Tuesday, May 15, 2012

The Anti-Empire Report - The Israeli-American-Iranian-Holocaust-NobelPeacePrize Circus

English
Português
The Anti-Empire Report
O Relatório Anti-Império
May 2nd, 2012
2 de maio de 2012
by William Blum
por William Blum
The Israeli-American-Iranian-Holocaust-NobelPeacePrize Circus
O Circo Israelense-Estadunidense-Iraniano-Holocausto-PrêmioNobeldaPaz
It's a textbook case of how the American media is at its worst when it comes to US foreign policy and particularly when an Officially Designated Enemy (ODE) is involved. I've discussed this case several times in this report in recent years. The ODE is Iranian President Mahmoud Ahmadinejad. The accusation has been that he had threatened violence against Israel, based on his 2005 remark calling for "wiping Israel off the map". Who can count the number of times this has been repeated in every kind of media, in every country of the world, without questioning the accuracy of what was reported? A Lexis-Nexis search of "All News (English)" for <Iran and Israel and "off the map"> for the past seven years produced the message: "This search has been interrupted because it will return more than 3000 results."
É caso clássico de como a mídia estadunidense atinge seu mais baixo nível de qualidade ao tratar-se de política externa dos Estados Unidos e particularmente quando um Oficialmente Declarado Inimigo (ODE) esteja envolvido. Já discuti esse caso diversas vezes neste relatório nos anos recentes. O ODE é o Presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad. A acusação tem sido a de ele ter feito ameaça de violência contra Israel, com base na observação dele de 2005 conclamando a "varrer Israel do mapa". Quem poderá contar o número de vezes em que isso foi repetido em todo tipo de mídia, em todo país do mundo, sem questionamento da exatidão do que foi veiculado? Uma pesquisa Lexis-Nexis de "All News (English)" [Todas as Notícias (Inglês)] para <Iran and Israel and "off the map"> [Irã e Israel e "fora do mapa"] referente aos últimos sete anos produziu a mensagem: "Esta pesquisa foi interrompida porque retornará mais de 3.000 resultados."
As I've pointed out, Ahmadinejad's "threat of violence" was a serious misinterpretation, one piece of evidence being that the following year he declared: "The Zionist regime will be wiped out soon, the same way the Soviet Union was, and humanity will achieve freedom." 2 Obviously, he was not calling for any kind of violent attack upon Israel, for the dissolution of the Soviet Union took place remarkably peacefully. But the myth of course continued.
Como tenho destacado, a "ameaça de violência" de Ahmadinejad foi séria interpretação equivocada, sendo uma das evidências o ele ter declarado no ano seguinte: "O regime sionista será varrido logo, do mesmo modo que a União Soviética o foi, e a humanidade alcançará liberdade." 2 Obviamente, ele não estava conclamando a nenhum tipo de ataque violento a Israel, pois a dissolução da União Soviética teve lugar de modo inusitadamente pacífico. O mito, porém, obviamente continuou. 
Now, finally, we have the following exchange from the radio-TV simulcast, Democracy Now!, of April 19:
Agora, finalmente, temos o seguinte diálogo do rádio-TV simulcast [de transmissão simultânea] Democracy Now!, de 19 de abril:
A top Israeli official has acknowledged that Iranian President Mahmoud Ahmadinejad never said that Iran seeks to "wipe Israel off the face of the map." The falsely translated statement has been widely attributed to Ahmadinejad and used repeatedly by U.S. and Israeli government officials to back military action and sanctions against Iran. But speaking to Teymoor Nabili of the network Al Jazeera, Israeli Deputy Prime Minister Dan Meridor admitted Ahmadinejad had been misquoted.
Alta autoridade israelense vem de reconhecer que o Presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad nunca disse que o Irã busca "varrer Israel da face do mapa." A falsamente traduzida declaração tem sido amplamente atribuída a Ahmadinejad e usada repetidamente por autoridades dos Estados Unidos e de Israel para apoiar ação militar e sanções ao Irã. Contudo, falando a Teymoor Nabili da rede Al Jazeera o Primeiro-Ministro Adjunto israelente Dan Meridor admitiu que Ahmadinejad tinha sido citado erroneamente.
Teymoor Nabili: "As we know, Ahmadinejad didn't say that he plans to exterminate Israel, nor did he say that Iran policy is to exterminate Israel. Ahmadinejad's position and Iran's position always has been, and they've made this — they've said this as many times as Ahmadinejad has criticized Israel, he has said as many times that he has no plans to attack Israel. ..."
Teymoor Nabili: "Como sabemos, Ahmadinejad não disse planejar exterminar Israel, nem disse ser política do Irã exterminar Israel. A posição de Ahmadinejad e a posição do Irã sempre têm sido, e eles tornaram isso — eles disseram isso tantas vezes quando Ahmadinejad criticou Israel, ele disse tantas vezes não ter planos de atacar Israel. ..."
Dan Meridor: "Well, I have to disagree, with all due respect. You speak of Ahmadinejad. I speak of Khamenei, Ahmadinejad, Rafsanjani, Shamkhani. I give the names of all these people. They all come, basically ideologically, religiously, with the statement that Israel is an unnatural creature, it will not survive. They didn't say, 'We'll wipe it out,' you're right. But 'It will not survive, it is a cancerous tumor that should be removed,' was said just two weeks ago again."
Dan Meridor: "Bem, tenho de discordar, com todo o respeito devido. Você fala de Ahmadinejad. Eu falo de Khamenei, Ahmadinejad, Rafsanjani, Shamkhani. Dou os nomes de todas essas pessoas. Todos eles emitem, basicamente ideologicamente, religiosamente, a declaração de que Israel é uma criatura não natural, que não sobreviverá. Eles não dizem 'Varrê-lo-emos completamente,' você está certo. Mas 'Não sobreviverá, é um tumor canceroso que deveria ser removido,' foi dito há apenas duas semanas."
Teymoor Nabili: "Well, I'm glad you've acknowledged that they didn't say they will wipe it out."
Teymoor Nabili: "Bem, fico satisfeito por você ter reconhecido eles não terem dito que o varrerão."
So that's that. Right? Of course not. Fox News, NPR, CNN, NBC, et al. will likely continue to claim that Ahmadinejad threatened violence against Israel, threatened to "wipe it off the map".
Então é isso. Certo? Claro que não. Fox News, NPR, CNN, NBC, et al. provavelmente continuarão a afirmar que Ahmadinejad ameaçou violência contra Israel, ameaçou "varrê-lo do mapa".
And that's only Ahmadinejad the Israeli Killer. There's still Ahmadinejad the Holocaust Denier. So until a high Israeli official finally admits that that too is a lie, keep in mind that Ahmadinejad has never said simply, clearly, unambiguously, and unequivocally that he thinks that what we historically know as the Holocaust never happened. He has instead commented about the peculiarity and injustice of a Holocaust which took place in Europe resulting in a state for the Jews in the Middle East instead of in Europe. Why are the Palestinians paying a price for a German crime? he asks. And he has questioned the figure of six million Jews killed by Nazi Germany, as have many other people of various political stripes. In a speech at Columbia University on September 24, 2007, in reply to a question about the Holocaust, the Iranian president declared: "I'm not saying that it didn't happen at all. This is not the judgment that I'm passing here." 3
E esse é apenas Ahmadinejad o Assassino de Israelenses. Há ainda Ahmadinejad o Negador do Holocausto. Então, até que uma alta autoridade israelensa finalmente admita que isso também é mentira, saibam que Ahmadinejad nunca disse de maneira simples, clara, não ambígua e inequívoca achar que o que historicamente conhecemos como Holocausto nunca aconteceu. Pelo contrário, ele tem comentado acerca da peculiaridade e injustiça de um Holocausto que teve lugar na Europa resultar num estado para os judeus no Oriente Médio em vez de na Europa. Por que estão os palestinos pagando por um crime alemão? pergunta ele. E ele tem questionado a cifra de seis milhões de judeus mortos pela Alemanha nazista, como também fizeram muitas outras pessoas de diversas cores políticas. Num discurso na Universidade de Colúmbia em 24 de setembro de 2007, respondendo a pergunta acerca do Holocausto, o presidente iraniano declarou: "Não estou de modo algum dizendo não ter acontecido. Não é o juízo que estou expressando aqui." 3
Let us now listen to Elie Wiesel, the simplistic, reactionary man who's built a career around being a Holocaust survivor, introducing President Obama at the Holocaust Museum for the talk referred to above(*), some five days after the statement made by the Israeli Deputy Prime Minister:
Ouçamos agora Elie Wiesel, o homem simplista e reacionário que fez carreira em função de ser sobrevivente do Holocausto, apresentando o Presidente Obama para efeito da palestra referida acima(*), cerca de cinco dias depois da declaração feita pelo Primeiro-Ministro Adjunto israelense:
(*) Please check ‘What you need to succeed is sincerity… ‘ at http://killinghope.org/bblum6/aer105.html which I translated into Portuguese at http://zqxjkv0.blogspot.com.br/2012/05/anti-empire-report-what-you-need-to.html
"How is it that the Holocaust's No. 1 denier, Ahmadinejad, is still a president? He who threatens to use nuclear weapons — to use nuclear weapons — to destroy the Jewish state. Have we not learned? We must. We must know that when evil has power, it is almost too late."
"Como é que o negador número 1 do Holocausto, Ahmadinejad, ainda é presidente? Ele que ameaça usar armas nucleares — usar armas nucleares — para destruir o estado judaico. Será que não aprendemos? Precisamos. Precisamos saber que quanto o mal tem poder, é quase tarde demais."
"Nuclear weapons" is of course adding a new myth on the back of the old myth.
"Armas nucleares" é naturalmente acrescentar um novo mito às costas do velho mito.
Wiesel, like Obama, is a winner of the Nobel Peace Prize. As is Henry Kissinger and Menachim Begin. And several other such war-loving beauties. When will that monumental farce of a prize be put to sleep?
Wiesel, como Obama, é ganhador do Prêmio Nobel da Paz. Como o são Henry Kissinger e Menachim Begin. E diversos outros exemplos conspícuos de amantes da guerra. Quando é que se acabará com a farsa monumental de um prêmio?
For the record, let it be noted that on March 4, speaking before the American Israel Public Affairs Committee (AIPAC), Obama said: "Let's begin with a basic truth that you all understand: No Israeli government can tolerate a nuclear weapon in the hands of a regime that denies the Holocaust, threatens to wipe Israel off the map, and sponsors terrorist groups committed to Israel's destruction." 4
Para registro: observe-se que, em 4 de março, falando perante a Comissão Estadunidense-Israelense de Assuntos Públicos (AIPAC), Obama disse: "Comecemos com uma verdade básica que todos vocês entendem: Nenhum governo israelense pode tolerar uma arma nuclear nas mãos de um regime que nega o Holocausto, ameaça varrer Israel do mapa, e patrocina grupos terroristas comprometidos com a destruição de Israel." 4
Postscript: Each time I strongly criticize Barack Obama a few of my readers ask to unsubscribe. I'm really sorry to lose them but it's important that those on the left rid themselves of their attachment to the Democratic Party. I'm not certain how best to institute revolutionary change in the United States, but I do know that it will not happen through the Democratic Party, and the sooner those on the left cut their umbilical cord to the Democrats, the sooner we can start to get more serious about this thing called revolution.
Pós-escrito: Cada vez que critico fortemente Barack Obama alguns de meus leitores pedem para serem removidos da lista. Sinto muito perdê-los, mas é importante que as pessoas de esquerda se livrem de seu apego ao Partido Democrático. Não estou seguro acerca de qual será a melhor maneira de instituir mudança revolucionária nos Estados Unidos, mas sei ela não acontecerá por meio do Partido Democrático, e quanto mais cedo os de esquerda cortarem o cordão umbilical que os liga aos Democratas, mais cedo poderemos tornar-nos mais sérios acerca dessa coisa chamada revolução.
Notes
Notas
2. Associated Press, December 12, 2006
2. Associated Press, 12 de dezembro de 2006
3. President Ahmadinejad Delivers Remarks at Columbia University, Transcript, Washington Post, September 24, 2007
3. Presidente Ahmadinejad Tece Observações na Universidade de Colúmbia, Transcrição, Washington Post, 24 de setembro de 2007
4. Remarks by the President at AIPAC Policy Conference, White House Office of the Press Secretary, March 4, 2012
4. Observações do Presidente na Conferência de Políticas do AIPAC, Escritório da Casa Branca do Secretário de Imprensa, 4 de março de 2012
http://www.foreignpolicyjournal.com/writers/
William Blum left the State Department in 1967, abandoning his aspiration of becoming a Foreign Service Officer, because of his opposition to what the United States was doing in Vietnam. He then became one of the founders and editors of the Washington Free Press Mr.  Blum has been a freelance journalist in the United States, Europe, and South America and was one of the recipients   of Project Censored’s awards for “exemplary journalism” in 1999. He is the author of numerous books, including: 
Freeing the World to Death: essays on the American EmpireKilling Hope: U.S. Military and C.I.A. Interventions Since World War II, and Rogue State: A Guide to the World’s Only Superpower. Mr. Blum writes a free monthly newsletter, the Anti-Empire Report, which you may subscribe to by contacting him at via e-mail. Visit his website at: www.killinghope.org. Contact him at: bblum@aol.com. Read articles by William Blum.
http://www.foreignpolicyjournal.com/writers/
William Blum deixou o Departamento de Estado em 1967, abandonando sua aspiração   de tornar-se Autoridade de Serviço Exterior por causa de sua oposição ao que os Estados Unidos estavam fazendo no Vietnã. Tornou-se então um dos fundadores e editores do Imprensa Livre de Washington. O Sr. Blum atuado como jornalista autônomo em Estados Unidos, Europa e América do Sul e foi um dos recebedores dos prêmios de Projetos Censurados de “jornalismo exemplar” em 1999. É autor de numerosos livros, incluindo: A Libertação do Mundo para a Morte: ensaios acerca do Império EstadunidenseAssassínio da Esperança: Intervenções da Instituição Militar dos Estados Unidos e da C.I.A. desde a Segunda Guerra Mundial, e Estado Sem Escrúpulos: Guia Referente à Única Superpotência do Mundo. O Sr. Blum escreve um boletim mensal grátis, o Relatório Anti-Império, que você pode subscrever entrando em contato com ele via email. Visite o website dele em: www.killinghope.org. Entre em contato com ele via: bblum@aol.com. Leia artigos de William Blum
William Blum is the author of:
William Blum é autor de:
- Killing Hope: US Military and CIA Interventions Since World War 2
- A Morte da Esperança: A Instituição Militar dos Estados Unidos e as Intervenções da CIA Desde a Segunda Guerra Mundial
- Rogue State: A Guide to the World's Only Superpower
- Estado Sem Escrúpulos: Guia Para a Única Superpotência do Mundo
- West-Bloc Dissident: A Cold War Memoir
- Dissidente do Bloco Ocidental: Uma Memória da Guerra Fria
Freeing the World to Death: Essays on the American Empire
- Libertação do Mundo para a Morte: Ensaios Acerca do Império Estadunidense
Portions of the books can be read, and signed copies purchased, at www.killinghope.org
Porções dos livros podem ser lidas, e comprados exemplares assinados, em www.killinghope.org
To add yourself to this mailing list simply send an email to bblum6 [at] aol.com with "add" in the subject line. I'd like your name and city in the message, but that's optional. I ask for your city only in case I'll be speaking in your area.
Para entrar nesta lista de destinatários simplesmente mande email pra bblum6 [at] aol.com com "add" na linha de assunto. Gostaria de seu nome e cidade na mensagem, mas isso é opcional. Peço sua cidade apenas caso esteja fazendo palestras em sua área.
(Or put "remove" in the subject line to do the opposite.)
(Ou escreva "remove" na linha de assunto para fazer o contrário.)
Any part of this report may be disseminated without permission. I'd appreciate it if the website were mentioned.
Qualquer parte deste relatório pode ser disseminada sem permissão. Ficarei agradecido se o website for mencionado.


No comments:

Post a Comment