do mercado varejistas locais. Ou os sistemas de rodovias expressas locais, a prioridade máxima das imobiliárias em relação a propriedade total do governo? Esses sistemas de rodovias expressas subsidiadas são o principal culpado por trás da monocultura suburbana, da expansão urbana/industrial desenfreada, e da cultura do automóvel.
Farm subsidies? Only the most naive goo-goo thinks the USDA serves any interests other than those of Monsanto, Cargill and ADM.
Subsídios a fazendas? Só o mais deslumbrado dos ingênuos acredita que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos serve a quaisquer interesses outros que os de Monsanto, Cargill e ADM.
Public schools and prisons? The first state public school systems were created in the 19th century to produce factory workers conditioned to show up on time, line up on command, eat and pee at the sound of a bell, and take orders from authority figures behind desks. Their primary purpose is to process children into docile human resources sufficiently skilled to undertake the labor demanded of them, but not educated above their station in life.
Escolas públicas e prisões? Os primeiros sistemas de escolas públicas do estado foram criados no século 19 para produzir trabalhadores de fábrica condicionados para chegarem ao trabalho pontualmente, alinharem-se ao ouvirem voz de comando, comer e urinar ao som de uma campainha, e aceitar ordens de figuras com autoridade atrás de escrivaninhas. O objetivo precípuo delas é transformar crianças em recursos humanos dóceis suficientemente treinados para empreenderem o trabalho deles demandado, mas sem grau de instrução superior ao de sua condição social na vida.
When the schools fail at creating an easily manageable work force, the criminal justice system takes over in maintaining social control. Thanks to the Drug War, one of the most potentially radicalizable segments of the population — inner city blacks — are kept under tight surveillance (something like one third of black males are entangled in some component of the criminal justice system). The United States has a larger prison population than China, much of it providing slave labor for corporations.
Quando as escolas falham em criar força de trabalho facilmente administrável, o sistema de justiça criminal assume para manter o controle social. Graças à Guerra às Drogas, um dos mais potencialmente radicalizáveis segmentos da população — os pretos da área central problemática das cidades — são mantidos sob estreita vigilância (algo em torno de um terço dos pretos do sexo masculino está enrascado com algum componente do sistema de justiça criminal). Os Estados Unidos têm população presa maior do que a da China, grande parte da qual proporciona trabalho escravo para as corporações.
As for cops and Homeland Security, who do you think it was firing tear gas, pepper spray and rubber bullets at Occupy protestors last year?
Quanto a policiais e ao Segurança Interior, quem você acha que estava lançando gás lacrimogênio, spray de pimenta e balas de borracha contra os manifestantes do Ocuppy no ano passado?
Naive liberals like TheNewDeal00 who embarrass themselves writing stuff like this just go to show that liberalism has nothing to do with the genuine Left.
Liberais ingênuos como TheNewDeal00 que criam constrangimento para si próprios ao escreverem coisas como essas só servem para mostrar que o liberalismo nada tem a ver com a genuína Esquerda.
Genuine Leftists take a far different view of things. Marx called the state, quite accurately, the Executive Committee of the Ruling Class. Engels wrote that, in the most advanced stage of capitalism, capitalists would operate through their state to manage the economy in cases where they were incapable of doing so through purely private means. The nationalization of railroads, telegraphs, and mines, and the creation of welfare states under so-called “social democracies,” he wrote, was simply a function of the capitalist state.
Os esquerdistas genuínos veem as coisas de maneira muito diferente. Marx, com muita exatidão, chamava o estado de Comissão Executiva da Classe Dominante. Engels escreveu que, no estágio mais avançado do capitalismo, os capitalistas operariam por meio de seu estado para gerir a economia nos casos em que incapazes de fazê-lo por meios exclusivamente privados. A nacionalização de ferrovias, telégrafos e minas, e a criação de estados assistencialistas nas assim chamadas “social-democracias,” escreveu ele, foram simplesmente obra do estado capitalista.
New Left historian Gabriel Kolko argued that the main function of the regulatory state was to enforce regulatory cartels, restrict competition, and thereby stabilize oligopoly markets against the threat of competition. Neo-Marxist James O’Connor wrote that the state has steadily socialized the operating costs of big business — or, as Noam Chomsky put it, socialized risk and cost while privatizing profit.
O historiador da Nova Esquerda Gabriel Kolko argumentou que a principal função do estado regulamentador era impor cartéis regulamentadores, restringir a competição, e assim estabilizar mercados oligopolistas protegendo-os da ameaça da competição. O neomarxista James O’Connor escreveu que o estado tem continuamente socializado os custos operacionais das grandes empresas — ou, nas palavras de Noam Chomsky, socializado o risco e o custo enquanto privatizado o lucro.
Market anarchists, especially left-wing market anarchists like me and my comrades at Center for a Stateless Society, know what the state is about. It’s not a restraint on private power; it’s the instrument of private power. Its central function is to suppress competition, create artificial property, and enable economic ruling classes to extract rents. Our economy, in its fundamental structure, is an alliance between big business and big government. Conservatives who denounce Barack Obama as a “socialist,” and Progressives who praise the corporate state as “socialist,” are just useful idiots for corporate power.
Os anarquistas de mercado, especialmente os anarquistas esquerdistas de mercado como eu e meus camaradas do Centro por uma Sociedade sem Estado, sabem o que é o estado. Ele não é um freio ao poderio privado; ele é o instrumento do poderio privado. Sua função central é suprimir competição, criar propriedade artificial, e permitir que as classes dominantes econômicas extraiam rentismo. Nossa economia, em sua estrutura fundamental, é uma aliança entre as grandes empresas e o governo hipertrofiado. Conservadores que denunciam Barack Obama como “socialista” e Progressistas que encomiam o estado corporativo como “socialista” são apenas idiotas úteis para o poderio corporativo.
Kevin Carson is a senior fellow of the Center for a Stateless Society (c4ss.org) and holds the Center's Karl Hess Chair in Social Theory. He is a mutualist and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political Economy, Organization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation, and his own Mutualist Blog.
Kevin Carson é membro sênior do Centro por uma Sociedade sem Estado (c4ss.org) e titular da  Cátedra Karl Hess em Teoria Social do Centro. É mutualista e anarquista individualista cuja obra escrita inclui Estudos em Economia Política Mutualista, Teoria da Organização: Uma Perspectiva Libertária, e A Revolução Industrial Gestada em Casa: Manifesto de Baixo Overhead, todos disponíveis grátis online. Carson tem também escrito para publicações impressas como O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e para várias publicações e blogs da internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P, e seu próprio Blog Mutualista.



No comments:

Post a Comment