Wednesday, July 11, 2012

The Anti-Empire Report - No shelter from the drones of infinite justice or the bacteria of enduring freedom

http://killinghope.org/
English
Português
The Anti-Empire Report
O Relatório Anti-Império
July 3rd, 2012
3 de julho de 2012
by William Blum
por William Blum
No shelter from the drones of infinite justice or the bacteria of enduring freedom
Nenhuma proteção contra os aviões teleguiados da justiça infinita ou as bactérias da liberdade duradoura
Afghanistan president Hamid Karzai said recently that he had had an argument with Gen. John Allen, the top US commander in Afghanistan, about the issue of American drone attacks in Afghanistan, following yet another deadly airstrike that killed a number of civilians. Karzai asked Allen an eminently reasonable question: "Do you do this in the United States?" The Afghan president added: "There is police action every day in the United States in various localities. They don't call an airplane to bomb the place."2
O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse, recentemente, ter tido uma discussão com o General John Allen, comandante supremo estadunidense no Afeganistão, acerca da questão dos ataques de aviões teleguiados estadunidenses no Afeganistão, na esteira de outro ataque aéreo letal que matou diversos civis. Karzai fez a Allen pergunta extremamente razoável: "Vocês fazem isso nos Estados Unidos?" O presidente afegão acrescentou: "Há ação da polícia nos Estados Unidos em diversas localidades. Ela não chama aviões para bombardear o lugar."2
Karzai's question to Allen was rhetorical of course, for can it be imagined that American officials would bomb a house in an American city because they suspected that certain bad guys were present there? Well, the answer to that question is that it can be imagined because they've already done it.
A pergunta de Karzai a Allen foi obviamente retórica, pois pode-se lá imaginar que autoridades estadunidenses bombardeiem uma casa numa cidade estadunidense por suspeitarem de certos bandidos estarem presentes lá? Bem, a resposta à pergunta é sim, isso pode ser imaginado, porque já foi feito.
In Philadelphia, Pennsylvania. On May 13, 1985, a bomb dropped by a police helicopter burned down an entire block, some 60 homes destroyed, 11 dead, including several small children. The police, the mayor's office, and the FBI were all involved in this effort to evict an organization called MOVE from the house they lived in.
Em Philadelphia, Pennsylvania. Em 23 de maio de 1985, uma bomba, lançada de um helicóptero da polícia, incendiou um quarteirão inteiro, destruindo 60 casas e matando 11 pessoas, inclusive diversas crianças pequenas. A polícia, o escritório do prefeito e o FBI estiveram todos envolvidos nesse esforço de desalojar uma organização chamada MOVE da casa onde seus membros se alojavam.
The victims were all black of course. So let's rephrase our question. Can it be imagined that American officials would bomb a house in Beverly Hills or the upper east side of Manhattan? Stay tuned.
As vítimas, obviamente, eram todas pretas. Portanto, mudemos o palavreado de nossa pergunta. Pode-se lá imaginar autoridades estadunidenses bombardeando uma casa em Beverly Hills ou na zona rica do lado oeste de Manhattan? Acompanhem o noticiário.
And what else can we imagine about a society that's been super militarized, that's at war with much of the world, and is convinced that it's on the side of the angels and history? Well, the Boston transit system, MBTA, recently announced that in conjunction with Homeland Security they plan to release dead bacteria at three stations during off-hours this summer in order to test sensors that detect biological agents, which terrorists could release into subway systems. The bacterium, bacillus subtilis, is not infectious even in its live form, according to the government.3
E o que mais poderíamos imaginar de uma sociedade que tem estado supermilitarizada, em guerra com grande parte do mundo, e convencida de estar do lado dos anjos e da história? Bem, o sistema de trânsito de Boston, MBTA, anunciou recentemente que, em conjunto com o Departamento de Segurança da Pátria, planeja soltar bactérias mortas em três estações fora dos horários de grande movimento neste verão para testar sensores que detectam agentes biológicos, que terroristas poderiam soltar no sistema de metrô. A bactéria, bacillus subtilis, não é infecciosa nem quando viva, de acordo com o governo.3
However, this too has a precedent. During five days in June, 1966 the Army conducted a test called "A Study of the Vulnerability of Subway Passengers in New York City to Covert Attack with Biological Agents". Trillions of bacillus subtilis variant niger were released into the subway system during rush hours, producing aerosol clouds. The report on the test noted that "When the cloud engulfed people, they brushed their clothing, looked up at the grate [at street level] and walked on."4 The wind of passing trains spread the bacteria along the tracks; in the time it took for two trains to pass, the bacteria were spread from 15th Street to 58th Street.5 It is not known how many people later became ill from being unsuspecting guinea pigs because the United States Army, as far as is known, exhibited no interest in this question.
Entretanto, isso também tem precedente. Durante cinco dias em junho de 1966 o Exército conduziu teste chamado "Estudo da Vulnerabilidade de Passageiros do Metrô da Cidade de New York a Ataque Velado com Agentes Biológicos". Triliões de bacillus subtilis variante niger foram liberados durante horas no sistema de metrô em períodos de grande movimento, produzindo nuvens de aerosol. O relatório acerca do teste registrou que "Quando a nuvem engolfou as pessoas, elas deram esfregadelas nas roupas, olharam para cima para o exaustor [no nível da rua] e foram em frente."4 O vento de trens passando espalhou as bactérias ao longo dos trilhos; no tempo que levava para dois trens passarem, as bactérias foram espalhadas da Rua 15a. até à Rua 58a.5 Não se sabe quantas pessoas ficaram doentes posteriormente por terem-se tornado, sem saber, cobaias, porque o Exército dos Estados Unidos, tanto quanto se saiba, não mostrou interesse nesse aspecto.
For the planned Boston test the public has not been informed of the exact days; nor is it known how long the bacteria might linger in the stations or what the possible danger might be to riders whose immune system has been weakened for any reason.
Para o teste planejado em Boston o público não foi até agora informado dos dias exatos; nem se sabe por quanto tempo as bactérias poderão permanecer nas estações ou que perigo possível poderão representar para passageiros cujo sistema imunológico tenha ficado debilitado por qualquer motivo.
It should be noted that the New York subway experiment was only one of many such experiments. The Army has acknowledged that between 1949 and 1969, 239 populated areas from coast to coast as well as US overseas territories were blanketed with various organisms during tests designed to measure patterns of dissemination in the air, weather effects, dosages, optimum placement of the source, and other factors. Such testing was supposedly suspended after 1969.6
Deve-se notar que o experimento do metrô de New York foi apenas um de muitos experimentos da espécie. O Exército já reconheceu que, entre 1949 e 1969, 239 áreas povoadas de costa a costa, bem como territórios estadunidenses no exterior, foram cobertos com diversos organismos durante testes concebidos para medir padrões de disseminação no ar, efeitos na meteorologia, dosagens, localização ótima da fonte, e outros fatores. Tais testes, supõe-se, foram suspensos depois de 1969.6
Government officials have consistently denied that the biological agents used could be harmful despite an abundance of expert and objective scientific evidence that exposure to heavy concentrations of even apparently innocuous organisms can cause illness, at a minimum to the most vulnerable segments of the population — the elderly, children, and those suffering from a variety of ailments. "There is no such thing as a microorganism that cannot cause trouble," George Connell, assistant to the director of the Centers for Disease Control and Prevention, testified before the Senate in 1977. "If you get the right concentration at the right place, at the right time, and in the right person, something is going to happen."7
Autoridades do governo têm sistematicamente negado que os agentes biológicos usados poderiam causar danos a despeito de abundância de evidência especializada e científica de a exposição a altas concentrações de organismos mesmo aparentemente inócuos poder causar causar doenças, no mínimo aos segmentos mais vulneráveis da população — os idosos, crianças, e aqueles que sofrem de diversas mazelas. "Não existe microorganismo que não possa causar problemas," testemunhou George Connell, assistente do diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, diante do Senado em 1977. "Se houver a concentração certa, no lugar certo, na hora certa, e na pessoa certa, alguma coisa acontecerá."7
The United States has used biological weapons abroad as well, repeatedly, not for testing purposes but for hostile purposes.8 So what will the land which has the highest (double) standards say when such weapons are used against it? Or when foreign drones hit American cities? Or when American hi-tech equipment is sabotaged by a cyber attack as the US has now admitted doing to Iran? A year ago the Pentagon declared that "computer sabotage coming from another country can constitute an act of war. ... If you shut down our power grid, maybe we will put a missile down one of your smokestacks," said a US military official.9
Os Estados Unidos usaram armas biológicas também no exterior, repetidamente, não para fins de teste e sim para propósitos hostis.8 Assim, o que o país que tem os mais altos padrões (duplos) dirá quando tais armas sejam usadas contra ele? Ou quando aviões teleguiados atingirem cidades estadunidenses? Ou quando equipamento estadunidense de alta tecnologia for sabotado por um ataque cibernético como os Estados Unidos agora admitiram estar fazendo contra o Irã? Um ano atrás o Pentágono declarou que "sabotagem de computadores proveniente de outro país pode constituir ato de guerra. ... Se você derrubar nossa rede elétrica, talvez enfiemos um míssil em uma de suas chaminés," disse uma autoridade militar dos Estados Unidos.9
"The true hypocrite is the one who ceases to perceive his deception, the one who lies with sincerity." – André Gide, French Author, 1869-1951
"O verdadeiro hipócrita é aquele que cessa de perceber sua própria fraude, aquele que mente com sinceridade." – André Gide, autor francês, 1869-1951
Notes
Notas
2. Washington Post, June 12, 2012
2. Washington Post, 12 de junho de 2012
3. Beacon Hill Patch (Boston), "MBTA to Spread Dead Bacteria on Red Line in Bio-Terror Test", May 18, 2012
3. Beacon Hill Patch (Boston), "MBTA Espalhará Bactérias Mortas na Linha Vermelha em Teste de Bioterror", 18 de maio de 2012
4. Leonard Cole, Clouds of Secrecy: The Army's Germ Warfare Tests over Populated Areas (1990), pp.65-9
4. Leonard Cole, Nuvens de Segredo: Os Testes de Guerra de Germes do Exército em Áreas Povoadas (1990), pp.65-9
5. New York Times, September 19, 1975, p.14
5. New York Times, 19 de setembro de 1975, p.14
6. "Biological Testing Involving Human Subjects by the Department of Defense", 1977, Hearings before the Subcommittee on Health and Scientific Research of the Committee on Human Resources, US Senate, March 8 and May 23, 1977; see also William Blum, Rogue State, chapter 15
6. "Testes Biológicos Envolvendo Sujeitos Humanos pelo Departamento de Defesa", 1977, Audiências perante a Subcomissão de Saúde e Pesquisa Científica da Comissão de Recursos Humanos, Senado dos Estados Unidos, 8 de março e 23 de março de 1977; ver também William Blum, Estado Sem Escrúpulos, capítulo 15
7. Senate Hearings, op. cit., p.270
7. Audiências do Senado, op. cit., p.270
8. Rogue State, op. cit., chapter 14
8. Estado Sem Escrúpulos, op. cit., capítulo 14
9. Wall Street Journal, May 30, 2011
9. Wall Street Journal, 30 de maio de 2011
http://www.foreignpolicyjournal.com/writers/
William Blum left the State Department in 1967, abandoning his aspiration of becoming a Foreign Service Officer, because of his opposition to what the United States was doing in Vietnam. He then became one of the founders and editors of the Washington Free Press Mr.  Blum has been a freelance journalist in the United States, Europe, and South America and was one of the recipients   of Project Censored’s awards for “exemplary journalism” in 1999. He is the author of numerous books, including: 
Freeing the World to Death: essays on the American EmpireKilling Hope: U.S. Military and C.I.A. Interventions Since World War II, and Rogue State: A Guide to the World’s Only Superpower. Mr. Blum writes a free monthly newsletter, the Anti-Empire Report, which you may subscribe to by contacting him at via e-mail. Visit his website at: www.killinghope.org. Contact him at: bblum@aol.com. Read articles by William Blum.
http://www.foreignpolicyjournal.com/writers/
William Blum deixou o Departamento de Estado em 1967, abandonando sua aspiração de tornar-se Autoridade de Serviço Exterior por causa de sua oposição ao que os Estados Unidos estavam fazendo no Vietnã. Tornou-se então um dos fundadores e editores do Imprensa Livre de Washington. O Sr. Blum tem atuado como jornalista autônomo em Estados Unidos, Europa e América do Sul e foi um dos recebedores dos prêmios de Projetos Censurados de “jornalismo exemplar” em 1999. É autor de numerosos livros, incluindo: A Libertação do Mundo para a Morte: ensaios acerca do Império EstadunidenseAssassínio da Esperança: Intervenções da Instituição Militar dos Estados Unidos e da C.I.A. desde a Segunda Guerra Mundial, e Estado Sem Escrúpulos: Guia Referente à Única Superpotência do Mundo. O Sr. Blum escreve um boletim mensal grátis, o Relatório Anti-Império, que você pode subscrever entrando em contato com ele via email. Visite o website dele em: www.killinghope.org. Entre em contato com ele via: bblum@aol.com. Leia artigos de William Blum
William Blum is the author of:
William Blum é autor de:
- Killing Hope: US Military and CIA Interventions Since World War 2
- A Morte da Esperança: A Instituição Militar dos Estados Unidos e as Intervenções da CIA Desde a Segunda Guerra Mundial
- Rogue State: A Guide to the World's Only Superpower
- Estado Sem Escrúpulos: Guia Para a Única Superpotência do Mundo
- West-Bloc Dissident: A Cold War Memoir
- Dissidente do Bloco Ocidental: Uma Memória da Guerra Fria
Freeing the World to Death: Essays on the American Empire
- Libertação do Mundo para a Morte: Ensaios Acerca do Império Estadunidense
Portions of the books can be read, and signed copies purchased, at www.killinghope.org
Porções dos livros podem ser lidas, e comprados exemplares assinados, em www.killinghope.org
To add yourself to this mailing list simply send an email to bblum6 [at] aol.com with "add" in the subject line. I'd like your name and city in the message, but that's optional. I ask for your city only in case I'll be speaking in your area.
Para entrar nesta lista de destinatários simplesmente mande email pra bblum6 [at] aol.com com "add" na linha de assunto. Gostaria de seu nome e cidade na mensagem, mas isso é opcional. Peço sua cidade apenas caso esteja fazendo palestras em sua área.
(Or put "remove" in the subject line to do the opposite.)
(Ou escreva "remove" na linha de assunto para fazer o contrário.)
Any part of this report may be disseminated without permission. I'd appreciate it if the website were mentioned.
Qualquer parte deste relatório pode ser disseminada sem permissão. Ficarei agradecido se o website for mencionado.

No comments:

Post a Comment