Wednesday, September 26, 2012

C4SS - Energy and Transportation Issues: A Libertarian Analysis [IV.2]


ENGLISH
PORTUGUÊS
Center for a Stateless Society
Centro por uma Sociedade sem Estado
building public awareness of left-wing market anarchism
na construção da consciência pública do anarquismo esquerdista de mercado
Energy and Transportation Issues: A Libertarian Analysis
Questões de Energia e de Transporte: Análise Libertária
by Kevin Carson
por Kevin Carson
Center for a Stateless Society Paper No. 14 (Winter-Spring 2012)
Paper No. 14 do Centro por uma Sociedade sem Estado (Inverno-Primavera de 2012)
Continued
Continuação
III. Sprawl and the Car Culture
III. Alastramento e Cultura do Carro
Zoning.
Zoneamento.
Local zoning ordinances and design plattes actually mandate sprawl and monoculture , and prohibit mixed use development.
Leis municipais de zoneamento local e mapas de projeto em realidade tornam inevitável o alastramento e a monocultura, e vedam o desenvolvimento imobiliário de uso misto.
Zoning laws criminalize neighborhood enterprises like grocery stores in predominantly residential areas, or businesses operated out of people's homes. They criminalize cheap housing in commercial areas, like walk-up apartments over business enterprises. Even something as minimal as reviving neighborhood grocers, alone, would reduce gasoline consumption by around 5%.40
As leis de zoneamento criminam empreendimentos de bairro tais como mercearias em áreas predominantemente residenciais, ou empresas que funcionem na casa das pessoas. Criminam residências baratas em áreas comerciais, tais como apartamentos no andar de cima de estabelecimento de negócios. Mesmo algo tão insignificante quanto revivescer as mercearias do bairro, só isso, reduziria o consumo de gasolina em cerca de 5%.40
Through minimum parking lot size mandates, they not only promote the big box model of commercial development in outlying areas, but promote a model of downtown development based on gentrification (with people driving in from outside rather than walking in from the surrounding neighborhood as the main source of business). Development plattes that mandate minimum curb setbacks for houses impose a Brady Bunch-style model of suburban design.
Por meio de determinações oficiais acerca de tamanho de estacionamentos, não apenas é promovido o modelo de desenvolvimento comercial de hiperlojas em áreas distantes, como é promovido modelo de desenvolvimento imobiliário do centro baseado em gentrificação (com pessoas de fora vindo de carro em vez de andando a partir dos bairros vizinhos, como fonte principal de negócios). Mapas de projetos de desenvolvimento que estipulam distância mínima do meio-fio para casas impõem um modelo Brady Bunch de desenho suburbano.
James Kunstler tells the story of a house that burned down in an old Georgetown neighborhood of bungalows set close to the street. The old houses were grandfathered in under the new urban design plattes. But the new house on the lot wasn't. So the street in question wound up consisting of a long line of houses snuggled close to a maple-shaded sidewalk—except for one split-level ranch set back from the street with a golf course for a front yard.
James Kunstler conta a história de uma casa que foi consumida pelo fogo em um antigo bairro de Georgetown de bangalôs próximos à rua. As velhas casas ficaram isentas em relação aos novos mapas de projeto urbano. Assim a rua em questão acabou consistindo de longa linha de casas aconchegadas perto de uma calçada sombreada por bordos — com exceção de uma grande casa tipo fazenda de dois níveis afastada da rua tendo como área frontal um campo de golfe.
Unless one takes the fantastic position that zoning laws fortuitously replicate the exact same pattern of urban development that would have taken place in a free market—that laws prohibiting neighborhood commercial enterprises, prohibiting walk-up apartments over downtown stores, and mandating minimum lawn and parking lot sizes had absolutely no effect because there was not a single person who would have desired to do anything forbidden by these laws—then the logic is inescapable that their net effect was some non-zero increase in sprawl.
A menos que alguém assuma a fantástica posição de afirmar que as leis de zoneamento reproduzem fortuitamente exatamente o mesmo padrão de desenvolvimento urbano que teria tido lugar em um livre mercado — que leis proibindo empresas comerciais de bairro, proibindo apartamentos no andar de cima de lojas no centro, e exigindo tamanho mínimo de gramados e estacionamentos não tenham tido absolutamente nenhum efeito por não haver uma só pessoa que desejasse fazer qualquer das coisas proibidas por essas leis —então a lógica é inescapável de que seu efeito irredutível foi algum aumento diferente de zero em termos de alastramento.
Utility Subsidies and Infrastructure for Outlying Development.
Subsídios para Serviços de Utilidade Pública e Infraestrutura para Desenvolvimento Remoto.
Public utilities and local governments, typically, provide artificially cheap roads and water and sewer connections to new housing additions, at the expense of taxpayers and ratepayers in older, more centrally located neighborhoods.
Empresas de serviço de utilidade pública e governos locais, geralmente, oferecem conexões de estradas, água e esgoto artificialmente baratas para novos acréscimos de casas, a expensas dos contribuintes e usuários dos serviços de bairros mais antigos localizados mais centralmente.
For example, in the neighboring city of Fayetteville, Arkansas, back in 2006, the local government proposed a one cent increase in the sales tax to fund an expansion of the sewer system to meet the burden imposed on the system imposed by new outlying residential and commercial developments. At the time Mayor Dan Coody—who'd been elected as a green/”smart growth” candidate, by the way—said it was “the only alternative” to a higher sewer rate for existing customers. If it was “the only alternative,” that's because the people who framed “alternatives” for public referendum didn't choose to put anything else on the table. After the voters approved that once cent sales tax by a slim margin, the government proposed an increase in the sewer hookup fee for new developments. But having already approved one tax increase, the voters were understandably not in the mood for another increase in fees. An increase in sewer hookup costs for those who actually imposed burdens on the system would have been the logical solution. But for some reason that “alternative” wasn't “on the table” for the first vote. The reason might have had something to do with Jim Lindsey and Associates, a real estate concern with billions of dollars in properties around northwest Arkansas.
Por exemplo, na cidade vizinha de Fayetteville, Arkansas, em 2006, o governo local propôs aumento de um por cento no imposto de consumo sobre mercadorias para financiar uma expansão do sistema de esgotos para que este desse conta da sobrecarga e ele imposta por novos emprendimentos imobiliários remotos residenciais e comerciais. À época o Prefeito Dan Coody — que havia sido eleito como  candidato verde/”de crescimento inteligente,” aliás — disse que aquela era “a única alternativa” a tributo mais alto relativo a esgoto a ser pago pelos consumidores existentes. Se era “a única alternativa,” isso era porque as pessoas que definiam as “alternativas” para referendo público não optavam por colocar qualquer outra coisa sobre a mesa. Depois que os eleitores aprovaram aquele um por cento de imposto sobre mercadorias por estreita margem, o governo propôs aumento no tributo de conexão de esgotos para novos empreendimentos. Tendo porém já aprovado um aumento de imposto, os eleitores compreensivelmente não estavam dispostos a outro aumento de tributo. A solução lógica teria sido aumento na conexão de esgotos para aqueles que com efeito impunham sobrecarga ao sistema. Por algum motivo, porém, essa “alternativa” não esteve “na mesa” na primeira votação. O motivo pode ter tido a ver com a Jim Lindsey e Associados, empresa imobiliária com biliões de dólares em propriedades no noroeste do Arkansas.
Summary.
Resumo.
The cumulative effect of subsidies and legal mandates for urban sprawl has been to create a society, over the past several decades, in which there are two separate cities for each person. There's the city in which the person works and shops, and another city in which she goes home to sleep. Each has its own energy-consuming utility infrastructure, and the two are linked by an enormously energy-consuming daily commute.
O efeito cumulativo de subsídios e exigências legais para alastramento urbano tem sido a criação de uma sociedade, ao longo das várias décadas passadas, na qual há duas cidades diferentes para cada pessoa. Há a cidade na qual a pessoa trabalha e faz compras, e outra cidade na qual ela vai para casa para dormir. Cada uma tem sua própria infraestrutura de serviços públicos consumidora de energia, e as duas são ligadas por comutação enormemente consumidora de energia de pessoas indo para o trabalho e voltando para casa.
The physical boundary between this new society and the old is delineated by the point at which new settlement began after the introduction of the Model T. Within this boundary are the old parts of town as they existed around WWI: walkable downtowns, surrounded by old residential neighborhoods designed for convenient access to Main Street via foot, bicycle or streetcar. Residential streets tend to be narrow, with comparatively small front lawns and shade trees, and foot and bicycle traffic are part of everyday life.
A fronteira física entre essa nova sociedade e a antiga é delineada pelo ponto no qual começaram novos assentamentos depois da introdução do Modelo T. Aquém dessa fronteira estão as antigas partes da cidade como existiam em torno da Primeira Guerra Mundial: centros onde se pode andar, circundados por antigos bairros residenciais projetados para acesso conveniente à Rua Principal a pé, por bicicleta ou de bonde. As ruas residenciais tendem a ser estreitas, com gramados frontais relativamente pequenos e árvores de sombra, e o tráfego a pé e de bicicleta é parte da vida cotidiana.
Outside this boundary is a system of freeways, lined with suburban residential monocultures and strip malls. To get from one's home to one's job or shopping, it's necessary to drive from the cul-de-sac in which one lives to the nearest freeway cloverleaf, and drive from there to another exit which leads to a commercial monoculture. In this new America, residential areas are designed mainly to drive through, with huge lawns in front of split-level ranch homes. Walking in these neighborhoods is a good way to be questioned by police.
Além dessa fronteira há um sistema de vias expressas, nas quais se alinham monoculturas residenciais suburbanas e shoppings de rua. Para ir de casa ao trabalho ou às compras, a pessoa tem de guiar do beco onde mora para o mais próximo trevo de via expressa, e guiar dali para outra saída que leva a monocultura comercial. Nesses novos Estados Unidos, as áreas residenciais são projetadas principalmente para por elas passarem automóveis, com grandes gramados em frente de casas tipo fazenda de dois níveis. Andar a pé nesses bairros é bom modo de ser questionado pela polícia.
End of [IV.2]
Fim de [IV.2]
End of [IV]
Fim de [IV]
To be continued
Continua
40 Natural Capitalism, p. 45.  
40 Capitalismo Natural, p. 45.  
C4SS (c4ss.org) Research Associate Kevin Carson is a contemporary mutualist author and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political EconomyOrganization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation and his own Mutualist Blog.
O Associado de Pesquisa do C4SS (c4ss.org) Kevin Carson é autor mutualista e anarquista individualista contemporâneo cuja obra escrita inclui Estudos em Economia Política MutualistaTeoria da Organização: Uma Perspectiva Libertária, e  A Revolução Industrial Gestada em Casa: Manifesto de Baixo Overhead, todos livremente disponíveis online. Carson também tem escrito para publicações tais como: O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e diversos periódicos e blogs da internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P e seu próprio Blog Mutualista.



No comments:

Post a Comment