Sunday, July 3, 2011

C4SS - The Great Domain of Cost-Plus: The Waste Production Economy (13-15/47)

ENGLISH
PORTUGUÊS
C4SS – CENTER FOR A STATELESS SOCIETY
C4SS - CENTRO POR UMA SOCIEDADE SEM ESTADO
building awareness of the market anarchist alternative
no despertamento da consciência da alternativa anarquista de mercado
Center for a Stateless Society Paper No. 11 (Fourth Quarter 2010)
Centro por uma Sociedade sem Estado – Paper No. 11 (Quarto Trimestre de 2010)
The Great Domain of Cost-Plus: The Waste Production Economy
O Grande Domínio do Custo Acrescido: A Economia de Produção de Desperdício
Kevin A. Carson
Kevin A. Carson
13-15/47
13-15/47
Waste from Guard Labor
Desperdício Decorrente de Trabalho de Guarda
Murray Bookchin argued, in the Introduction to Post-Scarcity Anarchism, that the management of scarcity, the control of access to scarce resources, was the “historic rationale” for most forms of
hierarchy and authoritarianism.39
Murray Bookchin argumentou, na Introdução a Anarquismo Pós-Escassez, que a administração da escassez, o controle do acesso a recursos escassos, foi a “base histórica” da maior parte das formas de hierarquia e autoritarismo.39
That really stands to reason. Most of the authoritarian institutions in our society, and most positions of authority within their hierarchies, ultimately derive their power from the threat “Do as I say if you want to get fed and keep a roof over your head.”
Isso realmente salta à vista. A maior parte das instituições de nossa sociedade, e a maior parte dos cargos de autoridade dentro da hierarquia delas, em última análise obtêm seu poder da ameaça “Faça como eu digo se quiser comer e ter teto.”
In addition, the power of hierarchies results from the fact that exercising power is the primary occupation (and often avocation as well) of those running them, while those on the outside can participate in decision-making only during what little time they are able to extract from their limited leisure after working at their jobs and attending to family concerns and recreation. Comparative scarcity entails a greater amount of labor time required to procure the necessities of life, and a resulting shift in comparative advantage to those administering the hierarchies when it comes to time, energy and attention for making decisions about how things could be done. In Revolutionary France the Girondins attempted to
Além disso, o poder das hierarquias resulta do fato de o exercício do poder ser a ocupação principal (e amiúde também passatempo) daqueles que as operam, enquanto as pessoas de fora só podem participar da tomada de decisão durante o pouco tempo que conseguirem extrair de seu limitado lazer depois de trabalhar em seus empregos e cuidar das preocupações de família e da recreação. A escassez comparativa implica em maior quantidade de tempo de trabalho necessário para suprir as necessidades da vida, e numa resultante mudança na vantagem comparativa em favor daqueles que administram as hierarquias no tocante a tempo, energia e atenção para tomar decisões acerca de como as coisas podem ser feitas. Na França Revolucionária os Girondinos tentaram
reduce the revolutionary fervor of the Parisian popular assemblies—the great sections of 1793—by decreeing that the meetings should close “at ten in the evening,” or as Carlyle tells us, “before the working people come...” from their jobs.40
reduzir o fervor revolucionário das assembléias populares parisienses — as grandes secções 1793 — mediante decretar que as reuniões deveriam terminar “às dez da noite” ou, como Carlyle nos conta, “antes de as pessoas que trabalhavam pudessem estar de volta...” de seu trabalho.40
What appeal would there be, for David Rockefeller or Bill Gates, in a world where everyone had a cheap Star Trek matter-energy replicator that could provide them with an unlimited standard of living—
and in which that standard of living was available to everyone free and clear, without dependence on anyone else? Most of the hierarchical institutions in our world, and the people running them, exist
only for the sake of rationing scarce goods. The management at your workplace, and the sense of identity they get from their jobs, all revolve around the fact of scarcity and your dependence on them to keep paying the rent and grocery bill. In a world where they no longer get status from control over other people’s livelihoods, they’d be strangers in a strange land. A world in which all the hierarchical institutions formerly required to regulate scarcity become redundant and irrelevant — in which every single person was the equal of Gates and Rockefeller in wealth and power, and could tell them to go to hell with impunity — would be intolerable for them. What fun would it to live like a king, if everyone
was a king?
Que interesse teria para David Rockefeller ou Bill Gates um mundo onde todo mundo tivesse um replicador de matéria-energia barato da Jornada nas Estrelas que pudesse oferecer a todos padrão de vida ilimitado — e onde esse padrão de vida estivesse ao alcance de todo mundo sem impedimentos, sem dependência de quem quer que fosse? A maior parte das instituições hierárquicas de nosso mundo, e as pessoas que as gerem, só existem para distribuir rações de bens escassos. A gerência de nosso local de trabalho e o sentido de identidade que ela obtém de sua função giram inteiramente em torno do fato da escassez e de nossa dependência em relação a citada gerência para podermos continuar a pagar o aluguel e a conta da mercearia. Num mundo onde não mais obtivesse status advindo de controle do sustento de outras pessoas, ela seria formada de estranhos numa terra estranha. Um mundo no qual todas as instituições hierárquicas no passado necessárias para regular a escassez se tornassem redundantes e irrelevantes— onde cada pessoa fosse uma igual de Gates e Rockefeller em riqueza e poder, e pudesse impunemente mandá-los para o inferno — seria intolerável para ela. Que graça teria viver como rei, se todo mundo fosse rei?
What's more, a major part of the resources expended by authoritarian structures goes to the costs of enforcing property rights in scarce resources. When that scarcity is natural the costs of enforcing the property system may be rational. When, for example, it takes significant effort to create material goods, and the comparative effort of producing versus stealing makes theft an attractive alternative, then the costs of protecting the producer's possession of his labor product against theft may be necessary.
Mais ainda, a maioria dos recursos despendidos por estruturas autoritárias vai para os custos de fazer cumprir direitos de propriedade de recursos escassos. Quando essa escassez é natural, os custos de tornar efetivo o sistema de propriedade podem ser racionais. Quando, por exemplo, é necessário esforço significativo para criar bens materiais, e o esforço comparativo de produzir em comparação com furtar torna o furto alternativa atraente, os custos de proteger a posse, pelo produtor, do produto de seu trabalho contra furto poderá ser imprescindível.
But when the scarcity is artificial, the cost of enforcing it is a dead loss to society. When state intervention artificially increases the effort or capital outlay entailed in producing a given unit of
consumption goods, the comparative ease of producing without artificial levels of effort might make the effort of circumventing such restrictions an attractive proposition. For example, when the marginal cost of reproducing digital information is zero, and the price of digital information obtained from the content “owner” is significant, the cost difference can only be upheld by a costly apparatus like the Digital Millennium Copyright Act and all the industry and Justice Department machinery required to enforce it.
Quando, porém, a escassez é artificial, o custo de torná-la efetiva representa perda cabal para sociedade. Quando a intervenção do estado aumenta artificialmente o esforço ou o desembolso de capital implicado na produção de dada unidade de bens de consumo, a facilidade comparativa de produzir sem níveis artificiais de esforço poderá tornar o esforço de contornar tais restrições proposta atraente. Por exemplo, quando o custo marginal de reproduzir informação digital é zero e o preço da informação digital obtida do “dono” satisfeito é significativo, a diferença de custo só poderá ser mantida por uma estrutura dispendiosa como a Lei dos Direitos Autorais do Milênio Digital e todo o maquinário da indústria e do Departamento de Justiça necessário para fazê-la cumprir.
We have experienced a major shift, in recent decades, from a situation in which most scarcity was natural to one in which most scarcity is artificial. That's not to say that property rights to scarce goods
weren't artificial in most cases, but simply that they really were scarce in the sense that they required significant effort to produce. The primary effect of artificial property rights, in the old days, was to
shift the necessary effort of production to someone other than the beneficiary. The primary effect of artificial property rights today, in most cases, is instead to impose effort where there is no material reason for effort on anyone's part, so that the privileged can collect rents from the artificially mandated effort. The primary focus of socialism in the nineteenth century was to ensure that the effort required to produce consumption goods was equitably allocated, and that the product was distributed commensurate with contributions to the production process. Today, in contrast, our focus should be on making sure that there are no limits on the free reproduction of non-scarce goods and that there is no effort required for consumption where it does not by nature exist. A growing share of total consumption goods consists of what Carl Menger called “non-economic goods,” whose natural market price absent artificial scarcity rents is zero. As Bookchin put it: “A century ago, scarcity had to be endured; today, it has to be enforced —hence the importance of the state in the present era.”41
Experimentamos grande mudança, em décadas recentes, de uma situação na qual a maior parte da escassez era natural para uma na qual a maior parte da escassez é artificial. Isso não quer dizer que os direitos de propriedade de bens escassos não fossem, na maioria dos casos, artificiais, mas simplesmente que tais bens eram realmente escassos no sentido de requererem esforço significativo para serem produzidos. O principal efeito dos direitos artificiais de propriedade, no tempo antigo, era o de deslocar o esforço indispensável de produção para outra pessoa que não o beneficiário. Nos dias de hoje, o principal efeito dos direitos artificiais de propriedade é, pelo contrário, na maioria dos casos, impor esforço onde não há razão material para esforço da parte de ninguém, de tal maneira que os privilegiados possam coletar rents do esforço artificialmente imposto. O foco principal do socialismo no século dezenove foi assegurar que o esforço requerido para produzir bens de consumo fosse alocado equitativamente, e que o produto fosse distribuído proporcionalmente às contribuições ao processo de produção. Hoje, em contraste, nosso foco deveria ser em assegurar que não haja limites à livre reprodução de bens não escassos e não haja esforço requerido para consumo onde ele por natureza não exista. Crescente parcela do total de bens de consumo consiste no que Carl Menger chamou de “bens não econômicos,” cujo preço natural de mercado fora os rents de escassez artificial é zero. Nas palavras de Bookchin: “Há um século, a escassez tinha que ser tolerada; hoje, ela tem de ser feita cumprir — daí a importância do estado na era presente.”41
Samuel Bowles and Arjun Jayadev coined the term “guard labor” for economic activity whose primary purpose is “the perpetuation of social relationships of domination and subordination”—what we saw Edward Wolff describe above as economic activity meant to secure an unproductive class's control of surplus output. They argued that the higher the degree of inequality in wealth and power, the larger the share of economic activity that goes to guard labor.42
Samuel Bowles e Arjun Jayadev cunharam a expressão “trabalho de guarda” para atividade econômica cujo propósito precípuo é “a perpetuação de relações sociais de dominação e subordinação” — o que vimos Edward Wolff descrever acima como atividade econômica visante a assegurar o controle, por uma classe improdutiva, da produção excedente. Eles argumentaram que quanto maior o grau de desigualdade de riqueza e poder, maior a parcela de atividade econômica correspondente a trabalho de guarda.42
Douglas Dowd pointed to the lower productivity of labor and higher unit costs resulting from low morale and other incentive problems in the standard capitalist enterprise.43 For example, the workerowned plywood co-ops in the Pacific Northwest typically have a quarter the supervisory personnel of a capitalist-owned plywood factory, because of the completely different structure of incentives in a worker-owned and -managed firm. Dowd compared the 10.8% of the U.S. labor force in managerial and clerical positions in 1980, compared to 3% in Germany and 4.4% in Japan.
Douglas Dowd destacou a produtividade mais baixa de trabalho e custos unitários mais altos resultantes de baixo moral e outros problemas de incentivo na empresa capitalista padrão.43 Por exemplo, as cooperativas de compensado de propriedade de trabalhadores do Noroeste do Pacífico normalmente têm um quarto do pessoal de supervisão de uma fábrica de compensado de propriedade capitalista, devido à estrutura de incentivos completamente diferente numa firma de propriedade e gerência de trabalhadores. Dowd comparou os 10.8% da força de trabalho dos Estados Unidos em cargos de gerência e de escritório em 1980, comparados com 3% na Alemanha e 4,4% no Japão.
That figure in 1980 was comparatively modest compared to the inflated level it has swollen to since then. The expansion of management, in both numbers and salaries, as a share of the labor force from
the 1970s to the 1990s, as described by David M. Gordon in Fat and Mean, bears out Bowles' and Jayadev's thesis of a correlation between economic inequality and guard labor. The real wages of nonsupervisory labor have been largely stagnant since the late '60s, while real productivity has increased enormously.
Essa cifra de 1980 era relativamente modesta em comparação com o nível inflado que atingiu desde então. A expansão da gerência, tanto em número quanto em salários, como parcela da força de trabalho dos anos 1970 aos 1990, como descrito por David M. Gordon em Gordo e Sovina, confirma a tese de Bowles e Jayadev de uma correlação entre desigualdade econômica e trabalho de guarda. Os salários reais do trabalho não-supervisório têm permanecido, em grande parte, estagnados desde o final dos anos 1960, enquanto a produtividade real aumentou enormemente.
Between 1973 and 1993 management's share of total labor compensation rose from 28.6% to 41.1%. The difference would have been enough to increase the pay of production workers by almost a quarter. And the portion of the non-farm labor force in managerial positions rose to 13% at the time Gordon wrote, compared to 4.2% in Japan.44 Thus there seems to be a strong correlation between total spending on management salaries and the degree of inequality, both cross-nationally and over time in the U.S.
Entre 1973 e 1993 a parcela da remuneração total do trabalho destinada a gerência subiu de 28,6% para 41,1%. A diferença teria sido suficiente para aumentar o salário dos trabalhadores de produção em quase um quarto. E a parcela da força de trabalho não agrícola em posições de gerência subira para 13% na ocasião em que Gordon escreveu, em comparação com 4,2% no Japão.44 Assim, pois, parece haver forte correlação entre gasto total em salários de gerência e o grau de desigualdade, tanto considerados outros países quanto ao longo do tempo nos Estados Unidos.
Gordon explicitly drew out the correlation:
Gordon extraiu explicitamente a correlação:
In one direction, stagnant or falling wages create the need for intensive management supervision of frontline employees. If workers do not share in the fruits of the enterprise, if they are not provided a
promise of job security and steady wage growth, what incentive do they have to work as hard as their bosses would like? So the corporations need to monitor the workers' effort and be able to threaten credibly to punish them if they do not perform. The corporations must wield the Stick. Eventually the stick requires
millions of Stick-wielders.45
Em uma direção, salários estagnados ou cadentes criam necessidade de supervisão gerencial intensa dos empregados de linha de frente. Se os trabalhadores não compartilham dos frutos da empresa, se não contam com a promessa de segurança no emprego e aumento seguro do salário, que incentivo terão para trabalhar tão tenazmente quanto seu chefe gostaria? Assim, pois, as corporações precisam monitorar o esforço dos trabalhadores e ser capazes de convincentemente ameaçar puni-los se não tiverem bom desempenho. As corporações precisam empunhar o Porrete. No final das contas, o porrete requererá milhões de brandidores de porrete.45
With a coercive approach, by contrast, a much more fundamental conflict between owners and workers is likely to persist over workers' labor effort. Corporations are naturally interested in their employees working as hard as possible. In the absence of strong wage benefits and employment security, however, what provides the worker with the incentive to work anywhere nearly as intensively as the corporation would prefer?...
Com uma abordagem coercitiva, em contraste, provavelmente persistirá conflito muito mais fundamental entre proprietários e trabalhadores a propósito do esforço de trabalho. As corporações estão naturalmente interessadas em seus empregados trabalharem tão duramente quanto possível. Na ausência de sensíveis benefícios salariais e segurança no emprego, entretanto, o que proporcionará ao trabalhador incentivo para trabalhar sequer próximo de o quanto tenazmente a corporação desejaria?...
The solution to such motivational problems... is a combination of intensive supervision of employees and the threat of job dismissal....46
A solução para tais problemas motivacionais... é uma conjugação de supervisão intensa dos empregados e ameaça de demissão....46
37 Kropotkin, The Conquest of Bread, pp. 91-92.
37 Kropotkin, A Conquista do Pão, pp. 91-92.
38 Ibid., p. 93.
38 Ibid., p. 93.
39 Murray Bookchin, Post-Scarcity Anarchism (Berkeley, The Ramparts Press, 1971), p. 9.
39 Murray Bookchin, Anarquismo Pós-Escassez (Berkeley, The Ramparts Press, 1971), p. 9.
40 Ibid., p. 131.
40 Ibid., p. 131.
41 Ibid., pp. 37-38.
41 Ibid., pp. 37-38.
42 Samuel Bowles and Arjun Jayadev, “Guard Labor: An Essay in Honor of Pranab Bardhan” Working Paper Series No. 90 (Political Economy Research Institute, 2004).
42 Samuel Bowles e Arjun Jayadev, “Trabalho de Guarda: Ensaio em Homenagem a Pranab Bardhan” Working Paper Series No. 90 (Instituto de Pesquisa em Economia Política, 2004).
43 Dowd, The Waste of Nations, p. 70.
43 Dowd, O Desperdício das Nações, p. 70.
44 David M. Gordon, Fat and Mean: The Corporate Squeeze of Working Americans and the Myth of Management
"Downsizing" (New York: The Free Press, 1996), p. 82.
44 David M. Gordon, Gordo e Sovina: O Aperto Corporativo dos Estadunidenses Trabalhadores e o Mito do "Enxugamento" da Gerência (New York: The Free Press, 1996), p. 82.
45 Ibid., pp. 5-6.
45 Ibid., pp. 5-6.
46 Ibid., pp. 65-66, 68.
46 Ibid., pp. 65-66, 68.
Research Associate Kevin Carson is a contemporary mutualist author and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political Economy, Organization Theory: A Libertarian Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation and his own Mutualist Blog.
O Associado de Pesquisa do C4SS Kevin Carson é autor mutualista e anarquista individualista contemporâneo cuja obra escrita inclui Estudos de Economia Política Mutualista, Teoria da Organização: Uma Perspectiva Libertária, e A Revolução Industrial Gestada em Casa: Um Manifesto de Baixo Overhead, todos disponíveis grátis online. Carson também tem escrito para publicações impressas tais como O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e para diversas publicações e blogs da internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P e seu próprio Blog Mutualista.

No comments:

Post a Comment