Friday, December 9, 2011

FFF - Commentaries - The Debt Crisis and Fiat Money

ENGLISH
PORTUGUÊS
THE FUTURE OF FREEDOM FOUNDATION
A FUNDAÇÃO FUTURO DE LIBERDADE
Commentaries
Comentários
The Debt Crisis and Fiat Money
A Crise da Dívida e o Dinheiro Sem Valor Intrínseco
by Tim Kelly
por Tim Kelly
December 5, 2011
5 de dezembro de 2011
The European Union (EU) has a sovereign-debt problem. Greek government bonds have been downgraded to junk status, and there is talk of default. Italy, Spain, and Portugal appear to be next, as they face skyrocketing interest rates just when their governments must borrow more to service their debt.
A União Europeia (EU) tem um problema de dívida soberana. Os títulos do governo grego foram rebaixados à condição de lixo, e fala-se em calote. Itália, Espanha e Portugal parecem ser os próximos, visto estarem experimentando disparo das taxas de juros logo quando seus governos têm de pegar mais dinheiro emprestado para pagar os juros de suas dívidas.
Should these countries default, some of Europe’s largest banks — which are heavily exposed to EU sovereign debt — could collapse. American banks have less direct exposure, but many of these institutions have sold insurance derivatives known as credit-default swaps to their European counterparts. So the U.S. financial system is more exposed than it first appears.
Se esses países derem o calote, alguns dos maiores bancos da Europa — fortemente expostos à dívida soberana da EU — poderão falir. Os bancos estadunidenses têm menos exposição direta, mas muitas dessas instituições venderam derivativos de seguros conhecidos como permutas [swaps] de inadimplência de crédito a suas contrapartes europeias. Assim, o sistema financeiro dos Estados Unidos está mais exposto do que parece à primeira vista.
The “solution” now being proposed is to have the European Central Bank or some other institution like the International Monetary Fund conjure up trillions of euros. The new money would then be lent to the insolvent governments of the EU. This debt rollover would result in a severe devaluation of the euro, but it would take the global elite’s banking system off the hook and delay the day of reckoning for the welfare states of Europe.
A “solução” agora proposta é o Banco Central Europeu ou alguma outra instituição como o Fundo Monetário Internacional comparecer com triliões de euros. O novo dinheiro será então emprestado aos governos insolventes da EU. Essa rolagem da dívida resultaria em severa desvalorização do euro, mas tiraria o sistema bancário da elite mundial do sufoco e adiaria o dia de acerto de contas dos estados assistencialistas da Europa.
The best summation I’ve come across of the crisis in the eurozone was given by Charles Biderman, the founder and CEO of TrimTrabs Investment Research:
A melhor descrição sucinta com que me deparei acerca da crise na eurozona foi a de Charles Biderman, fundador e executivo principal da Pesquisa de Investimento TrimTrabs:
European leaders are searching for a relatively quick and easy way out of the government debt bubble that has been building for decades and just started to burst a few years ago. Unfortunately, there is no quick or easy way out.
Os líderes europeus estão procurando uma forma relativamente rápida e fácil de sair da bolha de dívida do governo que vem sendo inflada há décadas e só começou a arrebentar há poucos anos. Infelizmente não há modo rápido ou fácil de sair.
Debt has to be reckoned with one way or another. It either has to be repaid, or someone has to bear the losses on what cannot be repaid, either through default or inflation and currency debasement. If it were otherwise, everyone could be rich.
A dívida terá de ser enfrentada de um modo ou de outro. Ou terá de ser paga ou alguém terá de arcar com os prejuízos do que não puder ser pago, ou por meio de calote ou de inflação e aviltamento da moeda. Se fosse de outro modo, todo mundo poderia ser rico.
The bailouts proposed for the Eurozone do not solve the underlying solvency problem. Instead, they are little more than shell games to shift losses on bad debt from bondholders to taxpayers.
Os socorros financeiros propostos para a Eurozona não resolvem o problema básico de solvência. Em vez disso, são pouco mais do que jogos de debaixo de que copo está a bolinha para deslocar prejuízos de dívida não susceptível de cobrança de detentores de títulos para contribuintes.
Europe’s debt problems were created by excessive borrowing. That much is obvious. But these governments were only able to borrow heavily because the prices of their bonds were kept artificially high by artificially low interest rates. Interest rates can only be kept low through the expansion of the money supply. And this inflation is only possible under a system of fiat money.
Os problemas de dívida da Europa foram criados por tomada excessiva de empréstimos. Isso é óbvio. Aqueles governos, porém, só conseguiram tomar tanto emprestado porque os preços de seus títulos eram mantidos artificialmente altos por meio de taxas de juros artificialmente baixas. As taxas de juros só podem ser mantidas baixas por meio da expansão do suprimento de dinheiro. E essa inflação só é possível num sistema de dinheiro fiduciário [sem valor intrínseco].
Had there been a commodity-based monetary system in place, like the gold standard, there is no way these governments could have borrowed so heavily for so long. Interest rates would have gone up as the supply of loanable funds was depleted, thus discouraging further indebtedness.
Se vigesse um sistema monetário baseado em produtos de base, como o padrão ouro, teria sido impossível para aqueles governos terem tomado tanto dinheiro emprestado por tanto tempo. As taxas de juros teriam subido à medida que o suprimento de fundos emprestáveis se esgotasse, ficando pois desestimulado endividamento adicional.
The problem is there are no longer any institutional constraints on money creation. When governments enter the credit markets, they don’t have to compete with other borrowers for a finite supply of money, because they can pay off debt by issuing paper money.
O problema é não mais existirem restrições institucionais à criação de moeda. Quando os governos entram nos mercados de crédito, não têm que competir com outros tomadores por um suprimento finito de moeda, porque podem pagar dívidas mediante a emissão de papel-moeda.
Debt monetization sets in motion the destructive process whereby overvalued sovereign debt enables governments to spend more, which creates more debt, which inevitably leads to a fiscal crisis when tax revenues are no longer sufficient to maintain the level of government spending and service of the debt. This is where the governments of Greece, Italy, Portugal, and Spain find themselves today.
A monetização da dívida coloca em movimento o processo destrutivo por meio do qual dívida soberana supervalorizada permite aos governos gastar mais, o que cria mais dívida, a qual leva inevitavelmente a uma crise fiscal quando a receita de tributos não mais é suficiente para bancar o nível de gastos do governo e o pagamento de juros da dívida. Este é o ponto onde se encontram hoje os governos de Grécia, Itália, Portugal e Espanha.
The United States bears much of the blame for the European Union’s sovereign-debt problem, because the U.S. dollar is the world’s dominant reserve currency. The monetary policies of foreign central banks are heavily influenced by the Federal Reserve, because they pyramid their currencies on their U.S. dollar reserves. The more dollars the Fed creates, the more money the central banks of the world create.
Os Estados Unidos têm grande parte da culpa pelo problema de dívida soberana da União Europeia, porque o dólar dos Estados Unidos é a moeda de reserva dominante no mundo. As políticas monetárias dos bancos centrais estrangeiros são fortemente influenciadas pelo Reserva Federal, porque aqueles multiplicam suas moedas com base em suas reservas em dólar dos Estados Unidos. Quanto mais moeda o Fed cria mais dinheiro os bancos centrais do mundo criam.
Fiat money has resulted in a borrowing binge that now must come to an end. The financial writer Gary North made this observation in a recent column:
O dinheiro fiduciário resultou numa orgia de tomada de empréstimos que agora precisa acabar. O escritor financeiro Gary North fez, numa coluna recente, a seguinte observação:
This is hedge fund manager Kyle Bass's assessment of the situation in Europe. He stated this in a rousing interview on the BBC's TV network.…
Esta é a avaliação da situação da Europa pelo gerente de fundos Kyle Bass. Ele declarou o seguinte numa excelente entrevista na rede de televisão BBC.…
He made two crucial points — points that stock market investors are ignoring. First, over the last nine years, there has been an increase of world debt from $80 trillion to $210 trillion. These numbers are staggering. Global debt over the last nine years has grown at 12% per year, while GDP has grown at 4% per year.
Ele se concentrou em dois pontos cruciais — que os investidores do mercado de ações estão ignorando. Primeiro, ao longo dos últimos nove anos houve aumento da dívida mundial de $80 triliões para $210 triliões de dólares. Esses números são surpreendentes. A dívida mundial no decorrer dos últimos nove anos aumentou 12% ao ano, enquanto o PIB aumentou 4% ao ano.
While he did not verbally spell out the conclusion for the interviewer, it is this: when credit must grow by 12% per year in order to produce 4% GDP growth, at some point there will not be enough GDP to supply sufficient credit.
Embora ele não tenha explicitado a conclusão para o entrevistador, ela é a seguinte: quando o crédito precisa aumentar 12% ao ano para produzir aumento do PIB de 4%, em algum momento não haverá PIB suficiente para possibilitar crédito suficiente.
It is time once again to quote economist Herb Stein: “When something cannot go on forever, it has a tendency to stop.”
É hora de mais uma vez citar o economista Herb Stein: “Quando algo não pode continuar para sempre, tem a tendência de parar.”
While the media’s spotlight is on the eurozone right now, the United States has a sovereign-debt problem that is every bit as serious as Europe’s — perhaps worse, given that the U.S. government is borrowing heavily to maintain not only a domestic welfare state but also a global empire. The country’s national debt is now 100 percent of GDP and predicted to exceed 120 percent by 2015. The situation looks even bleaker when you consider that the federal government’s unfunded liabilities are estimated to exceed $100 trillion ($200 trillion by some estimates).
Embora os holofotes da mídia estejam, no momento, voltados para a eurozona, os Estados Unidos têm um problema de dívida soberana em tudo tão sério quanto o da Europa — talvez pior, dado que o governo dos Estados Unidos está tomando empréstimos intensamente para manter não apenas um estado assistencialista doméstico como também um império mundial. A dívida nacional do país representa agora 100 por cento do PIB e a previsão é de que exceda 120 por cento em 2015. A situação parece ainda mais sombria quando consideramos que se avalia sejam as responsabilidades sem financiamento do governo federal superiores a $100 triliões de dólares (de acordo com algumas estimativas, $200 triliões).
Since Nixon closed the gold window in August 1971, there has been an explosion in credit and price inflation. The Consumer Price Index has gone up by more than 500 percent while total U.S. debt increased from $9 trillion to over $60 trillion. In that time, the country’s GDP grew from $1.1 trillion to $15 trillion. The US has borrowed $51 trillion over the last 40 years to yield an increase in annual GDP of $14 trillion.
Desde que Nixon fechou o guichê do ouro em agosto de 1971 vem havendo uma explosão de crédito e inflação de preços. O Índice de Preços ao Consumidor subiu mais de 500 por cento enquanto a dívida total dos Estados Unidos aumentou de $9 triliões de dólares para mais de $60 triliões. No período mencionado, o PIB do país aumentou de $1,1 trilião para $15 triliões. Os Estados Unidos tomaram empréstimos de $51 triliões ao longo do últimos 40 anos para gerar aumento anual do PIB de $14 triliões.
This explosion in public and private-sector debt would not have been possible had the United States remained on the gold standard.
Essa explosão da dívida pública e do setor privado não teria sido possível se os Estados Unidos tivessem permanecido com o padrão ouro.
Some may argue the inflation was necessary to spur growth, but that is nonsense. Economic growth comes from capital investment, which is only possible if people defer consumption and save. Low interest rates discourage saving and encourage consumption. Whatever growth the U.S. has enjoyed in the last four decades has occurred despite inflation, not because of it.
Alguns poderão argumentar que a inflação foi necessária para estimular o crescimento, mas isso é um disparate. Crescimento econômico vem de investimento de capital, só possível se as pessoas adiarem o consumo e pouparem. Índices baixos de juros desestimulam a poupança e estimulam o consumo. Qualquer crescimento de que tenham gozado os Estados Unidos nas últimas quatro décadas ocorreu a despeito da inflação, não por causa dela.
The fiat-money system has created a corrupt and unstable political economy. The Fed’s ability to monetize government debt (inflation) has enabled the expansion of the parasitical public sector, which now appears to have overwhelmed the productive private sector.
O sistema de moeda fiduciária criou uma economia política corrompida e instável. A capacidade do Fed de monetizar dívida do governo (inflação) permitiu a expansão do parasitário setor público, que agora parece ter desbancado o setor privado produtivo.
Debt and inflation have distorted the economic structure of the country. The U.S. economy, rather than being based on production financed through equity, is now based on consumption financed through debt.
Dívida e inflação distorceram a estrutura econômica do país. A economia dos Estados Unidos, em vez de estar baseada em produção financiada por meio de participação acionária, está agora baseada em consumo financiado por meio de dívida.
Despite the severity of the federal government’s problems, the country’s political leadership still does not take them seriously. This was made clear by the failure of Congress’s so-called Super Committee to agree on a deficit reduction plan to cut $1.2 trillion in federal spending over ten years. Remember that the budget deficit for 2011 alone was $1.3 trillion. Given that level of deficit spending, “cutting” $120 billion annually for the next ten years will never balance the budget.
A despeito da severidade dos problemas do governo, a liderança política do país não leva a sério tais problemas. Isso foi deixado claro por a assim chamada SuperComissão do Congresso não chegar a acordo no tocante a um plano de redução do déficit envolvendo corte de $1,2 trilião de dólares de gastos federais ao longo de dez anos. Lembremo-nos de que o déficit orçamentário só de 2011 foi de $1,3 trilião. Dado esse nível de gasto deficitário, “cortar” $120 biliões de dólares anualmente no curso dos próximos dez anos nunca equilibrará o orçamento.
The country’s fiscal problems will not begin to be addressed until Congress stops borrowing and takes an axe to the federal budget. Congress simply needs to bring spending into line with revenue, which is around $2.3 trillion. That would require cutting spending by $1.5 trillion in a single year.
Os problemas fiscais só começarão a ser tratados quando o Congresso parar de tomar empréstimos e levantar o machado para atingir o orçamento federal. O Congresso só precisa de colocar os gastos em linha com a receita, que é de cerca de $2,3 triliões de dólares. Isso requereria cortar os gastos em $1,5 trilião num único ano.
But what is mathematically simple is not necessarily politically simple. Spending cuts of that size will be politically feasible only after there is a radical rethinking of the role of government in our society. Americans would have to be willing to give up so called entitlements like Social Security, Medicare, and Medicaid, as well as the federal government’s interventionist foreign policy. These programs are outrageously expensive, and there is no way the country can approach fiscal sanity while continuing with them.
Contudo, o que é matematicamente simples não é necessariamente politicamente simples. Cortes de gastos desse porte só serão politicamente factíveis se houver redefinição radical do papel do governo em nossa sociedade. Os estadunidenses terão de estar dispostos a abrir mão dos assim chamados direitos adquiridos tais como Previdência Social, Assistência Médica para Idosos - Medicare, e Assistência Médica para Carentes - Medicaid, bem como da política externa intervencionista do governo federal. Esses programas são escandalosamente dispendiosos, e não há maneira de o país alcançar sanidade fiscal enquanto continuar com eles.
Brian Moriarty of 321gold puts it succinctly:
Brian Moriarty de 321gold diz isso sucintamente:
There is $195 trillion dollars of debt in the world but only $150 trillion in assets. That assumes there isn't trillions more of debt hidden in the $600 trillion in derivatives. I suspect the debt may be far higher than anyone anticipates today.
Há $195 triliões de dólares de dívida no mundo mas apenas $150 triliões em haveres/ativos. Isso assumindo-se que não haja mais outros tantos triliões de dívida ocultos nos $600 triliões em derivativos. Suspeito de que a dívida possa ser muito maior do que qualquer pessoa preveja hoje em dia.
The debt cannot be paid, even if the entire load is dumped like bales of hay onto the backs of the taxpaying camels. The debt must be written off and governments, like corporations and families, must learn to live within their budgets. We cannot float in a sea of debt attached to an anchor of unpaid obligations.
A dívida não pode ser paga, mesmo se a carga inteira for despejada como fardos de feno nas costas dos camelos contribuintes. A dívida precisa ser perdoada e os governos, como corporações e famílias, precisam a aprender a viver dentro de seu orçamento. Não podemos flutuar num mar de dívida atrelados a uma âncora de obrigações não saldadas.
The global economy will only truly recover when governments contract to a fraction of their current gargantuan size. So-called austerity measures need to be implemented and, most importantly, the “too-big-to-fail” megabanks need to be allowed to fail. These institutions are parasitical, corrupt, and obviously incompetent.
A economia mundial só se recuperará de verdade quando os governos se contraírem para uma fração de seu atual gigantesco tamanho. Assim chamadas medidas de austeridade precisam ser implementadas e, mais importante, é preciso deixar falir os megabancos “grandes demais para falir”. Essas instituições são parasitárias, corruptas e obviamente incompetentes.
Currencies need to be stabilized within a commodity-based monetary system (i.e., gold and silver) and those institutions that devalue them must be shut down. This means abolishing central banking and introducing full-reserve free banking.
As moedas precisam ser estabilizadas dentro de um sistema monetário baseado em produtos de base (isto é, ouro e prata) e as instituições que as desvalorizarem precisam ser fechadas. Isso significa acabar com os bancos centrais e criar atividade bancária livre de reserva plena(*).

(*) Acerca de reserva plena, reserva fracionária e livre atividade bancária ver, por exemplo: Full reserve banking http://wiki.mises.org/wiki/Full_reserve_banking Fractional reserve banking http://wiki.mises.org/wiki/Fractional_reserve_banking e Free banking http://wiki.mises.org/wiki/Free_banking e ainda Why full reserve banking and free banking are the same thing http://thegrumpyhermit.wordpress.com/2011/02/11/why-full-reserve-banking-and-free-banking-are-the-same-thing/
I do not expect this to happen anytime soon. The global elite are likely to resort to almost anything to preserve their central-banking and fiat-money system. Thus, we are likely to see more inflationary bailout schemes, diversionary international crises, wars, and further encroachments on civil liberties.
Não espero que isso ocorra logo. A elite global provavelmente recorrerá a quase qualquer coisa para preservar seu sistema de bancos centrais e dinheiro fiduciário. Assim, provavelmente veremos mais esquemas inflacionários de socorro financeiro, crises internacionais para distrair a atenção das pessoas, guerras, e mais usurpação de nossas liberdades civis.
Tim Kelly is a columnist and policy advisor at the Future of Freedom Foundation in Fairfax, Virginia, a correspondent for Radio America’s Special Investigator, and a political cartoonist.
Tim Kelly é colunista e conselheiro de políticas de A Fundação Futuro de Liberdade em Fairfax, Virgínia, correspondente do Investigador Especial da Rádio América e cartunista político.

No comments:

Post a Comment