Wednesday, July 20, 2011

C4SS - The Great Domain of Cost-Plus: The Waste Production Economy (43/45)

ENGLISH
PORTUGUÊS
C4SS – CENTER FOR A STATELESS SOCIETY
C4SS – CENTER FOR A STATELESS SOCIETY
building awareness of the market anarchist alternative
no despertamento da consciência da alternativa anarquista de mercado
Center for a Stateless Society Paper No. 11 (Fourth Quarter 2010)
Centro por uma Sociedade sem Estado – Paper No. 11 (Quarto Trimestre de 2010)
The Great Domain of Cost-Plus: The Waste Production Economy
O Grande Domínio do Custo Acrescido: A Economia de Produção de Desperdício
Kevin A. Carson
Kevin A. Carson
43-45/47
43-45/47
“Not Enough Work”
“Não Há Trabalho Bastante”
Proposals to eliminate waste production frequently meet with the objection that something called "the economy" would be hurt, or that there wouldn't be enough "jobs." The argument, as stated by Dumas: "A society that does not generate waste in the form of planned obsolescence, or neutral or distractive activities, cannot, it is commonly argued, generate sufficient paid work opportunities to keep the labor force fully employed."139 Or as stated in George Meany's complaint that labor-saving technologies were "rapidly becoming a curse to this society... in a mad rush to produce more and more with less and less labor, and without feeling [as to] what it may mean to the economy as a whole."140
Propostas para eliminar a produção de desperdício frequentemente enfrentam a objeção de que algo chamado de "a economia" sofrerá, ou não haverá quantidade suficiente de "empregos." A argumentação, como enunciada por Dumas: "Uma sociedade que não gere desperdício/resíduo em forma de obsolescência planejada, ou de atividades neutras ou dispersivas, não poderá, argumenta-se comumente, gerar suficientes oportunidades de trabalho pago para manter a força de trabalho plenamente empregada."139 Ou como enunciado na reclamação de George Meany de que as tecnologias poupadoras de trabalho estavam "rapidamente tornando-se numa maldição para esta sociedade... numa corrida louca para produzir cada vez mais com cada vez menos trabalho, e sem sentimento [quanto a] o que isso possa significar para a economia com um todo."140
Of course this is nonsense. Labor-saving technology is not a curse when the subsistence farmer manages to feed himself with less work. It becomes a curse only when the link between work and consumption is broken, when either work or its product becomes maldistributed. Dumas showed why Meany's complaint was nonsense.141
Obviamente isso é um disparate. A tecnologia economizadora de trabalho não é uma maldição quando o produtor rural de nível de subsistência procura alimentar-se com menos trabalho. Torna-se maldição apenas quando o vínculo entre trabalho e consumo é rompido, quando ou o trabalho ou seu produto torna-se mal distribuído. Dumas mostrou por que a reclamação de Meany era um disparate.141
The key here lies in the word "sufficient." To be sufficient the paid work opportunities need only supply enough income to satisfy the material needs and wants of the population, given the availability of goods and services for which no income is necessary. In the hypothetical purely wasteless economy, that means the workers must earn only enough income to supply them with the nondurable goods and services for which they must pay, plus any required or desired increase in their stock of durable goods. But once they have obtained access to a durable good, whether by purchase, gift, or inheritance, they need only enough income to cover the costs of its operation and maintenance.... So although there is less paid work available because durable goods are not built to become artificially obsolete or to fall apart, for exactly the same reason there is also less paid work needed by workers in order to achieve a given material standard of living. Accordingly,the permanence of durable goods may reduce the volume of paid activity, but it does not reduce the material well-being of the work force.142
A chave, aqui, reside na palavra "suficiente." Para serem suficientes, as oportunidades de trabalho pago só precisam gerar renda bastante para satisfazer às necessidades e aos desejos materiais da população, dada a disponibilidade de bens e serviços para os quais nenhuma renda é necessária. Na economia hipotética completamente sem desperdício, isso significa que os trabalhadores precisam ganhar apenas o suficiente para serem-lhes supridos os bens não duráveis e serviços pelos quais eles têm de pagar, mais qualquer aumento requerido ou desejado em seu estoque de bens duráveis. Uma vez, porém, que eles tenham obtido acesso a um bem durável, seja por compra, presente ou herança, precisarão apenas de renda bastante para cobrir os custos de seu funcionamento e manutenção.... Portanto, embora haja menos trabalho pago disponível pelo fato de os bens duráveis não serem fabricados para tornarem-se artificialmente obsoletos ou para caírem aos pedaços, por exatamente esse mesmo motivo há também menos necessidade de trabalho remunerado dos trabalhadores para estes atingirem dado padrão material de vida. Acordemente, a permanência dos bens duráveis pode reduzir o volume da atividade paga, mas não reduz o bem-estar material da força de trabalho.142
The only point of a job is consumption, and what matters is the ratio of effort to consumption. The problem is not that productivity gains reduce the need for labor, but that—thanks to a set of artificial property rights enforced by the state—the benefits of those productivity are “enclosed” and capitalized as rents by a privileged class. The average worker must perform the equivalent of twenty hours digging holes and filling them in, in addition to twenty hours of productive labor, to pay for the actual twenty hours' worth of use-value he consumes. And the price of that twenty hours' worth of use value has embedded in it the cost of another twenty hours of unproductive labor. These things result from the divorce of effort from consumption, and the maldistribution of claims on the worker's labor product.
O único motivo de um emprego é o consumo, e o que interessa é a proporção de esforço em relação ao consumo. O problema não é os ganhos de produtividade reduzirem a necessidade de trabalho, e sim — graças e um conjunto de direitos artificiais de propriedade feitos cumprir pelo estado — os benefícios de tal produtividade estarem “cercados” e capitalizados como rents por uma classe privilegiada. O trabalhadoir médio tem de trabalhar o equivalente a vinte horas cavando buracos e enchendo-os de novo, além de vinte horas de trabalho produtivo, para pagar o valor real de vinte horas pelo valor de uso que ele consome. E o preço dessas vinte horas equivalentes ao valor de uso tem embutido em si o custo de outras vinte horas de trabalho improdutivo. Essas coisas resultam do divórcio entre esforço e consumo, e da má distribuição de reivindicações em relação ao produto do trabalho do trabalhador.
The solution, therefore, is not a demand-side program to combat the superfluity of investment capital by artificially raising the amount of capital that must be wastefully expended per unit of output, or to promote waste production through planned obsolescence and other forms of inefficiency so that the entire population can be guaranteed a forty-hour week digging holes and filling them back in again.
A solução, portanto, não é um programa do lado da procura para combater a superfluidade do capital de investimento mediante aumento artificial da quantidade de capital que terá de ser despendida desperdiçadoramente por unidade de produção, ou para promover a produção de desperdício por meio de obsolescência planejada e outras formas de ineficiência de tal maneira que a população do império possa ter assegurada uma semana de quarenta horas cavando buracos e enchendo-os de novo.
The solution, rather, is to allow radical deflation to happen—but to let workers reap the gains from it. Rather than maintaining the labor hours needed to provide the purchasing power to consume present levels of output at their rent-inflated prices, we should reduce the number of hours required to earn the purchasing power to consume those levels of output. That means eliminating all the forms of government intervention that prop up artificial scarcity rents and rents on artificial property, and allow unfettered competition to strip them from the price of goods and services. It means eliminating all regulatory barriers to meeting as many of our consumption needs as possible outside the wage economy, through self-provisioning or production for barter in the informal and household sector. And it means a reduction in the average work week to distribute the remaining hours of wage labor evenly throughout the population.
A solução, isso sim, é permitir que ocorra deflação radical — mas para permitir que os trabalhadores colham os ganhos dela. Em vez de manter as horas de trabalho necessárias para proporcionar o poder de compra para consumo dos presentes níveis de produção com seus preços inflados por rents, deveríamos reduzir o número de horas necessárias para obtenção do poder de compra para consumir esses níveis de produção. Isso significa eliminar todas as formas de intervenção do governo que dão suporte a rents de escassez artificial e permitir competição sem restrições para remover esses rents do preço dos bens e serviços. Significa eliminar todas as barreiras regulatórias para satisfazer o quanto possível nossas necessidades de consumo fora da economia de salários, por meio de autoaprovisionamento ou produção para escambo no setor informal e familiar. E significa redução da semana média de trabalho para distribuição das horas remanescentes de trabalho assalariado equitativamente pela população.
In practical terms, I suggest the following tentative agenda as a basis for discussion:
Em termos práticos, sugiro a seguinte agenda tentativa como base para discussão:
* Eliminate “intellectual property” as a source of scarcity rents in informational and cultural goods, and embedded rents on patents as a component of the price of manufactured goods.
* Eliminar “propriedade intelectual” como fonte de rents de escassez em bens informacionais e culturais, e rents embutidos em patentes como componentes do preço de bens manufaturados.
* End local business licensing, zoning laws, and spurious “safety” and “health” codes insofar as they prohibit operating microenterprises out of family residences, or impose arbitrary capital outlays and overhead on such microenterprises by mandating more expensive equipment than the nature of the case requires.
* Acabar com licenciamento para atividades/negócios, leis de zoneamento e espúrios códigos de “segurança” e “saúde” visto eles vedarem o funcionamento de microempreendimentos a partir de residências familiares, ou imporem desembolsos arbitrários de capital e overhead a tais microempreendimentos ao exigirem equipamento mais dispendioso do que a natureza do caso requer.
* End local building codes whose main effect is to lock in conventional building techniques used by established contractors, and to criminalize innovative practices like the use of new low-cost building techniques and cheap vernacular materials.
* Acabar com códigos locais de construção cujo efeito principal é tornar inacessíveis técnicas convencionais de construção usadas por empreiteiros estabelecidos e criminalizar práticas inovadoras tais como o uso de novas técnicas de construção de baixo custo e materiais vernáculos baratos.
* End occupational licensing, or at least end artificial restrictions on the number of licenses granted and licensing fees greater than necessary to fund the costs of administration.
* Acabar com o licenciamento ocupacional, ou pelo menos acabar com restrições artificiais ao número de licenças concedidas e taxas de licenciamento mais altas do que o necessário para financiar os custos de administração.
* End government policies aimed at propping up asset prices, allowing the real estate bubble to finish popping.
* Acabar com políticas de governo voltadas para dar sustentação a preços de ativos, permitindo que a bolha imobiliária pare de explodir.
* Increase work-sharing and shorten work weeks to evenly distribute the amount of necessary work that remains. Absent artificial scarcity rents to disrupt the link between effort and consumption, I believe the average individual share of available work would provide sufficient income to purchase a comfortable standard of living.
* Aumentar o compartilhamento de trabalho e diminuir as semanas de trabalho para distribuir equanimemente a quantidade de trabalho necessário que restar. Sem os rents de escassez artificial rompendo os vínculos entre esforço e consumo, acredito que a parcela individual média do trabalho disponível proporcionaria renda suficiente para a compra de confortável padrão de vida.
* Decouple the social safety net from both wage employment and the welfare state through an increase in extended family or multi-family income-pooling arrangements, cohousing projects, urban communes, etc.; expand mutuals (of the kind described by Kropotkin, E.P. Thompson, and Colin Ward) as mechanisms for pooling cost and risk.
* Desvincular a rede de segurança social tanto do emprego assalariado quanto do estado assistencialista por meio de uma expansão dos acordos de compartilhamento de renda na família mais ampla ou envolvendo diversas famílias, projetos de compartilhamento de residências, comunas urbanas etc.; expandir sociedades de socorro mútuo (do tipo das descritas por Kropotkin, E.P. Thompson, e Colin Ward) como mecanismos de compartilhamento de custo e de risco.
* Shift consumption, wherever feasible, from the purchase of store goods with wage income, to subsistence production or production for barter in the household economy using home workshops, sewing machines, ordinary kitchen food prep equipment, etc.
* Mudar o consumo, onde factível, da compra de bens comprados em lojas com renda de salário para a produção de subsistência ou produção para escambo na economia familiar usando oficinas caseiras, máquinas de costura, equipamento de preparo de comida de cozinha comum etc.
* Expand local alternative currency and barter networks, taking advantage of the latest network technology, as a source of liquidity for direct exchange between informal/household producers.
* Expandir moeda local alternativa e redes de escambo, tirando proveito da mais recente tecnologia de redes como fonte de liquidez para trocas diretas entre produtores informais/familiares.
139 Dumas, The Overburdened Economy, p. 75.
139 Dumas, A Economia Sobrecarregada, p. 75.
140 Jeremy Rifkin, The Future of Work: The Decline of the Global Labor Force and the Dawn of the Post- Market Era (New York: G. P. Putnam's Sons, 1995), pp. 84-85.
140 Jeremy Rifkin, O Futuro do Trabalho: O Declínio da Força Mundial de Trabalho e a Alvorada da Era Pós-Mercado (Nova Iorque: G. P. Putnam's Sons, 1995), pp. 84-85.
141 Dumas, The Overburdened Economy, pp. 46-47, 70-76.
141 Dumas, A Economia Sobrecarregada, pp. 46-47, 70-76.
142 Ibid., pp. 75-76.
142 Ibid., pp. 75-76.
Research Associate Kevin Carson is a contemporary mutualist author and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political Economy, Organization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation and his own Mutualist Blog.
O Associado de Pesquisa do C4SS Kevin Carson é autor mutualista e anarquista individualista contemporâneo cuja obra escrita inclui Estudos de Economia Política Mutualista, Teoria da Organização: Uma Perspectiva Libertária, e A Revolução Industrial Gestada em Casa: Um Manifesto de Baixo Overhead, todos disponíveis grátis online. Carson também tem escrito para publicações impressas tais como O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e para diversas publicações e blogs da internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P e seu próprio Blog Mutualista.

No comments:

Post a Comment