Tuesday, November 15, 2011

FFF - Commentaries - A Nonsense Debate at the New York Times

ENGLISH
PORTUGUÊS
THE FUTURE OF FREEDOM FOUNDATION - FFF
A FUNDAÇÃO FUTURO DE LIBERDADE - FFF
COMMENTARIES
COMENTÁRIOS
Hornberger’s Blog
O Blog de Hornberger
A Nonsense Debate at the New York Times
Um Debate Disparatado no New York Times
Tuesday, September 27, 2011
Terça, 27 de setembro de 2011
by Jacob G. Hornberger
Por Jacob G. Hornberger
The New York Times is hosting a online debate entitled “Should the School Day Be Longer?
O New York Times está hospedando um debate online intitulado “Deve o Dia Escolar Ser Mais Longo?
Wow, how exciting is that? Not! Well, at least not for libertarians. It’s the same old statist nonsense over how to fix and reform a socialist program, one that has been a mess for decades.
Puxa, não é emocionante? Não! Bem, pelo menos não para os libertários. É o mesmo velho absurdo estatista acerca de como consertar e reformar um programa socialista que há décadas é uma bagunça.
That’s the trouble with people of the statist mindset — their minds are trapped within the statist box and are unable to break free of it. Ironically, it’s the government school system that inculcated that mindset in the first place — the same system that its graduates spend their lives trying to fix and reform.
Esse é o problema das pessoas com mentalidade estatista — as mentes delas estão presas na gaiola estatista e não conseguem libertar-se dali. Ironicamente, foi antes de tudo o sistema escolar do governo que inculcou essa mentalidade — o mesmo sistema cujos diplomados passam a vida tentando consertar e reformar.
Public schooling is just another form of central planning, one of the variations of socialism. The state plans, in a top-down, command-and-control manner, the educational decisions of hundreds, thousands, or millions of children.
A escolarização pública é apenas outra forma de planejamento centralizado, uma das variações do socialismo. O estado planeja, de maneira de cima para baixo, de comando-e-controle, as decisões educacionais de centenas, milhares ou milhões de crianças.
Public schoolteachers are government employees. They use government-approved textbooks and teach from a government-approved curriculum.
Os professores de escolas públicas são empregados do governo. Eles usam livros escolares aprovados pelo governo e ensinam a partir de um programa aprovado pelo governo.
Funding is assured no matter how bad the results because it’s done through taxation. Even people who don’t have children are forced to pay, on pain of liens and foreclosures on their property if they refuse to pay.
O financiamento é garantido, por piores que sejam os resultados, porque é efetuado por meio de tributação. Mesmo pessoas que não têm filhos são obrigadas a pagar, sob pena de penhora e execuções de hipoteca das propriedades delas caso se recusem a pagar.
How can it be any wonder that public schooling is always in crisis? Socialism always produces crises. Duh! Just ask people living in North Korea or Cuba, both of which, needless to say, have public-schooling systems.
Como pode haver qualquer surpresa quanto à escolarização pública estar sempre em crise? O socialismo sempre produz crises. Grande novidade! Basta perguntar às pessoas que moram em Coreia do Norte ou Cuba, ambas as quais, nem é preciso dizer, têm sistemas de escolarização pública.
In fact, public schooling is such a mess that not even the president of the United States, Barack Obama, will entrust his own children to the system. Oh, sure, he’ll force other parents to send their children into the system but he’s not about to do that to his children. He places too high a value on them to subject them to such abuse.
Na verdade, a escola pública é uma bagunça tal que nem o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, entrega seus filhos ao sistema. Oh, sem dúvida, ele forçará outros pais a mandar seus filhos para o sistema, mas não está a fim de fazer isso com os próprios filhos. Ele os valoriza demais para sujeitá-los a tal abuso.
The only real success of public schooling is the mindset of statism and deference to authority that is inculcated in most of the public-school graduates. How can that surprise anyone? The state has control over the mind of a child for 5-6 hours a day from the time he’s six years old until he reaches 18 years of age. That’s far more time than the standard few months it takes to inculcate that sort of mindset at army boot camp.
O único sucesso real da escola pública é a mentalidade de estatismo e deferência à autoridade inculcada na maior parte dos que se formam em escolas públicas. Como poderia isso surpreender quem quer que seja? O estado tem controle sobre a mente da criança durante 5-6 horas por dia desde quando ela tem 6 anos até atingir 18 anos de idade. É muito mais tempo do que os poucos meses do padrão de inculcamento de tal mentalidade em instalações militares.
By the time most students graduate, they have been molded into “good, little citizens of the state,” trusting their government officials to do the right thing and deferring to their authority. Those who resist the conformity, regimentation, uniformity, and indoctrination are injected with such drugs as Ritalin or Adderall until their minds are permanently molded in the right way.
Ao chegar a hora quando a maioria dos estudantes se formam, eles já foram moldados como “bons pequenos cidadãos do estado,” acreditando em suas autoridades governamentais quanto a fazerem a coisa certa e a deferir à autoridade delas. Aqueles que resistem a conformidade, arregimentação, uniformidade e doutrinação são injetados com drogas tais como Ritalina ou Adderall até suas mentes ficarem permanentemente moldadas da maneira certa.
Best of all, as a result of the 12 years of state indoctrination, most public-school graduates are convinced that the statist system under which they are living is freedom. Indeed, hardly any public-school graduate even knows he’s the victim of indoctrination. Goethe’s words best describe the plight of the American people: “None are more hopelessly enslaved than those who falsely believe they are free.” Of course, the same would apply to the North Korean and Cuban and North Korean people as well, thanks to the statist indoctrination they receive in their public schools.
O melhor de tudo, como resultado dos 12 anos de doutrinação pelo estado, a maioria dos diplomados por escolas públicas está convencida de que o sistema estatista no qual vive significa liberdade. Em verdade, quase nenhum diplomado por escola pública sequer sabe que é vítima de doutrinação. As palavras de Goethe melhor descrevem a condição do povo estadunidense: “Ninguém está mais irremediavelmente escravizado do que aquele que acredita falsamente ser livre.” Naturalmente, o mesmo se aplica aos povos da Coreia do Norte e de Cuba, graças à doutrinação estatista que recebem nas escolas públicas.
That’s not to suggest, of course, that private schools are significantly better. Operating under the authority of a government-issued license, private schools are on a tight leash given that their licenses can be revoked at any time. Oftentimes staffed by public-school graduates who believe in state control over education, the teaching of statism under the pretense that it’s freedom is part and parcel of the private-school system too.
Isso não é sugerir, obviamente, que as escolas privadas sejam significativamente melhores. Funcionando sob a autoridade de uma licença emitida pelo governo, as escolas privadas vivem com rédea curta, dado que suas licenças podem ser revogadas a qualquer tempo. Amiúde com equipes de formados em escolas públicas que acreditam no controle do estado sobre a educação, o ensino do estatismo sob o pretexto de ele ser liberdade é parte intrínseca também do sistema de escolas privadas.
Notice that the New York Times doesn’t have any libertarians participating in its online debate. That’s because libertarians have broken free of the statist box. We’re not interested in participating in such silliness as, “Should the school day be longer?” or “Should students wear uniforms to school?” or “Should prayer be permitted in school?” or “Should creationism be taught in school” or “Should students be required to recite a pledge of allegiance that was composed by a socialist?” or any other silly debate over how the state should run its schools.
Notem que o New York Times não tem nenhum libertário participando de seu debate online. Isso porque os libertários se emanciparam da gaiola estatista. Não estamos interessados em participar de tolices tais como “Deveria o dia escolar ser mais longo?” ou “Devem os alunos usar uniformes na escola?” ou “Deve ser permitida prece na escola?” ou “Deve o criacionismo ser ensinado na escola” ou “Deve-se exigir que os alunos recitem um juramento de lealdade que foi escrito por um socialista?” ou de qualquer outro debate tolo acerca de como o estado deveria administrar suas escolas.
The libertarian mind asks: Why should there be government schools at all? Why not separate school and state, in the way that our ancestors separated church and state? Why not end all state involvement in education? Why not a total free market in education? Why not liberate American families and entrepreneurs to handle the education of people’s children?
A mente libertária pergunta: Por que deveria, em absoluto, haver escolas do governo? Por que não separar escola e estado, do modo como nossos antepassados separaram igreja e estado? Por que não acabar com todo envolvimento do estado na educação? Por que não um mercado totalmente livre em educação? Por que não liberar as famílias e os empresários estadunidenses para gerirem a educação dos filhos das pessoas?
Alas, those questions are so far off the radar screen of the average statist that his mind is not even able to comprehend them. In the minds of people who are unable to break free of the statist box, libertarians are extremists, out of the mainstream, irrelevant, or radical.
Infelizmente essas perguntas estão de tal forma fora da tela de radar do estatista médio que a mente dele não consegue sequer compreendê-las. Nas mentes das pessoas incapazes de se libertar da gaiola estatista, os libertários são extremistas, fora da corrente majoritária, irrelevantes, ou radicais.
The ultimate success of public schooling is the ingrained mindset of statism that is inculcated in the student, a mindset that unfortunately oftentimes remains with that person until the day he dies. That’s why so many of them see nothing amiss about hosting and participating in perennial nonsensical debates over how to make statism work.
O sucesso último da escola pública é a mentalidade entranhada de estatismo inculcada no aluno, mentalidade que, infelizmente, demasiado amiúde acompanha a pessoa até à morte. Eis porque tantas delas nada veem de mal em hospedar e participar de perenes debates descabidos acerca de como fazer o estatismo funcionar.
Jacob Hornberger is founder and president of the Future of Freedom Foundation.
Jacob Hornberger é fundador e presidente da Fundação Futuro de Liberdade.

No comments:

Post a Comment