Sunday, January 23, 2011

FFF - Government Spies on Americans

THE FUTURE OF FREEDOM FOUNDATION - FFF
FUNDAÇÃO FUTURO DE LIBERDADE - FFF
COMMENTARIES
COMENTÁRIOS
Government Spies on Americans
by Sheldon Richman, January 13, 2011
Governo Espiona Estadunidenses
por Sheldon Richman, 13 de janeiro de 2011
Most Americans seem detached from the U.S. government’s military actions in Iraq, Afghanistan, Pakistan, Yemen, Somalia, and elsewhere. U.S. forces not only engage in wanton killing and harsh treatment of prisoners, but also surveillance and other intelligence activities that might appall the American people if they were used at home.
Os estadunidenses, em sua maioria, parecem desinteressados nas ações militares do governo dos Estados Unidos em Iraque, Afeganistão, Paquistão, Iêmen, Somália e em outros lugares. As forças dos Estados Unidos não apenas lançam-se a matança injustificável e a tratamento cruel de prisioneiros como, também, a escuta e a outras atividades de inteligência que poderiam estarrecer o povo estadunidense fossem usadas no país.
Well, guess what: “Technologies and techniques honed for use on the battlefields of Iraq and Afghanistan have migrated into the hands of law enforcement agencies in America,” writes the Washington Post in its continuing series, “Top Secret America.”
Pois bem, adivinhem: "Tecnologias e técnicas desenvolvidas para uso nos campos de batalha de Iraque e Afeganistão migraram para as mãos de órgãos de asseguração do cumprimento da lei nos Estados Unidos," escreve o Washington Post em sua série de artigos “Os Estados Unidos do Sigilo Máximo.”
The Post reports:
Informa o Post:
“Nine years after the terrorist attacks of 2001, the United States is assembling a vast domestic intelligence apparatus to collect information about Americans, using the FBI, local police, state homeland security offices and military criminal investigators.
"Nove anos depois dos ataques terroristas de 2001, os Estados Unidos estão montando vasto aparato de inteligência doméstica para coletar informações acerca dos estadunidenses, usando o FBI, a polícia local, dependências estaduais de segurança da pátria e investigadores criminais militares.
“The system, by far the largest and most technologically sophisticated in the nation’s history, collects, stores and analyzes information about thousands of U.S. citizens and residents, many of whom have not been accused of any wrongdoing.
"O sistema, de longe o maior e mais tecnologicamente sofisticado da história do país, coleta, armazena e analisa informações acerca de milhares de cidadãos dos Estados Unidos e residentes, muitos dos quais não acusados de fazer qualquer coisa errada.
“The government’s goal is to have every state and local law enforcement agency in the country feed information to Washington to buttress the work of the FBI, which is in charge of terrorism investigations in the United States.”
"O objetivo do governo é que todo órgão estadual e local de asseguração do cumprimento da lei no país forneça informações a Washington para apoiar o trabalho do FBI, encarregado das investigações de terrorismo nos Estados Unidos."
Sad to say, this article has gotten little attention. Is it a matter of so little importance? Governments at all levels are united in a campaign to spy on Americans, gathering, analyzing, and storing data without probable cause and hardly anyone seems to care.
Triste dizer, esse artigo despertou pouca atenção. Será assunto de tão pouca importância? Governos em todos os níveis estão unidos em campanha para espionar estadunidenses, coletando, analisando e armazenando dados sem causa provável, e praticamente ninguém parece importar-se.
Have Americans become so docile that they roll over for anything rationalized as necessary in the “war on terror”? If so, they have abandoned one of greatest virtues of early generations: suspicion of power. They might as well stop talking about liberty and individualism because it just a lot of empty words now.
Será que os estadunidenses tornaram-se tão dóceis que engolem sem resistência qualquer coisa racionalizada como indispensável na "guerra contra o terror"? Se sim, então abandonaram uma das maiores virtudes das primeiras gerações: a suspeita em relação ao poder. Poderiam igualmente parar de falar acerca de liberdade e individualismo, porque estes agora são apenas um punhado de palavras vazias.
The Post reports, “The FBI is building a database with the names and certain personal information, such as employment history, of thousands of U.S. citizens and residents whom a local police officer or a fellow citizen believed to be acting suspiciously. It is accessible to an increasing number of local law enforcement and military criminal investigators, increasing concerns that it could somehow end up in the public domain.” (Emphasis added.)
O Post informa: "O FBI está construindo uma base de dados com os nomes e certas informações pessoais, tais como histórico de emprego, de milhares de cidadãos dos Estados Unidos e residentes que alguma autoridade policial local ou algum concidadão tenham acreditado estarem agindo de maneira suspeita. Ela é acessível a crescente número de agentes locais de asseguração do cumprimento da lei e de investigadores criminais militares, o que aumenta preocupações de de alguma forma acabar no domínio público." (Ênfase acrescentada.)
That sounds too much like what goes on under totalitarian regimes, in which the government keeps tabs on the population, encouraging everyone to spy on everyone else and provide tips on suspicious activity. How many people will end up in the database because someone who dislikes them reported them to the authorities? The Homeland Security Department’s “See Something, Say Something” campaign is truly frightening. Do we want to be a nation of informants?
Isso soa demasiado como o que acontece em regimes totalitários, onde o governo acompanha de perto a população, estimulando todo mundo a espionar todo mundo mais e a dar dicas quanto a atividades suspeitas. Quantas pessoas acabarão na base de dados pelo fato de alguém que não goste delas denunciá-las às autoridades? A campanha "Se Vir Algo, Diga Algo" do Departamento de Segurança da Pátria é realmente de dar medo. Desejamos uma nação de informantes?
Don’t think this has anything to do with “terrorism.” The high volume of information flowing into the government’s computers will actually render law-enforcement agencies less able to detect real threats. Indiscriminate gathering of data makes us less, not more, safe.
Não pensem que isso tenha qualquer coisa a ver com "terrorismo." O alto volume de informação fluindo para dentro dos computadores do governo em verdade tornará os órgãos de asseguração do cumprimento da lei menos capazes de detectar ameaças reais. A coleta indiscriminada de dados torna-nos menos, não mais seguros.
We shouldn’t be so naive as to think these new data-gathering powers won’t be used even when the authorities know there is no threat. The Post says that “state reports have sometimes inappropriately reported on lawful meetings.” That should surprise no one. Give government the power to spy on bad guys, and it will spy on anyone it feels like. Betting against that is like betting the sun won’t come up tomorrow.
Não deveríamos ser ingênuos a ponto de pensar que esses novos poderes de coleta de dados não serão usados ainda quando as autoridades souberem não haver ameaça. O Post diz que "relatórios estaduais por vezes informaram inadequadamente reuniões legais." Isso não deveria surpreender ninguém. Dêem ao governo o poder de espionar bandidos, e ele espionará qualquer pessoa que entender deva. Apostar o contrário é como apostar que o sol não nascerá amanhã.
Of course, government officials say only real threats are the target of surveillance. Notice that the war party was wrong when it said that “fighting them over there” would mean we won’t have to “fight them over here.” In fact, fighting over there is what brought the threat here. But now we’re told that home-grown “terrorism” is the new big danger. There is much reason for skepticism: The alleged plots exposed by the FBI seem to have been hatched by the FBI’s own informants. If the FBI has to furnish a “suspect” with phony explosives before arresting him, what threat was really involved? Such cases should sicken every American. Government agents should not be giving security tests to individuals and arresting them if they fail.
Obviamente, as autoridades do governo dizem que apenas ameaças reais são alvo de escuta. Notem que os partidários da guerra estavam errados quando disseram que "lutar contra eles lá fora" significaria que não teríamos de "lutar contra eles aqui dentro." Na verdade, lutar contra eles lá fora é o que trouxe a ameaça aqui para dentro. Agora, porém, dizem-nos que o "terrorismo" nascido aqui dentro é o novo grande perigo. Há muito motivo para ceticismo: As alegadas conspirações expostas pelo FBI parecem ter sido incubadas pelos próprios informantes do FBI. Se o FBI tem de suprir um "suspeito" com explosivos falsos antes de prendê-lo, que ameaça estava realmente envolvida? Casos assim deveriam dar náusea em todo estadunidense. Os agentes do governo não deveriam estar aplicando testes de segurança nas pessoas prendendo-as quando não passem.
But apparently in this age of the “war on terror” anything goes. Does anybody care?
Aparentemente, contudo, nesta época de "guerra contra o terror" tudo é permitido. Alguém se importa?
Sheldon Richman is senior fellow at The Future of Freedom Foundation, author of Tethered Citizens: Time to Repeal the Welfare State, and editor of The Freeman magazine. Visit his blog “Free Association” at www.sheldonrichman.com. Send him email.
Sheldon Richman é membro de alto nível da Fundação Futuro de Liberdade, autor de Cidadãos no Cabresto: Hora de Repudiar o Estado Assistencialista, e editor da revista O Homem Livre. Visite o blog dele, "Livre Associação," em www.sheldonrichman.com. Envie-lhe email.

No comments:

Post a Comment