Sunday, July 29, 2012

C4SS - The London Olympics: Capitalism in Action

ENGLISH
PORTUGUÊS
Center for a Stateless Society
Centro por uma Sociedade Sem Estado
building awareness of the market anarchist alternative
na construção da consciência da alternativa anarquista de mercado
The London Olympics: Capitalism in Action
Os Jogos Olímpicos de Londres: Capitalismo em Ação
Carson: Exactly what we're fighting against.
Carson: Exatamente aquilo contra o que lutamos.
Posted by Kevin Carson on Jul 25, 2012 in Commentary
Afixado por Kevin Carson em 25 de julho de 2012 em Commentary
In a recent article for Reason, Ira Stoll praised the 2012 Olympics — not only in the body but the title itself — as a “Triumph of Capitalism” (July 23, 2012).  He’s entirely correct — but not for the reason he thinks.
Em recente artigo para Reason, Ira Stoll elogiou os Jogos Olímpicos de Londres de 2012 — não apenas no corpo do texto mas no próprio título — como “Triunfo do Capitalismo” (23 de julho de 2012).  Ele está inteiramente correto — mas não pelo motivo que supõe.
Stoll’s characterization of the Olympics as “capitalist” seems to reflect their funding “largely not from governments but from the private sector.” Oh, and also the fact that “private property” rights (of a sort) are being traded:
A caracterização por Stoll dos Jogos Olímpicos como “capitalistas” parece refletir o financiamento deles “em grande parte não pelos governos, e sim pelo setor privado.” Oh, e também o fato de direitos de “propriedade privada” (em certa medida) estarem sendo transacionados:
“NBC (not a Cuban or North Korean television company but an American one) agreed to pay a reported $4.38 billion for the rights to broadcast four Olympics, a sum that is itself made possible by NBC’s sale of commercial sponsorship time to advertisers. Even ‘broadcast’ is now a misnomer, as the games are streamed on the Internet and available on cable channels.”
“A NBC (não uma empresa de televisão cubana ou norte-coreana, e sim estadunidense) concordou em pagar, segundo se informa, $4,38 biliões de dólares pelos direitos de transmissão de quatro Jogos Olímpicos, soma que se torna possível pela venda, pela NBC, de tempo de patrocínio comercial para anunciantes. Até mesmo ‘transmissão’ é agora termo inadequado, visto que os jogos podem ser vistos em tempo real na Internet e nos canais de televisão por cabo.”
Stoll is typical of the kind of “libertarian” for whom “private property rights” and large “private” revenue streams — whatever their source or legitimacy — are the be-all and end-all.
Stoll é típico da espécie de “libertário” para a qual “direitos de propriedade privada” e grandes fluxos de receita “privada” — qualquer sejam suas fontes ou legitimidade — são tudo o que importa.
If you define “capitalism” simply as an economy in which most activities are carried out by private corporations and serve as sources of profit for them, then Stoll’s entirely correct. And if, like me and the other left-wing market anarchists at Center for a Stateless Society, you define “capitalism” as a system in which the state subsidizes big business, protects it from competition, and enforces the artificial property rights and artificial scarcity rents from which it derives its profit, the Olympics also fits the bill.
Se você definir “capitalismo” simplesmente como uma economia na qual a maioria das atividades é desenvolvida por corporações privadas e serve como fonte de lucro para elas, então Stoll está inteiramente correto. E se, como eu e os outros anarquistas de mercado esquerdistas do Centro por uma Sociedade sem Estado, você definir “capitalismo” como um sistema no qual o estado subsidia as grandes empresas, protege-as da competição e atua como guardião de direitos de propriedade artificiais e de rentismo decorrente da escassez artificial de onde elas derivam seu lucro, os Jogos Olímpicos também satisfazem à definição.
Whatever amount of private funding the Olympics gets, it also gets a pretty hefty chunk of change from taxpayers; and the core functions and infrastructure on which private investment piggybacks are mostly government-funded.
Qualquer seja a quantidade de financiamento privado que os Jogos Olímpicos obtenham, obtêm também muito dinheiro proveniente dos contribuintes; e as funções e a infraestrutura fundamentais que servem de base para o investimento privado são financiadas principalmente pelo governo.
The Olympic Delivery Authority (ODA) is a statutory corporation, accountable to the Department for Culture Media and Sport, created to oversee development of the Olympic Park and associated transport infrastructure. The ODA’s budget — in the billions of pounds — comes from a funding package agreed on by the Mayor and City of London. Of course this state funding (from both tax revenue and the National Lottery) doesn’t preclude the fact — no doubt comforting to Mr. Stoll — that it passes through some corporate hands along the way. The actual work is carried out by a private contractor — namely CLM, a parasitic consortium of CH2M Hill, Laing O’Rourke and Mace.
A Autoridade Executiva Olímpica (ODA) é uma empresa pública, subordinada ao Departamento de Cultura, Mídia e Esporte, criada para supervisar a construção do Parque Olímpico e a respectiva infraestrutura de transportes. O orçamento da ODA — na casa dos biliões de libras — vem de um pacote de financiamento acordado com o Prefeito e a Cidade de Londres. Obviamente esse financiamento estatal (oriundo tanto da receita tributária quanto da Loteria Nacional) não inviabiliza o fato — sem dúvida confortador para o Sr. Stoll — de os fundos passarem por algumas mãos corporativas ao longo do caminho. O trabalho concreto é feito por um empreiteiro privado — isto é, o CLM, consórcio parasitário de CH2M Hill, Laing O’Rourke e Mace.
Stoll’s account of the money shelled out for “broadcast rights” is also quite telling as to what he means by “capitalism.” All those billions NBC is paying are an investment with what amounts to a state-guaranteed return. The London Olympics are one of the most heavily copyright- and trademark-protected events in human history. “Broadcast rights” are absolutely meaningless, unless you presuppose a state-granted monopoly on the right to distribute information. And you can bet your bottom dollar all that streaming content on the Internet will be proprietary, as well.
A descrição de Stoll do dinheiro desembolsado para “direitos de transmissão” é também bastante reveladora do que ele entende por “capitalismo.” Todos aqueles biliões que a NBC está pagando são investimento no que equivale a um empreendimento com retorno garantido pelo estado. Os Jogos Olímpicos de Londres são um dos eventos da história humana mais fortemente protegidos por copyright e marca registrada. “Direitos de transmissão” são algo absolutamente sem sentido, a menos que você pressuponha um monopólio concedido pelo estado outorgando direito de distribuir informação. E você pode apostar até o último tostão que toda aquela transmissão em tempo real na Internet também será patenteada.
The “intellectual property” stupidity goes beyond the point of self-parody. Like Rupert Murdoch, who’s befuddled by any technology since 1970, the Olympics Committee actually thinks it can regulate the terms on which people link to them. See, you can’t link to their website (this website right here: http://london2012.com) if you say anything unkind about them. Their “intellectual property” is apparently retroactive to include all prior cultural or historical references to the Olympics; they even went after a restaurant called Olympic Gyros.
A estupidez da “propriedade intelectual” vai além do ponto de paródia de si própria. Do mesmo modo que Rupert Murdoch, que se atrapalha diante de qualquer tecnologia desde 1970, o Comitê Olímpico acredita que de fato pode regulamentar os termos segundo os quais as pessoas vinculam-se a ele. Veja, você não poderá vincular nada ao website dele (este website aqui mesmo: http://london2012.com) se disser qualquer coisa pouco cortês a respeito dele. A “propriedade intelectual” dele é aparentemente retroativa a ponto de incluir todas as referências culturais ou históricas anteriores aos Jogos Olímpicos; ele até foi atrás de um restaurante chamado Olympic Gyros.
And of course the Olympics are surrounded by the kind of police statism run amok for which London has become famous over the past two decades: Rooftop SAM launchers, Twitter censorship, public surveillance cameras, and armored riot cops on the ready. You’d think there was a WTO or G-8 meeting.
E obviamente os Jogos Olímpicos estão cercados pelo tipo de estatismo policial sem peias pelo qual Londres tornou-se famosa nas duas últimas décadas: lançadores de mísseis terra-ar nos telhados, censura do Twitter, câmeras de vigilância do público, e policiais de choque blindados de prontidão. Você pensaria tratar-se de uma reunião da Organização Mundial do Comércio ou do G-8.
So if your idea of “capitalism” is not the free market, but a system in which the state socializes costs and risks and privatizes profit, me and the market anarchist comrades at C4SS are entirely in agreement. The only difference is that what Stoll is praising so effusively is exactly what we’re fighting against.
Portanto, se sua ideia de “capitalismo” não for a de livre mercado, e sim a de um sistema no qual o estado socializa custos e riscos e privatiza o lucro, eu e os parceiros anarquistas de mercado do C4SS estamos inteiramente de acordo. A única diferença é que o que Stoll elogia tão efusivamente é exatamente aquilo contra o que lutamos.
Translations for this article:
Traduções deste artigo:
Citations to this article:
Citações deste artigo:
Kevin Carson, The London Olympics: Capitalism in Action, Baltic Review, 07/26/12
Kevin Carson, The London Olympics: Capitalism in Action, Baltic Review, 07/26/12
Kevin Carson, The London Olympics: Capitalism in Action, Citizen of Laconia [New Hampshire], 07/26/12
Kevin Carson, The London Olympics: Capitalism in Action, Citizen of Laconia [New Hampshire], 07/26/12
Kevin Carson is a senior fellow of the Center for a Stateless Society (c4ss.org) and holds the Center's Karl Hess Chair in Social Theory. He is a mutualist and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political Economy, Organization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation, and his own Mutualist Blog.
Kevin Carson é integrante sênior do Centro por uma Sociedade sem Estado  (c4ss.org) e titular da Cadeira Karl Hess do Centro.  É anarquista mutualista e individualista cuja obra escrita inclui Estudos em Economia Política Mutualista, Teoria da Organização: Uma Perspectiva Libertária, e A Revolução Industrial Gestada em Casa:  Manifesto de Baixo Overhead, todos disponíveis grátis online. Carson também tem escrito para publicações impressas tais como O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade  e diversos periódicos e blogs na internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P e seu próprio Blog Mutualista.


No comments:

Post a Comment