Thursday, December 29, 2011

ANTIWAR.COM - 'Wiped off the Map' – The Rumor of the Century

ENGLISH
PORTUGUÊS
ANTIWAR.COM
ANTIWAR.COM
Your best source for antiwar news, viewpoints and activities
Sua melhor fonte de notícias, pontos de vista e atividades contrários à guerra
'Wiped off the Map' – The Rumor of the Century
'Removido do Mapa' – O Boato do Século
by Arash Norouzi
por Arash Norouzi
May 26, 2007
26 de maio de 2007
Across the world, a dangerous rumor has spread that could have catastrophic implications. According to legend, Iran's president has threatened to destroy Israel, or, to quote the misquote, "Israel must be wiped off the map." Contrary to popular belief, this statement was never made.
Por todo o mundo disseminou-se perigoso boato de implicações potencialmente catastróficas. De acordo com a história mal contada, o presidente do Irã ameaçou destruir Israel, ou, para citar a citação errônea, "Israel tem de ser removido do mapa." Contrariamente à crença popular, essa declaração nunca foi feita.
On Tuesday, October 25th, 2005 at the Ministry of Interior conference hall in Tehran, newly elected Iranian President Mahmoud Ahmadinejad delivered a speech at a program, reportedly attended by thousands, titled "The World Without Zionism." Large posters surrounding him displayed this title prominently in English, obviously for the benefit of the international press. Below the poster's title was a slick graphic depicting an hour glass containing planet Earth at its top. Two small round orbs representing the United States and Israel are shown falling through the hour glass' narrow neck and crashing to the bottom.
Na terça-feira, 25 de outubro de 2005, na sala de conferências do Ministério do Interior, o recentemente eleito Presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad proferiu um discurso num programa, que teria sido assistido por milhares de pessoas, intitulado "O Mundo Sem Sionismo." Grandes cartazes em torno dele exibiam esse título proeminentemente em inglês, obviamente para o benefício da imprensa internacional. Abaixo do título havia engenhosa representação gráfica de uma ampulheta cuja parte de cima continha o planeta Terra. Duas pequenas esferas representando os Estados Unidos e Israel são mostradas caindo através do estreito gargalo da ampulheta espatifando-se no fundo(*).

Before we get to the infamous remark, it's important to note that the "quote" in question was itself a quote – they are the words of the late Ayatollah Khomenei, the father of the Islamic Revolution. Although he quoted Khomeini to affirm his own position on Zionism, the actual words belong to Khomeini and not Ahmadinejad. Thus, Ahmadinejad has essentially been credited (or blamed) for a quote that is not only unoriginal, but represents a viewpoint already in place well before he ever took office.  
Antes de entrarmos na famigerada observação, é importante observar que a "citação" em questão foi, ela própria, uma citação – de palavras do falecido aiatolá Khomeini, pai da Revolução Islâmica. Embora Ahmadinejad tenha citado Khomeini para afirmar sua própria posição acerca do sionismo, as palavras efetivamente são de Khomeini e não de Ahmadinejad. Assim, pois, Ahmadinejad essencialmente recebeu crédito (ou culpa) por citação não apenas não original, como ademais representando ponto de vista já externado bem antes de ele ter ascendido ao cargo. 
The Actual Quote:
A Citação Real:
So what did Ahmadinejad actually say? To quote his exact words in Farsi:
Então, o que exatamente Ahmadinejad disse? Para citar suas palavras exatas em persa:
"Imam ghoft een rezhim-e ishghalgar-e qods bayad az safheh-ye ruzgar mahv shavad."
"Imam ghoft een rezhim-e ishghalgar-e qods bayad az safheh-ye ruzgar mahv shavad."
That passage will mean nothing to most people, but one word might ring a bell: rezhim-e. It is the word "regime." pronounced just like the English word with an extra "eh" sound at the end. Ahmadinejad did not refer to Israel the country or Israel the land mass, but the Israeli regime. This is a vastly significant distinction, as one cannot wipe a regime off the map. Ahmadinejad does not even refer to Israel by name, he instead uses the specific phrase "rezhim-e ishghalgar-e qods" (regime occupying Jerusalem).
Essa passagem nada significará para a maioria das pessoas, mas uma palavra poderá soar familiar: rezhim-e. É a palavra "regime" pronunciada exatamente como em inglês com um som extra "eh" no final. Ahmadinejad não se referiu a Israel o país ou a Israel a extensão de terra, e sim ao regime israelense. Essa é uma distinção muito importante, visto ser impossível remover um regime do mapa. Ahmadinejad nem se refere a Israel pelo nome e sim, antes, usa a expressão específica "rezhim-e ishghalgar-e qods" (o regime ocupador de Jerusalém).
So this raises the question.. what exactly did he want "wiped from the map"? The answer is: nothing. That's because the word "map" was never used. The Persian word for map, "nagsheh" is not contained anywhere in his original Farsi quote, or, for that matter, anywhere in his entire speech. Nor was the western phrase "wipe out" ever said. Yet we are led to believe that Iran's president threatened to "wipe Israel off the map." despite never having uttered the words "map." "wipe out" or even "Israel."
Isso portanto suscita a pergunta... o que exatamente ele desejava "removido do mapa"? A resposta é: nada. Pois a palavra "mapa" nunca foi usada. A palavra persa para mapa, "nagsheh" não está presente em parte alguma de sua citação em persa nem, aliás, em qualquer parte de todo o seu discurso. Nem foi jamais usada a expressão ocidental "destruir completamente". No entanto, somos levados a crer que o presidente do Irã ameaçou "remover Israel do mapa" a despeito de nunca ter pronunciado os termos "mapa", "destruir completamente" ou mesmo "Israel."
The Proof:
A Prova:
The full quote translated directly to English:
A citação completa traduzida diretamente para o inglês:
"The Imam said this regime occupying Jerusalem must vanish from the page of time."
"O Imã disse que esse regime ocupador de Jerusalém há que esvaecer-se da página do tempo."
Word by word translation:
Tradução palavra por palavra:
Imam (Khomeini) ghoft (said) een (this) rezhim-e (regime) ishghalgar-e (occupying) qods (Jerusalem) bayad (must) az safheh-ye ruzgar (from page of time) mahv shavad (vanish from).
O Imã (Khomeini) ghoft (disse) een (esse) rezhim-e (regime) ishghalgar-e (ocupador) qods (Jerusalém) bayad (há que) az safheh-ye ruzgar (da página do tempo) mahv shavad (esvaecer-se).
Here is the full transcript of the speech in Farsi, archived on Ahmadinejad's web site
Eis aqui a transcrição completa do discurso em persa, arquivada no website de Ahmadinejad.
The Speech and Context:
O Discurso e o Contexto:
While the false "wiped off the map" extract has been repeated infinitely without verification, Ahmadinejad's actual speech itself has been almost entirely ignored. Given the importance placed on the "map" comment, it would be sensible to present his words in their full context to get a fuller understanding of his position. In fact, by looking at the entire speech, there is a clear, logical trajectory leading up to his call for a "world without Zionism." One may disagree with his reasoning, but critical appraisals are infeasible without first knowing what that reasoning is.
Enquanto o falso excerto "removido do mapa" vem sendo exaustivamente repetido sem verificação, o real discurso de Ahmadinejad tem sido quase inteiramente ignorado. Dada a importância atribuída ao comentário do "mapa" seria sensato apresentar as palavras dele no pleno contexto para obtermos entendimento mais completo de seu ponto de vista. Na verdade, ao ser considerado o discurso completo, há clara e lógica trajetória conduzindo ao apelo dele por um "mundo sem sionismo." Pode-se discordar do raciocínio dele, mas avaliações críticas são inexequíveis sem prévio conhecimento de qual seja o raciocínio.
In his speech, Ahmadinejad declares that Zionism is the West's apparatus of political oppression against Muslims. He says the "Zionist regime" was imposed on the Islamic world as a strategic bridgehead to ensure domination of the region and its assets. Palestine, he insists, is the frontline of the Islamic world's struggle with American hegemony, and its fate will have repercussions for the entire Middle East.
Em seu discurso Ahmadinejad declara que o sionismo é o aparato de opressão política do Ocidente aos muçulmanos. Diz que o "regime sionista" foi imposto ao mundo islâmico como cabeça de ponte estratégica para assegurar domínio da região e de seus haveres. A Palestina, insiste ele, é a linha de frente da luta do mundo islâmico com a hegemonia estadunidense, e o destino dela terá repercussões em todo o Oriente Médio.
Ahmadinejad acknowledges that the removal of America's powerful grip on the region via the Zionists may seem unimaginable to some, but reminds the audience that, as Khomeini predicted, other seemingly invincible empires have disappeared and now only exist in history books. He then proceeds to list three such regimes that have collapsed, crumbled or vanished, all within the last 30 years:
Ahmadinejad reconhece que a remoção da poderosa pinça dos Estados Unidos sobre a região via sionistas poderá parecer inimaginável para algumas pessoas, mas lembra à plateia que, como Khomeini previu, outros impérios aparentemente invencíveis desapareceram e hoje só existem nos livros de História. Prossegue então para listar três desses regimes que entraram em colapso, desintegraram-se ou esvaeceram-se, todos nos últimos 30 anos:
(1) The Shah of Iran – the U.S. installed monarch
(1) O Xá do Irã – monarca empossado pelos Estados Unidos
(2) The Soviet Union
(2) A União Soviética
(3) Iran's former arch-enemy, Iraqi dictator Saddam Hussein
(3) O ex-arqui-inimigo do Irã, ditador do Iraque Saddam Hussein
In the first and third examples, Ahmadinejad prefaces their mention with Khomeini's own words foretelling that individual regime's demise. He concludes by referring to Khomeini's unfulfilled wish: "The Imam said this regime occupying Jerusalem must vanish from the page of time. This statement is very wise." This is the passage that has been isolated, twisted and distorted so famously. By measure of comparison, Ahmadinejad would seem to be calling for regime change, not war.
Nos primeiro e terceiro exemplos Ahmadinejad prefacia a menção com as próprias palavras de Khomeini prevendo o desaparecimento daquele regime específico. Conclui referindo-se ao desejo não realizado de Khomeini: "O Imã disse que esse regime ocupador de Jersusalém há que esvaecer-se da página do tempo. Essa declaração é muito sábia." Essa é a passagem que foi isolada, torcida e distorcida tão famosamente. Para medida de comparação, Ahmadinejad pareceria estar preconizando mudança de regime, não guerra.
The Origin:
A Origem:
One may wonder: where did this false interpretation originate? Who is responsible for the translation that has sparked such worldwide controversy? The answer is surprising.
Alguém poderá admirar-se: de onde se originou essa falsa interpretação? Quem é responsável pela tradução que deu origem a controvérsia assim mundial? A resposta é surpreendente.
The inflammatory "wiped off the map" quote was first disseminated not by Iran's enemies, but by Iran itself. The Islamic Republic News Agency, Iran's official propaganda arm, used this phrasing in the English version of some of their news releases covering the World Without Zionism conference. International media including the BBC, Al-Jazeera, Time magazine and countless others picked up the IRNA quote and made headlines out of it without verifying its accuracy, and rarely referring to the source. Iran's Foreign Minister soon attempted to clarify the statement, but the quote had a life of its own. Though the IRNA wording was inaccurate and misleading, the media assumed it was true, and besides, it made great copy.
A insufladora citação "removido do mapa" foi primeiro disseminada não pelos inimigos do Irã, mas pelo próprio Irã. A Agência de Notícias da República Islâmica - IRNA, braço oficial de propaganda do Irã, usou esse palavreado na versão inglesa de algumas de suas divulgações de notícias cobrindo a conferência Mundo Sem Sionismo. A mídia internacional, inclusive BBC, Al-Jazeera, revista Time e incontáveis outros tomaram a citação da IRNA e transformaram-na em manchetes, sem verificar sua precisão, e raramente referindo-se à fonte. O Ministro do Exterior do Irã logo tentou esclarecer a declaração, mas a citação tinha vida própria. Embora a linguagem da IRNA fosse inexata e desencaminhadora, a mídia assumiu-a como verdadeira e, ademais, era ótima em termos de despertar interesse.
Amid heated wrangling over Iran's nuclear program, and months of continuous, unfounded accusations against Iran in an attempt to rally support for preemptive strikes against the country, the imperialists had just been handed the perfect raison d'être to invade. To the war hawks, it was a gift from the skies.
Em meio a acesas discussões acerca do programa nuclear do Irã, e meses de acusações contínuas e sem fundamento contra o Irã em tentativa de arregimentar apoio para ataques preemptivos(*) contra aquele país, os imperialistas haviam acabado de receber de bandeja a perfeita raison d'être para invasão. Para os partidários da guerra, foi um presente do céu.

(*) Uso 'preemptivo' como neologismo e anglicismo, com o significado de 'feito para impedir ato indesejado de outro grupo, país etc.' - Ver Merriam-Webster Learner's.
It should be noted that in other references to the conference, the IRNA's translation changed. For instance, "map" was replaced with "earth." In some articles it was "The Qods occupier regime should be eliminated from the surface of earth." or the similar "The Qods occupying regime must be eliminated from the surface of earth." The inconsistency of the IRNA's translation should be evidence enough of the unreliability of the source, particularly when transcribing their news from Farsi into the English language.
Deve-se notar que, em outras referências à conferência, a tradução da IRNA mudou. Por exemplo,  "mapa" foi substituído por "terra." Em alguns artigos era "O regime ocupador de Qods deve ser eliminado da superfície da terra", ou o similar "O regime que está ocupando Qods tem de ser eliminado da superfície da terra." A inconsistência da tradução da IRNA deveria constituir evidência bastante da não fidedignidade da fonte, particularmente quando da tradução das notícias da agência do persa para o inglês.
The Reaction: 
A Reação: 
The mistranslated "wiped off the map" quote attributed to Iran's president has been spread worldwide, repeated thousands of times in international media, and prompted the denouncements of numerous world leaders. Virtually every major and minor media outlet has published or broadcast this false statement to the masses. Big news agencies such as The Associated Press and Reuters refer to the misquote, literally, on an almost daily basis. 
A equivocadamente traduzida citação "removido do mapa" atribuída ao presidente do Irã vem-se espalhando pelo mundo, repetida milhares de vezes na mídia internacional, provocando denúncias de numerosos líderes mundiais. Praticamente todo grande e pequeno distribuidor de mídia publicou ou transmitiu a falsa declaração para as massas. Grandes agências de notícias como Associated Press e Reuters referem-se à citação equivocada, literalmente, quase todos os dias.
Following news of Iran's remark, condemnation was swift. British Prime Minister Tony Blair expressed "revulsion" and implied that it might be necessary to attack Iran. U.N. chief Kofi Annan cancelled his scheduled trip to Iran due to the controversy. Ariel Sharon demanded that Iran be expelled from the United Nations for calling for Israel's destruction. Shimon Peres, more than once, threatened to wipe Iran off the map. More recently, Israel's Benjamin Netanyahu, who has warned that Iran is "preparing another holocaust for the Jewish state" is calling for Ahmadinejad to be tried for war crimes for inciting genocide. 
Na esteira das notícias acerca da observação do Irã, a condenação foi presta. O Primeiro-Ministro britânico Tony Blair expressou "repulsa" e deixou implícito que seria necessário atacar o Irã. O dirigente das Nações Unidas Kofi Annan cancelou sua viagem programada ao Irã por causa da controvérsia. Ariel Sharon exigiu que o Irã fosse expulso das Nações Unidas por recomendar publicamente a destruição de Israel. Shimon Peres, mais de uma vez, ameaçou remover o Irã do mapa. Mais recentemente, Benjamin Netanyahu, de Israel, que havia advertido o Irã estar "preparando outro holocausto para o estado judaico" está recomendando que Ahmadinejad seja julgado por crimes de guerra por incitar a genocídio.
The artificial quote has also been subject to additional alterations. U.S. officials and media often take the liberty of dropping the "map" reference altogether, replacing it with the more acutely threatening phrase "wipe Israel off the face of the earth." Newspaper and magazine articles dutifully report Ahmadinejad has "called for the destruction of Israel." as do senior officials in the United States government.
A citação artificial também foi sujeitada a alterações adicionais. Autoridades e mídia dos Estados Unidos amiúde tomam a liberdade de retirar inteiramente a referência a "mapa", substituindo-a pela expressão mais agudamente ameaçadora "remover Israel da face da Terra." Artigos de jornais e revistas zelosamente informam que Ahmadinejad "preconizou a destruição de Israel" e o mesmo fazem autoridades de alto nível do governo dos Estados Unidos.
President George W. Bush said the comments represented a "specific threat" to destroy Israel. In a March 2006 speech in Cleveland, Bush vowed he would resort to war to protect Israel from Iran, because, "the threat from Iran is, of course, their stated objective to destroy our ally Israel." Former presidential advisor Richard Clarke told Australian TV that Iran "talks openly about destroying Israel." and insists, "The president of Iran has said repeatedly that he wants to wipe Israel off the face of the earth." In an October 2006 interview with Amy Goodman, former UN Weapons Inspector Scott Ritter referred to Ahmadinejad as "the idiot that comes out and says really stupid, vile things, such as, 'It is the goal of Iran to wipe Israel off the face of the earth.'" The consensus is clear.
O Presidente George W. Bush disse que os comentários representavam "ameaça específica" de destruir Israel. Num discurso em Cleveland em março de 2006 Bush prometeu recorrer a guerra para proteger Israel do Irã porque "a ameaça do Irã é, obviamente, seu declarado objetivo de destruir nosso aliado Israel." O ex-assessor presidencial Richard Clarke disse à TV australiana que o Irã "fala abertamente acerca de destruir Israel", e insiste: "O presidente do Irã já disse repetidamente que deseja remover Israel da face da Terra". Numa entrevista em outubro de 2006 com Amy Goodman, o ex-Inspetor de Armamentos das Nações Unidas Scott Ritter referiu-se a Ahmadinejad como "o idiota que aparece e diz coisas realmente estúpidas e vis tais como 'É meta do Irã remover Israel da face da terra.'" O consenso é claro.
Confusing matters further, Mahmoud Ahmadinejad pontificates rather than give a direct answer when questioned about the statement, such as in Lally Weymouth's Washington Post interview in September 2006:
Confundindo ainda mais as coisas, Mahmoud Ahmadinejad pontifica em vez de dar resposta direta quando indagado acerca da declaração, como na entrevista a Lally Weymouth do Washington Post em setembro de 2006:
"Q: Are you really serious when you say that Israel should be wiped off the face of the Earth?
"P: Você de fato fala seriamente quando diz que Israel deveria ser removido da face da terra?
"A: We need to look at the scene in the Middle East – 60 years of war, 60 years of displacement, 60 years of conflict, not even a day of peace. Look at the war in Lebanon, the war in Gaza –  what are the reasons for these conditions? We need to address and resolve the root problem.
"R: Precisamos olhar o cenário no Oriente Médio – 60 anos de guerra, 60 anos de desalojamento, 60 anos de conflito, nem um só dia de paz. Veja a guerra no Líbano, a guerra em Gaza –  e quais os motivos dessas condições? Precisamos tratar e resolver o problema fundamental.
"Q: Your suggestion is to wipe Israel off the face of the Earth?
"P: Sua sugestão é remover Israel da face da Terra?
"A: Our suggestion is very clear:... Let the Palestinian people decide their fate in a free and fair referendum, and the result, whatever it is, should be accepted.... The people with no roots there are now ruling the land.
"R: Nossa sugestão é muito clara:... Deixem o povo palestino decidir seu destino num referendo livre e justo, e o resultado, qualquer seja, deverá ser aceito.... O povo sem raízes está hoje governando aquela terra.
"Q: You've been quoted as saying that Israel should be wiped off the face of the Earth. Is that your belief?
"P: Você foi citado como dizendo que Israel deveria ser removido da face da Terra. É o que você acredita?
"A: What I have said has made my position clear. If we look at a map of the Middle East from 70 years ago...
"R: O que eu disse tornou minha posição clara. Se olharmos para um mapa do Oriente Médio a partir de 70 anos atrás...
"Q: So, the answer is yes, you do believe that it should be wiped off the face of the Earth?
"P: Portanto, a resposta é sim, você acredita que ele deveria ser removido da face da Terra?
"A: Are you asking me yes or no? Is this a test? Do you respect the right to self-determination for the Palestinian nation? Yes or no? Is Palestine, as a nation, considered a nation with the right to live under humane conditions or not? Let's allow those rights to be enforced for these 5 million displaced people."
"R: Você está me perguntando se sim ou não? É isto um teste? Você respeita o direito de autodeterminação da nação palestina? Sim ou não? É a Palestina, como nação, considerada nação com direito a viver em condições humanas ou não? Deixemos que tais direitos tornem-se efetivos para aqueles 5 milhões de pessoas desalojadas".
The exchange is typical of Ahmadinejad's interviews with the American media. Predictably, both Mike Wallace of 60 Minutes and CNN's Anderson Cooper asked if he wants to "wipe Israel off the map." As usual, the question is thrown back in the reporter's face with his standard "Don't the Palestinians have rights?, etc." retort (which is never directly answered either). Yet he never confirms the "map" comment to be true. This did not prevent Anderson Cooper from referring to earlier portions of his interview after a commercial break and lying, "as he said earlier, he wants Israel wiped off the map."
A discussão é típica das entrevistas de Ahmadinejad com a mídia estadunidense. Previsivelmente, tanto Mike Wallace do 60 Minutos quanto Anderson Cooper da CNN perguntaram se ele quer "remover Israel do mapa." Como usual, a pergunta é devolvida na cara ao repórter, no padrão de retruque "Os palestinos não têm direitos?, etc." (e por sua vez também nunca é respondida diretamente). Não obstante, ele nunca confirma que o comentário acerca de "mapa" é verdadeiro. Isso não impediu Anderson Cooper de referir-se a porções anteriores da entrevista dele depois de um intervalo comercial e de mentir: "como ele disse antes, ele deseja Israel removido do mapa."
Even if every media outlet in the world were to retract the mistranslated quote tomorrow, the major damage has already been done, providing the groundwork for the next phase of disinformation: complete character demonization. Ahmadinejad, we are told, is the next Hitler, a grave threat to world peace who wants to bring about a new Holocaust. According to some detractors, he not only wants to destroy Israel, but after that, he will nuke America, and then Europe! An October 2006 memo titled "Words of Hate: Iran's Escalating Threats" released by the powerful Israeli lobby group AIPAC opens with the warning, "Ahmadinejad and other top Iranian leaders are issuing increasingly belligerent statements threatening to destroy the United States, Europe and Israel." These claims not only fabricate an unsubstantiated threat, but assume far more power than he actually possesses. Alarmists would be better off monitoring the statements of the ultra-conservative Supreme Leader, Ayatollah Khamenei, who holds the most power in Iran.
Mesmo se todo distribuidor de mídia do mundo se retratasse amanhã da citação erradamente traduzida, o dano principal já foi feito, proporcionando o fundamento para a fase seguinte de desinformação: completa demonização de caráter. Ahmadinejad, é-nos dito, é o próximo Hitler, grave ameaça à paz mundial que deseja causar um novo Holocausto. De acordo com alguns detratores, ele não apenas quer destruir Israel como, depois disso, destruirá com armas atômicas os Estados Unidos e, então, a Europa! Memorando de outubro de 2006 intitulado "Palavras de Ódio: Ameaças do Irã em Escalada" divulgado pelo poderoso grupo de lobby israelense AIPAC começa com a advertência "Ahmadinejad e outros líderes de alto nível do Irã estão emitindo declarações cada vez mais belicosas ameaçando destruir os Estados Unidos, Europa e Israel." Essas afirmações não apenas inventam uma ameaça sem fundamento como assumem ele ter muito mais poder do que ele realmente tem. Os alarmistas melhor fariam se monitorassem as declarações do ultraconservador Líder Supremo, aiatolá Khamenei, que detém a maior parcela do poder no Irã.
As Iran's U.N. Press Officer, M.A. Mohammadi, complained to the Washington Post in a June 2006 letter:
Como queixou-se o Adido de Imprensa do Irã nas Nações Unidas, M.A. Mohammadi, ao Washington Post numa carta de junho de 2006:
"It is not amazing at all, the pick-and-choose approach of highlighting the misinterpreted remarks of Iranian President Mahmoud Ahmadinejad in October and ignoring this month's remarks by Iran's supreme leader, Ayatollah Ali Khamenei, that 'We have no problem with the world. We are not a threat whatsoever to the world, and the world knows it. We will never start a war. We have no intention of going to war with any state.'"
"Não tem graça nenhuma a abordagem de pegar só o que interessa, destacando as observações erroneamente interpretadas do Presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad em outubro e ignorando as observações deste mês do supremo líder do Irã, aiatolá Ali Khamenei, segundo as quais 'Não temos problema nenhum com o mundo. Não somos ameaça de tipo algum para o mundo, e o mundo sabe disso. Nunca começaremos uma guerra. Não temos intenção de ir à guerra com nenhum estado.'"
The Israeli government has milked every drop of the spurious quote to its supposed advantage. In her September 2006 address to the United Nations General Assembly, Israeli Foreign Minister Tzipi Livni accused Iran of working to nuke Israel and bully the world. "They speak proudly and openly of their desire to 'wipe Israel off the map.' And now, by their actions, they pursue the weapons to achieve this objective to imperil the region and threaten the world." Addressing the threat in December, a fervent Prime Minister Ehud Olmert inadvertently disclosed that his country already possesses nuclear weapons: "We have never threatened any nation with annihilation. Iran, openly, explicitly and publicly threatens to wipe Israel off the map. Can you say that this is the same level, when they are aspiring to have nuclear weapons, as America, France, Israel, Russia?" 
O governo israelense ordenhou cada gota da citação espúria para sua suposta vantagem. Em seu discurso de setembro de 2006 na Assembleia Geral das Nações Unidas, a Ministra do Exterior de Israel Tzipi Livni acusou o Irã de trabalhar para destruir Israel com armas nucleares e de intimidar o mundo. "Eles falam orgulhosa e abertamente do desejo deles de 'remover Israel do mapa.' E agora, por suas ações, buscam as armas para atingir esse objetivo de colocar em perigo a região e ameaçar o mundo." Falando da ameaça em dezembro, um fervoroso Primeiro-Ministro Ehud Olmert inadvertidamente revelou que seu país já possui armas nucleares: "Nunca ameaçamos qualquer nação de aniquilamento. O Irã, aberta, explícita e publicamente ameaça remover Israel do mapa. Podem vocês dizer que esse é o mesmo nível, quando eles aspiram a ter armas nucleares, de Estados Unidos, França, Israel e Rússia?" 
Media Irresponsibility:
Irresponsabilidade da Mídia:
On December 13, 2006, more than a year after The World Without Zionism conference, two leading Israeli newspapers, the Jerusalem Post and Haaretz, published reports of a renewed threat from Ahmadinejad. The Jerusalem Post's headline was Ahmadinejad: Israel will be 'wiped out', while Haaretz posted the title Ahmadinejad at Holocaust conference: Israel will 'soon be wiped out'.
Em 13 de dezembro de 2006, mais de um ano depois da conferência O Mundo Sem Sionismo, dois jornais israelenses de grande circulação, Jerusalem Post e Haaretz, publicaram relatos de renovada ameaça por Ahmadinejad. A manchete do Jerusalem Post era Ahmadinejad: Israel será 'completamente destruído', enquanto o Haaretz apôs o título Ahmadinejad na conferência do Holocausto: Israel 'logo será completamente destruído'.
Where did they get their information? It turns out that both papers, like most American and western media, rely heavily on write ups by news wire services such as the Associated Press and Reuters as a source for their articles. Sure enough, their sources are in fact December 12th articles by Reuter's Paul Hughes [Iran president says Israel's days are numbered], and the AP's Ali Akbar Dareini [Iran President: Israel will be wiped out].   
De onde obtiveram eles suas informações? Vem-se a saber que ambos os jornais, como a maior parte da mídia estadunidense e ocidental, baseiam-se muito em textos de serviços noticiosos tipo telegráfico tais como Associated Press e Reuters, como fontes para seus artigos. Não surpreendentemente, as fontes deles são de fato artigos de 12 de dezembro escritos por Paul Hughes da Reuters [Presidente do Irã diz que os dias de Israel estão contados], e por Ali Akbar Dareini da AP [Presidente do Irã: Israel será completamente destruído].   
The first five paragraphs of the Haaretz article, credited to "Haaretz Service and Agencies." are plagiarized almost 100% from the first five paragraphs of the Reuters piece. The only difference is that Haaretz changed "the Jewish state" to "Israel" in the second paragraph, otherwise they are identical.
Os cinco primeiro parágrafos do artigo do Haaretz, creditados a "Serviço e Agências do Haaretz" são plagiados quase 100% dos cinco primeiro parágrafos do artigo da Reuters. A única diferença é que o Haaretz mudou "o estado judaico" para "Israel" no segundo parágrafo; fora isso, são idênticos.
The Jerusalem Post article by Herb Keinon pilfers from both the Reuters and AP stories. Like Haaretz, it uses the following Ahmadinejad quote without attribution: ["Just as the Soviet Union was wiped out and today does not exist, so will the Zionist regime soon be wiped out," he added]. Another passage apparently relies on an IRNA report:
O artigo do Jerusalem Post por Herb Keinon surripia dos artigos tanto da Reuters quanto da AP. Como o Haaretz, usa a seguinte citação de Ahmadinejad sem atribuição: ["Do mesmo modo que a União Soviética foi completamente destruída e hoje não existe, do mesmo modo logo o regime sionista será completamente destruído," acrescentou]. Outra passagem aparentemente baseia-se num relato da IRNA:
"The Zionist regime will be wiped out soon the same way the Soviet Union was, and humanity will achieve freedom," Ahmadinejad said at Tuesday's meeting with the conference participants in his offices, according to Iran's official news agency, IRNA.  
"O regime sionista será logo destruído completamente do mesmo modo que o foi a União Soviética, e a humanidade adquirirá liberdade", disse Ahmadinejad na reunião de terça-feira com os participantes da conferência nos escritórios dele, de acordo com a agência oficial de notícias do Irã, a IRNA. 
He said elections should be held among "Jews, Christians and Muslims so the population of Palestine can select their government and destiny for themselves in a democratic manner."
Ele disse que seriam efetuadas eleições entre "judeus, cristãos e muçulmanos de modo a a população da Palestina poder escolher seu governo e destino por si própria de maneira democrática."
Once again, the first sentence above was wholly plagiarized from the AP article. The second sentence was also the same, except "He called for elections" became "He said elections should be held..."
De novo, a primeira sentença acima foi totalmente plagiada do artigo da AP. A segunda sentença foi também a mesma, exceto que "Ele requereu eleições" tornou-se "Ele disse que seriam realizadas eleições..."
It gets more interesting.
A coisa torna-se mais interessante.
The quote used in the original AP article and copied in the Jerusalem Post article supposedly derives from the IRNA. If true, this can easily be checked.
A citação usada no artigo original da AP e copiada no artigo do Jerusalem Post supostamente deriva da IRNA. Se verdade, isso pode ser facilmente verificado.
There you will discover the actual IRNA quote was: 
Ali descobriremos que a verdadeira citação da IRNA foi: 
"As the Soviet Union disappeared, the Zionist regime will also vanish and humanity will be liberated."
"Do mesmo modo que a União Soviética desapareceu, o regime sionista também se esvaecerá e toda a humanidade será libertada."
Compare this to the alleged IRNA quote reported by the Associated Press:
Comparem isso com a alegada citação da IRNA informada pela Associated Press:
"The Zionist regime will be wiped out soon the same way the Soviet Union was, and humanity will achieve freedom."
"O regime sionista será logo destruído completamente do mesmo modo que o foi a União Soviética, e a humanidade adquirirá liberdade."
In the IRNA's actual report, the Zionist regime will vanish just as the Soviet Union disappeared. Vanish. Disappear. In the dishonest AP version, the Zionist regime will be "wiped out." And how will it be wiped out? "The same way the Soviet Union was." Rather than imply a military threat or escalation in rhetoric, this reference to Russia actually validates the intended meaning of Ahmadinejad's previous misinterpreted anti-Zionist statements.
No real relato da IRNA o regime sionista se esvaecerá do mesmo modo que a União Soviética desapareceu. Esvaecer-se. Desaparecer. Na desonesta versão da AP, o regime sionista será "completamente destruído." E como será completamente destruído? "Do mesmo modo que o foi a União Soviética." Em vez de implicar ameaça militar ou escalada na retórica, essa referência à Rússia na verdade valida o significado pretendido das prévias declarações erroneamente interpretadas de Ahmadinejad.
What has just been demonstrated is irrefutable proof of media manipulation and propaganda in action. The AP deliberately alters an IRNA quote to sound more threatening. The Israeli media not only repeats the fake quote but also steals the original authors' words. The unsuspecting public reads this, forms an opinion and supports unnecessary wars of aggression, presented as self defense, based on the misinformation. 
O que acaba de ser claramente mostrado é prova irrefutável da manipulação pela mídia e da propaganda em ação. A AP deliberadamente altera uma citação da IRNA para que soe mais ameaçadora. A mídia israelense não apenas repete a citação falsa mas também surripia as palavras originais do autor. O público não suspeitoso lê isso, forma opinião e apoia guerras de agressão desnecessárias, apresentadas como autodefesa, com base em informação desencaminhadora.
This scenario mirrors the kind of false claims that led to the illegal U.S. invasion of Iraq, a war now widely viewed as a catastrophic mistake. And yet the Bush administration and the compliant corporate media continue to marinate in propaganda and speculation about attacking Iraq's much larger and more formidable neighbor, Iran. Most of this rests on the unproven assumption that Iran is building nuclear weapons, and the lie that Iran has vowed to physically destroy Israel. Given its scope and potentially disastrous outcome, all this amounts to what is arguably the rumor of the century.
Esse cenário espelha o tipo de falsas asseverações que levaram à ilegal invasão do Iraque pelos Estados Unidos, guerra agora amplamente vista como catastrófico equívoco. E no entanto a administração Bush e a mídia corporativa obsequiosa continuam a marinar em propaganda e especulação acerca de atacar o vizinho muito maior e mais formidável do Iraque, o Irã. A maior parte do que se assenta na assunção não provada de que o Irã esteja construindo armamentos nucleares, e na mentira de que o Irã prometeu solenemente destruir Israel fisicamente. Dada a abrangência e o resultado potencialmente desastroso, tudo isso chega a ser, defensavelmente, o boato do século.
Iran's president has written two rather philosophical letters to America. In his first letter, he pointed out that "History shows us that oppressive and cruel governments do not survive." With this statement, Ahmadinejad has also projected the outcome of his own backwards regime, which will likewise "vanish from the page of time." 
O presidente do Irã escreveu duas cartas bastante filosóficas aos Estados Unidos. Na primeira ele destacou que "A História mostra-nos que governos opressores e cruéis não sobrevivem." Com essa declaração, Ahmadinejad também projetou o resultado de seu próprio regime retrógrado, que analogamente "esvaecer-se-á da página do tempo." 

No comments:

Post a Comment