Wednesday, September 26, 2012

C4SS - Energy and Transportation Issues: A Libertarian Analysis[II.4]



ENGLISH
PORTUGUÊS
Center for a Stateless Society
Centro por uma Sociedade sem Estado
building public awareness of left-wing market anarchism
na construção da consciência pública do anarquismo esquerdista de mercado
Energy and Transportation Issues: A Libertarian Analysis
Questões de Energia e de Transporte: Análise Libertária
by Kevin Carson
por Kevin Carson
Center for a Stateless Society Paper No. 14 (Winter-Spring 2012)
Paper No. 14 do Centro por uma Sociedade sem Estado (Inverno-Primavera de 2012)
Continued
Continuação
I. Energy
I. Energia
State Preemption of Vacant Land.
Primazia/Preferência do Estado em Relação a Terra Desocupada.
Extractive industries like oil and coal are heavily dependent on privileged access to vacant land or offshore water preempted by the state. From the earliest days of European settlement in America, European states preempted title to vacant lands (or “vacant” lands already occupied by natives) and then granted them by the millions of acres to favored clients who in terms rented, leased or sold them to those who actually first occupied and used them. Under the terms of the Treaty of Paris in 1783, British Crown lands passed to the newly independent state governments. Likewise, land claimed by the French state became federal property under the Louisiana cession of 1803. And under the terms of the Treaty of Guadalupe-Hidalgo, state lands of the Republic of Mexico (formerly lands of the Spanish crown) passed directly into ownership by the U.S. government. In some western states, these federal lands are the great majority of total land. The government, in turn, leases this land at nominal rates to extractive industries. And the leases are awarded in auctions in which only members of a particular industry are allowed to bid (e.g. only timber companies are allowed to bid for leasing federal forest land, oil companies for petroleum reserves, etc.).
Indústrias extrativas tais como petróleo e hulha são fortemente dependentes de acesso privilegiado a terra desocupada ou a água costeira à qual o estado tenha preferência. Desde os primeiros dias do assentamento europeu nos Estados Unidos, os estados europeus tiveram a primazia do título de terras desocupadas (ou terras “desocupadas” já ocupadas por nativos) e em seguida as concederam na base de milhões de acres a clientes favorecidos que, por sua vez, as alugaram, arrendaram ou venderam aos que efetivamente primeiro as ocuparam e usaram. Nos termos do Tratado de Paris de 1783, terras da Coroa Britânica passaram aos governos de estados recentemente independentes. Analogamente, terra reivindicada pelo estado francês tornou-se propriedade federal nos termos da cessão da Louisiana de 1803. E nos termos do Tratado de Guadalupe-Hidalgo, terras do estado da República do México (antes terras da coroa espanhola) passaram diretamente a propriedade do governo dos Estados Unidos. Em alguns estados ocidentais, essas terras federais são a grande maioria da terra total. O governo, por sua vez, arrenda essa terra por valores nominais a indústrias extrativas. E os arrendamentos são concedidos em leilões nos quais apenas membros de uma indústria específica têm permissão de concorrer (por exemplo, apenas empresas madeireiras têm permissão de concorrer ao arrendamento de terra de floresta federal, companhias de petróleo a reservas de petróleo etc.).
Were vacant land not preempted by the state and then granted on a privileged basis, then such industries could establish legitimate homestead rights only over the land that they were capable of effectively developing and fully prepared to economically exploit at any given time. In the meantime, other groups might have homesteaded significant parcels of land with the intention of conserving it. Or individuals might have homesteaded it piecemeal for private use, drastically increasing the cost—or rendering altogether impractical—the exploitation of non-contiguous land. In a free market regime with open homesteading, extractive industries like oil would have to buy out such competition at whatever price the latter demanded, if they were willing to sell at all.
Não fosse a terra desocupada sujeita a preferência do estado e em seguida a ser cedida na base de privilégio, tais indústrias só poderiam estabelecer direitos de herdade sobre terra a qual fossem efetivamente capazes de desenvolver e manter plenamente preparada para exploração econômica em qualquer tempo dado. Enquanto isso, outros grupos poderiam estabelecer-se em parcelas significativas de terra com a intenção de preservá-las. Ou pessoas físicas poderiam estabelecer-se pouco a pouco para uso privado, aumentando drasticamente o custo — ou tornando-o completamente inviável — da exploração de terra não contígua. Num regime de livre mercado com estabelecimento em aberto, indústrias extrativas como a de petróleo teriam de pagar a tais competidores o que eles exigissem, e isso se eles resolvessem vender o que tivessem.
One reason the ecosystem in West Virginia has had so little protection against mountaintop removal is that small owners historically had so little recourse against expropriation—outright robbery—by politically influential corporate interests. As illustrated in the movie Matewan, the first white homesteaders in coal-rich western lands like what was to become West Virginia— who mostly lacked formal title to their land, having settled when government was still quite irregular — were later expropriated by the mining companies, who could afford to buy both good lawyers and bad legislators.
Um dos motivos pelos quais o ecossistema da Virgínia Ocidental tem tido tão pouca proteção contra remoção de topo de montanha é os pequenos proprietários historicamente terem tido tão pouco recurso contra expropriação — rematado roubo — da parte de interesses corporativos politicamente influentes. Como ilustrado no filme Matewan - A Luta Final, os primeiros brancos a se estabelecerem nas terras do oeste como aquelas que se tornariam a Virgínia Ocidental — os quais, em sua maioria, não possuíam título formal de sua terra, havendo-se assentado quando o governo ainda era bastante irregular — sofreram mais tarde expropriação da parte de companhias de mineração, que tinham como pagar tanto bons advogados quanto maus legisladores..
Offshore oil development, in a stateless society, might be hindered in many cases by such groups as fishermen's associations administering fisheries as regulated commons, and—with the help of local juries with much stricter standards than the EPA—enforcing strict liability claims against the environmental impact of drillers like BP.
A exploração de petróleo ao largo da costa, numa sociedade sem estado, poderia ser tolhida em muitos casos por grupos tais como associações de pescadores administradoras de pesqueiros como áreas regulamentadas de uso comum, e — com a ajuda de júris locais com padrões muito mais estritos do que os da EPA — levando avante reivindicações estritas de responsabilidade em relação ao impacto ambiental de perfuradoras tais como a British Petroleum - BP.
Foreign Policy.
Política Externa.
To a large extent the U.S. National Security State operates as a subsidy not only to petroleum consumption within the United States, but throughout the industrialized world. U.S. foreign policy is an adjunct of a larger corporatist policy of guaranteeing “safe, cheap and abundant energy” to the American economy.
Em grande medida o Estado de Segurança Nacional dos Estados Unidos funciona como um subsídio ao consumo de petróleo, não apenas dentro dos Estados Unidos como também em todo o mundo industrializado. A política externa dos Estados Unidos é apenso de política corporatista mais ampla voltada para garantir “energia segura, barata e abundante” para a economia estadunidense.
As we already mentioned, the U.S. Navy, with its expensive ships, is the most expensive of the U.S. armed services. And the primary function of the U.S. Navy and its carrier groups, as an instrument of policy for the world's leading maritime power, is to keep the sea lanes—particularly for oil tankers—open and safeguard them from attacks by terrorists, pirates or rival powers that might want to cripple the industrial economies of the United States and its oil-dependent allies.
Como já mencionamos, a Marinha dos Estados Unidos, com seus dispendiosos navios, é o mais caro dos serviços armados dos Estados Unidos. E a função precípua da Marinha dos Estados Unidos e de suas flotilhas de porta-aviões, como instrumento de política da potência marítima líder do mundo, é manter os corredores marítimos — particularmente para petroleiros — abertos e protegê-los de ataques de terroristas, piratas ou potências rivais que possam desejar mutilar as economias industriais dos Estados Unidos e de seus aliados dependentes de petróleo.
The missions of the U.S. Central Command—CENTCOM—are focused mainly on guaranteeing access to Persian Gulf and Caspian Basin oil reserves. The two enormously expensive wars which the U.S. has fought in Afghanistan and Iraq over the past decade were primarily the result of considerations involving these reserves. The same is true of the “Great Game” between the U.S. and Russia—including competition over basing rights in former Soviet Central Asia and such Russian initiatives as the Shanghai Security Organization.
As missões do Comando Central dos Estados Unidos — CENTCOM — estão voltadas principalmente para garantir acesso às reservas de petróleo do Golfo Pérsico e da Bacia do Cáspio. As duas enormemente dispendiosas guerras que os Estados Unidos levaram a efeito no Afeganistão e no Iraque na década passada foram precipuamente resultado de considerações envolvendo referidas reservas. O mesmo é verdade a respeito do “Grande Jogo” entre Estados Unidos e Rússia — inclusive competição a propósito de direitos a bacias na ex-Ásia Central Soviética e de iniciativas russas tais como a Organização de Segurança de Xangai.
Accounting and Corporate Culture.
Contabilidade e Cultura Corporativa.
Energy waste and excessive consumption are further exacerbated by the cartelizing effects of the regulatory state, which insulate large corporations in oligopoly industries from the negative effects and weaken the competitive penalties from inefficiency.
Desperdício e consumo excessivo de energia são adicionalmente exacerbados pelos efeitos cartelizadores do estado regulamentador, que protege grandes corporações em indústrias de oligopólio contra efeitos negativos e suaviza os reveses competitivos decorrentes de ineficiência.
In the state-cartelized economy, most manufacturing—and a great deal of other activity like food processing, retail, etc.—takes place in oligopoly markets where a handful of firms control most of the market share. Such markets commonly operate on the basis of administered prices, with prices tending to cluster into a fairly narrow range as the result of the “price leader” system. Hence there is only limited competitive pressure for cost minimization, and excessive costs can be passed onto the consumer through administered pricing.
Na economia cartelizada pelo estado, a maior parte da manufatura — e grande parte de outras atividades tais como processamento de alimentos, varejo etc. — tem lugar em mercados oligopolizados onde um punhado de firmas controla a maior fatia do mercado. Tais mercados usualmente funcionam na base de preços administrados, com os preços tendendo a concentrarem-se em faixa bem estreita como resultado do sistema de “líder de preços.” Portanto há apenas pressão limitada no sentido de minimização de custos, e custos excessivos podem ser repassados ao consumidor por meio de preços administrados.
Under these conditions, to say there is little internal interest in energy efficiency inside the large corporation is a gross understatement. American business culture for over a century has been based mainly on growth through the extensive addition of inputs, rather than the more intensive use of existing inputs.
Nessas condições, dizer que há pouco interesse interno em eficiência de energia dentro da grande corporação é mais do que eufemismo. A cultura de negócios estadunidense por mais de século vem-se baseando em crescimento por meio de acréscimo extensivo de insumos, em vez de por meio de uso mais intensivo dos insumos já existentes.
The very management accounting system in common use in American corporations creates a set of perverse incentives, because it equates the consumption of inputs as such to the creation of value (a bias it shares with Soviet central planning and national GDP accounting). As William Waddell and Norman Bodek argued in The Rebirth of American Industry, production labor is the only thing treated as a direct, variable cost in corporate management accounting. Hence when MBAs talk about cost-cutting, what they mean is obsessively looking for every spare second they can shave off of direct labor. Whenever business slows down workers are laid off, and when it picks up again they are either called back or replaced. This is the case despite the fact that labor is really more like a capital asset: skilled labor is extremely expensive to replace, and an efficient production process presupposes human capital: all the kinds of tacit knowledge and informal relationships that have built up over the course of years as an aid to people doing their jobs.19
O próprio sistema de contabilidade gerencial de uso comum nas corporações estadunidenses cria conjunto de incentivos perversos, porque faz equivaler o consumo de insumos enquanto tal à criação de valor (viés que compartilha com o planejamento centralizado soviético e a contabilidade nacional do Produto Interno Bruto - GDP). Como argumentaram William Waddell e Norman Bodek em O Renascimento da Indústria Estadunidense, o trabalho do trabalhador de produção é a única coisa tratada como custo direto e variável na contabilidade de gerência corporativa. Portanto quando Mestres em Administração de Empresas - MBA falam de cortar custos, o que eles querem dizer é atentar para cada segundo de lazer que possam subtrair do trabalhador direto. Sempre que os negócios andem mais devagar trabalhadores são demitidos, e quando voltem a aumentar os trabalhadores ou são chamados de volta ou substituídos. Isso é o que acontece a despeito do fato de o trabalho ser mais como um ativo de capital: o trabalho qualificado é de extremamente difícil substituição, e processo eficiente de produção pressupõe capital humano: todos os tipos de conhecimento tácito e de relacionamentos informais que se constroem no curso de anos para auxiliar as pessoas a desempenhar suas atividades.19
Capital outlays and management salaries, on the other hand, are viewed as fixed, indirect costs. That means they're simply treated as overhead and included in the internal transfer prices of goods which are “sold” to inventory. And since inventory counts as a liquid asset under the corporate accounting system, the greater the overhead costs from management featherbedding and capital spending boondoggles, the better for the company's balance sheet. That's the same kind of cost-maximizing incentive, in an environment of cost-plus markup and guaranteed return, that leads to regular cost overruns among military contractors.
Desembolsos de capital e salários da gerência, por outro lado, são vistos como custos fixos e indiretos. Isso significa eles serem simplesmente tratados como despesas gerais - overhead e incluídos nos preços de transferência interna de bens que são “vendidos” ao estoque. E como o estoque conta como ativo líquido no sistema de contabilidade da corporação, quanto maiores os custos de overhead das condições especiais aquinhoadas à gerência e dos projetos extravagantes, melhor para a folha de balanço da empresa. É o mesmo tipo de incentivo de maximização de custos, num ambiente de acréscimo de preço mediante aplicação de fator de lucro fixo predeterminado e retorno garantido, que leva a custos excedentes sistemáticos de empreiteiras militares.
If you infer from this that the average large corporation probably pays no serious attention to energy efficiency, you are entirely correct. Even firms that consider future cost savings from energy efficiency at all—as opposed to making purchases based entirely on initial price—require extremely quick payback from an investment in energy efficiency (“a median of 1.9 years”). A 1.9 year simple payback on an investment in energy efficiency “is equivalent to a 71 percent real after-tax rate of return per year”—a far, far higher return than the corporate bean-counters consider high enough to justify a conventional investment. Most firms, therefore, “invest every day in ways to increase production or sales that don't return anywhere near 71 percent a year after tax; yet they continue to insist, often unknowingly, that energy efficiency leap this lofty hurdle.” The typical MBA would jump at a guaranteed return of 27% after tax on an investment; but when the same rate of return is described as a 3.4 year simple payback, they couldn't care less. This means, in practical terms, “tenfold higher requirements for saving energy than for producing it.”20 Totally irrational? You bet. That's the point: In a state-cartelized economy, you can afford to be irrational.
Se você inferir disto que, em média, a grande corporação provavelmene não dará atenção séria a eficiência energética, estará inteiramente correto. Mesmo firmas que considerem futura economia de custos decorrentes de eficiência em energia em qualquer medida — em contraste com efetivação de compras baseada inteiramente no preço inicial — requerem reembolso extremamente rápido de investimento em eficiência energética (“mediana de 1,9 ano”). Um reembolso simples em 1,9 ano sobre o investimento em eficiência de energia “é equivalente a taxa real após pagamento de impostos de 71 por cento ao ano” — retorno muito, muito maior do que os contadores de feijões corporativos consideram grande o bastante para justificar investimento convencional. Portanto, a maioria das firmas “investe todos os dias em meios de aumentar a produção ou vendas que não dão retorno nem perto de 71 por cento depois de pagos os impostos; no entanto continuam a insistir, amiúde inadvertidamente, em que a eficiência em energia salte por cima desse alto obstáculo.” O MBA típico ficará feliz com retorno garantido de 27% sobre investimento depois de pagos os impostos; mas quando a mesma taxa de retorno é descrita como reembolso simples anual de 3,4, ele nem dá atenção. Isso significa, em termos práticos, “exigências dez vezes mais altas para economia de energia do que para produção dela.”20 Totalmente irracional? Sem dúvida. Este é o ponto: Numa economia cartelizada, você tem permissão para ser irracional.
Besides this lack of incentives, in an economy where the state subsidizes large organizational size and externalizes the inefficiency costs of it, the typical large corporation also has severe knowledge problems resulting from its bureaucratic culture. Such a culture makes it difficult to coordinate knowledge of any kind, or to make rational decisions on any subject—including energy. Given the stovepiping of specialized knowledge and the difficulties of aggregating dispersed knowledge in a corporate bureaucracy, the design of plant and equipment and of products tends to be quite defective.
Além dessa falta de incentivos, numa economia onde o estado subsidia grande porte organizacional e externaliza os custos respectivos, a grande corporação típica tem também severos problemas de conhecimento resultante de sua cultura burocrática. Essa cultura torna difícil coordenar conhecimento de qualquer tipo, ou tomar decisões racionais acerca de qualquer assunto — inclusive energia. Dados o funil de conhecimento especializado e as dificuldades de agregar conhecimento disperso numa burocracia corporativa, o projeto de fábrica e equipamento e o de produtos tende a ser bastante falho.
End of [II.4]
Fim de [II.4]
To be continued
Continua
19 William Waddell and Norman Bodek, The Rebirth of American Industry: A Study of Lean Management (Vancouver, WA: PCS Press, 2005). See Carson, The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto (CreateSpace, 2010), Chapter Two for a more detailed discussion.  
19 William Waddell e Norman Bodek, O Renascimento da Indústria Estadunidense: Estudo de Gerência Enxuta (Vancouver, WA: PCS Press, 2005). Ver Carson, A Revolução Industrial Gestada em Casa: Manifesto de Baixo Overhead (CreateSpace, 2010), Capítulo Dis para discussão mais detalhada.  
20 Natural Capitalism , pp. 266-268.  
20 Capitalismo Natural, pp. 266-268.  
C4SS (c4ss.org) Research Associate Kevin Carson is a contemporary mutualist author and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political EconomyOrganization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation and his own Mutualist Blog.
O Associado de Pesquisa do C4SS (c4ss.org) Kevin Carson é autor mutualista e anarquista individualista contemporâneo cuja obra escrita inclui Estudos em Economia Política MutualistaTeoria da Organização: Uma Perspectiva Libertária, e  A Revolução Industrial Gestada em Casa: Manifesto de Baixo Overhead, todos livremente disponíveis online. Carson também tem escrito para publicações tais como: O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e diversos periódicos e blogs da internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P e seu próprio Blog Mutualista.

No comments:

Post a Comment