Wednesday, September 26, 2012

C4SS - Energy and Transportation Issues: A Libertarian Analysis [V.3]


ENGLISH
PORTUGUÊS
Center for a Stateless Society
Centro por uma Sociedade sem Estado
building public awareness of left-wing market anarchism
na construção da consciência pública do anarquismo esquerdista de mercado
Energy and Transportation Issues: A Libertarian Analysis
Questões de Energia e de Transporte: Análise Libertária
by Kevin Carson
por Kevin Carson
Center for a Stateless Society Paper No. 14 (Winter-Spring 2012)
Paper No. 14 do Centro por uma Sociedade sem Estado (Inverno-Primavera de 2012)
Continued
Continuação
IV. The Solution
IV. A Solução
Fiscal Crisis.
Crise Fiscal.
The origins of corporate capitalism and the mass-production economy are associated with massive government subsidies; since then the tendency of corporate capital to socialize its operating costs has never abated. As a matter of basic economics, whenever you subsidize something and make it available to the user for less than its real cost, demand for it will increase. American capitalism, as a result, has followed a pattern of expansion—particularly in the case of energy—skewed toward extensive additions of subsidized inputs, rather than more intensive use of existing ones. As James O'Connor describes the process,
As origens do capitalismo corporativo e da economia de produção em massa estão associadas a subsídios governamentais maciços; desde então a tendência do capital corporativo de socializar seus custos operacionais nunca arrefeceu. Como questão de economia básica, sempre que você subsidia algo e torna esse algo disponível para o usuário por menos do que seu custo real, a demanda aumentará. O capitalismo estadunidense, em decorrência, seguiu um padrão de expansão  — particularmente no caso da energia — guinado no sentido de acréscimos extensivos de insumos subsidiados, em vez de uso mais intensivo dos insumos já existentes. Como James O'Connor descreve o processo,
Transportation costs and hence the fiscal burden on the state are not only high but also continuously rising. It has become a standard complaint that the expansion of road transport facilities intensifies traffic congestion. The basic reason is that motor vehicle use is subsidized and thus the growth of the freeway and highway systems leads to an increase in the demand for their use.50
Os custos de transporte e portanto a carga fiscal sobre o estado não apenas são altos como, ademais, estão continuamente aumentando. Já se tornou queixa padrão que a expansão das facilidades de transporte rodoviário intensifica a congestão do tráfego. O motivo básico é o uso do veículo motorizado ser subsidiado e portanto o aumento dos sistemas de autoestradas e rodovias levar a aumento da demanda por seu uso.50
There is another reason to expect transportation needs (and budgets) to expand. The development of rapid transport and the modernization of the railroads, together with the extension of the railroad systems, will push the suburbs out even further from urban centers, putting still more distance between places of work, residence, and recreation. Far from contributing to an environment that will free suburbanites from congestion and pollution, rapid transit will, no doubt, extend the traffic jams and air pollution to the present perimeters of the suburbs, thus requiring still more freeway construction, which will boost automobile sales.51
Há outro motivo para a expectativa de que as necessidades de transporte (e orçamentos) se expandam. O desenvolvimento de transporte rápido e a modernização das ferrovias, juntamente com a extensão dos sistemas ferroviários, empurrarão ois subúrbios para ainda mais longe dos centros urbanos, colocando ainda mais distância entre locais de trabalho, residência e recreação. Longe de contribuir para um ambiente que libere a população suburbana de congestão e poluição, o transporte rápido sem dúvida estenderá o congestionamento do tráfego e a poluição do ar para os atuais perímetros dos subúrbios, assim tornando necessária ainda mais construção de autoestradas, o que impulsionará a venda de automóveis.51
And the tendency of monopoly capitalism to generate surplus capital and output also increases the amount of money that the state must spend to absorb the surplus.
E a tendência do capitalismo monopolista de gerar excedentes de capital e de produção também aumenta a quantidade de dinheiro que o estado terá de despender para absorver o excedente.
Monopoly capitalism, according to O'Connor, is therefore plagued by a “fiscal crisis of the state.” “...[T]he socialization of the costs of social investment and social consumption capital increases over time and increasingly is needed for profitable accumulation by monopoly capital.”52
O capitalismo monopolista, de acordo com O'Connor, é pois afligido por uma “crise fiscal do estado.” “...[A] socialização dos custos do investimento social e do capital para consumo social aumenta ao longo do tempo e cada vez mais é necessária para acumulação lucrativa pelo capital monopolista.”52
...[A]lthough the state has socialized more and more capital costs, the social surplus (including profits) continues to be appropriated privately.... The socialization of costs and the private appropriation of profits creates a fiscal crisis, or “structural gap,” between state expenditures and state revenues. The result is a tendency for state expenditures to increase more rapidly than the means of financing them.53
...[E]mbora o estado tenha socializado cada vez mais custos de capital, o excedente social (inclusive lucros) continua a ser apropriado privadamente.... A socialização dos custos e a apropriação privada dos lucros criam uma crise fiscal, ou “gap estrutural,” entre gastos do estado e receitas do estado. O resultado é tendência de os gastos do estado aumentarem mais rapidamente do que os meios para financiá-los.53
In short, the state is bankrupting itself providing subsidized inputs to big business, while big business's demand for those subsidized inputs increases faster than the state can provide them. As Ivan Illich put it,
Em suma, o estado está levando a si próprio à falência ao proporcionar insumos subsidiados às grandes empresas, enquanto a demanda das grandes empresas por esses insumos subsidiados aumenta mais depressa do que a capacidade do estado de oferecê-los. Nas palavras de Ivan illich,
queues will sooner or later stop the operation of any system that produces needs faster than the corresponding commodity....54
filas mais cedo ou mais tarde interromperão o funcionamento de qualquer sistema que produza necessidades mais depressa do que a commodity correspondente....54
...[I]nstitutions create needs faster than they can create satisfaction, and in the process of trying to meet the needs they generate, they consume the Earth.55
...[A]s instituições criam necessidades mais depressa do que conseguem criar satisfação e, no processo de tentarem atender às necessidades que geram, consomem a Terra.55
The distortion of the price system, which in a free market would tie quantity demanded to quantity supplied, leads to ever-increasing demands on state services. Normally price functions as a form of feedback, a homeostatic mechanism much like a thermostat. Putting a candle under a thermostat will result in an ice-cold house When certain hormonal feedback loops are distorted in an organism, you get gigantism; the victim dies crushed by his own weight. Likewise, when the consumption of some factor is subsidized by the state, the consumer is protected from the real cost of providing it, and unable to make a rational decision about how much to use. So the state capitalist sector tends to add factor inputs extensively, rather than intensively; that is, it uses the factors in larger amounts, rather than using existing amounts more efficiently. The state capitalist system generates demands for new inputs from the state geometrically, while the state's ability to provide new inputs increases only arithmetically. The result is a process of snowballing irrationality, in which the state's interventions further destabilize the system, requiring yet further state intervention, until the system's requirements for stabilizing inputs finally exceed the state's resources. At that point, the state capitalist system reaches a breaking point.
A distorção do sistema de preços, que num livre mercado amarraria a quantidade demandada à quantidade ofertada, leva a demandas sempre crescentes de serviços do estado. Normalmente, o preço funciona como forma de feedback/retroalimentação, um mecanismo homeostático muito parecido com um termostato. Colocar uma vela sob um termostato dará como resultado uma casa enregelada. Quando certos loops/laços de feedback hormonal são distorcidos num organismo, tem-se gigantismo; a vítima morre esmagada por seu próprio peso. Analogamente, quando o consumo de algum fator é subsidiado pelo estado, o consumidor é protegido do custo real de ele ser proporcionado, e se torna incapaz de tomar decisão racional acerca do quanto dele usar. Assim o setor capitalista de estado tende a acrescentar insumos de fator extensivamente, em vez de intensivamente; isto é, ele usa os fatores em maior quantidade, em vez de usar a quantidade já existente mais eficientemente. O sistema capitalista de estado gera demandas para novos insumos do estado geometricamente, enquanto a capacidade do estado para proporcionar novos insumos aumenta apenas aritmeticamente. O resultado é um processo de irracionalidade bola de neve, no qual intervenções do estado desestabilizam mais o sistema, exigindo mais intervenção do estado, até que as exigências do sistema para estabilizar insumos finalmente excedem os recursos do estado. Nesse ponto, o sistema capitalista de estado atinge ponto de ruptura.
Eventually, therefore, state capitalism hits a wall at which the state is no longer able to increase the supply of subsidized inputs. States approach the condition described by John Robb's term “hollow state”:
Finalmente, pois, o capitlismo de estado vê-se numa situação sem solução na qual o estado não mais tem como aumentar a oferta de insumos subsidiados. Os estados caminham para a condição descrita pelo termo de John Robb “estado oco”:
The hollow state has the trappings of a modern nation-state (”leaders”, membership in international organizations, regulations, laws, and a bureaucracy) but it lacks any of the legitimacy, services, and control of its historical counter-part. It is merely a shell that has some influence over the spoils of the economy.56
O estado oco tem a roupagem de um moderno estado-nação (”líderes”, condição de membro de organizações internacionais, regulamentações, leis, e uma burocracia) mas não tem nada da legitimidade, dos serviços e do controle de sua contraparte histórica. É meramente uma concha que tem alguma influência sobre o espólio da economia.56
...A hollow state is different from a failed state in that it continues to exist on the international stage. It has all the standard edifices of governance although most are heavily corrupted and in thrall to global corporate/monied elites. It continues to deliver political goods (albeit to a vastly diminished group, usually around the capital) and maintains a military. Further, in sections of the country, there is an appearance of normal life.57
...O estado oco é diferente do estado falido nisto, em que continua a existir no palco internacional. Tem as estruturas padrões da governança, embora a maioria esteja fortemente corrompida e sob o domínio das elites globais corporativas/afluentes. Continua a proporcionar bens políticos (embora para grupo vastamente diminuído, usualmente em torno do capital) e mantém uma instituição militar. Ademais, em secções do país, há aparência de vida normal.57
But to the extent that the current economic structure is heavily dependent on government activity, and adjustment to the withdrawal of subsidized infrastructure and services may take time, an abrupt retreat of state activity may result in a catastrophic period of adjustment.
Entretanto, na medida em que a estrutura econômica atual é fortemente dependente da atividade do governo, e o ajuste à retirada de infraestrutura e serviços subsidiados poderá levar algum tempo, recuo abrupto da atividade do estado poderá resultar em período catastrófico de ajustamento. 
The fiscal crisis dovetails with Peak Oil and other resource crises, in a mutually reinforcing manner. The imperative of securing strategic access to foreign oil reserves, and keeping the sea lanes open, results in costly wars. The increased cost of asphalt intensifies the already existing tendency, of demand for subsidized transportation infrastructure to outstrip the state's ability to supply it. As the gap expands, the period between deterioration of roads and the appropriation of money to repair them lengthens. The number of miles of high-volume highway the state is able to keep in a reasonable state of repair falls from one year to the next, and the state is continually forced to retreat and regroup and relegate an ever-larger share of highways to second-tier status. As James Kunstler points out, a highway is either kept in repair, or it quickly deteriorates.
A crise fiscal se embute no Pico do Petróleo e em outras crises de recursos, de maneira mutuamente reforçadora. O imperativo de asseguar acesso estratégico a reservas estrangeiras de petróleo, e de manter as vias marítimas abertas, resulta em dispendiosas guerras. O aumento do custo do asfalto intensifica a já existente tendência de a demanda por infraestrutura de transporte subsidiada exceder a capacidade do estado de atendê-la. À medida que o gap se expande, o período entre deterioração de estradas e apropriação do dinheiro para repará-las aumenta. O número de milhas de rodovias de alto volume que o estado consegue manter em estado razoável de conservação cai de um ano para o seguinte, e o estado é continuamente forçado a recuar e reagrupar e a relegar parcela cada vez maior das rodovias a condição de segunda classe. Como destaca James Kunstler, uma rodovia ou é mantida sendo reparada, ou rapidamente se deteriorará.
Another consequence of the debt problem is that we won't be able to maintain the network of gold-plated highways and lesser roads that was as necessary as the cars themselves to make the motoring system work. The trouble is you have to keep gold-plating it, year after year. Traffic engineers refer to this as "level-of-service." They've learned that if the level-of-service is less than immaculate, the highways quickly enter a spiral of disintegration. In fact, the American Society of Civil Engineers reported several years ago that the condition of many highway bridges and tunnels was at the "D-minus" level, so we had already fallen far behind on a highway system that had simply grown too large to fix even when we thought we were wealthy enough to keep up.58
Outra consequência do problema da dívida é que não teremos como manter a rede de rodovias de qualidade superior e de estradas secundárias, tão necessária quanto os próprios carros para fazer o sistema motorizado funcionar. O problema é que temos de manter a alta qualidade, ano após ano. Engenheiros de tráfego referem-se a isso como "nível de serviço." Eles já aprenderam que se o nível de serviço for menos do que imaculado, as rodovias rapidamente entrarão numa espiral de desintegração. De fato, a Sociedade Estadunidense de Engenheiros Civis relatou, há diversos anos, que a condição de muitas pontes e túneis em rodovias estavam no nível "D-menos," portanto já havíamos ficado muito para trás num sistema de rodovias que simplesmente havia-se tornado grande demais para ser consertado mesmo quando achávamos ser ricos o bastante para mantê-lo.58
It doesn't take many years of neglect before deterioration and axle-breaking potholes render a highway unusable to heavy trucks, so that a growing share of the highway network will for all intents and purposes be abandoned.59
Não são necessários muitos anos de negligência antes que a deterioração e panelas quebradoras de eixos tornem uma rodovia inusável por caminhões pesados, de tal maneira que crescente parcela da rede de rodovias venha a, para todos os intentos e propósitos, ser abandonada.59
So each input crisis feeds the other, and we have a perfect storm of terminal crises. As described by Illich,
Assim, cada crise de insumos alimenta a outra, e temos condições ideais para crises terminais. Como descrito por Illich,
The total collapse of the industrial monopoly on production will be the result of synergy in the failure of multiple systems that fed its expansion. This expansion is maintained by the illusion that careful systems engineering can stabilize and harmonize present growth, while in fact it pushes all institutions simultaneously toward their second watershed.60
O colapso total do monopólio industrial da produção será resultado de sinergia no colapso de múltiplos sistemas que alimentaram sua expansão. Essa expansão é mantida pela ilusão de que cuidadosa engenharia de sistemas possa estabilizar e harmonizar o presente crescimento, quando em realidade ela empurra todas as instituições simultaneamente rumo a seu segundo ponto de inflexão.60
End of [V.3]
Fim de [V.3]
To be continued
Continua
50 James O'Connor, The Fiscal Crisis of the State (New York: St. Martin's Press, 1973), p. 106.  
50 James O'Connor, A Crise Fiscal do Estado (New York: St. Martin's Press, 1973), p. 106.  
51 Ibid., pp. 109-110.  
51 Ibid., pp. 109-110.  
52 Ibid., p. 8.  
52 Ibid., p. 8.  
53 Ibid., p. 9.  
53 Ibid., p. 9.  
54 Illich, Disabling Professions (New York and London: Marion Boyars, 1977), p. 30.  
54 Illich, Profissões Incapacitantes (New York and London: Marion Boyars, 1977), p. 30.  
55 Illich, Deschooling Society (New York, Evanston, San Francisco, London: Harper and Row, 1973).  
55 Illich, Desinstrução da Sociedade (New York, Evanston, San Francisco, London: Harper e Row, 1973).  
56 John Robb, “Onward to a Hollow State,” Global Guerrillas, September 22, 2009 [Please see link in the original]
56 John Robb, “Rumo ao Estado Oco,” Guerrilheiros Globais, 22 de setembro de 2009 [Por favor veja link no original]
57 Robb, “HOLLOW STATES vs. FAILED STATES,” Global Guerrillas, March 24, 2009 [Please see link in the original]
57 Robb, “ESTADOS OCOS EM CONTRASTE COM ESTADOS FALIDOS,” Guerrilheiros Globais, 24 de março de 2009 [Por favor veja link no original]
58 James Howard Kunstler, “Lagging Recognition,” Clusterfuck Nation, June 8, 2009 [Please see link in the original]
58 James Howard Kunstler, “Retardamento do Reconhecimento,” Nação Desastrada, 8 de junho de 2009 [Por favor veja link no original]  
59 Kunstler, The Long Emergency, pp. 264-265.  
59 Kunstler, A Longa Emergência, pp. 264-265.  
60 Illich, Tools for Conviviality (New York, Evanston, San Francisco, London: Harper and Row, 1973), p. 103.  
60 Illich, Instrumentos de Afabilidade (New York, Evanston, San Francisco, Londres: Harper and Row, 1973), p. 103.  
C4SS (c4ss.org) Research Associate Kevin Carson is a contemporary mutualist author and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political EconomyOrganization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation and his own Mutualist Blog.
O Associado de Pesquisa do C4SS (c4ss.org) Kevin Carson é autor mutualista e anarquista individualista contemporâneo cuja obra escrita inclui Estudos em Economia Política MutualistaTeoria da Organização: Uma Perspectiva Libertária, e  A Revolução Industrial Gestada em Casa: Manifesto de Baixo Overhead, todos livremente disponíveis online. Carson também tem escrito para publicações tais como: O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e diversos periódicos e blogs da internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P e seu próprio Blog Mutualista.



No comments:

Post a Comment