Sunday, July 10, 2011

C4SS - The Great Domain of Cost-Plus: The Waste Production Economy (21-25/47)

ENGLISH
PORTUGUÊS
C4SS – CENTER FOR A STATELESS SOCIETY
C4SS - CENTRO POR UMA SOCIEDADE SEM ESTADO
building awareness of the market anarchist alternative
no despertamento da consciência da alternativa anarquista de mercado
Center for a Stateless Society Paper No. 11 (Fourth Quarter 2010)
Centro por uma Sociedade sem Estado – Paper No. 11 (Quarto Trimestre de 2010)
The Great Domain of Cost-Plus: The Waste Production Economy
O Grande Domínio do Custo Acrescido: A Economia de Produção de Desperdício
Kevin A. Carson
Kevin A. Carson
21-25/47
21-25/47
Waste From Mandated Capital Outlays and Overhead
Desperdício Decorrente de Desembolsos Compulsórios de Capital e de Overhead(*)

(*) Overhead são as despesas operacionais de uma empresa, inclusive custos de aluguel, serviços públicos, decoração de interiores e impostos, exclusive trabalho e materiais. http://www.answers.com/topic/overhead
In addition to crowding out lower-cost alternatives by rendering high-cost  means artificially competitive through input subsidies, the state also promotes radical monopoly by mandating capital outlays and overhead costs over and above what is technically required for undertaking production. Laws imposing artificially high capital outlays for market entry have exactly the same effect as making capital artificially scarce and expensive.
Além de elidir alternativas de custo mais baixo mediante tornar meios de alto custo artificialmente competitivos por meio de subsídios a insumos, o estado também promove monopólio radical mediante impor desembolsos de capital e custos de overhead acima do tecnicamente requerido para empreender produção. As leis que impõem artificialmente altos desembolsos de capital para entrada no mercado têm exatamente o mesmo efeito que tornar o capital artificialmente escasso e dispendioso.
At the local level, one of the central functions of so-called "health" and "safety" codes, and occupational licensing, is to prevent people from using idle capacity (or "spare cycles") of tools they already own, and thereby transforming them into capital goods for productive use. Such regulations
mandate minimum levels of overhead (for example, by outlawing a restaurant run out of one's own home, and requiring the use of industrial-sized ovens, refrigerators, dishwashers, etc.), so that the only way to service the overhead and remain in business is to engage in large batch production.
Em nível local, uma das funções centrais dos assim chamados códigos de "saúde" e "segurança", e do licenciamento ocupacional, é impedir que as pessoas usem capacidade ociosa (ou "ciclos de reposição") das ferramentas que elas já possuam transformando-as em bens de capital para uso produtivo. Tais regulamentações impõem níveis mínimos de overhead (por exemplo, ao proibirem que alguém tenha um restaurante em sua própria casa, e ao exigirem o uso de fornos, refrigeradores, lavadoras de pratos etc. de tamanho industrial), de tal modo que a única maneira de compensar o overhead e continuar no negócio seja lançar-se a grande produção por lotes.
You can't do just a few thousand dollars worth of business a year, because the state mandates capital equipment on the scale required for a large-scale business if you engage in the business at all.
A pessoa simplesmente não pode ganhar uns poucos milhares de dólares por ano com seu negócio, porque o estado impõe equipamento de capital em escala requerida por empresa de grande porte, isso se a pessoa conseguir lançar-se ao empreendimento.
In the absence of licensure, zoning, and other regulations, how many people would start a restaurant today if all they needed was their living room and their kitchen? How many people would start a beauty salon today if all they needed was a chair and some scissors, combs, gels, and so on? How many people would start a taxi service today if all they needed was a car and a cell phone? How many people would start a day care service today if a bunch of working parents could simply get together and pool their resources to pay a few of their number to take care of the children of the rest? These are not the sorts of  small businesses that receive SBIR awards; they are the sorts of small businesses that get hammered down by the full strength of the state whenever they dare to make an appearance without threading the lengthy and costly maze of the state’s permission process.65
Na ausência de licenciamento, zoneamento e outras regulamentações, quantas pessoas iniciariam um restaurante hoje se tudo o de que precisassem fosse sua sala de visitas e sua cozinha? Quantas pessoas começariam um salão de beleza hoje se tudo o de que necessitassem fosse uma cadeira e algumas tesouras, pentes, géis, e assim por diante? Quantas pessoas começariam um negócio de táxi hoje se tudo o de que necessitassem fosse um carro e um telefone celular? Quantas pessoas começariam um serviço de creche hoje se um punhado de pais trabalhadores pudessem simplesmente juntar-se e coligar seus recursos para pagar uns poucos de seu grupo para cuidar das crianças dos do resto? Esses não são os tipos de pequenas empresas que recebem prêmios de pesquisa do Programa Pesquisa de Inovação em Pequenas Empresas - SBIR; são os tipos de pequenas empresas que são massacradas pela força total do estado sempre que ousam aparecer sem trilhar o longo e dispendioso labirinto do processo de permissão do estado.65
Zoning laws, likewise, criminalize low-overhead enterprise by compelling the microentrepreneur to pay expensive rents on a free-standing building in the commercial district instead of operating out of her home. The rent, like capital outlays for mandated industrial-sized equipment, can only be amortized by large batch production.
As leis de zoneamento, do mesmo modo, criminalizam a empresa de baixo overhead ao compelir o microempreendedor a pagar dispendiosos rents num edifício isolado num distrito comercial em vez de operar seu negócio a partir de sua própria casa. O rent, do mesmo modo que os desembolsos de capital para equipamento de tamanho industrial exigidos, só pode ser amortizado mediante grande produção em lotes.
Another example is the building codes, which criminalize self-built housing using cheap alternative construction techniques and the use of vernacular materials (earthships, papercrete, cob houses, rammed earth, etc.). Perhaps more importantly, they insulate incumbent contractors from competition by such techniques, and remove the competitive pressure to adopt lower cost methods. The effect is to inflate the cost of subsistence and create an overhead cost of daily living that can only be amortized by a large revenue stream—creating, it follows, a strong pressure for increased wage labor.
Outro exemplo são os códigos de edificação, que criminalizam as casas construídas pela própria pessoa usando técnicas de construção alternativas baratas e o uso de materiais simples (casas simples de material reciclado, papelcreto, casas de argamassa, terra batida etc.). Talvez mais importante, eles insulam empreiteiros licenciados da competição representada por essas técnicas, e afastam a pressão competitiva no sentido de serem adotados métodos de custo mais baixo. O efeito é o custo da subsistência aumentar e ser criado um custo de overhead da vida diária que só pode ser amortizado por largo fluxo de receita — surgindo, segue-se, forte pressão no sentido de aumento do trabalho assalariado.
In the building trades, according to Illich the entry barrier enjoyed by licensed contractors "reduces and cancels opportunities for the otherwise much more efficient self-builder." Construction codes prevent most self-building, and drive the cost of professionally built housing to excessive levels.66 So-called "safety" regulations prohibit simpler and more user-friendly technologies that might be safely managed by an intelligent layman, instead mandating more complex technologies that can only be safely handled by licensed professionals. The system selects against simple technologies that can be safely controlled, and in favor of complex technologies that can only be safely wielded by a priesthood. For example, self-built housing in Massachusetts fell from around a third of all single-family houses to 11%, between 1945 and 1970. But by 1970 the feasible self-building technologies
could have been far safer and more user-friendly than in 1940, had not the building trades actively suppressed them.67
Na área de construção, de acordo com Illich, a barreira à entrada no mercado de que se aproveitam empreiteiros licenciados "reduz e anula oportunidades para o de outra forma muito mais eficiente construtor da própria casa." Os códigos de construção impedem a maior parte da construção da própria casa, e levam o custo da casa construída profissionalmente para níveis excessivos.66 As assim chamadas regulamentações de "segurança" impedem tecnologias mais simples e de uso mais fácil que possam ser com segurança utilizadas por leigos inteligentes, impondo, isso sim, tecnologias mais complexas que só podem ser manipuladas com segurança por profissionais licenciados. O sistema efetua seleção prejudicial a tecnologias simples que podem ser controladas com segurança, e favorável a tecnologias complexas que só podem ser administradas de modo seguro por um clero. Por exemplo, as casas construídas pelos próprios donos em Massachusetts caíram de cerca de um terço de todas as casas de família única para 11%, entre 1945 e 1970. Contudo, em 1970 as tecnologias factíveis de construção da própria casa poderiam ter sido muito mais seguras e mais fáceis de usar do que em 1940, não as houvessem as empresas de construção suprimido ativamente.67
Illich elaborated in greater detail on both the potentially feasible convivial building technologies, and the measures taken to suppress them, in the case of the "vast tracts of self-built favelas, barriadas, or poblaciones" surrounding major Latin American cities.
Illich discorreu em maior detalhe acerca tanto das potencialmente factíveis tecnologias convivais de construção quanto a respeito das medidas tomadas para suprimi-las, no caso de "vastos tratos de favelas, barriadas, ou poblaciones construídas pelos próprios donos" em torno de grandes cidades da América Latina.
Components for new houses and utilities could be made very cheaply and designed for self-assembly. People could build more durable, more comfortable, and more sanitary dwellings, as well as learn about new materials and options.... [But the government instead] defines the professionally built house as the functional unit, and stamps the self-built house a shanty. The law establishes this definition by refusing a building permit to people who cannot submit a plan signed by an architect. People are deprived of the ability to invest their own time with the power to produce use-value, and are compelled to work for wages and to exchange their earnings for industrially defined rented space.68
Componentes para novas casas e serviços públicos podem ser feitos de maneira muito barata e projetados para montagem pela própria pessoa. As pessoas poderiam construir moradias mais duráveis, confortáveis e higiênicas, bem como aprender acerca de novos materiais e opções.... [O governo, porém, em vez disso] define a casa profissionalmente construída como a unidade funcional, e categoriza a casa construída pela própria pessoa como tugúrio. A lei estabelece essa definição ao recusar a uma construção permissão a pessoas que não possam apresentar plano assinado por arquiteto. As pessoas são privadas da capacidade de investir seu próprio tempo no poder de produzir valor de uso, e são compelidas a trabalhar por salários e a trocar seus ganhos por espaço alugado definido industrialmente.68
Colin Ward's account of the Laindon and Pitsea communities in Essex parallels the Latin American favelas. Following a depression in agricultural land prices in the 1880s, some of the farmers in the area sold out to developers, who divided it up into cheap plots but did little in the way of development. In succeeding decades, many of those plots were sold (often for as little as 3 per 20-ft. frontage), and used not only for cheap bungalows but for every imaginable kind of self-built housing ("converted buses or railway coaches, with a range of army huts, beach huts and every kind of timber-framed shed, shack or shanty"), as working class people painstakingly hauled odds and ends of building material to the sites and gradually built up homes. During the WWII bombing of the East End of London, many working
class families were bombed out or fled to plots in Pitsea and Laindon, increasing the area's population to 25,000 at the end of the war. In general, the sort of people who resorted to such self-built expedients "would never have qualified as building society mortgagees," owing to their low incomes.
A descrição de Colin Ward das comunidades de Laindon e Pitsea em Essex guarda paralelo com as favelas latino-americanas. Depois de uma depressão dos preços de terra agricultável nos anos 1880, alguns dos proprietários de terras da área venderam suas propriedades para desenvolvedores, que as dividiram em terrenos baratos, mas pouco fizeram em termo de desenvolvimento. Nas décadas seguintes muitos desses lotes foram vendidos (amiúde por tão pouco quanto frente de 3 por 20 pés) [[?] o autor me disse acreditar tratar-se de erro de transcrição mas não tem mais consigo o livro de Colin Ward de onde tirou a informação], e usados não apenas para casinhas térreas baratas mas para todo tipo imaginável de casa construída pelo próprio dono ("ônibus ou vagões de trem convertidos, com uma porção de abrigos militares provisórios, cabanas de praia e todo tipo de choupana, choça e barraco construídos com madeira aparente"), à medida que pessoas da classe trabalhadora penosamente arrastavam uma miscelânea de material de construção para os locais e gradualmente construía casas. Durante o bombardeio do East End de Londres na Segunda Guerra Mundial, muitas famílias da classe trabalhadora tiveram a casa bombardeada ou fugiram para terrenos em Pitsea e Laindon, aumentando a população da área para 25.000 pessoas no final da guerra. Em geral, o tipo de pessoa que recorria a tais expedientes de construção da própria casa "nunca conseguiria qualificar-se como tomador de hipoteca de associações de poupança e empréstimo," por causa de sua baixa renda.
What in fact those Pitsea-Laindon dwellers had was the ability to turn their labour into capital over time, just like the Latin American squatters. The poor in the third-world cities—with some obvious exceptions— have a freedom that the poor in the rich world have lost....
O que em verdade aqueles residentes de Pitsea-Laindon tinham era a capacidade de transformar seu trabalho em capital ao longo do tempo, exatamente como os favelados sul-americanos. Os pobres de cidades do terceiro mundo — com algumas óbvias exceções — têm uma liberdade que os pobres do mundo rico já perderam....
You might observe of course that some of the New Town and developing towns have—more than most local authorities have—provided sites and encouragement to self-build housing societies. But a self-build housing association has to provide a fully-finished product right from the start, otherwise no consent under the building regulations, no planning consent, no loan. No-one takes into account the growth and improvement and enlargement of the building over time, so that people can invest out of income and out of their own time, in the structure.69
Vocês poderão observar, naturalmente, que algumas das comunidades urbanas planejadas e em desenvolvimento já — mais do que o fizeram as autoridades do lugar — providenciaram locais e estímulo para sociedades de habitação de construção da casa pelo próprio dono. Entretanto, uma associação de habitação de construção da casa pelo próprio dono tem de oferecer, desde o começo, um produto totalmente acabado, ou não haverá consentimento nos termos da regulamentação de construção, nem consentimento para planejamento, nenhum empréstimo. Ninguém leva em conta o crescimento, o melhoramento e o aumento do edifício ao longo do tempo, de modo que as pessoas possam investir a partir da renda e de seu próprio tempo na estrutura.69
Ward quotes Anthony King, in The Bungalow, on conditions in the first half of the twentieth century:
Ward cita Anthony King, em O Bangalô, acerca das condições na primeira metade do século vinte:
A combination of cheap land and transport, pre-fabricated materials, and the owner's labour and skills had given back to the ordinary people of the land, the opportunity denied to them for over two hundred years, an opportunity which, at the time, was still available to almost half of the world's non-industrialized populations: the freedom for a man to build his own house. It was a freedom that was to be very shortlived.70
Uma combinação de terra barata e transporte, materiais pré-fabricados, e o trabalho e as habilidades do dono teriam proporcionado às pessoas comuns da terra a oportunidade negada a elas durante mais de duzentos anos, uma oportunidade que, à época, ainda estava disponível para quase metade das populações do mundo não-industrializado: a liberdade de um homem para construir a própria casa. Foi uma liberdade que teve vida muito curta.70
This kind of non-standard construction, "that gives the underprivileged a place of their own," has been stamped out by urban planners of the very cultural type who profess the most concern about the needs of the poor.71 Such legislation amounts to "a highly regressive form of indirect taxation."72
Esse tipo de construção não-padrão, "que dá aos não privilegiados um lar próprio," foi extinguido por planejadores urbanos exatamente do tipo que professa maior preocupação para com as necessidades dos pobres.71 Tal legislação equivale a "forma de tributação indireta altamente regressiva."72
The situation is doubly unfortunate, because urban areas are full of vacant lots which would be ideal for such self-build projects, but which are seen as uneconomical by conventional developers. Two architects, at a time when the London borough of Newham claimed to be running out of building sites, surveyed the borough for sites of less than a half-acre, excluding sites which were claimed for local authority housing proposals, or lay in exclusively industrial areas. They found sufficient land to house three to five thousand people in single-family dwellings. The council, however, told them that "all these small and scattered plots were useless.... Given the local authority's procedures, it would be uneconomic to develop them.”73 They would, however, have been found quite "economic" by those folks in Pitsea-Laindon.
A situação é duplamente lamentável, porque áreas urbanas estão cheias de lotes vagos que seriam ideais para projetos de construção da casa pelo próprio dono, mas são vistos como antieconômicos pelos desenvolvedores convencionais. Dois arquitetos, numa época em que o burgo londrino de Newham afirmava estar ficando sem locais onde construir, vistoriaram o burgo em busca de locais de tamanho inferior a meio acre, excluindo locais reivindicados para propostas de habitação da autoridade local, ou situados em áreas exclusivamente industriais. Eles descobriram terra suficiente para abrigar entre três a cinco mil pessoas em casas de família única. O conselho, porém, disse a eles que "todos esses terrenos espalhados eram inúteis .... Dados os procedimentos da autoridade local, seria antieconômico desenvolvê-los.”73 Eles teriam, entretanto, sido considerados bastante "econômicos" por aquelas pessoas de Pitsea-Laindon.
Yet another example of radical monopoly is credentialism, with mandated years of schooling unrelated to the practical requirements of an occupation. In order to transform one's labor into use-value,
one must forgo income during what would otherwise be prime earning years, and often take on enormous debt for tuition in vocational-technical school or professional training. This debt load, exacerbated by several years' lost income, is—once again—a form of overhead that must be amortized by a large revenue stream, which means greater dependence on wage labor for more hours of work.
Outro exemplo ainda de monopólio radical é o credencialismo, com anos obrigatórios de escolarização não relacionados com as exigências práticas de uma ocupação. Para transformar o próprio trabalho em valor de uso a pessoa precisa abrir mão da renda nos anos que, não fora isso, seriam excelentes para ganhos, e amiúde assumir enorme dívida para pagamento de instrução de escola vocacional-técnica ou treinamento profissional. Essa carga de dívida, exacerbada pela inexistência de renda durante diversos anos, é — mais uma vez — uma forma de overhead que tem de ser amortizado por grande fluxo de receita, o que significa maior dependência do trabalho assalariado para conseguir-se mais horas de trabalho.
According to Chris Dillow, the inflation of educational credentials required for the typical job has had little effect on actual economic productivity:
De acordo com Chris Dillow, a inflação de credenciais educacionais requeridas para o emprego típico tem tido pouco efeito na produtividade econômica real:
The thing is, this slowdown has come at a time when the workforce is better qualified than ever before; over 30% of the working age population has a degree now - twice the proportion in the mid-90s, and eight times that of the mid-70s.
A coisa é, essa desaceleração veio a ocorrer numa época em que a força de trabalho é melhor qualificada do que jamais antes; mais de 30% da população em idade de trabalho tem hoje um diploma - duas vezes a proporção de meado anos 1990, e oito vezes a de meados dos anos 1970.
This vast increase in qualifications, however, seems to have had no impact in raising productivity....
Esse vasto aumento de qualificações, contudo, parece não ter tido nenhum impacto no aumento da produtividade....
This seems to refute one of the foundational beliefs of New Labour—that education is the key to economic growth. As [Tony] Blair said:
Isso parece refutar uma das crenças básicas do Novo Trabalhismo — a de que a educação é a chave do crescimento econômico. Como disse [Tony] Blair:
Education is the best economic policy there is…Britain has neglected the impact on economic growth of human capital.74
A educação é a melhor política econômica que há... a Grã-Bretanha tem negligenciado o impacto do capital humano no crescimento econômico.74
The problem is, Blair's argument is circular. Education is not—as Blair seems to imply— equivalent to “human capital.” It's only human capital when it actual increases the worker's proficiency at doing his job. Dillow quotes a literature review by Alan Krueger and Mikael Lidahl which found that there was a significant correlation between educational levels and productivity only in economies which started out with comparatively low absolute levels of average education.
O problema é, a argumentação de Blair é circular. A educação não é — ao contrário do que Blair parece implicar — equivalente a “capital humano.” Só é capital humano quando realmente aumenta a proficiência do trabalhador no desempenho de suas atividades. Dillow cita uma revisão da literatura por Alan Krueger e Mikael Lidahl a qual descobriu só haver correlação significativa entre níveis educacionais e produtividade em economias que começaram com níveis absolutos de educação média comparativamente baixos.
Education was statistically significantly and positively associated with subsequent growth only for the countries with the lowest level of education…The positive effect of the initial level of education on growth seems to be a phenomenon that is confined to low-productivity countries.
A educação só foi estatisticamente significativa e positivamente associada a crescimento subsequente em países com o mais baixo nível de educação... O efeito positivo do nível inicial de educação sobre o crescimento parece ser um fenômeno confinado a países de baixa produtividade.
This seems to contradict the commonly found correlation between educational levels and individual income. Dillow argues that the discrepancy might be explained by the productivity being
Isso parece contradizer a correlação comumente encontrada entre níveis educacionais e renda individual. Dillow argumenta que a discrepância poderia ser explicada por a produtividade ser
a feature not of individuals, but of jobs. If an individual gets a degree, he has more chance of getting a high-productivity job. But if the number of high-productivity jobs doesn’t rise in line with the number of graduates, increasing numbers of graduates will find jobs for which they are over-qualified, and productivity won‘t increase.
uma característica não de indivíduos, e sim dos empregos. Se uma pessoa obtiver um diploma, terá mais probabilidade de conseguir um emprego de alta produtividade. Se, porém, o número de empregos de alta produtividade não aumentar em linha com o número de diplomados, crescente número de diplomados encontrará empregos para os quais estarão superqualificados, e a produtividade não aumentará.
Joe Bageant demolished the meritocratic hokum, with its panacea of "more education," in short order:
Joe Bageant demoliu em poucas palavras a asneira meritocrática, com sua panaceia de "mais educação":
Look at it this way: The empire needs only about 20-25% of its population at the very most to administrate and perpetuate itself—through lawyers, insurance managers, financial managers, college teachers, media managers, scientists, bureaucrats, managers of all types and many other professions and semi-professions.
Vejam as coisas do seguinte modo: O império só precisa, no máximo, de 20-25% de sua população para administar-se e perpetuar-se — por meio de advogados, gerentes de seguros, gerentes financeiros, professores universitários, gerentes de mídia, cientistas, burocratas, gerentes de todos os tipos e muitas outras profissões e semiprofissões.
What happens to the rest? They are the production machinery of the empire and they are the consumers upon whom the empire depends to turn profits. If every one of them earned a college degree it would not change their status, but only drive down wages of the management class, who are essentially caterers to the
corporate financial elites who govern most things simply by controlling the availability of money at all levels, top to bottom....
O que acontece com os restantes? Compõem o maquinário de produção do império e são os consumidores dos quais o império depende para gerar lucros. Se todos eles obtivessem diploma universitário isso não mudaria a condição deles, e sim apenas faria cair a remuneração da classe gerencial, integrada essencialmente por atendentes solícitos da elite financeira corporativa que rege a maioria das coisas simplesmente mediante controlar a disponibilidade de dinheiro em todos os níveis, de alto a baixo....
Clawing down basic things like an education in such a competitive, reptilian environment makes people hard. And that's what the empire wants, hardassed people in the degreed classes managing the dumbed down, over-fed proles whose mental activity consists of plugging their brains into their television sets so they can absorb the message to buy more....
Empurrar coisas básicas tais como educação para um ambiente tão competitivo, tão rasteiro, torna as pessoas duras. E é isso o que o império quer, pessoas seguidoras e impositoras estritas de regras nas classes diplomadas gerindo os proletários parvos e superalimentados cuja atividade mental consiste em plugar seus cérebros a seus aparelhos de televisão de maneira a absorverem a mensagem de comprar mais....
....Right now we are seeing the proletarianization of college graduates, as increasingly more of them are forced to take service and labor jobs. (Remember that it only takes a limited number to directly or indirectly manage the working masses, which these days includes workers like hospital technicians, and a thousand other occupations we have not traditionally thought of as working class.).75
....Agora mesmo estamos vendo a proletarização dos diplomados em universidades, na medida em que cada vez mais deles são forçados a aceitar empregos de serviços e braçais. (Lembremo-nos de ser preciso apenas número limitado de pessoas para gerir as massas trabalhadoras as quais, hoje em dia, incluem trabalhadores tais como técnicos de hospital e mil outras ocupações que tradicionalmente não achávamos pertencer à classe trabalhadora.).75
Worse yet, credentials may actually boost individual income by serving as a means to purchase the right to extract rents from others. Dillow continues:
Pior, as credenciais podem, em realidade, aumentar a renda individual mediante servirem como meio de comprar o direito de extrair rents de outras pessoas. Dillow continua:
Another possibility is that the social product of educated people, far from being higher than the private product as some endogenous growth theories predict, is in fact lower. This would happen if having a degree allows you to earn more at the expense of other people—if it propels one into a management job where you can exploit workers, or into the “heads I win, tails the public loses” banking industry.
Outra possibilidade é o produto social de pessoas instruídas, longe de ser mais elevado do que o produto privado, ao contrário do que predizem algumas teorias de crescimento endógeno, ser em realidade mais baixo. Isso acontecerá se ter diploma permitir à pessoa ganhar mais a expensa de outras pessoas — se propelir alguém para um cargo de gerência onde poderá explorar trabalhadores, ou na área bancária do “se der cara eu ganho, se der coroa o público perde”.
The real effect of credentialism, when it's a prerequisite for engaging in actual productive work, is to burden workers with unnecessary educational requirements that are irrelevant to the actual performance of their jobs—a mandate to purchase a certain number of educational hours as a form of tribute before one can enter a field, but as superfluous to the performance of actual work in that field as the purchase of a $300,000 medallion is to driving a cab.
O real efeito do credencialismo, quando pré-requisito para o desempenho de trabalho produtivo, é os trabalhadores serem onerados com exigências educacionais desnecessárias irrelevantes para o desempenho real de suas funções — uma exigência de comprar certo número de horas educacionais como forma de tributo antes de poder entrar numa área, mas tão supérfluas em relação ao desempenho do trabalho real quanto o pagamento de um emblema de $300.000 dólares como condição para dirigir-se um táxi.
65 Roderick Long, "Free Market Firms: Smaller, Flatter, and More Crowded," Cato Unbound, Nov. 25, 2008
<http://www.cato-unbound.org/2008/11/25/roderick-long/free-market-firms-smaller-flatter-and-more-crowded>.
65 Roderick Long, "Firmas de Livre Mercado: Menores, Mais Niveladas, e Mais Densas," Cato Unbound, 25 de novembro de 2008
<http://www.cato-unbound.org/2008/11/25/roderick-long/free-market-firms-smaller-flatter-and-more-crowded>.
66 Illich, Tools for Conviviality, p. 39.
66 Illich, Ferramentas para Afabilidade, p. 39.
67 Ibid., p. 40.
67 Ibid., p. 40.
68 Ibid., pp. 62-63. See also the article "Shanty Settlements in Britain" in Radical Technology. The self-built houses, not only far cheaper but often quite beautiful and elegantly designed, all predate the 1947 Planning Acts "which changed the nature of building permission and made it a much tighter financial game." Godfrey Boyle and Peter Harper, eds. Radical Technology. From the editors of Undercurrents (New York: Pantheon Books, 1976). p. 107.
68 Ibid., pp. 62-63. Ver também o artigo "Assentamentos de Tugúrios na Grã-Bretanha" em Tecnologia Radical. As casas construídas pelo próprio dono, não apenas muito mais baratas mas amiúde bastante bonitas e elegantemente concebidas, datam, todas, de antes das Leis de Planejamento de 1947 "as quais mudaram a natureza da permissão de construção e tornaram-na num esquema financeiro muito menos flexível." Godfrey Boyle e Peter Harper, eds. Tecnologia Radical. Dos editores de Subcorrentes (Nova Iorque: Pantheon Books, 1976). p. 107.
69 Colin Ward, "The Do It Yourself New Town," Talking Houses: Ten Lectures by Colin Ward (London: Freedom Press,
1990), pp. 25-31.
69 Colin Ward, "A Nova Cidade do Faça Você Próprio," Falando de Casas: Dez Preleções de Colin Ward (Londres: Freedom Press, 1990), pp. 25-31.
70 Ibid., pp. 90-91.
70 Ibid., pp. 90-91.
71 Ibid., p. 30.
71 Ibid., p. 30.
72 Ibid., p. 72.
72 Ibid., p. 72.
73 Ibid., pp. 73-74.
73 Ibid., pp. 73-74.
74 Chris Dillow, “Education & Productivity,” Stumbling and Mumbling, November 5, 2010
<http://stumblingandmumbling.typepad.com/stumbling_and_mumbling/2010/11/education-productivity.html>.
74 Chris Dillow, “Educação e Produtividade,” Tropeços e Resmungos, 5 de novembro de 2010
<http://stumblingandmumbling.typepad.com/stumbling_and_mumbling/2010/11/education-productivity.html>.
75 Joe Bageant, "The masses have become fat, lazy, and stupid," December 11, 2006 <http://www.joebageant.com/joe/2006/
12/the_masses_have.html>.
75 Joe Bageant, "As massas se tornaram gordas, preguiçosas e estúpidas," 11 de dezembro de 2006 <http://www.joebageant.com/joe/2006/
12/the_masses_have.html>.
Research Associate Kevin Carson is a contemporary mutualist author and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political Economy, Organization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation and his own Mutualist Blog.
O Associado de Pesquisa do C4SS Kevin Carson é autor mutualista e anarquista individualista contemporâneo cuja obra escrita inclui Estudos de Economia Política Mutualista, Teoria da Organização: Uma Perspectiva Libertária, e A Revolução Industrial Gestada em Casa: Um Manifesto de Baixo Overhead, todos disponíveis grátis online. Carson também tem escrito para publicações impressas tais como O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e para diversas publicações e blogs da internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P e seu próprio Blog Mutualista.

No comments:

Post a Comment