Monday, January 3, 2011

Center for a Stateless Society - Bradley Manning: One Soldier Who Really Did “Defend Our Freedom”

building awareness of the market anarchist alternative
no despertamento da consciência da alternativa anarquista de mercado
Bradley Manning: One Soldier Who Really Did “Defend Our Freedom”
Bradley Manning: Soldado Que Realmente "Defendeu Nossa Liberdade”
Posted by Kevin Carson on Dec 30, 2010 in Commentary  
Afixado por Kevin Carson em 30 de dezembro de 2010 em Commentary  
When I hear someone say that soldiers “defend our freedom,” my immediate response is to gag. I think the last time American soldiers actually fought for the freedom of Americans was probably the Revolutionary War — or maybe the War of 1812, if you want to be generous. Every war since then has been for nothing but to uphold a system of power, and to make the rich folks even richer.
Quando ouço alguém dizer que os soldados "defendem nossa liberdade" minha reação imediata é de engulho. Acho que provavelmente a última vez em que soldados estadunidenses realmente lutaram pela liberdade de estadunidenses foi na Guerra Revolucionária — ou talvez na Guerra de 1812, se quisermos ser generosos. Toda guerra desde então foi para nada mais do que manter um sistema de poder e tornar os ricos ainda mais ricos.
But I can think of one exception.  If there’s a soldier anywhere in the world who’s fought and suffered for my freedom, it’s Pfc. Bradley Manning.
Consigo contudo pensar numa única exceção. Se há soldado em algum lugar do mundo que já lutou e sofreu por minha liberdade, é o soldado de primeira classe Bradley Manning.
Manning is frequently portrayed, among the knuckle-draggers on right-wing message boards, as some sort of spoiled brat or ingrate, acting on an adolescent whim.  But that’s not quite what happened, according to Johann Hari (“The under-appreciated heroes of 2010,” The Independent, Dec. 24).
Manning é amiúde retratado, entre os primatas direitistas de sites de discussões online, como uma espécie de menino mimado ou de ingrato, agindo impelido por capricho adolescente. Não é exatamente isso o que aconteceu, de acordo com Johann Hari (“Os heróis não devidamente valorizados de 2010,” The Independent, 24 de dezembro).
Manning, like many young soldiers, joined up in the naive belief that he was defending the freedom of his fellow Americans. When he got to Iraq, he found himself working under orders “to round up and hand over Iraqi civilians to America’s new Iraqi allies, who he could see were then torturing them with electrical drills and other implements.” The people he arrested, and handed over for torture, were guilty of such “crimes” as writing “scholarly critiques” of the U.S. occupation forces and its puppet government. When he expressed his moral reservations to his supervisor, Manning “was told to shut up and get back to herding up Iraqis.”
Manning, como muitos soldados jovens, alistou-se na crença ingênua de estar defendendo a liberdade de seus concidadãos estadunidenses. Quando foi para o Iraque, viu-se trabalhando com ordem de "arrebanhar e entregar civis iraquianos aos novos aliados iraquianos dos Estados Unidos, os quais, podia ele ver, então os torturavam com furadeiras elétricas e outros implementos." As pessoas que ele prendeu e entregou para tortura eram culpadas de "crimes" tais como escrever "críticas acadêmicas" às forças de ocupação dos Estados Unidos e ao governo títere respectivo. Ao Manning expressar suas reservas morais a seu supervisor, "foi-lhe dito que calasse a boca e voltasse ao arrebanhamento de iraquianos."
The people Manning saw tortured, by the way, were frequently the very same people who had been tortured by Saddam: Trade unionists, members of the Iraqi Freedom Congress, and other freedom-loving people who had no more use for Halliburton and Blackwater than they had for the Baath Party.
As pessoas que Manning viu serem torturadas, a propósito, eram amiúde exatamente as mesmas que haviam sido torturadas por Saddam: sindicalistas, membros do Congresso Iraquiano da Liberdade, e outras pessoas amantes da liberdade que não tinham mais uso para a Halliburton e para a Blackwater do que haviam tido para o Partido Baath.
For exposing his government’s crimes against humanity, Manning has spent seven months in solitary confinement –  a torture deliberately calculated to break the human mind.
Por expor os crimes contra a humanidade de seu governo, Manning já passou sete meses em confinamento solitário – forma de tortura deliberadamente calculada para alquebrar a mente humana.
We see a lot of “serious thinkers” on the op-ed pages and talking head shows, people like David Gergen, Chris Matthews and Michael Kinsley, going on about all the stuff that Manning’s leaks have impaired the ability of “our government” to do.
Vemos muitos "pensadores sérios" nas páginas de artigos opinativos e noticiários de televisão, pessoas como David Gergen, Chris Matthews e Michael Kinsley, estendendo-se acerca de todas as coisas que os vazamentos de Manning impediram  "nosso governo" fazer.
He’s impaired the ability of the U.S. government to conduct diplomacy in pursuit of some fabled “national interest” that I supposedly have in common with Microsoft, Wal-Mart and Disney. He’s risked untold numbers of innocent lives, according to the very same people who have ordered the deaths of untold thousands of innocent people.  According to White House Press Secretary Robert Gibbs, Manning’s exposure of secret U.S. collusion with authoritarian governments in the Middle East, to promote policies that their peoples would find abhorrent, undermines America’s ability to promote “democracy, open government, and free and open societies.”
Ele prejudicou a capacidade do governo dos Estados Unidos de conduzir a diplomacia na persecução de algum fictício "interesse nacional" que pretensamente tenho em comum com Microsoft, Wal-Mart e Disney. Ele pôs em risco número indizível de vidas inocentes, de acordo com exatamente as mesmas pessoas que ordenaram a morte de indizíveis milhares de pessoas inocentes.    Conforme o Secretário de Imprensa da Casa Branca Robert Gibbs, a exposição, por Manning, do conluio secreto dos Estados Unidos com governos autoritários do Oriente Médio, para promover políticas que os povos respectivos considerariam abomináveis, solapa a capacidade dos Estados Unidos de promover "democracia, governo transparente e sociedades livres e transparentes."
But I’ll tell you what Manning’s really impaired government’s ability to do.
Eu, porém, direi a vocês quais são as capacidades de fazer do governo que Manning realmente prejudicou.
He’s impaired the U.S. government’s ability to lie us into wars where thousands of Americans and tens of thousands of foreigners are murdered.
Ele prejudicou a capacidade de o governo dos Estados Unidos mentir levando-nos a guerras onde milhares de estadunidenses e dezenas de milhares de estrangeiros são assassinados.
He’s impaired its ability to use such wars — under the guise of promoting “democracy” — to install puppet governments like the Coalition Provisional Authority, that will rubber stamp neoliberal “free trade” agreements (including harsh “intellectual property” provisions written by the proprietary content industries) and cut special deals with American crony capitalists.
Ele prejudicou a capacidade do governo de usar essas guerras — à guisa de promover a "democracia" — para colocar no poder governos títeres tais como a Autoridade Provisória da Coalizão, chanceladores de acordos neoliberais de "livre comércio" (incluindo rígidas cláusulas de "propriedade intelectual" escritas pelas indústrias de conteúdo patenteado) e signatários de acordos especiais com compadres capitalistas estadunidenses.
He’s impaired its ability to seize good, decent people who — unlike most soldiers — really are fighting for freedom, and hand them over to thuggish governments for torture with power tools.
Ele prejudicou a capacidade de o governo prender pessoas boas e decentes que — diferentemente da maioria dos soldados — estão realmente lutando pela liberdade, e de entregá-las a governos brutais para tortura com ferramentas elétricas.
Let’s get something straight. Bradley Manning may be a criminal by the standards of the American state. But by all human standards of morality, the government and its functionaries that Manning exposed to the light of day are criminals. And Manning is a hero of freedom for doing it.
Deixemos claro o seguinte. Bradley Manning pode ser criminoso pelos padrões do estado estadunidense. Contudo, por todos os padrões humanos de moralidade, o governo e seus funcionários, que Manning expôs à luz do dia, são criminosos. E Manning é um herói da liberdade por fazê-lo.
So if you’re one of the authoritarian state-worshipers, one of the groveling sycophants of power, who are cheering on Manning’s punishment and calling for even harsher treatment, all I can say is that you’d probably have been there at the crucifixion urging Pontius Pilate to lay the lashes on a little harder. You’d have told the Nazis where Anne Frank was hiding. You’re unworthy of the freedoms which so many heroes and martyrs  throughout history — heroes like Bradley Manning — have fought to give you.
Assim, se você é um desses adoradores do estado autoritário, um desses sicofantas servis do poder que torcem pela punição de Manning e preconizam tratamento ainda mais duro para ele, tudo o que posso dizer é que você teria estado provavelmente na crucifixão instando Pôncio Pilatos a descer o açoite um pouco mais forte. Você teria dito aos nazistas onde Anne Frank estava escondida. Você não faz jus à liberdade pela qual tantos heróis e mártires ao longo da história — heróis como Bradley Manning — lutaram para dar a você.
Citations to this article:
Citações deste artigo:
. Kevin Carson, Pfc. Bradley Manning a hero to some, Malaysia Sun, 01/01/11
. Kevin Carson, Soldado de primeira classe Bradley Manning herói para alguns, Malaysia Sun, 01/01/11
. Kevin Carson, In the defense of Pfc. Bradley Manning, Myanmar News.net, 12/31/10
. Kevin Carson, Em defesa do soldado de primeira classe Bradley Manning, Myanmar News.net, 31/12/10
. Kevin Carson, Pfc. Bradley Manning a hero to some, Albuquerque, New Mexico Express, 01/01/11
. Kevin Carson, Soldado de primeira classe Bradley Manning herói para alguns, Albuquerque, New Mexico Express, 01/01/11
. Kevin Carson, Pfc. Bradley Manning a hero to some, Africa Leader, 01/01/11
. Kevin Carson, Soldado de primeira classe Bradley Manning herói para alguns, Africa Leader, 01/01/11
. Kevin Carson, In the defense of Pfc. Bradley Manning, Brunei News.Net, 12/31/10
. Kevin Carson, Em defesa do soldado de primeira classe Bradley Manning, Brunei News.Net, 31/12/10
. Kevin Carson, In the defense of Pfc. Bradley Manning, Thailand News.Net, 12/31/10
. Kevin Carson, Em defesa do soldado de primeira classe Bradley Manning, Thailand News.Net, 31/12/10
C4SS Research Associate Kevin Carson is a contemporary mutualist author and individualist anarchist whose written work includes Studies in Mutualist Political Economy, Organization Theory: An Individualist Anarchist Perspective, and The Homebrew Industrial Revolution: A Low-Overhead Manifesto, all of which are freely available online. Carson has also written for such print publications as The Freeman: Ideas on Liberty and a variety of internet-based journals and blogs, including Just Things, The Art of the Possible, the P2P Foundation and his own Mutualist Blog.
O Associado de Pesquisa do C4SS Kevin Carson é autor mutualista e anarquista individualista contemporâneo cuja obra escrita inclui Estudos em Economia Política Mutualista, Teoria da Organização: Uma Perspectiva Anarquista Individualista, e A Revolução Industrial Gestada em Casa: Um Manifesto de Despesas Gerais Reduzidas, todos disponíveis grátis online. Carson tem também escrito para publicações impressas tais como O Homem Livre: Ideias acerca de Liberdade e para diversas publicações e blogs da Internet, inclusive Apenas Coisas, A Arte do Possível, a Fundação P2P e seu próprio Blog Mutualista.


No comments:

Post a Comment