Tuesday, December 27, 2011

C4SS - Mene, Mene, Tekel, Upharsin

ENGLISH
PORTUGUÊS
C4SS – CENTER FOR A STATELESS SOCIETY
C4SS – CENTRO POR UMA SOCIEDADE SEM ESTADO
building awareness of the market anarchist alternative
na construção da consciência da alternativa anarquista de mercado
Mene, Mene, Tekel, Upharsin
Mene, Mene, Tequel e Parsim(*)

(*) Daniel 5:25, Tradução Almeida Revista e Corrigida, Sociedade  Bíblica do Brasil
Posted by Kevin Carson on Dec 25, 2011 in Commentary
Afixado por Kevin Carson em 25 de dezembro 2011 em Commentary
[Carson reads the writing on the IP wall.]
[Carson lê a escritura na parede da Propriedade Intelectual - IP.]
Since passage of the Digital Millennium Copyright Act in 1998, the Lords of Scarcity have given us one demonstration after another of the totalitarian lengths they’re willing to go to — that they’re driven to, in fact — to preserve their system of power.
Desde a aprovação da Lei de Direitos Autorais do Milênio Digital em 1998 os Senhores da Escassez vêm-nos dando uma demonstração após outra de a que lonjuras totalitárias estão dispostos a ir — às quais, na verdade, são impelidos — para preservar seu sistema de poder.
Back in the days of the old Soviet Union, the state licensed access to photocopiers and referred to people circulating Samizdat pamphlets as “pirates,” because they undermined the information control that the bureaucratic oligarchy and its system of exploitation depended on.
Nos dias da antiga União Soviética o estado licenciava acesso a fotocopiadoras e referia-se às pessoas que distribuíam panfletos samizdat como “piratas,” porque solapavam o controle da informação do qual a oligarquia burocrática e seu sistema de exploração dependiam.
Twenty years after the Fall of Communism, it’s corporate capitalism that depends on information control as the basis of its power. Capitalism — as opposed to the free market — has always depended on the state to enforce artificial scarcity, artificial property rights, as a source of rents for the ruling class. But around twenty years ago, the forces of abundance unleashed by the digital and network revolutions became an unprecedented threat to the artificial scarcity rents that the Lords of Scarcity depend on. They were forced to resort to unprecedented levels of totalitarian information control to stave off the threat from abundance.
Vinte anos depois da queda do comunismo, é o capitalismo corporativo que depende do controle da informação como base de seu poder. O capitalismo — enquanto oposto ao livre mercado — sempre dependeu do estado para impor escassez artificial, direitos artificiais de propriedade, como fonte de rents(*) para a classe dominante. Há cerca de vinte anos, porém, as forças da abundância deflagradas pelas revoluções digital e de rede tornaram-se ameaça sem precedentes para os rents de escassez artificial das quais os Senhores da Escassez dependiam. Eles foram forçados a recorrer a níveis sem precedentes de controle totalitário da informação para protelar a ameaça de abundância.

(*) rents - aqui e nos casos seguintes, em sentido pelo menos próximo do de renda econômica, 'pagamento por um fator de produção além do necessário para mantê-lo em seu uso presente'. Ver Collins English Dictionary Complete and Unabridged.
Today “intellectual property” is the central monopoly on which the profits of global corporations depend. “Intellectual property” serves the same protectionist function for transnational corporate capitalism that tariffs did for the old national industries a century ago. IP is a barrier between the corporation and the surrounding world, rather than between a nation and the world. But its essence is the same: A restriction on who is allowed to sell a given good in a given market.
Hoje a “propriedade intelectual” - IP é o monopólio principal do qual dependem os lucros das corporações mundiais. A “propriedade intelectual” desempenha, no capitalismo corporativo transnacional, a mesma função protecionista que as tarifas desempenhavam nas antigas indústrias nacionais há um século. A IP é uma barreira entre a corporação e o mundo circundante, em vez de entre uma nação e o mundo. Sua essência, porém, é a mesma: Uma restrição acerca de a quem é permitido vender determinado bem em dado mercado.
IP is central to the business models of all the dominant industries in the global corporate economy: Agribusiness, biotech, pharmaceuticals, entertainment, software, and electronics.  The profits of these industries depend entirely on the erection of feudal barriers against the flow of information, on the criminalization of competition. Their profits are a form of tribute extracted from labor at gunpoint.
A IP é fundamental para os modelos de negócios de todas as indústrias dominantes na economia corporativa mundial: Agronegócio, biotecnologia, produtos farmacêuticos, entretenimento, software, e eletrônica. Os lucros dessas indústrias dependem inteiramente da ereção de barreiras feudais contra o fluxo de informação, da criminação da competição. Os lucros delas são uma forma de tributo extraído do trabalhador sob mira de arma.
Just as the great landlords once fenced off and enclosed the Earth in order to exact tribute from those they then permitted to work it, the new feudal Lords of Scarcity erect fences against the free flow of information, against the free adoption of innovation. They exact tribute from us for the right to share and build on each other’s ideas.
Do mesmo modo que os grandes latifundiários, no passado, cercaram e fecharam a terra para extorquir tributo daqueles a quem permitiam trabalhá-la, os novos Senhores feudais da Escassez erigem cercas contra o livre fluxo da informação, contra a livre adoção de inovação. Extorquem tributos de nós pelo direito de partilharmos e construirmos em cima das ideias uns dos outros.
Corporate capitalism has erected a wall, a DRM Curtain, against the free flow of information.  And it periodically adds bricks to the wall: The WIPO Copyright Treaty, the Uruguay Round TRIPS Accord, the DMCA, ACTA. But it’s never enough, because tyranny of the mind is unenforceable. No matter how many bricks they add to shore up the wall, free people keep right on sharing information.
O capitalismo corporativo erigiu um muro, uma Cortina de Gestão de Direitos Digitais - DRM contra o livre fluxo da informação. E periodicamente acrescenta tijolos à parede: o Tratado da Organização Mundial da Propriedade Intelectual - WIPO, o Acordo da Rodada Uruguai de Aspectos Relacionados com Comércio dos Direitos de Propriedade Intelectual - TRIPS, as Leis dos Direitos Autorais do Milênio Digital - DMCA, Acordo Comercial Anticontrafação - ACTA. Nunca basta, porém, porque é impossível fazer cumprir a tirania da mente. Não importa quantos tijolos eles acrescentem para escorar o muro, as pessoas livres continuam a partilhar informação.
The most recent new brick is the “Stop Online Piracy Act.” As it turns out, the final Senate vote on SOPA has been postponed to next year. But when it was expected to come up for a vote on December 21, Mozilla introduced an extension for the Firefox browser, DeSopa, that automatically circumvents domain name takedowns by locating other domains for the same numeric IP address. Cyberpunk author Bruce Sterling, commenting on it, snarked that “the Internet treats the Congressional Law of the Land as damage and routes around it.”
O tijolo mais recente é a “Lei Contra Pirataria Online - SOPA.” No fim, a votação final da SOPA no Senado foi adiada para o ano que vem. Quando, porém, se esperava que fosse apresentada para votação em 21 de dezembro, a Mozilla apresentou uma extensão para o browser Firefox, DeSopa, que automaticamente contorna a remoção de nomes de domínio mediante localizar outros domínios para o mesmo endereço numérico de IP. O autor cyberpunk Bruce Sterling comentou sarcasticamente o fato dizendo que “a Internet interpreta a lex terrae do Congresso como estrago e passa ao largo dela.”
So to you Lords of Scarcity, I proclaim — as did John Perry Barlow twenty years ago: You have no authority that we are bound to respect. We hold your patents, your digital copyright laws, in contempt. We will continue to share information in defiance of your so-called laws. We will devise ways to circumvent your laws faster than you can find ways to enforce them.
Então para vocês, Senhores da Escassez, proclamo — como fez John Perry Barlow há vinte anos: Vocês não têm autoridade que nos sintamos moralmente obrigados a respeitar. Desprezamos as patentes de vocês, as leis de direitos autorais de vocês. Continuaremos a partilhar informação desafiando as suas assim chamadas leis. Concebemos meios de contornar suas leis mais depressa do que vocês conseguem encontrar maneiras de fazê-las ser cumpridas.
Twenty years after the fall of the Berlin Wall brought down a previous Evil Empire, we’re tearing down your DRM Curtain. You Lords of Scarcity and your corporate system are headed for the ashheap of history.
Vinte anos depois de a queda do Muro de Berlim provocar a derrubada de um Império do Mal anterior, estamos acabando com a Cortina de Gestão de Direitos Digitais - DRM de vocês. Vocês Senhores da Escassez e seu sistema corporativo estão destinados aos escombros da história.
C4SS (c4ss.org) Research Associate Kevin Carson is a contemporary mutualist author and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political Economy, Organization Theory: An Individualist Anarchist Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation and his own Mutualist Blog.
O Associado de Pesquisa do C4SS (c4ss.org) Kevin Carson é autor contemporâneo mutualista e anarquista individualista cuja obra escrita inclui Estudos em Economia Política Mutualista, Teoria da Organização: Perspectiva Anarquista Individualista, e A Revolução Industrial Gestada em Casa: Manifesto de Baixo Overhead, todos disponíveis grátis online. Carson também tem escrito para publicações impressas tais como O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e diversos periódicos e blogs baseados na internet, inclusive Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation e seu próprio Blog Mutualista.

No comments:

Post a Comment