Monday, September 19, 2011

FFF - Commentaries - Hidden Inflation and Debilitating Deficits

ENGLISH
PORTUGUÊS
The Future of Freedom Foundation
A Fundação Futuro de Liberdade
Commentaries
Comentários
Hidden Inflation and Debilitating Deficits
Inflação Oculta e Déficits Debilitantes
by Anthony Gregory, May 26, 2011
por Anthony Gregory, 26 de maio de 2011
After the 2008 financial collapse, many of us called on politicians to let the market correct itself. The government’s expansion of the housing sector and the Fed’s artificially low interest rates caused an unsustainable and thus ultimately destructive boom, which eventually leads to a bust. This explanation of the business cycle won F.A. Hayek the economics Nobel Prize in 1974.  
Após o colapso financeiro de 2008, muitos de nós demandamos dos políticos que deixassem o mercado corrigir a si próprio. A expansão do setor habitacional pelo governo e as taxas de juros artificialmente baixas do Fed levaram a um período de prosperidade insustentável e por fim destrutivo, que finalmente levou a um colapso. Essa explicação do ciclo de negócios valera a F.A. Hayek o prêmio Nobel de economia de 1974.  
Two years ago, we needed a recession, including falling prices and wages, to reallocate wasted resources to more productive uses.  
Há dois anos precisávamos de uma recessão, inclusive preços e salários cadentes, para realocar recursos ociosos para usos mais produtivos. 
But that would be cruel, we were told. Without “rescue” and stimulus packages, we’d have high unemployment for a year. But more than two years later, we still have high employment, and the Fed’s attempts to reinflate the bubble have ensured that the economy is as fundamentally unsound now as back then.
Isso, porém, seria algo desalmado, disseram-nos. Sem “socorro” e pacotes de estímulo, teríamos alto desemprego por um ano. Contudo, mais de dois anos depois, ainda temos alta do desemprego e as tentativas do Fed para reinflar a bolha asseguraram que a economia esteja hoje tão enferma quanto estava à época.
Meanwhile, price inflation has begun. Mainstream economists say it’s under control, which seems true when you exclude prices for food, energy, transportation, housing, health care, gold, silver, and stocks. But what else is there?  
No entretempo, a inflação começou. Economistas da corrente majoritária dizem ela estar sob controle, o que parece verdade quando se excluem preços de alimentos, energia, transporte, moradia, saúde, ouro, prata, e ações. Mas o que mais há para computar? 
This speaks to the irrational fear of deflation. Especially during a recession, we should want prices to drop, yet we’re told this would spell calamity. Even in real estate, politicians want to keep prices high (even as they paradoxically want low-cost housing). This has mostly hurt renters, the poor, and minorities.  
Isso fala ao medo irracional da deflação. Especialmente durante uma recessão deveríamos desejar que os preços caíssem, e no entanto nos dizem que isso significaria calamidade. Mesmo no tocante a imóveis os políticos querem manter os preços altos (mesmo ao paradoxalmente desejarem habitação de baixo custo). Isso tem afligido principalmente inquilinos, os pobres e as minorias. 
In an economy with sound money, prices should generally fall. Innovation means more production for less. The question shouldn’t be, why are prices now rising, but rather, why haven’t they been dropping? 
Numa economia com dinheiro sadio os preços deveriam, de modo geral, cair. Inovação significa mais produção por menos. A pergunta não deveria ser por que os preços estão subindo, e sim: por que não estão caindo? 
The answer is: the government and especially the Fed. The Fed inflates by expanding the money supply. In the last decade inflation was hard to detect, as the wonders of the market have mercifully lessened the effect on the consumer at the checkout stand.  
A resposta é: o governo e, especialmente, o Fed. O Fed causa inflação ao expandir o suprimento de moeda. Na última década a inflação foi difícil de detectar, visto que as maravilhas do mercado compassivamente amenizaram o efeito sobre o consumidor na caixa registradora. 
But we’ve long had inflation. We see it in our potato chips bags, which have shrunk even as the prices haven’t. Producers will tend to cut corners before charging more at the register. Candy bars have gotten smaller, airline fares are often accompanied by luggage fees, and the quality of many products has declined.  
Há tempo entanto temos tido inflação. Vemo-la em nossos pacotes de batatinha frita, que encolheram mesmo quando os preços não. Os produtores tendem a fazer desbastes antes de cobrar mais na caixa registradora. As barras de chocolate recheado diminuíram, o custo de passagens aéreas é amiúde acompanhado de taxas de bagagem, e a qualidade de muitos produtos declinou. 
People blame inflation on greedy producers, who supposedly raise prices for the heck of it. Unions and foreigners are other scapegoats. But the real culprit is government, which spends money it doesn’t have, prints dollars out of nothing, and inflates us all into a gradual impoverishment. 
As pessoas culpam produtores gananciosos pela inflação, os quais aumentariam preços por gosto. Sindicatos e estrangeiros são outros bodes expiatórios. O real culpado, contudo, é o governo, que gasta dinheiro que não tem, imprime dólares a partir do nada, e infla-nos a todos colocando-nos no caminho do empobrecimento gradual.
Since 2008, most of the economy has suffered, but one sector has not: government. At every level, government has been expanding for decades, and this trend has continued and even accelerated in the last few years. At home and abroad, Washington spends more than ever, digging us deeper into debt every day, even as Republicans and Democrats bicker over two percent of the deficit. The bureaucracies, defense contractors, and favored Wall Street firms laugh all the way to the bank.  
Desde 2008 a maior parte da economia já sofreu, mas não um setor: o governo. Em todos os níveis, o governo vem-se expandindo há décadas, e essa tendência tem continuado e mesmo se acentuado nos últimos anos. No país e no estrangeiro, Washington gasta mais do que nunca, atolando-nos mais profundamente em dívidas todo dia, enquanto Republicanos e Democratas batem boca por causa de dois por cento do déficit. Burocracias, empreiteiras de defesa e firmas privilegiadas de Wall Street enchem os bolsos de dinheiro. 
America can’t afford its growing welfare state or expanding wars, the burgeoning public-sector pensions or failed policies like drug prohibition. High unemployment is a cost of the government strangling the economy. Inflation will continue so long as the Fed devalues our dollar.  
Os Estados Unidos não têm condições para bancar seu crescente estado beligerante ou para expandir guerras, as generosas aposentadorias do setor público ou políticas fracassadas como a proibição de drogas. Alto desemprego é um dos custos de o governo estrangular a economia. A inflação continuará enquanto o Fed desvalorizar o dólar. 
Raising taxes can’t close the federal deficit. San Jose State economics professor Jeff Hummel has written that federal tax revenue “has bumped up against 20 percent of GDP for well over half a century. That is quite an astonishing statistic when you think about all the changes in the tax code over the intervening years. Tax rates go up, tax rates go down, and the total bite out of the economy remains relatively constant. This suggests that 20 percent is some kind of structural-political limit for federal taxes in the United States.” Increasing taxes might slow down the economy, but even dramatic changes in tax rates are unlikely to raise much more money for Uncle Sam.
Aumento de impostos não consegue fechar o déficit federal. O professor Jeff Hummel, da San Jose State, escreveu que a receita tributária federal “ficou acima de 20 por cento do PIB por bem mais de meio século. Essa é uma estatística surpreendente quando pensamos em todas as mudanças do código tributário nos anos mediantes. Alíquotas de impostos sobem, alíquotas de impostos caem, e a mordida total na economia permanece relativamente constante. Isso sugere que 20 por cento é algum tipo de limite estrutural de tributos federais nos Estados Unidos.” Tributos crescentes podem desacelerar a economia, mas mesmo mudanças dramáticas em alíquotas de impostos improvavelmente levantarão muito dinheiro para Tio Sam.
We must slash government spending across the board. Obama promised to go line-by-line through the budgets and eliminate waste. His recommendations for cuts have been even more pitiful than the tiny ones proposed by Republicans. It’s too late for this child’s play. It’s time to take a sledgehammer to government programs at all levels, foreign and domestic. Better yet, it’s time to start talking termination of programs and policies rather than reform.
Temos de reduzir os gastos do governo de alto a baixo. Obama prometeu examinar os orçamentos linha a linha e eliminar desperdícios. As recomendações dele para cortes têm sido ainda mais ridículas do que as minúsculas propostas pelos Republicanos. É tarde demais para essa brincadeira de criança. É hora de esmigalhar com a marreta os programas do governo em todos os níveis, exteriores e domésticos. Melhor ainda, é hora de começar a falar em encerramento de programas e de políticas, em vez de falar em reforma.
They say we can’t throw the baby out with the bathwater. But the dirty water is the government and the economy is the baby. It’s going to drown unless we drain the tub.
Eles dizem que não podemos jogar fora o bebê com a água do banho. Mas a água suja é o governo, e a economia é o bebê. Este se afogará se não esvaziarmos a banheira.
Anthony Gregory is a research analyst at the Independent Institute, a policy adviser for the Future of Freedom Foundation, and a columnist at LewRockwell.com. Anthony's website is AnthonyGregory.com. Send him email.
Anthony Gregory é analista de pesqusa do Instituto Independente, conselheiro de políticas de A Fundação Futuro de Liberdade, e colunista de LewRockwell.com. O website de Anthony é AnthonyGregory.com. Envie-lhe email.

No comments:

Post a Comment